Leve-me à Loucura

Leve-me à Loucura Jéssica Macedo




Resenhas - Leve-me à Loucura


3 encontrados | exibindo 1 a 3


Amanda Caldeira 15/09/2019

Okayzinho!
Eu já li alguns livros da autora e a escrita dela sempre me cativou, ainda mais quando o assunto era os mocinhos (que nem sempre são tão do bem). Mas te confesso que achei esse livro meio "ok". Como assim?! Vamos ao enredo...
Lucas é um policial federal, mas mais do que isso ele é um cara do bem. Bom filho, bom irmão, boa pessoa e quando é chamado pela sua chefe para se infiltrar na maior organização criminosa do país através de um relacionamento com a filha do chefão, ele aceita por acreditar no bem maior. O que ele não esperava era se ver envolvido de verdade, afinal como ter intimidade com alguém sem se envolver é demais para a personalidade dele.
Já a Patrícia é tudo menos ingênua e boazinha. Usada pelo pai desde nova, ela assume o braço de negociação de droga nas favelas de SP e RJ e para se sobressair nesse meio, ela precisa ser durona. Assassinato, roubos, corrupção e vários outros itens são fichinha para ela. O que ela não pode evitar foi se apaixonar por Diogo, um cara que de mal só tinha a fama e que a levou a outros patamares de prazer e amor.
Se você (assim como eu) esperava uma mocinha acuada ou avoada se enganou. Ela é bem forte e luta por sua felicidade.
Até aqui é bem interessante né?! Eu também achei, mas confesso que a narrativa me deixou meio insatisfeita, mesmo sabendo que é uma situação irreal, a confiança instantânea que ela teve nele, a facilidade como se aproximou e até mesmo a fuga quando tudo deu errado foi muito... Esperado. Não tivemos surpresas e nem nada "oh meu Deus do céu, o que tá acontecendo aqui?", Eu tive essa sensação mais no final por curiosidade do que por emoção mesmo... Então, não estou te desmotivando a ler, mas acho que pra mim não colou muito. Claro que lerei o próximo, mas não foi nada muito espetacular.
comentários(0)comente



Aisha.Andris 25/07/2019

Uma história sexy e viciante
Este livro nos traz a história de Lucas, um policial relativamente jovem, mas honesto (até demais), convicto e totalmente dedicado à corporação, que, de repente, é enfiado numa missão inconvencional. Todavia, devido à importância dela, sequer cogitar negar-se a realizá-la. E, assim, em posse de uma identidade, parte a um bar diferente dos que costuma frequentar com o objetivo de seduzir a filha de um poderoso chefe do tráfico. Objetivo que consegue atingir com muita facilidade, já no primeiro encontro. O que não esperava, porém, era ser seduzido com a mesma intensidade pela princesinha que, de princesinha, acaba não tendo nada.
Eu virei fã da Patrícia. Esperava uma garota mimada que vivia bem à custa do pai, sem se importar com a origem do dinheiro. Contudo, não poderia estar mais enganada. Patrícia está na linha de frente do “negócio” da família e, embora acostumada a uma vida financeiramente privilegiada, não tem nada de mimada. É forte e perigosa o bastante para impor respeito até nos “sócios” do seu progenitor. Quando a gente descobre o que ela precisou passar para se tornar assim, sentimos uma grande empatia e passamos a torcer por um final feliz para a personagem; e, igualmente, por um fim terrível e sofrido para o bastardo que chama de pai, um verdadeiro monstro além de qualquer redenção.
A história é muito viciante porque ficamos na expectativa do que vai acontecer quando descobrirem a verdade sobre Lucas. Ao mesmo tempo, queremos que a Patrícia consiga perdoá-lo pela mentira e que deem um jeito de ficar juntos ao final de tudo, pois formam um casal incrível. Os sentimentos se desenvolvem numa velocidade alarmante, mas toda a intensidade dos acontecimentos faz com que acreditemos no que estamos lendo. É uma trama rápida, mas bem desenvolvida, tão deliciosa de acompanhar quanto um filme de Liam Neeson.

site: https://aishando.home.blog/
comentários(0)comente



"Ana Paula" 17/06/2019

Quero começar essa resenha dizendo para vcs que, se forem ler este livro, tenham em mãos o segundo volume, por favor. Assim vcs não vão ficar no desespero como eu estou neste exato momento para saber o que vem a seguir. A autora, não satisfeita em nos deixar doidinhas com as cenas hot, ainda não finaliza a história, deixa um gancho enorme (e desesperador) para o segundo livro! Poxa, neh, Jessica? Assim não dá! kkkkkkkkkkk

"Tinha que conter meus próprios instintos, não era por que meu corpo ficava louco para se atirar nela que eu tinha que esquecer os motivos pelos quais estava ali."

