A Hora do Lobisomem

A Hora do Lobisomem Stephen King
Ben Wrightson




Resenhas - A Hora do Lobisomem


97 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Acervo do Leitor 06/07/2018

A Hora do Lobisomem de Stephen King | Resenha | Acervo do Leitor
RESENHA – A HORA DO LOBISOMEM

Doze meses. Doze meses de agonia. Em um curto período de tempo os moradores da pequena cidade Tarker`s Mill vivenciaram a expectativa da morte iminente. Uma criatura andou deixando um rastro de vítimas esquartejadas, decapitadas e dilaceradas toda noite de lua cheia. De onde veio essa criatura e como para-la? Quando todos se refugiam atrás das suas portas não há muito o que se fazer a não ser esperar pela inevitável hora do lobisomem, e ela sempre chega!

“Meu amor – sussurra ela, e fecha os olhos.
O lobo cai sobre ela.
O amor é como morrer.”

Janeiro, um sinaleiro preso em uma tempestade é a primeira vítima. Fevereiro, uma mulher rejeitada encontra seu amor nos braços da morte. Março, um técnico chamado no branco da tempestade de neve acaba encontrando o vermelho do sangue nas presas de um lobo gigante. Abril, um jovem soltando pipa acaba brincando sem cabeça. Maio, o zelador da igreja é estripado aos pés de Cristo. Junho, o dono do único café da cidade acaba servindo seu último cliente com sangue quente… o seu próprio! E assim a contagem de corpos continua.

“Ele consegue sentir cheiro de sangue e canela, e é encontrado no dia seguinte encostado no Memorial da Guerra, sem cabeça e eviscerado.”

Em uma cidade vivendo o com os nervos à flor da pele um jovem deficiente físico tem apenas um sonho: que o medo contagiante não estrague sua festa de fogos do próximo “Quatro de Julho”! Mas a cidade já cancelou a celebração, assim, resta ao jovem realizar uma festa privada sua com os fogos que seu tio lhe deu secretamente. Na madrugada, sozinho no frio, vendo seus explosivos reluzirem no céu ele acaba se deparando com a criatura que assola a cidade. Não só escapa com vida como consegue ferir a besta. Um fato que ficou marcado na cidade como fonte de inspiração. Agora os cidadãos estão se armando embutidos de coragem para refrear o mal, mas será isso possível ou apenas este jovem preso a cadeira de rodas estaria destinado a tal feito?


“O último som que escuta na vida é o rosnado crescente de triunfo do lobisomem; a cabeça dele rola para baixo do Peterbilt, os olhos arregalados, o pescoço jorrando sangue.”

SENTENÇA
Essa obra clássica do mestre Stephen King é uma “aula” de narrativa e mostra que é possível escrever uma boa história divertida em poucas páginas e de forma convincente. Capítulos curtos de duas a três páginas de tirar o fôlego repletos de suspense e mortes abrilhantados ainda mais com as artes do aclamado Bernie Wringhtson nesta caprichada edição! O livro só tem um problema, é tão curto que chega a deixar um gosto de “quero mais”! Mas convenhamos, quem curte Stephen King nunca fica sem um bom livro em mãos para devorar… oops(rs), para ler.

site: http://acervodoleitor.com.br/a-hora-do-lobisomem-resenha/
comentários(0)comente



Paulo Araújo (Binho) 05/07/2018

Terror sem firulas
Fã de Stephen King como sou, digo sem medo que este conto se tornou um dos meus favoritos.
Sem firulas, sem enrolação, sem trama rocambolesca: a fera vem, aterroriza, descobre-se quem é, arma-se um plano para tentar vencê-la. FIM.
Quiçá, King tenha criado neste conto seu protagonista mais carismático, o pequeno Marty, que, mesmo preso a uma cadeira de rodas, é determinado, rebelde quando precisa, vulnerável quando é conveniente. A personagem transita entre a inocência e o calculismo, passando bem a imagem de uma criança que não consegue o que quer ao jovem que faz de tudo para enfrentar seu inimigo.
Leitura rápida, dinâmica, gostosa. Enfim, um prato cheio para quem gosta de terror e que é capaz de prender até mesmo aqueles que não curtem muito um livro.
comentários(0)comente



