Rosas de Maio

Rosas de Maio Dot Hutchison




Resenhas - Rosas de Maio


116 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Julia Calamares 08/06/2021

Quatro meses se passaram após o caso das borboletas, do livro anterior. Porém, os detetives Hanoverian, Eddison e Ramirez têm mais um caso com o qual lidar.

Um serial killer que mata jovens e deixa o corpo, rodeado de flores, em um altar na igreja.

O livro também nos apresenta à Priya, que perdeu a irmã para o serial killer há cinco anos. É narrado tanto por ela, quanto por Eddison. Além de algumas partes serem narradas pelo próprio assassino.

Gostei de ter lido os dois livros em sequência, porque sinto que aproveitei melhor a experiência das histórias.

Ainda prefiro o Jardim das Borboletas, mas também gostei desse livro.
comentários(0)comente



Mi 29/11/2020

Dot já me deixou incomodada com tatuagem de borboletas e agora, flores!

Gostei mais do primeiro livro, mas esse é bom. Pra mim, os crimes são coadjuvantes dentro da vida dos policiais do FBI e como lidam com as vitimas dos seus casos.

Não é um thriller de suspense frenético, daqueles que a gente não consegue desgrudar.
E imagino que não seja essa a proposta.

Mas é muito bem conduzido. Tem sim o ar de suspense no ar, de intriga, que mantém a narrativa viva.

Vale a pena conhecer!
comentários(0)comente



Raquel.Euphrasio 17/04/2021

Uma daquelas histórias que em determinado momento você simplesmente não consegue largar o livro sem que saiba o final... Todo o enredo foi muito bem amarradinho na minha opinião a autora não ter feito questão de esconder quem era, mas sim as suas motivações. A narrativa traz a tona muita reflexão sobre justiça, leis e sobrevivência.
comentários(0)comente



Letícia 22/08/2021

Não é que ele seja o ruim o único problema foi que eu achei cansativo, eu só li pela leitura coletiva
comentários(0)comente



Nathalia.Grams 07/01/2021

Adorei
Já havia gostado muito o jardim das borboletas e adorei este livro também. Me envolveu do começo ao fim para saber quem era o assassino e sobre as flores que enviava.
comentários(0)comente



Lary 24/09/2021

MARAVILHOSO
"Se alguma coisa tentar destruir essas garotas, elas vão botar fogo no mundo, e tudo vai cair junto com elas"

??Gatilhos: Assasinato, suicídio, assedio, estupro, alimentação compulsiva (podem ter mais que eu não me lembre agr)??

Classificação indicativa (minha opinião): +15/16

Bom, eu sou suspeita pra falar dessa autora ksskskskksksks, mas juro, é muito bom, a escrita é otima, personagens incríveis e bem construidos.
A autora conseguiu me enganar direitinho, por mais que eu tinha desconfiado que esse cara poderia ser o assasino, acabei achando que talvez eu estivesse apenas paranoica com isso de descobrir quem era o assasino, mas meu Deus, teve uma hora que eu tinha certeza de que sabia quem era, e gnt, jdjdkdkdkdkdkdkdjdk eu não preciso nem dizer que estava errada né? Kskskskssk.
Pra quem quiser ler, leiam " O Jardim das Borboletas" primeiro, pois alguns personagens que eram protagonistas fazem uma boa Aparição nesse livro, e é melhor pra entender muitas coisas que acontecem.
E pra quem já leu O Jardim das Borboletas, e quer saber como ficou o caso das Borboletas, leiam tbm, pois em vários momentos eles falam de como está o julgamento e etc, e para quem gosta da Bliss e da Maya/Inara, elas tbm aparecem bastante.
comentários(0)comente



Maitê 12/09/2020

Bom
Achei bom. Um livro que conta mais a história da personagem que está sendo assediada do que a história do serial killer em si. Deixa muitos furos. Não é um dos melhores que já li.
comentários(0)comente



Kênia Cândido 11/06/2021

Ótimo!
A série O Colecionador tornou-se uma das favoritas da minha estante, especialmente após ler a sequência do livro O Jardim das Borboletas que ofereceu uma história arrepiante. Neste segundo livro, Rosas de Maio, a Dot Hutchison conseguiu dar uma continuação formidável para série e confesso que estou encantada com a escrita da autora. Em Rosas de Maio, o leitor tem a chance de mergulhar direto em outro caso com um novo serial Killer. Após quatro meses da descoberta do Jardim onde várias meninas eram sequestradas, mantidas num cativeiro decorado como se fosse um jardim e submetidas em eventos assustadores promovido por um homem completamente obsessivo e cruel, Dot Hutchison apresenta a personagem Priya Sravasti.

