Vilão

Vilão V.E. Schwab




Resenhas -


19 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Mrs. Kelly 29/06/2019

S E N S A C I O N A L
Não tem nenhuma palavra que possa expressar o meu sentimento por esse livro. Simplesmente perfeito, como todos os outros escritos por V.E Schwab. Espero não sofrer tanto pelo lançamento do volume 2.
comentários(0)comente



Cleyson - @bookseestante 15/07/2019

Victor e Eli são dois amigos que têm quase os mesmos objetivos. Durante a graduação, ambos trabalham em uma pesquisa que desenvolverá no ser humano capacidades que antes era impossível.
Dez anos depois, Victor busca vingança, pois, considerou traição o que Eli fez. Agora ele precisa acertar as contas pelos 10 anos em que ficou preso e outros motivos. Para isso, Vic contará com a ajuda de uma garotinha com uma habilidade especial e perigosa.

Dez anos antes, Eli precisa eliminar os ExtraOrdinários (EOS), humanos com habilidades especiais. Serena, sua companheira, é peça fundamental para pôr em práticas seus planos.
Com Victor em seu percalço, Eli vai perceber que as coisas se complicarão cada vez mais, e quando os dois se encontrarem, ele terá certeza apenas de uma coisa: só um sairá vivo.

"A vida - como ela é - é uma batalha não entre o Bem e o Mal, mas entre o Mal e o Pior."

“Vilão” é obra que agrupa vários subgêneros, confesso que, por um desses gênero ser o sci-fi, pensei que iria atrapalhar meu rendimento durante à leitura, felizmente isso não aconteceu. A escrita da Schwab é precisa e nos faz entender todo o universo criado. Universo esse com elementos fantásticos que são bem explicados e tudo se torna coerente à proposta do livro.

Com a narrativa não-linear em boa parte do livro, observamos a amizade do Victor e Eli, uma relação considerada tóxica devido a algumas atitudes questionáveis de ambos. Identificamos também os fatos que sucederam até a ruína dessa amizade.
Os personagens são bem trabalhados e por muitas vezes me questionei quem de fato era o vilão e o herói.

Os personagens secundários atribuem mais significado à história. Entendemos o porquê deles estarem ali e a importância que cada um desempenha.
A brevidade dos capítulos não significa que não aconteça fatos importantes, pelo contrário, a autora é objetiva e mostra vários acontecimentos essenciais desenvolvidos em poucas páginas.
O livro tem reviravolta atrás de reviravolta, que me deixou embevecido na leitura.

Uma das premissas do livro é mostrar os humanos “brincando” com seus poderes, esse aspecto pode não ser original, mas, a forma que a Schwab construiu tudo foi fenomenal e merece ser lido.
O final deixa um gancho para o 2º livro, o qual estou ansioso para ler e saber que rumo a história vai tomar a partir de agora.

A sociedade define os conceitos de vilão e herói, talvez, as definições sejam errôneas dependendo do verdadeiro caráter. Só mostramos aquilo que queremos que outras pessoas vejam.
Às vezes, aqueles que chamamos de herói, em seu íntimo mora a obscuridade, e aqueles que chamamos de vilão é o oposto disso. Resta saber em quem vamos acreditar.

"Alguém poderia muito bem se dizer um herói e mesmo assim sair por aí matando dezenas de pessoas. Outro poderia ser rotulado de vilão por tentar impedi-lo. Muitos humanos eram monstros, e muitos monstros sabiam fingir humanidade."
comentários(0)comente



Clari 02/07/2019

Entre fanatismo religioso e filosofias sobre bem e mal, uma história intrigante floresce.
Eu, definitivamente, não sei como começar esta resenha. Não diria que Vilão é perfeito, mas com certeza não passa despercebido a quem o lê. Victoria conseguiu trazer personagens complexos e uma narrativa elegante e distinta do comum em apenas 364 páginas, é realmente surpreendente, mas por mais que o livro seja perfeito em diversas formas(apresentação e construção de personagens, narrativa, escrita...) acaba tornando-se maçante em alguns momentos, como nos capítulos que temos o ponto de vista de Eli, que, por mais que sejam importantes para entermos o contexto de sua loucura, ainda sim aparentam terem sido feitos de maneira preguiçosa, arrastada.

Outro ponto é a motivação de Victor. Por mais que eu seja fortemente atraída por plots que envolvem desejo de vingança, este me parece um tanto raso, poderia ter sido melhor construído, em minha opinião. A vingança de Victor relembra os clichês muito já vistos em filmes, séries e livros sobre super-heróis.