Karine.Campos 27/06/2018

Quem me conhece um pouco sabe que sou fã de Stephen King. Acho a forma que ele escreve suas histórias genial, talvez por isso esperava mais quando comecei a ler a Hora do Lobisomem. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
O livro é um conto sobre o aparecimento de um lobisomem na cidade de Tarker’s Mills e seus ataques mensais (os capítulos do livro são divididos em meses: janeiro, fevereiro, março até dezembro). ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ Ponto Alto: as ilustrações maravilhosas e o personagem principal, se é que temos um, Marty. Eu adoro a forma que o King transforma pessoas aparentemente frágeis em personagens heroicos.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Ponto Fraco: apesar de ser um história redonda, senti falta da escrita descritiva e do aprofundamento dos personagens tão peculiar em King. Além disso tive a sensação que o livro é tinha tem mais para contar. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Apesar desses pontos negativos o livro tem um leitura é super agradável e você com certeza vai ler numa tarde. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ Quero deixar claro que A Hora do Lobisomem está longe de ser um livro ruim, mas não é um livro genial como estou acostumada. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
E para aqueles que têm muito medo de um livro de terror Fiquem tranquilos no máximo terão pequenos sustos.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A Hora do Pesadelo foi o livro escolhido para o desafio copa de 94 dá #copajabuti2018 das amigas @paginaemrosa e @imersanoslivros
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ Resenha: @kacau_campos
Autor: @stephenking
Editora: @editorasuma ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ IGs parceiros marcados na foto

#resenhasamigasdaliteratura #copajabuti2018
#stephenking
#ahoradolobisomem

site: https://www.instagram.com/p/BkhvD_oFKDJ/?utm_source=ig_share_sheet&igshid=eo83iw08u0ux
comentários(0)comente



Ingrid 02/06/2018

A Hora Do Lobisomem
O livro é relatado em doze meses, durante 12 luas cheias.
Apesar do livro ser parecido com pequenos contos, King consegue fazer com que o leitor tenha certa feição por alguns personagens, mesmo a história sendo tão curta.
É meio impossivel e suspeito eu falar, porém, antes de ler nao dava nada pelo livro e acabei encontrando mais uma obra de arte do autor.
E essa ediçao da Suma é linda e podemos ler o livro apenas em uma noite.
comentários(0)comente



isiskarol 21/05/2018

Edição e-book não tão interessante
Começa quase chato com vários clichês de ataques de lobisomem. Aos poucos a trama vai te prendendo e a história finalmente te prende. Sem grandes expectativas, é uma boa leitura, mas nada além disso.

A edição física parece muito boa com as ilustrações e acabamento. A edição e-book certamente deixa a desejar nesse sentido.
comentários(0)comente



Iann 14/05/2018

Um clássico marcante de Stephen King
Não perca, vale muito a pena! Esse é o primeiro comentário sobre este livro.
Essa edição da Suma tá fantástica, a capa é linda, texto bem organizado, excelente papel, as ilustrações caprichadas.
Este foi meu primeiro livro de King e nota-se como sua escrita é detalhista, envolvente, instigante e com muito sentimento. Nesse clássico de 83, apesar de ter poucas páginas, o livro é gigante. Conhecia o filme desde a infância e já era marcante, a leitura é ainda mais. Espero ler mais desse mestre da escrita e cinema.
comentários(0)comente



LeitorAnonimo 05/05/2018

A Hora do Lobisomem
A história é muito interessante, mas o livro é muito curto e muitas coisas ficaram mal desenvolvidas, muitos detalhes se perderam. Poderia estar em uma coletânea de contos, eu não vi motivo para terem publicado separado. A edição tem 150 páginas, tem muitas ilustrações, e se tirassem acho que o livro ficaria com umas 50 páginas. Se tivesse mais páginas com certeza seria um livro sensacional, mas não é ruim, tem uma premissa e personagens interessantes, e como a maior parte das histórias do King se passa em uma cidade do interior do Maine.
comentários(0)comente



Eduardo 02/05/2018

Meu primeiro contato com Stephen King
O Livro tem uma dinâmica muito interessante, e isso me chama bastante a atenção. é dividido em 12 capítulos, cada capítulo representa um mês. Nesta história, uma pequena cidade começa ser aterrorizada por um lobisomem, sabe-se apenas que ele ataca durante a aparição da lua cheia. Cada página é um suspense, deixando sempre em dúvida quem será o próximo alvo ou qual será a identidade do lobisomem? Estas dúvidas me prenderam de maneira a terminar o livro mais rápido do que eu esperava. vale a pena conferir!
Apesar do livro ser de 83, a linguagem usada não é massante, na verdade, os capítulos são bastante curtos. Uma leitura rápida e fácil.
comentários(0)comente



P. Miguel Silva 13/04/2018

'A Hora do Lobisomem' (outrora conhecido como 'Bala de Prata' aqui no BR) acho que foi um dos livros mais diferentes que eu li do King até o momento. É uma história curta, quase um conto, e com ilustrações de Bernie Wrightson e conta com uma narrativa objetiva e com poucos diálogos.

