Impostores

Impostores Scott Westerfeld




Resenhas - Impostores


11 encontrados | exibindo 1 a 11


Bia Sousa 15/10/2019

Surpreendente!
Impostores é a nova série do tão elogiado Scott Westerfeld, a história se passa no mesmo universo da série Feios do mesmo autor (que eu não li ainda, mas agora quero muito).

No livro temos como protagonistas, Rafia e Frey, irmãs gêmeas idênticas, mas a sociedade só conhece Rafia, isso mesmo que você leu. Frey vive a sombra de sua irmã, ela veio ao mundo para ser uma espécie de dublê de Rafia, só sai em situações consideradas perigosas, vive escondida dentro de casa, andando por passagens secretas.

Frey foi criada para matar, treinada desde os sete anos para proteger a irmã ela acaba tendo sangue nos olhos e não tem medo de nada e nem de ninguém, ela fará de tudo para manter a irmã em segurança.



” Durante minha vida toda achei que era a única impostora. Que todas as outras pessoas tinham certeza de que eram reais de uma maneira que jamais compreendi. Mas e se todos também estão fingindo? Talvez ninguém saiba que é de verdade.”



O pai de nossas protagonistas é um poderoso e autoritário governante de Shreve, e resolveu fechar um acordo perigosíssimo com os Palafox. O acordo era ele dar proteção contra os rebeldes e com isso os Palafox autorizasse a exploração de metais. Mas ninguém confia no governante de Shreve, e os Palafox pedem uma garantia. A garantia seria ter Rafia, sua querida filha como refém. É um acordo muito arriscado e Frey é enviada no lugar da irmã, mas poucas pessoas sabem disso.

Ao chegar nas terras dos Palafox, Frey descobre uma voz que ela nunca teve, além de conhecer uma nuance tenebrosa do seu pai. Nem tudo era como ele dizia por aí, ele é perverso e Frey não gosta dessa situação, e como ela foi criada com sangue nos olhos e preparada para qualquer um ela chega para colocar fogo no parquinho, ou quem sabe até no próprio pai.



“Talvez essa seja uma má ideia, revelar minhas mentiras para fazê-lo confiar em mim. Mas elas são tudo que tenho. Minhas mentiras são as únicas coisas que são verdadeiramente minhas.”



Meu Deus do céu, como é difícil não amar distopias. Me envolvi rapidamente com a história, e o Scott Westerfeld conseguiu me conquistar logo nas primeiras páginas. Toda história foi muito bem pensada e por muitas vezes fiquei desconfiada de tudo e de todos.

Como esse ainda é o primeiro livro podemos esperar fortes emoções nos próximos livros (não que não tenha nesse livro, por sinal, esse livro é de tirar o fôlego de qualquer leitor). O final do livro me deixou alucinada, querendo saber o que nos aguarda nos próximos volumes.



“Não sei o que dizer. Não sei como salvar alguém com palavras. Tudo que conheço são armas improvisadas, fraquezas descobertas, batalhas em que mergulho de todo coração. Tudo que conheço é guerra.”



Frey, é forte, corajosa, imponente e não tenho dúvidas de que ela moverá céus e terras para proteger quem ela ama e ao mesmo tempo ser justa com todos. Uma verdadeira heroína.

Para um verdadeiro amante de distopias, Impostores se torna uma leitura mais que obrigatória, e confesso que essa série tem tudo para ser uma das minhas favoritas do gênero junto com Jogos Vorazes.

site: https://bercoliterario.wordpress.com/2019/09/15/resenha-impostores-scott-westerfeld/
comentários(0)comente



Lívia Gusson 27/09/2019

IMPOSTORES - SCOTT WESTERFELD - 4/5
Um pouco de sono dessa leitura. A premissa do enredo é interessante, eu como boa entusiasta de distopias, me pegou assim que vi.

Já lendo não posso dizer o mesmo, primeiro pois é o mais do mesmo, é a enxurrada de distopias que os tempos modernos nos empurram. Segundo porque é totalmente adolescente (mesmo tendo o selo Galera Record, esperei algo mais arrojado e digamos inteligente). Terceiro, porque sempre tentam empurrar um romance adolescente do nada? Uma garota vulnerável que inesperavelmente se apaixona, começa um relacionamento e vira heroína. Soou estranho e rápido demais para quem sofreu e não conhece nada do mundo.