Mas, por mais que eu não tenha apreciado estes pontos, fico feliz por ter escolhido Vilão para minha TBR da junho/julho, pois acabou tornando-se uma leitura extremamente prazerosa e incitante. Eu me apeguei aos personagens, odiei outros, gritei, me encantei com diversas cenas, assim eu concluo que foi uma leitura fantástica que recomendarei a todos que conhecer. Como iniciante no mundo de Victoria Schwab, fico feliz por ter começado com uma experiência tão gratificante.
comentários(0)comente



Aline Marques 04/07/2019

Entre heróis e vilões, a humanidade. [IG @ousejalivros]
Bem e mal nem sempre são opostos. E se a gente começar a debater sobre heróis, bem...

Victor e Eli dividem mais do que um quarto na Universidade de Merit. Ambiciosos e determinados, construíram uma relação baseada em segredos e competições, onde a camaradagem, assim como todo o resto, era uma arma.
Mas o poder que exercem (um) sobre o outro, será eclipsado pela possibilidade de serem eternizados por suas descobertas, e para alcançarem o que almejam, eles estão dispostos a arriscar a própria vida. Mais de uma vez.

A trama evidencia o ExtraOrdinário, levando o leitor a refletir sobre o inimaginável, a humanidade e suas normas de conduta, através de uma narrativa misteriosa e atrativa, que empunha o fantástico presente em qualquer realidade. E para isso, Schwab faz uso dos vínculos vitais que todos, de uma forma ou de outra, carregam consigo, transformando a vil experiência de leitura em algo revigorante. Eletrizante.

Essa atmosfera é sustentada pelos capítulos curtos que se assemelham a uma contagem regressiva, alternando entre o ontem e o hoje, e, também, pela inserção de personagens que impelem sentimentos variados e indesejáveis, levantando questões importantes sobre a dualidade de nossos espíritos e corações.

Há alguma previsibilidade, confesso. Todavia, vale recordar que a autora tem um plano e, assim como seu protagonista, não pretende se desviar dele. Tenha paciência e permita que ela o execute e, talvez, você se surpreenda.
___
TW: tentativas de suicídio, violência, tortura e assassinato.
comentários(0)comente



Yuri - @Sejaumleitor_ 18/07/2019

#ResenhaSejaumLeitor
Os alunos de medicina da universidade de Merit recebem a tarefa de preparar uma pesquisa de conclusão de curso. Victor e Eli são dois amigos que se destacam entre os demais, por isso estão sempre em buscam de desafios em seus trabalhos. Entretanto, dessa vez, o tema escolhido por Eli é o que mais chama a atenção: provar a existência de ExtraOrdinários ou EOs. Tomado por uma fervorosa inveja, Victor deixa de lado sua própria pesquisa e decide ajudar Eli.

Após incessantes buscas, eles descobrem que um EO basicamente é alguém que teve uma experiência de quase morte. Victor se voluntaria para fazer o teste, mas o resultado dá errado e ele quase morre. No entanto, com Eli é diferente. Com o ego ferido, Victor continua tentando a todo custo provar que ele também pode se tornar um EO. Após um trágico evento, ele finalmente consegue. A partir daí, há uma ruptura na relação deles, que se tornam grandes inimigos.
O método utilizado por Victor para se tornar EO faz com que Eli o entregue para polícia. 10 anos se passam e durante todo esse tempo, Victor alimentou o desejo de vingança. Enquanto isso, Eli que se auto intitula heroi, caça e elimina todos os EOs que encontra. Utilizando suas habilidades, Victor foge da prisão e parte em busca do ex-amigo, almejando finalmente saciar o seu desejo.

Com uma narrativa não linear que alterna os momentos do passado (10 anos antes) e o presente, a autora nos entrega uma obra digna de aplausos. Os capítulos são curtos e se encaixam perfeitamente, tornando a leitura fluída e bem rápida. A trama é muito bem construída e ao contrário do que vemos nas histórias de super-heróis, nesse livro não temos um mocinho e um antagonista definido. Cada um pode ser o heroi ou vilão de acordo com o nível de poder e da sua capacidade. Esse é um conceito muito semelhante ao que é utilizado por George Martin, que diz que não existem pessoas boas e más, na verdade todos nós somos “cinzas”. Assim, o que determina se seremos bons ou ruins é principalmente o nosso caráter. Com isso, “Vilão” é mais do que uma história de pessoas ExtraOrdinários. A autora aproveita o gancho e trabalha com maestria elementos que envolvem amizade, inveja, ganância e religião.

Vejo os personagens secundários tão protagonistas quanto Victor e Eli. Cada um deles têm sua importância na trama e a forma como isso é colocado é incrível! Serena foi uma das minhas preferidas pela originalidade apresentada. Por conta da sua pegada mais urbana, "Vilão” é um prato cheio para os fãs de Demolidor, Luke Cage e etc... Um livro que traz conceitos de seres superpoderosos através de uma nova e instigante perspectiva. O final do livro encerra muito bem o ciclo estabelecido no início, mas deixa um bom gancho para a continuação... Ansioso!
comentários(0)comente



EstanteColoridadaIsis 15/07/2019

#ResenhadaColorida
Vitor e Eli são dois jovens brilhantes que se conheceram na Universidade de Merit e logo se tornaram amigos. No último ano de faculdade, ambos deverão apresentar um trabalho muito importante e o tema que Eli escolhe surpreende tanto seu professor quanto os colegas da turma: EOS. Sua tese levanta a questão inimaginável de que uma pessoa, sob as condições certas seja capaz de desenvolver habilidades extraordinárias. O interesse em comum nessa pesquisa e muita ambição levam Vitor e Eli a colocar em prática toda a teoria, mas as coisas dão muito errado.
Dez anos depois, Vitor foge da prisão, determinado em encontrar seu antigo amigo - agora inimigo - em busca de vingança.
.
.
.
💬QUE LIVRO É ESSE minha gente?! Eu simplesmente amei.

Schwab é uma autora incrível, objetiva e com uma escrita envolvente demais. Virei fã dessa mulher.

A narrativa não-linear alterna entre vários momentos do passado e presente, como dez anos atrás, no outono passado, algumas horas atrás, etc. Pode parecer confuso, mas acredite, não é! Os capítulos são bem curtinhos, o que deixa a leitura mais fluída.
Cada flashback é uma peça de um grande quebra-cabeça que o leitor deve juntar para descobrir quem é o vilão e herói nessa história. Os personagens são complexos e imperfeitos e com eles vem a reflexão de que ninguém é inteiramente bom ou mal. Acredito que as definições de herói e vilão mudam de acordo com os valores e crenças de cada um, além do caráter, é claro.

Os personagens secundários são um show à parte. Sidney, Mitchell e Serena tem papel fundamental na trama e fazem toda a diferença.
A premissa pode até focar nos extraordinários e a forma como eles lidam e utilizam seus poderes, mas "Vilão" vai muito além disso. A autora aborda temas como ambição, inveja, certo ou errado, fanatismo religioso e vingança.

É tudo tão envolvente que não dá para largar o livro até o fim.

O desfecho tem um gancho para uma continuação. Mas aqueles que temem as "continuações não lançadas", não precisa se preocupar, pois a autora finalizou muito bem e não deixou nenhuma ponta solta.

site: www.instagram.com/estantecoloridadaisis
comentários(0)comente



May 15/06/2019

QUEM É VILÃO?
Victor Vale e Eli Cardale era colegas de faculdade e moravam juntos. Eli começou uma pesquisa sobre pessoas extraOrdinárias, pessoas que ao terem uma experiência de quase morte em circunstâncias traumáticas, desenvolveram dons variados.

Victor sempre teve inveja de Eli, por quem ele era e por causa de sua namorada. Victor decide ajudar Eli na pesquisa dando a ideia de se transformarem em extraOrdinários. Quando Victor finalmente consegue o que quer algo sai errado e ele é preso por assassinato.

Dez anos depois Victor Vale volta a cidade de Merit para matar Eli, que foi o responsável pela sua prisão, e acaba encontrando Sydney que foi baleada coincidentemente por Eli, que agora caça outros extraOrdinários, com a explicação de que ele é um servo de Deus e todos os outros extraOrdinários são monstros. A história questiona quem é o herói e o vilão da história.

A narrativa do livro é em terceira pessoa, com os capítulos variando entre passado e futuro, conta ao mesmo tempo o que aconteceu dez anos atrás e o que acontece no presente. Por conta dos capítulos entre passado e presente e a narrativa em terceira pessoa as vezes a leitura fica um pouco confusa, mas sem tirar o brilho da história
comentários(0)comente



Thaís @thathemi_leitoravoraz 02/07/2019

Incrível
Assim que recebi esse exemplar lindo do @grupoeditorialrecord, já fiquei muito ansiosa pra ler. A sinopse instiga muito e me fez decidir por conhecer essa história o quanto antes.