Pronto, surto anotado. Agora posso falar sobre o enredo em paz: A sinopse já diz muito sobre a história e como são só 190 páginas, não vou me prolongar nisso. Confesso que esperava mais uma historinha cheia de mimimi por parte dos personagens, mas o que encontrei me surpreendeu bastante.
Lucas, o policial gato e gostoso, se mostrou muito mais que um rostinho bonito. Sim, é um romance, mas no começo, quando Lucas encontra Patrícia, é só coisa carnal mesmo, sabe? Eles se pegam muito e como a narrativa é em primeira pessoa, pelo ponto de vista de Lucas, nós leitoras quase morremos com todos os detalhes sórdidos (e deliciosos) que esse homem dá. Patrícia também me surpreendeu muito, por ser "A Princesa do Tráfico", achei que ela seria mimada e incoerente. Encontrei uma personagem forte, decidida; uma mulher incrível que aprendeu a sobreviver no mundo do crime em que foi inserida.

"Essa é a Patrícia Medeiros, filha única do Henrique. Seria apenas mais uma patricinha da alta sociedade, se não fosse responsável pela distribuição de drogas nas favelas da zona leste de São Paulo e zona sul e norte do Rio de Janeiro, além de metade do sudeste. Ela é o braço esquerdo do pai e conhece todo o esquema. É dela que quero que se aproxime."

Patrícia sofreu muito - e ainda sofre - nas mãos de seu pai. O Camaleão a usa como bem entende, vemos claramente que não há amor de pai para filha, proteção ou até mesmo tentativa de afastamento dela dos negócios ilícitos dele. Isso fere Patrícia mais do que ela deixa transparecer e acredito que esse tenha sido um dos fatores que a fez se apaixonar por Lucas.
Lucas é o policial bonzinho, ama o que faz. Seu lema é servir e proteger - literalmente. Quando o mesmo se infiltra para conseguir informações de Patrícia, nunca imaginaria que encontraria ali uma pessoa que precisasse tanto de proteção e carinho. Os dois são o oposto um do outro, mas se completam perfeitamente.

"Era engraçado a forma como as coisas ficavam no fim das contas, traficantes com toda a segurança, enquanto as pessoas comuns precisavam lidar com as consequências disso nas ruas."

As cenas quentes são bem descritas e inusitadas: em um momento os dois estão em uma festa e aí já rola aquele tesão que não dá pra resistir. Acredito que tenha mais cenas de sexo do que de ação, e olha, o enredo poderia ser melhor explorado nessa parte de ação. Queria mais do Lucas infiltrado, sabe? Mais limites para ele quebrar, mais tiroteio para eles enfrentarem. É difícil imaginar um policial tão perfeito como o Lucas, senti o toque feminino da autora em todas as frases dele. Não que ele seja mandão ou machista, até porque Patrícia não deixaria de jeito nenhum - mas em algumas partes, a sensibilidade dele entregou que, por trás esse personagem, havia uma mulher dando as regras. Por se tratar de uma duologia, acredito que o próximo volume, além de dar um desfecho, será mais do mesmo. Espero, sinceramente, que tenha mais ação, já que as coisas não terminaram tão bem para eles nesse volume.

"- Eu tinha quatorze quando meu pai me trocou por uma remessa de cocaína com o cartel do golfo. O cara era velho e nojento, mas acabou rápido."

Não posso deixar de mencionar Suzana também. Queria muito saber mais sobre ela, sobre seu dom tão inusitado. A delegada tem muito a mostrar e pode ser que até mereça um livro só dela (fica a dica, Jessica! kkkk)
Além de toda a ficção, não podemos deixar de notar a semelhança com a realidade que a autora expõe. O tráfico existe. A alta segurança e poder de alguns sobre os periféricos existe. Divirta-se e suspire com a leitura, mas não deixe que a ficção obstrua a realidade.

"- Não esperava que você fosse atirar. - Apoiei as mãos sobre meus joelhos e curvei o corpo para frente.
- Eles também não e foi por isso que eu atirei. Quando se é mulher, se não se impõe respeito, eles montam em você. Para sobreviver nesse mundo, eu tenho que fazer me temerem muito mais do que temem meu pai. - Ela me olhou pelo reflexo do retrovisor central. Seus olhos eram firmes e sua expressão congelou meus ossos. Talvez ela precisasse bem menos da minha proteção do que eu imaginava."

Por fim, quero parabenizar a editora pela edição linda: Amo as capas da Editora Portal. São lindas demais, bem feitas e condizentes com o enredo apresentado. A revisão também não deixou a desejar, encontrei poucos erros, nada que prejudicasse minha leitura.
A escrita da autora é gostosa e atual. Vale a pena dar uma chance e se apaixonar!

site: http://www.livrosdeelite.com.br/2019/06/resenha-leve-me-loucura-duologia.html
comentários(0)comente



3 encontrados | exibindo 1 a 3