Enfim, o desfecho, claro deixa uma boa ponte para o segundo volume, mas não sei se terei paciência para continuar lendo. Acho que essa história de heroína de 16 anos e revolução já está batida, não encontrei nada inovador e muito menos de impostores.
comentários(0)comente



Amanda @litera.pura 16/09/2019

Mais resenhas em @litera.pura
O líder de Shreve é pai de gêmeas. Rafia é a filha perfeita, sempre linda e elegante, inteligente e carismática. Frey é uma arma letal, treinada desde pequena para dominar as artes marciais e qualquer tipo de arma, pronta para sacrificar sua vida para salvar a irmã.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A mesma população que idolatra Rafia sequer sabe da existência de Frey. A garota foi escondida do mundo assim que nasceu e sua única função é se arriscar no lugar da irmã, evitando que a preciosa Rafia corra algum perigo.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Além da aparência, a única coisa que possuem em comum é a raiva que nutrem pelo pai, que as obriga a viver daquela forma.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Guiado por seus próprios interesses, o pai das gêmeas firma um acordo com uma família importante e, como garantia, resolve enviar a filha. Todos sabem que o pai jamais faria algo que colocasse Rafia em perigo, mas ninguém sabe que é Frey quem está no lugar dela.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Livre pela primeira vez, Frey se vê em um mundo completamente desconhecido. Ao descobrir qual é seu verdadeiro papel naquele acordo, ela sabe que sua vida está correndo perigo. Sozinha, a garota que sempre viveu sob a sombra da irmã precisará de toda sua coragem para desafiar não apenas seus inimigos, mas também seu pai. Aquela pode ser sua única chance de ter uma vida normal e Frey não vai desperdiçar isso sem lutar com todas as suas forças.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Impostores tem um desenvolvimento bem rápido e muita ação! Não pense que vai acompanhar um filme da sessão da tarde onde as gêmeas trocam de lugar e tentam enganar as pessoas ao redor. Entre tantos dilemas e descobertas, Frey descobre que muitas de suas certezas estavam incorretas e que jamais teve real noção do que era viver no mundo lá fora.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Se antes o amor e a lealdade de Frey pertenciam exclusivamente à irmã, nesse novo mundo ela descobre novas possibilidades e seu coração fica dividido. Em meio à intrigas e traições, a impostora precisa ter cuidado a cada passo, pois o perigo está onde ela nem imagina.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
O livro traz muitos elementos futuristas, é cheio de ação e tem um final DAQUELES! Leiam e sofram comigo esperando a continuação.

site: https://www.instagram.com/litera.pura/
comentários(0)comente



Jeh Diário dos Livros 15/09/2019

Marcante!
Impostores é a nova série de Scott Westerfled, onde a história se passa no mundo da sua série anterior Feios e apesar de você poder ler independente as duas séries, você acaba descobrindo várias coisas do final da série anterior.

Rafia e Frey são irmãs gêmeas e desde pequenas ambas tiveram seus destinos opostos pelo seu cruel pai. Rafia nasceu 26 minutos antes de Frey e por isso ela se tronou a filha querida do politico e líder de Shreve. Rafia nasceu para ser a herdeira. Poderosa e amável, Rafia é a garota que todos conhecem e admiram. Apesar de seu pai se odiado pelas pessoas da cidade, Rafia é querida por todos, sendo famosa sua vida glamurosa vive aparecendo nos feeds de noticia onde Rafia é a celebridade. Mas por trás dessa fachada, as coisas não são tão perfeitas. Rafia mal aparece nos eventos, pois para isso ela tem sua dublê Frey.

" Durante minha vida toda achei que era a única impostora. Que todas as outras pessoas tinham certeza de que eram reais de uma maneira que jamais compreendi. Mas e se todos também estão fingindo? Talvez ninguém saiba que é de verdade."