Logo nas primeiras páginas Schwab nos atrai com uma escrita simples e bem envolvente. Com capítulos curtos e alternando a narrativa entre o presente e o passado, somos levados por um enredo cheio de mistério e fantasia. Os personagens são bem construídos com personalidades complexas e, durante um bom tempo, não se entregam totalmente, deixando em nós, leitores, a dúvida se estão do lado do bem ou do mal. Não. Não dá para confiar neles logo de cara e a forma como a autora apresenta esse fato é sensacional.

Não esperem uma leitura movimentada, com ação do início ao fim, pois não é. Porém, em nenhum ponto foi arrastada. A autora usa de muita criatividade e originalidade e é impossível não querer saber o que está por vir. O final é bem amarrado e não deixou a desejar. Como se trata de uma trilogia, eu quero saber o que Schwab ainda tem a nos contar, mas se ela quisesse ficar somente nesse livro, já estava ótimo.

Certo e errado, herói e vilão. A ambiguidade e o fanatismo religioso são postos em questão.

Ninguém é 100% bom e nem 100% ruim. Você acredita nisso? Escolheria um lado?

site: www.instagram.com/thathemi_leitoravoraz
comentários(0)comente



Hellen 06/07/2019

Fantástico
Esse foi um livro que me surpreendeu do começou ao fim. Embora autora seja muito famosa, eu, particularmente, nunca havia lido nada da mesma. Para mim a beleza do livro já começa na capa, estranha de início, mas depois da leitura você percebe todas as referencias contidas nela

. Os capítulos curtos e com muitos diálogos deixaram a leitura bastante fluida. E o enredo do livro foi o que me conquistou de cara, poderes, dor, vingança, um prato cheio para qualquer leitor.

Victor e Eli são diferentes, mas mesmo assim muitos semelhantes, a autora poderia ter tornado a leitura cansativa e repetitiva, mas sempre que entrava na mente dos personagens surgiam novos pensamentos.

Gostei bastante dos personagens secundários que de secundários não tinham nada. Uma leitura agradável, rápida, com um tema bom e uma dualidade marcante. Daria um excelente filme. Já estou ansiosa para o próximo volume!
comentários(0)comente



Lara @meuslivros.minhasdicas 04/07/2019

Amei!! | ( ????? ??????? ?????)? ?
? Victor e Eli são estudantes de medicina, ambos rapazes inteligentes, e dispostos a todos os esforços para terem sucesso. E é em busca do tema para seu projeto final de curso, que Eli resolve estudar os EOs ou Extraordinários, pessoas com poderes sobrenaturais, que podem ser adquiridos através de uma experiência de quase morte. ?
?
? E como uma experiência complexa pode ser testada? É aí que essa dupla resolve analisar neles mesmos a própria teoria, e ambos planejam suas mortes, com todo possível suporte para uma reanimação, na intenção de trazê-los de volta à vida, e assim descobrir se terão habilidades extraordinárias ou não. Nesse momento tudo começa a se tornar cada vez mais sombrio e interessante! ?
...? ?
?
? Não é spoiler dizer que o experimento dá certo, e prepare-se para não soltar esse livro até terminar. Foi isso que a Schwab fez comigo, se eu disser que alguma coisa nessa história não me prendeu, eu estarei mentindo. ?
?
? Um mistura de suspense, com poderes sobrenaturais, investigação, fanatismo religioso, tudo isso junto e misturado resultando em uma história incrível, que me deixou super ligada até terminar. Já li alguns livros da autora, mas acredito que esse tenha sido um dos que mais gostei. Uma escrita que pra quem já conhece, sabe que é brilhante.
?
? Uma amizade que resultou em dois inimigos, cada um pronto para eliminar o outro, mesmo quando isso pode se tornar impossível. Leiam e me digam depois, de qual lado vocês estão!? Quem é o vilão dessa história? Eu sou team #Victor (dos males o menor), e depois do final desse livro, quero saber urgentemente o que vem pela frente. ???
?
??????? ?? ??????? ?????? ???ê ?? ?????. ?????? ???ê ??? ???ã?. ?????? ?? ? ????? ??????, ?????? ????? ???????? ?????. ???????. ? ????? ??????? ???? ????? ???? ???. É ?????????? é ????í??? ? ??????????.? (5/5)
comentários(0)comente



Isabella @epilogo.literatura 09/07/2019

Vilão
Victor Vale e Eli Cardale são amigos e colegas de quarto na faculdade de Lockland. Antes de Eli aparecer no segundo ano, Victor era isolado, sem amigos. Porém, Eli chega e desperta a curiosidade de Victor, que sabe que o amigo não deixa transparecer tudo o que realmente é. Além disso ambos têm uma espécie de competição intelectual não explícita, além de inveja um do outro – muito maior por parte de Victor.
A história acontece pelos desdobramentos das pesquisas dos dois no último ano de faculdade. Vale escolhe um tema entediante, com intuito apenas de acabar logo com o curso, já Cardale escolhe algo extremamente ousado, encarado até como uma brincadeira pelo professor no início: a possível existência de pessoas ExtraOrdinárias (EOs), ou seja, com habilidades sobrenaturais.
“Tenta encarar as coisas da seguinte forma: nas histórias em quadrinhos, existem duas maneiras de se tornar um herói. Ou é inato ou é adquirido. Há tanto o Superman, que nasceu daquele jeito, quanto o Homem-Aranha, que se tornou o que é.”
As pesquisas dos dois se cruza quando Eli descobre que a “criação” de EOs se dá pelas reações provocadas pela adrenalina em uma experiência de quase morte. Victor, então, faz de tudo para fazer parte da notável pesquisa do amigo, inclusive se voluntariando para ter uma experiência de quase morte (EQM). A EQM do Victor dá totalmente errada, mas a segunda tentativa, agora em Eli, é bem-sucedida. Victor fica com raiva e uma inveja tremenda do sucesso do amigo e se submete por conta própria a mais uma EQM, que funciona, mas a um custo muito alto. É nesse ponto da história que tudo dá errado, Victor acaba preso e Eli, traumatizado com o que acontece, passa a acreditar que tem a missão de exterminar todos os EOs do planeta – exceto ele (bem hipócrita). 10 anos mais tarde Victor foge da prisão com um único objetivo: matar Eli Cardale.
O livro segue duas cronologias, a do passado, nos tempos da faculdade e a do presente, que acontece como uma contagem regressiva, criando um senso de urgência para o encontro que está por vir. Os personagens secundários são igualmente fortes e essenciais para que Victor e Eli alcancem seus objetivos: Mitch é o companheiro de cela de Victor, que foge junto com ele da prisão; Sydney e Serena são irmãs extremamente poderosas que por vários motivos também se encontram em lados opostos.
Narrado em terceira pessoa e com capítulos curtos, o livro é muito dinâmico. Os pontos altos são as construções dos personagens e a relação e a oposição de Victor e Eli. Gosto muito do fato que não tem um personagem bonzinho e herói e a contestação proposta sobre a percepção do bem e do mal.
Foi uma das melhores leituras que fiz no ano até agora, com uma temática sobre humanos com superpoderes excelentemente elaborada e relações pessoais complexas bem construídas. Vale muito a leitura!
comentários(0)comente



LauraaMachado 21/06/2019

Personagens complexos, enredo inteligente e uma escrita maravilhosa!
Depois de ter uma relação de amor e desgosto com a série Tons de Magia da mesma autora, realmente considerei me manter longe dos livros dela. Mas foi esse, Vicious, que quis primeiro e não conseguiria aguentar a curiosidade sobre ele. Muitas pessoas em quem confio o recomendaram loucamente. Alguma coisa tinha que ter aqui.

É difícil classificar este livro. Ele tem ficção científica, tem muito dos quadrinhos de super heróis, mas também é bastante realista e se passa hoje em dia, com protagonistas adultos e personalidades complexas. Ele fala sobre vilões, mas fala mais sobre humanos, sobre crenças, sobre limites e ambição. Tem um tom mais sério, mas ainda assim consegue ser divertido. Não tem muita ação, mas são tantas peças interessantes se montando em uma narrativa fora de ordem cronológica, que é muito fácil ficar viciado na leitura. É um livro muito único e excelente.

Victor Vale me conquistou logo de cara, confesso, desde sua primeira cena no livro. Ele está longe de ser uma boa pessoa, e talvez essa seja sua melhor característica, mas é extremamente carismático e seus "companheiros" e ele acabaram se tornando uma das minhas equipes favoritas. Adoro a Sydney e espero que ela apareça no próximo livro. Do outro lado, Eli é realmente um dos personagens mais complexos que já encontrei, mas fez total sentido desde o começo. Sua loucura (é assim que vejo, não tem jeito) me assustou muito, mas também fiquei impressionada com o jeito da autora de assumir o personagem e suas atitudes, ainda deixando muito nas entrelinhas.

Outra coisa excelente é a relação do Victor com o Eli, principalmente na época da faculdade. Essa questão de amizade e rivalidade, inveja e admiração, que é tão complexa e difícil de definir, mas que a autora conseguiu acertar em cheio.

Sobre o enredo, não é tão movimentado e cheio de ação como um livro "de super herói" costuma prometer, mas definitivamente foi muito bem feito e melhor ainda por isso. O jeito da autora de contar essa história, intercalando linhas do tempo sem muita ordem, mas com bastante lógica, foi o ponto alto para mim. Tudo apareceu na hora exata, sem me fazer ficar torcendo para voltar para outra hora ou até para outro ponto de vista.

Sinceramente, é um livro completo e perfeito. Claro que fico feliz de ter uma "continuação", mas também estaria bem satisfeita com esse final. Ainda bem que meu incômodo com os outros livros dela não me impediu de dar uma chance para esse livro incrível!
comentários(0)comente



Quequel 27/06/2019

Eu tenho uma relação bem estranha com essa autora, eu já li três livros da autora e só li a continuação de um. Esse eu ainda não decide se vou ler o próximo livro, mas eu gostei desse, só não amei. A conclusão dessa historia é chocante e ninguém tira da minha cabeça que tudo isso é baseado de certa forma em fanatismo religioso.
comentários(0)comente



day 01/07/2019

Não rolou
Livro interessante,personagens muito vagos.

Não achei o livro tão interessante ,porém a escrita ainda me prendeu.

Uma mistura de ficção científica ,fanatismo religioso e rivalidade.

gostei da ideia de alguns humanos com poderes extraordinários ,porém com certeza é um livro que não lerei a continuação.

Não faz muito meu gênero de leitura,li porque veio na malinha do meu clube de leitura.

Não compraria .

site: http://escreverdayse.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Mariana @geek.women 16/07/2019

Um banquete para quem gosta de X-men e outros super heróis
Dois amigos cursando medicina, Victor e Eli possuem uma amizade um pouco estranha, muito competitiva, onde um fica querendo estar por cima do outro. O professor Lyne pede aos seus alunos para se dedicarem em uma pesquisa com tema livre. Perguntando o tema para todos, o jovem Eli diz que quer pesquisar sobre os ExtraOrdinários, um termo tabu na sociedade em que eles vivem.

ExtraOrdinários, ou EOS, de acordo com as informações que o Eli consegue compilar na sua pesquisa, são pessoas salvas de perderem suas vidas e, por isso tiveram um grande trauma, o que gerou uma espécie de mutação neles. Ou seja, os EOS têm poderes, dos mais diversificados. O grande porém é que nem mesmo a sociedade sabe se eles existem realmente e há poucas informações sobre os tais.

Para testar a teoria, Victor, querendo chamar atenção de Eli, sugere que eles façam o teste. Eles se matariam, o outro o ressuscitaria e veriam se conseguiriam adquirir poderes. Depois de algumas tentativas, o experimento dá certo e Eli agora é um EO que consegue regenerar qualquer ferida interna ou externa em seu corpo. Victor, não aceita que o Eli consiga e ele não, então parte para outras tentativas. As coisas fogem um pouco do controle, mas ele acaba conseguindo o que quer.

Victor e Eli, então, mostram a toxicidade de sua amizade e acabam virando inimigos. Como as coisas fugiram do controle de Victor ao se transformar, Eli usa isso para direcionar a polícia contra ele. Victor acaba preso por 10 anos. E na prisão, Victor não passou um dia sem pensar em se vingar de Eli e orquestra um grande plano de fuga, para finalmente poder colocar suas mãos nele.

Esse livro é um banquete para aqueles que gostam de história de super heróis. Me lembrou muito o filme Corpo Fechado. Eu amei totalmente esse livro, já tinha altas expectativas, e ele ainda conseguiu superá-las. Fiquei muito envolvida com a improvável gangue de amigos que surge nesse livro e todos os questionamentos sobre moralidade, fanatismo religioso e vilania que a Victoria Schwab aborda. Achei sensacional o final, e fiquei no dilema de um próximo volume: eu sei que é uma trilogia, mas pode ser que não seja tão boa pois achei que a história acabou muito bem, mas tenho saudades dos personagens e gostaria de vê-los de novo.

site: https://www.instagram.com/p/Bz9G-mBD6S1/
comentários(0)comente



19 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2