Temos como protagonista a pequena Tarker's Mills no Maine (sempre ele), uma cidadezinha pacata que tem sua rotina transformada com uma série de assassinatos estranhos. Outro detalhe da história é o fato dele ser contado todo dentro de 1 ano com cada capitulo reprentando 1 dos 12 meses do ano, sempre durante a lua cheia.

Como disse no início esse foi um dos livros mais diferentes que já li de Stephen King, já pelo fato de ter lido todo em 1 dia, e pela narrativa um pouco diferente, mas ainda com a assinatura da incrível escrita do mestre. Tem ainda o filme que vou tentar assistir hoje mais tarde.
Vale ressaltar também essa belíssima edição da Editora Suma lançada na coleção 'Biblioteca Stephen King' que além das ilustrações normais, contem também 4 ilustrações de 4 artistas brasileiros inspirado em 'A Hora do Lobisomem'.
comentários(0)comente



Renata.Reis 12/04/2018

A hora dela é agora, o lugar dela é aqui
Eu estou com a versão ilustrada do Bernie Wrighston, e é simplesmente maravilhosa.

Em Tarker´s Mills tem uma criatura a solta matando os cidadãos. Há uma suspeita que um dos cidadãos é o lobisomen. O mais interessante aqui é que além das crenças, também existe o instinto de sobrevivência. Se você fosse uma fera, você se mataria? é ótimo como o S.K coloca essa questão. Outro ponto interessante, é como o S.K colocou o Marty Coslaw, um garoto de cadeira de rodas, que não é exatamente um coitadinho, é até teimoso e destemido.

O livro é bem curto, eu recomendo, em um dia ou dois da pra ler, sem falar que tem ilustrações lindas.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Jéssica - @cjessferreira 28/03/2018

Curti bastante!
A história se passa na cidadezinha de Tarker's Mill, interior dos EUA, onde - durante todo o ano - acontecem terríveis ataques de uma besta gigante com formas de lobo. O primeiro ataque aconteceu em Janeiro; o sinaleiro da Ferrovia ouviu um arranhar em sua porta e achando ser um cachorro perdido, foi surpreendido por algo muito maior e com sede de sangue. A criatura com olhos ferozes, insanos e amarelos rosna sons guturais que mais parecem sair de uma garganta humana! As brutalidades da besta vão acontecendo mensalmente e o cenário vai mudando conforme a passagem do tempo e das estações.

Enquanto um rastro de morte percorre a cidade, os casos passam a ser investigados pela polícia local, mas é um garotinho cadeirante chamado Marty quem está mais disposto a descobrir como se livrar do "animal". Afinal, ele tem ideia do que e de quem o bicho possa ser.

A Hora do Lobisomem é um clássico de poucas páginas do Stephen King. Publicado em 1982, a versão original soma menos de 100 páginas e muitos consideram a obra mais um livro de contos do que uma novela. A razão do livro ser curto é que ele foi fruto de uma aposta que King executou com maestria, apesar, confesso, do pouco desenvolvimento dos personagens. Lançado aqui no Brasil pela primeira vez em 1983, A Hora do Lobisomem foi relançado pela Editora Suma numa edição caprichada em capa dura, alto relevo, folhas amareladas e ilustrações de Bernie Wrightson. A obra faz parte do selo "Biblioteca Stephen King".

Na minha opinião, o livro é bom, cumpre seu papel, mas não é memorável como outras obras do King. De leitura fácil, rápida e fluida, A Hora do Lobisomem entretém, e mesmo com poucas páginas traz as características mais marcantes do autor, uma delas - a que eu mais gosto - é a descrição da morte; King nos coloca na cena e é quase possível sentir o cheiro enferrujado de sangue. O livro foi adaptado para o cinema em 1985.

site: www.instagram.com/cjessferreira
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Thalita Branco 22/03/2018

Resenha ~ A Hora do Lobisomem - Stephen King
Uma criatura sanguinária passa, mês a mês, sempre no período da lua cheia, a assassinar algum habitante de Tarker’s Mill. Cada curto capítulo do livro representa um mês e uma morte, e conforme os meses passam e a população percebe a periodicidade dos ataques a cidade entra em alerta e fica aflita. Eis que surge um improvável herói que ameaça a criatura e com isso se coloca em risco.

Não há muito mais o que falar sobre o livro sem soltar algum spoiler. Ainda que seja difícil imaginar uma obra curta do Mestre King, A Hora do Lobisomem é bem curtinho mesmo, apenas 152 páginas intercaladas com várias ilustrações do Bernie Wrightson. Um livro que pode ser lido em pouquíssimo tempo, mas que nem por isso se torna menos assustador uma vez que, principalmente a partir de do mês de junho, a tensão cresce e passamos a temer pela segurança de alguns personagens.

A nova edição da Suma faz parte da coleção Biblioteca Stephen King e é simplesmente linda com sua capa dura com detalhes em relevo e textura aveludada. Como acréscimo, a edição trás algumas ilustrações de artistas convidados pela editora a representarem sua passagem favorita da história. Um clássico do King que com certeza merece um espacinho na estante!

site: www.entrelinhasfantasticas.com.br
comentários(0)comente



Marlei 28/02/2018

Resenha: "A hora do lobisomem" (Stephen King)
Tradução: Regiane Winarski

UMA CRIATURA CHEGOU A TARKER’S MILLS. A HORA DELA É AGORA, O LUGAR DELA É AQUI.

O primeiro grito veio de um trabalhador da ferrovia isolado pela neve, enquanto as presas do monstro dilaceravam sua garganta. No mês seguinte, um grito de êxtase e agonia vem de uma mulher atacada no próprio quarto.
Agora,a cada vez que a lua cheia brilha sobre a cidade de Tarker’sMill, surgem novas cenas de terror inimaginável. Quem será o próximo?
Quando a lua cresce no céu,um terror paralisante toma os moradores da cidade. Uivos quase humanos ecoam no vento. E por todo lado as pegadas de um monstro cuja fome nunca é saciada.
Por Sheila: Oi pessoas! Como vocês estão? Eu estou em ÊXTASE com esse livro lindo, perfeito, MARAVILHOSO lançado pela Suma de Letras. Na verdade, este é o segundo livro do projeto da Suma de Letras intitulado Biblioteca Stephen King. A ideia é relançar toda uma coleção de livros raros do nosso popular escritor de suspense e terror para os fãs. Você encontra a resenha de "Cujo", primeiro livro lançado, aqui.



Mais uma vez, o livro veio em capa dura, folhas amarelas, mas este exemplar veio todinho ilustrado pelo Bernie Wrightson, além de conter ilustrações extras, no final, de quatro ilustradores brasileiros. Segundo a editora, a ideia era que eles "escolhessem e representassem sua cena preferida de A hora do lobisomem"


Para quem ainda não conhece esse clássico de Stephen King, tudo começa quando, na cidade de Taker's Mill, um ataque brutal é encoberto pela primeira nevasca do ano. Sozinho e preso em um barracão devido a nevasca, Arnie Westrum, sinaleiro da Ferrovia, houve algo arranhar a porta. Seria um cachorro perdido? Ele descobrirá da pior forma que estava errado em sua suposição.
Antes que ele possa decidir o que fazer sobre o visitante, o choramingo baixo se transforma em um rosnado. Um baque soa quando uma coisa incrivelmente pesada bate na porta ... recua ... bate de novo. A porta treme na moldura, e um borrifo de neve entra pelas frestas.
A porta fica no lugar por mais um tempo, curvada em torno da linha vertical e, enfiado nela, investindo e atacando, com o focinho franzido em um rosnado e olhos amarelos ardentes, esta o maior lobo que Arnie já viu ...
E os rosnados soam terrivelmente como palavras humanas.
Agora, em Taker's Mill sabe-se que existe um lobo voraz. Mas há uma certa similaridade nos ataques, que parecem acontecer apenas uma vez por mês, sempre quando a lua cheia esta bem alta no céu.

Enquanto a besta caça pessoas, Marty, um garotinho apenas, começa sua própria investigação para caçar o que vem se tornando o grande tormento daquela pequena cidade, fazendo com que até mesmo o quatro de julho seja cancelado. Ele acha que talvez saiba quem a besta é. Mas o que pode um garotinho contra uma criatura que é a encarnação do próprio mal?

A hora do lobisomem é um livro curto, lançado pela primeira vez em 1982, por muitos considerado mais adequado à uma coletânea de contos do que figurar como obra independente, por ter menos de 100 páginas em sua edição original. Dividido em 12 capítulos, um para cada mês do ano, foi adaptado para as telinhas em 1985, sendo também conhecido como Bala de prata.

Dentre as obras de Stephen King, este não pode ser dito como um dos que mais se destaca. Tem uma narrativa simples e fluída, mas não é memorável. Agora, esta edição relançada pela Suma de letras, esta sim configura-se como aquisição indispensável a qualquer fã das obras de King. Afinal, mais do que um livro, a capa, diagramação e ilustrações são quase uma obra de arte. Este não é um livro para se Ler, é um livro para se Ter. E Suma, sua linda! Fiquei tão feliz com o livro, por tocá-lo, por você existir e ter lançado essa coleção FANTÁSTICA que meu marido já esta ficando com ciúmes.

Abraços e até a próxima!


Curta o Dear Book no Facebook
Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta


site: http://www.dear-book.net/2017/10/resenha-hora-do-lobisomem-stephen-king.html
comentários(0)comente



97 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7