Frey nasceu para se a segunda filha de seu pai. Desde os 7 anos Fey sabe todos os tipos de armas que existem e todas as formas de matar uma pessoa. É para isso que Frey vive, para fingir ser sua irmã em lugares públicos e correr o risco de ser assassinada por rebeldes. Com uma vida escondida e sem ninguém conhece-la além de sua irmã e seu pai. Frey só tem um propósito na vida. Proteger Ráfia.

Mas quando um acordo entre o líder de Shreve e a líder de Victória se firma, Frey tem uma missão importante. Ela será Rafia e precisará fingir para todos que é a verdadeira herdeira, pois além de estar refem como garantia nas mãos dos Palafox, Frey terá que lidar com um mundo totalmente diferente do seu, e acima de tudo lidar com diversas pessoas que ela nunca conheceu.
Será que no meio do caos e das rebeliões Frey conseguirá ser a impostora perfeita? Será que valerá correr o risco de tentar ser ela mesma sem nem ao menos saber quem realmente ela é?

" _ Daqui pra frente, Frey, me mostre quem você realmente é.- É claro - digo. Mas uma impostora é exatamente quem eu sou."

Impostores tem uma trama muito interessante pelo mundo diatópico já criado pelo autor existir. Então nessa nova série ele consegue expandir mais da história e nos trazer mais praticidade, e ação para a história que tem muito potencial pela frente.
A série apesar da série ser um spin-off, ela consegue explicar muito bem o mundo futurístico existente e a ambientação acaba nos conquistando por vermos um futuro não tão distante do nosso.

As personagens conseguem ser cativantes cada uma a sua própria maneira. Claro que temos o protagonismo de Frey na trama e Rafia aparece raramente nas cenas. Mas é muito interessante ver o pensamento de Frey de como ela se sentia sendo a segunda filha desde sempre e como ela foi ganhando personalidade ao longo da história, conseguindo nos mostrar quais eram seus pensamentos e tomando suas decisões por si só já que ela nunca teve a oportunidade de ser ela mesma.

O que me surpreendeu foi o autor trabalhar a mente de Rafia e de Frey na trama, já que desde crianças elas nunca tiveram uma infância normal e cresceram com medo do homem que devia ter dado amor a elas. Foi interessante como o autor trabalhou a personalidade distinta das duas e como a rotina delas afetou seus lados psicológicos.

Já os personagens secundários são interessantes, nada muito impactante ou que tenham ganhado destaque, mas conseguem agradar no geral. O romance em si não tem aprofundamento e também não ganha tanto destaque, talvez por isso não fiquei shippando tanto o casal como de inicio esperava shippar. Pois o autor realmente foca na distopia e na ação da trama.

Agora falando da ação, o livro tem bastante cenas de ação, de lutas ao longo da história, mas confesso que em certos momentos a ação me deixou cansada da leitura, pois precisávamos de mais reviravoltas que ação em si. Mas o autor acabou compensando com o final, que alem de impactante consegue te prender e fazer você querer ler a sequencia rapidamente e por esse final que fiquei conquistada e dei uma nota maior na trama.

A diagramação da editora está maravilhosa! A capa é muito bonita e transmite esse ar distópico do livro( apesar de eu gostar da capa estrangeira também). Não encontrei erros durante a leitura e achei o espaçamento muito bom das letras.

Para finalizar, posso dizer que Impostores realmente cativa pela ambientação do mundo que o autor criou, fazendo você ficar vidrado na trama e torcendo para que a luta tão sofrida das pessoas que querem um mundo normal e melhor consiga ter um fim. É um livro que com certeza vai fazer você entrar nas páginas e sentir cada emoção que a história passa. Foi mais uma distopia que me marcou pela trama.
Recomendado.



site: http://diarioelivros.blogspot.com/2019/08/resenha-impostores.html
comentários(0)comente



Tânia (@ritmoliterario) 05/09/2019

Rafia e Frey são irmãs gêmeas idênticas. Rafia é a mais velha, teve aulas de etiqueta, é refinada e amada pelo povo, já Frey foi treinada para matar, para proteger sua irmã, até mesmo com sua vida.
.
Mas para o povo de Shreve, seu líder tem somente uma filha, Rafia. Poucas pessoas do governo sabem da existência de Frey, ela só aparece no lugar da irmã quando há algum risco. Frey é uma dublê.
.
E em meios a interesses políticos e financeiros, Frey assume o lugar da irmã na casa dos Palafox, e agora longe de casa, da irmã, terá que convencer a todos que é Rafia.
.
Esse é meu primeiro contato com o autor, e apesar de a história se passar no mesmo universo de Feios, outra série dele, não senti dificuldades e consegui me envolver com a trama.
.
Com capítulos curtos a leitura flui, e cada final de capítulo algo novo acontecia e não dava para parar, uma narrativa viciante.
.
O livro é narrado em primeira pessoa por Frey, e vamos acompanhando sua evolução desde que saiu da casa do pai. O quanto foi difícil tomar decisões sozinha, e aprender a confiar em outras pessoas. Frey é forte e frágil ao mesmo tempo, e me simpatizei muito por ela.
.
💭“Deve haver uma parte de mim que sempre desejou isso. Porque agora quero todos saibam meu nome, minha história.”
.
A trama é bem elaborada, e temos outros personagens bem interessantes, que nos mostram suas personalidades, mas que não dá para confiar cem por cento, afinal é um jogo de poder. O final claro, foi de tirar o fôlego.
.
Indico Impostores para todos que gostam de distopia, com uma narrativa simples e envolvente e com bastante aventura e uma pitadinha de romance, que no fim vai deixar um gostinho de quero mais.
comentários(0)comente



Carol Santos 23/08/2019

Resenha | Impostores
Impostores traz aquele ar nostálgico do famoso boom das distopias, e o universo incrível criado pelo Scott Westerfeld em Feios. Mais uma vez nos apresentando um enredo maravilhoso do início ao fim, temos o pontapé inicial de uma nova série.

Frey e Rafi são irmãs gêmeas, entretanto criadas de maneiras diferentes. Enquanto Rafi é moldada para ser alguém que agrade o público, que apareça em reuniões, discursos e seja um exemplo perfeito à família que pertence, Frey cresceu sendo uma arma letal. Vivendo escondida e de forma a substituir a irmã em situações de perigo, ela não sabe o que é liberdade. Seu objetivo maior sempre foi proteger a irmã. Quando em um jogo político, planejado pelo pai, Frey acaba tendo que substituir Rafi longe de casa, ela terá que aprender a lidar com a atenção de todos. E se nada sair como planejado? E se descobrirem que ela não é Rafi? E se ela for somente um peão na mão do pai?

Não esperava grandes impactos na história, admito, porém ao contrário do que ansiava, ele me conquistou. Com uma escrita dinâmica, capítulos curtos e um enredo fácil de adentrar, somos apresentados a uma trama cheia de reviravoltas, conflitos pessoais e políticos aliados à um desenvolvimento com o pé na ficção científica/distopia. Sem perder tempo apresentando o universo criado — afinal ele é derivado de uma série anterior onde tudo foi detalhadamente explicado — temos um exemplar que mostrou para o que veio.

Sobre seus personagens principais, são dúbios na minha opinião — que dependendo do ponto de vista é uma qualidade da escrita — o que acabou me atrapalhando um pouco em confiar e acreditar neles. Além da Frey e da Rafia, temos um protagonista que aparece com destaque: Col. Sua extrema facilidade em acreditar e declarar um amor não me convenceu; Rafi também tem uma personalidade que não é fácil de lidar e gostar, sobrando somente a Frey como alguém que pudesse me cativar — o que realmente ocorreu. Encontrei bastante furos na elaboração dos mesmos, explicando talvez esses pontos falhos, por isso almejo que eles sejam melhores trabalhados nos sucessores.

"É ai que meu cérebro, embotado pelo dor, compreende o restante. Rafi esteve por aí, socializando, aumentando seu ranking de popularidade, fazendo parecer que é indispensável para a liderança de nossa pai. Enquanto isso, eu é que estava treinando com armas improvisadas, porque ninguém deixa um refém ficar com um punhal pulsátil." pág. 30

Ainda com essas ressalvas, o final chegou alterando tudo que imaginava e abalando todos os cernes principais, o que adorei. Não foi previsível, deixa um gancho para o próximo muito bem composto e cumpre o prometido na sinopse. Tenho grandes expectativas, até porque nem de longe foi um exemplar ruim, e agrada o modo como se apresenta.

Um adendo, é que apesar de Impostores ter uma interligação com outra série do autor, Feios, não se faz necessário a leitura do mesmo. Terá alguns spoilers do resultado dela — até porque é após todos os acontecimentos — no entanto, não se falta informações para o entendimento do todo.

De uma forma geral, recomendado. Se está a procura de uma nova série de distopia de boa qualidade, indico! Venha se aventurar no mundo de Impostores e descobrir quem é Frey, Rafi e Col. É pequeno, rápido de ler, e a escrita do Scott ajuda enormemente.

Na parte física, a capa foi difícil de decifrar contudo — não consegui conectar com o conteúdo — quando me toquei que faz conjunto com as novas capas da série Feios. Com isso, percebi que não foi uma escolha ruim pois gosto dos tons roxos/lilás usados. Não encontrei nenhum erro de revisão ou ortográfico. A narrativa é feita em primeira pessoa pelo ponto de vista da Frey.

"Durante minha vida toda achei que era a única impostora. Que todas as outras pessoas tinham certeza de que eram reais de uma maneira que jamais compreendi. Mas e se todos, também estão fingindo? Talvez ninguém saiba quem é de verdade." pág. 227

Aguardo que o próximo chegue em breve, e tenho anseio que venha algo bom. Espero que tenham gostado!

site: http://diariasleituras.blogspot.com/2019/08/resenha-impostores-scott-westerfeld-galera-record.html
comentários(0)comente



Thaís @thanoslivros 09/08/2019

Poderia ser melhor
Frey nasceu 26 minutos após Rafia e teve uma criação totalmente diferente da irmã. Enquanto Rafia era a filha criada para ser exemplo, dona de uma imagem perfeita e que muitos idolatram, Frey, desde os 7 anos, treina para ser a guardiã da irmã. Ela foi ensinada a lutar, rodeada de estratégias e técnicas de combate para que Rafia não sofra nada. E tem mais: Shereve, que é governada pelo pai autoritário delas, não sabe que se trata de irmãs gêmeas, pois só conhecem Rafia.
Como Frey nasceu para se sacrificar por Rafia, é enviada a um perigoso acordo entre seu pai e outra líder, como garantia. Agora, ela tem a certeza que é uma impostora e terá que caminhar sozinha, agindo, pensando e sendo a Rafia por todo tempo. Frey será capaz de manter essa farsa e, ainda, conseguir ajudar o pai num plano tão terrível?

Em Impostores temos o mesmo universo de Feios, série conhecida de Scott Westerfeld. Mas, se você leu isso e deu aquela desanimada pois não teve oportunidade de conhecer a série, eu já garanto que não há problema. Afinal, também ainda não li a série e não tive dificuldade em acompanhar a história. Além de se tratar de um novo enredo, os personagens são outros.

Numa narrativa dinâmica, Frey nos conta suas angústias por não ter personalidade própria, por estar sempre à sombra da irmã e por ter sofrido com treinos que a prejudicaram tanto física quanto emocionalmente. Descobre que o pai é manipulador e capaz de fazer qualquer coisa por poder, ao ponto de jogá-la em terras inimigas, forçando-a ser uma impostora. Agora, busca aliados para se revelar.
É certo que o enredo me empolgou, pois me vi presa à história querendo saber o que estava por vir. Mas, alguns pontos me incomodaram, principalmente pela falta de explicação em alguns momentos. Além disso, o romance "rolou" muito rápido e acabei não sendo totalmente convencida. No mais, considero que foi uma boa distopia e já curiosa pra saber se o autor vai sanar as dúvidas nos próximos volumes.


site: www.instagram.com/thathemi_leitoravoraz
comentários(0)comente



De repente, no último livro 25/07/2019

Resenha do blog "De repente no último livro..."
Eu nunca havia lido nada do autor e foi uma experiência bem legal conhecer a escrita dele. Scott escreve para jovens leitores, então sua narrativa é bem leve e dinâmica, fácil de acompanhar e seus personagens, apesar de maduros e capazes de fazer coisas extraordinárias, são bem novinhos.

Os protagonistas até que agradam. São personagens de teor bem juvenil, então apesar de serem obrigados a lutar pela sobrevivência, o autor também se encarrega de que eles mantenham atitudes corriqueiras, tenham dúvidas e fraquezas, pois se trata de uma história onde ambos cresceram sem conhecer a realidade cruel de outros lugares.

Eu me senti um pouco desconectada com o romance dos dois, achei que a paixão de Frey por Col ocorreu muito rápido, quando me dei conta a perigosa assassina já estava caidinha pelo herdeiro dos Palafox, mas... acredito que é coerente se a gente levar em conta que Frey é uma garota que cresceu sozinha, sem amigos, sem consolo e certamente sem se apaixonar. Então de repente ela vê a chance de desabrochar e o garoto ao lado acaba se tornando uma tremenda novidade na nova vida de Frey. Quando a gente analisa Frey, dá pra entender porque o autor optou por esse amor instântaneo já que ele quis motrar de certa forma o quanto ela está deslumbrada com tantas novas coisas e possibilidades. Por isso fica a dica pra antes de a gente como leitor julgar a rapidez de Frey em se declarar apaixonada tentar entender também todo o destino louco que a garota teve desde então, pois assim fica mais fácil digerir esse romance atípico.

Ainda assim, faltou mais quimica nos momentos românticos de Frey e Col. O autor quis colocar romance sem querer perder muito tempo com cenas e mais cenas de amor, só que acabou se tornando uma relação mecânica onde às vezes eles mais pareciam estar movidos pela dependência de um pelo outro do que por amor de verdade.

A trama segue a linha das distopias tradicionais, onde a tecnologia é usada para o mal na maioria das vezes, as pessoas comuns convivem em um regime de extrema opressão e o líder é um tirano que só se apega à ele mesmo. Eu gostei desse vilão de Impostores, mas achei que ele ainda recebeu pouco espaço pra mostrar do que é capaz. Espero que Scott Westerfeld foque mais nele no próximo volume pois me parece um vilão com potencial.

A narrativa, como já disse, é dinâmica. À todo momento acontecem coisas, e o leitor fica na dúvida com relação à vários outros detalhes já que como tudo se centra muito em Frey e Col, somos privados de qualquer informação sobre o que ocorre em outros lados da batalha. Estar à cegas é bom se tratando de uma série, pois abre infinitas possibilidades para o autor desenvolver mais nos próximos volumes.

site: www.derepentenoultimolivro.com
comentários(0)comente



Sandrics - @culturinhas 25/07/2019

Pensem em um livro que foi devorado. É este. Afinal eu amo uma boa distopia.
.
O autor Scott Westerfeld já era conhecido pela série Feios, inclusive o livro Impostores faz parte de mesmo universo, mas eu nunca li a série Feios. Ainda. Pois agora preciso.
.
No livro conhecemos as irmãs gêmeas Rafi e Frey, filhas do autoritário e odiado líder de Shreve. Mas o mundo conhece apenas Rafi, a filha perfeita, a princesa. Enquanto isso Frey é mantida como segredo, sendo treinada para lutar e matar, proteger sua irmã e também morrer por ela.
.
Devido à negociações sórdidas de seu pai, Frey é enviada em uma missão como refém (enquanto todos acham que trata-se da Prince Rafi) e é nessa missão que ela tomará consciência de como é usada e como é descartável. É aí que tem início uma revolução.
.
O livro é intenso, com uma narrativa super fluída e que prende o leitor até o fim e além, pois eu fiquei ansiando pela continuação e ao mesmo tempo por saber o que aconteceu no passado (série Feios, que já estou aguardando chegar de uma troca no Skoob).
.
Indico pra quem gosta de aventura, livros juvenis e distopia.

site: https://www.instagram.com/culturinhas/
comentários(0)comente



Ley - @Livros_fantasy 24/07/2019

Uma ficção ótima para iniciar
Impostores é o primeiro livro de uma nova série do mesmo autor da saga Feios. O livro segue no mesmo universo de Feios porém alguns anos depois de toda a história retratada. Frey é filha de um líder de uma das maiores cidades que existem. Ela também tem uma irmã gêmea idêntica chamada Rafia.

A relação das duas é ótima, mas enquanto Rafia foi treinada para aparecer diante de câmeras e saber se comportar na frente de qualquer pessoa, Frey foi criada para ser a guarda-costas de sua irmã, aprendendo formas de se defender, lutar e matar. E absolutamente ninguém sabe da existência dela além de seu pai, sua irmã e algumas pessoas fiéis à seu pai.

A ideia disso tudo foi do pai das duas. Ele queria uma filha perfeita e por isso "fez" as duas para servirem à seus propósitos. Enquanto uma serviria para os holofotes, a outra seria a que se arriscaria para nada sair fora do planejado. Tudo isso parece surreal, mas o livro se trata de um mundo futurístico cheio de abuso de poder. O pai das meninas é claramente um tirano que usa a imagem de sua filha para "amaciar" o povo.

Em uma missão especial Frey, se passando por sua irmã Rafia, viaja para a casa de alguns rivais de seu pai e é a primeira vez em que ela sente que tem liberdade de fazer algo sem que seu pai a monitore. É na casa dessas pessoas que ela conhece Col, que é seu par romântico e que logo nota que ela não se parece em nada com a garota retratada nas mídias.

O livro tem menções regulares à saga Feios e também à sua protagonista, Tally Youngblood. Mas também pode ser lido independentemente de ter lido a saga anterior (eu não li). As ações transcorridas durante a história são extremamente rápidas e sem enrolação. A trama também possui toda aquela bagagem de ficção juvenil com rebeldes, exploração, perda, descobrimento de si mesmo e o romance.

Acontece que achei que o romance ocorreu rápido demais. Mal os protagonistas se conheciam e já estavam suspirando pelo outro, e isso dificulta mais a leitura. A ficção possui alguns termos futurísticos relativamente fáceis para entender, mas que se encaixam direitinho no contexto e assim facilita mais para ler.

site: https://www.imersaoliteraria.com.br/2019/07/impostores.html
comentários(0)comente



Silvana - Blog Prefácio 09/07/2019

Rafia e Frey são gêmeas idênticas. Mas dá para contar nos dedos das mãos as pessoas que sabem disso. Para o mundo o líder de Shreve tem somente uma filha, Rafia. A diferença de 26 minutos no nascimento das garotas definiu o que cada uma delas representaria. Enquanto Rafia, a mais velha, foi treinada para ser a filha perfeita, Frey se conformou em ser sua dublê. Rafia teve aulas de línguas, etiqueta e liderança e isso funcionou porque Ráfia é amada pelo povo na mesma quantidade que seu pai é odiado. E enquanto Rafia conquistava o mundo, Frey treinava para ser uma assassina implacável e para proteger a irmã, se necessário com a própria vida.

E elas tem o seu primeiro teste aos quinze anos. Seu pai não consegue chegar a tempo em um evento e Rafia faz o discurso no lugar dele. Tudo corre muito bem, Rafia faz o seu melhor e é ovacionada pelo povo. E quando elas estão prestes a trocar de lugar, é sempre Frey que cumprimenta as pessoas, alguém começa a atirar. Então Frey também dá o seu melhor e mata pela primeira vez. Desde então seu treinamento é intensificado. Nunca Frey treinou tanto como no último ano, e mais especificamente no último mês, onde ela quase não teve descanso e teve que aprender a lutar sem suas armas e usar o que estivesse a mão.