Priya é uma jovem que está tentando normalizar sua vida ao lado sua mãe Deshani, depois que sua irmã Chavi foi assassinada pelo Serial Killer. Dessa forma elas sempre estão de mudança, esperando ter um novo recomeço. Acontece que Priya também possui características no perfil que desperta interesse no assassino e por razões que não posso contar para não estragar a experiência, a vida de Priya está correndo perigo. Em O Jardim das Borboletas fiquei inteiramente impressionada com a forma que a autora conduziu a história. Senti várias emoções que não imaginava ter com a Inara narrando os acontecimentos perturbadores dentro do jardim. Aliás, ainda continuo recomendando o primeiro livro para leitores que tenham estômago suficientemente forte.

Ao terminar de ler Rosas de Maio, o livro deixou a sensação que a autora levou o enredo mais para o lado policial do que um thriller arrepiante como foi o livro anterior. Esse elemento não foi nenhum ponto negativo para a série, particularmente foi ao contrário. Aqui encontrei mais ação e emoção enquanto o tenebroso Serial Killer que deixou vários trechos contando como conquistou e matou suas vítimas friamente. Esses trechos surpreenderam e fizeram muita diferença durante a leitura. Este Serial Killer foi repulsivo quanto o anterior, contudo a experiência de não saber quem era o assassino que estava cometendo os crimes, juntamente com a escrita envolvente da autora, deixou tudo mais interessante.

Neste segundo livro, também deu para perceber que a autora optou em mostrar cada caso diferente em cada livro, mas ela não abandonou a história anterior. Isso foi muito bacana, pois ainda sabemos o que está acontecendo com as meninas que foram capturadas pelo jardineiro. Embora elas não sejam as personagens centrais da história como antes, o leitor tem a oportunidade de saber como elas estão lidando fora do jardim. Especialmente Inara que narrou à história anterior.

A ligação com o caso das borboletas e a história deste livro são os agentes Brandon Eddison, Victor Hanoverian e Mercedes Ramirez. Algumas comparações com o livro anterior foi inevitável, uma delas foi a personalidade do agente Eddison, neste livro, ele está especialmente mais simpático. Ele deixou a sensação que estava no papel de irmão mais velho em relação à Priya. Por causa da aproximação e o instinto de proteção com a jovem. Os casos são diferentes, mas aconselho que leia O Jardim das Borboletas primeiramente, para ficar familiarizado com o enredo que Dot está proporcionando.

Quero parabenizar a editora Planeta de Livros Brasil pela edição caprichada com diagramação impecável nas folhas amareladas. Cada livro contém capa dura e estão sendo publicados da mesma maneira das capas estrangeiras, cada uma mais linda do que a outra. Cada livro da série vale a pena adquirir, mas precisa gostar do gênero para embarcar na história e disposição de sair da zona de conforto literário. Pensando assim a série tem a chance de torna-se belíssima.

Enfim, todos os detalhes que contei é apenas começo e depois que terminei a leitura, a rosa da capa teve outro significado. Simplesmente torne-me fã da autora. Recomendo que leia os dois livros da série O Colecionador. Se já leu O Jardim das Borboletas aconselho que leia Rosas de Maio, pois a história está sensacional. Já estou desejando o próximo volume da série para continuar surpreendendo com a Dot. Se você gosta de histórias com enredo forte, repleto de mistério e suspense, então, sem dúvida, irá apreciar Rosas de Maio.

site: https://consumidoradehistorias.blogspot.com/2021/06/rosas-de-maio-dot-hutchison.html
comentários(0)comente



Bru | @serialivros 02/10/2021

A continuação
Esse livro é uma continuação de Jardim das Borboletas

Eu estava com saudade de alguns personagens de lá e a mistura das histórias foi sensacional!

Não só eu estava ansiosa para descobrir sobre ele, como também a narrativa do autor continuou excelente

É o tipo de livro que você consegue ler em um dia, por não querer parar de ler de jeito nenhum
comentários(0)comente



Nanda.Santos 04/05/2021

Gostei mais do primeiro.
Acho que esse livro não chegou nem perto do jardim das borboletas, apesar de Dot tentar fazer um link entre as duas histórias, não trouxe o mesmo suspense do primeiro.
Kah 14/05/2021minha estante
Nossa, eu tbm estou achando isso ! E ainda nem na metade eu estou


Nanda.Santos 15/05/2021minha estante
Bom saber que eu não estava enganada.




Bárbara 24/02/2020

Tão bom quanto o primeiro
Depois do primeiro livro da série, tinha que saber mais da estória, então, este livro furou a fila das leituras. Os inspetores Victor Hanoverian, Brandon Eddison e Mercedes Ramirez investigam mais uma série de crimes, quatro meses após a descoberta do Jardineiro e suas borboletas.