Mas todo aquele treinamento intenso tinha um motivo. Seu pai fez um acordo com os Palafox, a primeira família de Victoria, ele vai dar proteção contra os rebeldes em troca de explorar o metal deles. E como ninguém confia no seu pai, os Palafox querem Rafia como garantia. Mas quem vai ficar de refém é Frey. Sempre à sombra da sua irmã, Frey não sabe se fica feliz por finalmente poder sair dos bastidores, mesmo que para interpretar um personagem, ou se fica triste por ser descartável na visão do seu pai. E a liberdade recém adquirida, junto a amizade de Col Palafox, vai fazer com que Frey repense toda sua vida, inclusive sua lealdade para com seu pai.

"Durante minha vida toda achei que era a única impostora. Que todas as outras pessoas tinham certeza de que eram reais de uma maneira que jamais compreendi. Mas e se todos também estão fingindo?
Talvez ninguém saiba quem é de verdade."

Eu conheci o autor e a série Feios lá em 2011 e foi uma das primeiras séries de distopias que eu li. Hoje em dia se formos ver, o mundo criado pelo autor não tem nada de novo, porque logo depois veio uma enxurrada de distopias que eram praticamente todas iguais, mas na época era novidade e eu amei a série. A história era um mundo onde aos dezesseis anos as pessoas passavam por uma cirurgia onde ficavam "perfeitas" fisicamente, mas então a protagonista Tally Youngblood descobre que além da beleza, as pessoas também ganham um controle cerebral, e se junta aos rebeldes para derrubar o governo. Impostores se passa no mesmo universo de Feios, mas no futuro. Quando o governo caiu, alguns espertos como o pai das gêmeas assumiram o controle.

Assim que comecei a ler Impostores me lembrei do quanto a escrita do autor é viciante. Eu peguei o livro só para dar uma folheada e quando vi já tinha lido mais de 100 páginas. Mesmo sendo narrado em primeira pessoa, pela visão da Frey, o que não gosto muito, a leitura passou voando e quando percebi já tinha terminado e agora preciso da continuação, porque o final é de tirar o fôlego. O livro todo na verdade, os capítulos terminam em partes cruciais onde a gente precisa ler o próximo capítulo, porque não dá para ficar sem saber o que vai acontecer. Como ele é voltado para um publico mais jovem, mesmo sendo classificado como ficção científica, a leitura é bem fácil, com bastante aventuras e até um insta love que por incrível que pareça não me incomodou.

Como disse antes, ele é narrado pela Frey, então só conhecemos as pessoas pela visão dela. Frey é um personagem que por toda sua história já ganha a simpatia do leitor logo de cara. Mesmo ela sendo uma assassina, ela é carente, e matar foi a unica coisa que ela aprendeu na vida. Já Rafia, apesar de Frey confiar totalmente nela, eu fiquei esperando o momento em que ela revelasse sua verdadeira face, veremos nos próximos livros. Col também é o personagem criado para nos conquistar. Ele é simpático, inteligente e gentil. E da mesma maneira que Frey e Col são feitos para torcermos por eles, o pai das gêmeas, que eu não lembro de ter visto o nome, é feito para ser odiado. Ele é cruel com todos, e ainda pior com as filhas. Mas temos que reconhecer sua inteligencia, ele sempre está um passo adiante dos inimigos.

E tem todo o pano de fundo, a história dos Enferrujados e dos Perfeitos, e mesmo que o cenário politico seja de uma outra série, dá para ler esse livro de boa sem ter lido os outros. Mas é claro que quem leu a série Feios tem uma vantagem na compreensão da história. Eu fiquei na esperança de que a Tally fosse dar as caras no livro, mas quem sabe isso não acontece nos próximos hehe. Tem muitos personagens secundários interessantes, uma que me chamou bastante atenção é Zura, uma das Guardas da Casa de Col, e acho que ela vai crescer no próximo livro. Quanto a edição, eu achei essa capa meio feia, e só quando já tinha terminado o livro que consegui ver que tem um rosto ali. Mas acredito que ela combine com as capas da segunda edição da série Feios, a minha é a da primeira. Enfim, termino essa resenha indicando o livro para quem gosta de um bom YA misturado com ficção científica e muita aventura.


site: https://blogprefacio.blogspot.com/2019/07/resenha-impostores-scott-westerfeld.html
comentários(0)comente



11 encontrados | exibindo 1 a 11