Priya Savrasti é uma garota com um trauma em seu passado. Há alguns anos, sua irmã foi brutalmente assassinada por uma pessoa cruel. Assim como as demais vítimas, Chavi foi assassinada com um corte no pescoço, e algumas flores foram deixadas ao redor do corpo, sempre dentro de igrejas. Para cada vítima, uma nova espécime de flor, sempre entre os meses de março e maio, anualmente. O trio do FBI dedica-se a capturar o serial killer, mas este é esperto demais para deixar rastro.

As sobreviventes do jardim, retratadas no livro anterior, tentam recuperar suas vidas, mas os traumas que sofreram foram grandes demais, e as cicatrizes - e a enorme tatuagem em forma de borboleta que elas possuem - as deixam em evidência junto às pessoas. Muitas não conseguem superar o que passaram, e acabam se matando.

Este é o segundo livro da série, e a autora mais uma vez surpreendeu pela escrita. Após 5 anos do assassinato de Chavi, tudo indica que o assassino resolveu escolher Priya como a próxima vítima. Ramirez, Victor e Eddison, então, têm que correr contra o tempo para identificar o responsável por tantas mortes antes que seja tarde demais.

De leitura viciante, é impossível largar o livro. Há capítulos narrados pelo assassino, e outros, narrados em terceira pessoa. Incrível a forma de escrita da autora, que traz ecos do livro anterior. Ficamos sabendo mais um pouco sobre o Jardineiro e Desmond, bem como de Bliss e Inara, duas de suas vítimas. Se você gosta de thrillers, não deixe de conhecer essa série maravilhosa. Por enquanto, apenas esses dois volumes foram publicados no Brasil, mas torço para que o terceiro já esteja às vésperas da publicação (até o momento, existem 4 livros escritos).

site: http://www.instagram.com/leiturasdebarbara
comentários(0)comente



Caroline 01/08/2021

Excelente!
Esse é o segundo livro da trilogia da autora, o primeiro é Jardim das Borboletas. Li sem muita expectativa pois as resenhas não eram muito boas, afirmando que o livro não tinha continuidade com o primeiro. Pelo contrário, eu achei que tem sim, claro que não tem continuidade no sentido de ser o mesmo crime, até porque o crime foi ?solucionado?, mas muitos personagens estão presentes e ativos. A trama deste livro também é muito interessante e pra quem gosta desse gênero vai curtir muito ler os dois em sequência. Aguardando o último livro agora.
comentários(0)comente



José Carlos 04/11/2020

Ressaca literária!
Ou não! Depois de ler O Jardim das Borboletas, criei expectativa com este livro! Demorei para finalizar, achei a história arrastada, e quando você acha que ela chega ao ápice, lá no final, em uma página já desce para o ritmo de antes! Apenas bom!
comentários(0)comente



julia 02/07/2020

Resenha: Rosas de Maio
Gatilho: estupro

Rosas de Maio demora pra começar. A perspectiva do Eddison e da Priya são muito boas, mas o ritmo é muito lento durante a primeira parte do livro. O mistério demooora para ser desenvolvido. É uma narrativa bem diferente do livro anterior mesmo com as vozes do Eddison e da Priya sendo bem envolventes.

Dot Hutchison como escrever personagens fortes e histórias tensas. A escrita dela captura tua atenção logo no início e é bem difícil parar de ler--um dos motivos de eu terminar o livro em um dia mesmo. Eu também gostei do humor que equilibra bem os aspectos mais pesados do livro, já que a história lida com estupro e o assassinato de mulheres.

O mistério não é tão detalhado como o anterior também, então eu achei um pouco difícil de me conectar. Não tem senso de perigo? Mesmo com as passagens do ponto de vista do assassino. O final é muito bom com relação a Priya e o que ela faz, mas não por causa das revelações nem nada assim.
comentários(0)comente



@injoyce_ 26/07/2020

Rosas de Maio
A uns anos a irmã de Priya foi assassinada, o assassino de sua irmã, tem a peculiaridade de deixar flores pelos corpos das vítimas.
Fissurado pela garota, ele começa a persegui-la e a prova disso, são as flores que ela recebe ao longo dos anos.
O segundo livro da trilogia do colecionador foi o melhor até o momento, não desmerecendo o primeiro, que também aborda um tipo bem peculiar de psicopata.
Giulipédia 26/07/2020minha estante
Confesso q o Jardim de Borboletas me deixou meio traumatizada c essa autora, apesar dela escrever mt bem, tenho mt curiosidade em relação a esse livro, porém o medo persiste devido ao conteúdo msm ?(ps: nunca um livro me fez chorar tanto ?)


@injoyce_ 26/07/2020minha estante
Eu achei ele melhor, pq nao sabemos quem é o assassino, e as meninas sao perseguidas em ruas, ler livros onde elas ficam trancafiadas me deixa mt agoniada, pois o livro gera em torno só daquele espaço, rs. Eu gostei mt e estou aguardando o 3 ansiosamente.




116 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR