Feitos De Sol

Feitos De Sol Vinícius Grossos




Resenhas -


20 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Helana O'hara 16/10/2019

Uma história para tocar o coração
Feitos de Sol é mais um romance LGBT que a Faro Editorial tem todo cuidado de publicar. Recebi ele em parceria com a Editoria e o que me chama atenção foi o CD super fofo que veio com ele, com a trilha sonora que embala a história dos meninos. O livro com cerca de 250 páginas com 35 capítulos, alguns no passado de Cícero e Vicente e outros nos dias atuais.

O livro é narrado em primeira pessoa por Cícero, que retorna a sua cidade natal depois de muito tempo. Chegando lá ele começa a refletir sua adolescência e a vida como era em 1999, sua amizade colorida com Karol, uma amiga maluquinha que ele adorava, a boa relação com sua mãe que o dava uma liberdade e criou-o sozinha.
Ao conhecer Vicente em um dia que seu lugar preferido a Taverna do Dragão é fechada e isso o frustra pois o único lugar que ele encontraria o quadrinho Under Heroe. Os dois meninos acabam tento uma ligação forte e o que Cícero procurava na vida, uma cor que até então ele não tinha.

As memórias do protagonistas fazem uma viagem a narrativa de encontro com Vicente, a paixão por ele, amizade, as descobertas e a história dos meninos em 1999 e o famoso Bug do milênio, ambos acreditavam que o Mundo iria acabar e precisavam aproveitar melhor suas vidas.
A aventura deles tem como plano de fundo o quadrinho Under Heroe, pois ambos gostam da história e querem encontrar a todo custo ele.
O livro além da história linda de Cícero e Vicente nos trás referências gritantes de músicas, filmes, jogos de tabuleiros – clássicos de muitos anos, revistas em quadrinhos trazem um saudosismo gostoso a história.
Não posso deixar de mencionar a importância de ler um livro como esse! Vinícius te faz um convite simples para entrar na história de Cícero e Vicente, fala como o preconceito é dolorido e nos trás uma reflexão que não importa quem você ama ou como ama, respeite. O amor é simples e único para cada pessoa.

Ele mostra como o preconceito cego trás graves consequências a vida das pessoas. Hoje em dia parece ser mais fácil fechar os olhos, mas não é o certo, o preconceito não pode ser calado e denunciar é o mínimo que podemos fazer.

Feitos de Sol não é apenas uma história de dois meninos que descobrem o amor, mas a reflexão de como lidar com o preconceito e como isso é doente na sociedade.

Só me resta parabenizar Vinícius por escrever mais um livro que toca meu coração e a Faro por publicar uma obra fantástica.
Matheus Souza 16/10/2019minha estante
Comprei o livro alguns tempo, agora com essa resenha fiquei com mais vontade de ler


Helana O'hara 19/10/2019minha estante
Oi Matheus, tudo bem? O livro tem uma história linda. O autor ainda escreve uma carta para o leitor falando sobre como foi escrever o livro. Super vale a pena â¥




Beta Oliveira 08/10/2019

Livros como “Feitos de Sol” nos ajudam a pensar que todos nós nascemos - ou se preferirem fomos criados - para sermos possíveis. E refletir como alguns se arvoram do alto de um pedestal de uma suposta autoridade a tentarem cancelar o direito de outras pessoas existirem, ao tentar impor uma honestidade segmentária. Ninguém tem o direito de impedir o outro de brilhar. Ah, outra coisa: tudo passa. De bom e de ruim. A gente aprende e segue em frente.

O texto completo está no Literatura de Mulherzinha.

site: https://livroaguacomacucar.blogspot.com/2019/09/cap-1619-feitos-de-sol-um-amor-capaz-de.html
comentários(0)comente



Aline Coelho Cury 29/09/2019

Feitos de sol
Oi gente linda, hoje venho falar do lançamento do autor nacional Vinícius Grossos e da Faro editorial. Quem me acompanha sabe que tudo que foi lançado do autor eu já li e gostei muito (os links estão logo abaixo), mas posso dizer que 'Feitos de Sol' foi o melhor de todos, me envolveu de tal forma que terminei rapidinho a leitura e fiquei com o coração partido com algumas cenas e revoltada com outras (por saber que infelizmente acontece na realidade).

Antes de qualquer coisa penso que essa é uma leitura válida para todos (reflexão útil e super atual), já que o autor convida o leitor a refletir sobre o direito de ser diferente, sobre o amor acima de gênero, regras e padrões (os protagonistas não estão agredindo ninguém, mas estão sendo agredidos). Vinícius não deixa de alertar sobre a gravidade e consequências que o preconceito cego causa na vida das pessoas, e se esse mal vier da família, daqueles que deveriam acolher, orientar e aceitar!!!??? Só sei que fiquei com muita raiva de um personagem e se fosse na realidade eu denunciaria com certeza. Não podemos ser omissos, sei que nos dias de hoje muita gente prefere fingir que não viu para evitar confusão, mas não podemos ser coniventes com absurdos como o mostrado (leiam!).

Narrado em primeiro pessoa pelo protagonista Cícero que retorna a sua cidade após vinte anos, começa a recordar como foi os seus últimos meses dos anos de 1999 quando sua vida mudou para sempre.

Cícero começa refletindo sobre a vida de adolescente que leva, tem até uma vida boa e um certo grau de liberdade graças a seu bom relacionamento com a mãe que o criou sozinha. Tem uma amiga maluquinha, Karol, com quem tem uma amizade colorida, mas isso não o deixa feliz, ele sente que falta algo que o faz sentir vazio e ele não sabe o porquê. Tudo começa a mudar quando vai a loja 'Taverna do Dragão' redutos dos nerds da época e da cidade para adquirir o último exemplar de seu quadrinho favorito, 'Under Heroe' mas para seu desespero a loja está com um aviso de fechada e não abriria mais. Cícero fica lá desnorteado até que outro fã chega e o caminho deles se entrelaçam, Vicente irá fazer a vida de Cícero ter outra cor outro significado.

Eles viverão uma aventura para tentar conseguir essa edição final do quadrinho favorito e ao mesmo tempo irão se descobrir e se conectar de uma forma tão sincera e mágica que nem o tempo, a distância e o mal do mundo irão separá-los.

Não posso esquecer de dizer que essa história terá como cenário os medos e urgências do 'Bug do Milênio' ("seria um problema de informática em que os computadores não conseguiriam diferenciar o ano 2000 de 1900. Acreditava-se que, por causa do bug, catástrofes terríveis poderiam acontecer. Muitas pessoas levaram isso a sério e se preparavam para o possível apocalipse, e eu era uma delas." págs.19/20) além de muitas referências pop como filmes, música, jogos de tabuleiro, revistas em quadrinhos etc enfim deu saudosismo ao ler sobre gravar listas de músicas favoritas e locação de fitas de filme para o fim de semana.

Outro ponto que amo nos livros do Vinicius Grossos é que ele tem uma forma sutil e sensível de defender o que acredita que faz com que o leitor reflita sobre o assunto, formule sua opinião e aprenda a conviver com o diferente. Você é livre para aceitar ou não o relacionamento entre pessoas do mesmo gênero, mas tem que entender que eles tem direito de escolher com quem querem se relacionar e ser feliz, de amar e ter direitos como qualquer outro ser humano. A leitura flui maravilhosa porque não tem o peso que o assunto ainda causa, isso porque o foco fica no sentimento. Só quando chega as cenas sobre intolerância e preconceito que 'o bicho pega'. Mas enfim, amei a leitura e indico a todos.

site: https://leiturasvidaepaixoes.blogspot.com/2019/07/feitos-de-sol-vinicius-grossos.html
comentários(0)comente



Daniel Vitor 22/09/2019

Sentimentos sobre Feitos de Sol
"Can you see me? I'm shining
And it's you that I've been waiting to find" ‐ Shine, Years and Years

É intenso, muito intenso. Feitos de sol realmente incendeia quem está lendo e foi a primeira vez que realmente escorreram lágrimas dos meus olhos enquanto lia. Não há como não sentir cada dor, cada alegria, cada emoção que os personagens vivem enquanto constroem a relação entre eles. A representatividade instalada nessa leitura é fundamental e, apesar da intolerância escancarada por alguns personagens, você sente que deve resistir e existir.

Trecho: "[..] a única coisa de que eu tinha certeza era que o maior milagre que eu vira na vida era o sentimento que eu e o Vicente estávamos descobrindo juntos." - Cap 17

#livros #gay #amor #melhorautor

site: https://www.instagram.com/p/B2b7LITHOzT/?utm_source=ig_web_copy_link
comentários(0)comente



Fernando 22/09/2019

Esse é o segundo livro que eu leio do Vinicius Grossos e o primeiro solo. Quando vi a pré-venda tinha achado o nome do livro meio brega, mas é totalmente justificável agora que eu terminei a leitura (e um pouco menos brega hahaha).
A escrita do autor é muito fluida e os personagens são muito cativantes, principalmente o Vicente. O Cícero me chateou em alguns momentos e a Karol foi um alívio cômico muito bem aproveitado, cada cena com ela foi extremamente bem aproveitada.
Não esperava o plot da cena final e amei muito
comentários(0)comente



Maria - Blog Pétalas de Liberdade 18/09/2019

Resenha para o blog Pétalas de Liberdade
Cícero, o narrador, volta duas décadas depois à cidade onde conheceu Vicente. Em 1999, eles tinham 15 anos e algumas coisas em comum: o fato de serem fãs da série de revistas em quadrinhos do Under Hero e a certeza de que o mundo iria acabar em poucos meses, mas o que causaria o fim do mundo era diferente na visão de cada um. Cícero, apaixonado por filmes, achava que seria o bug do milênio, com os computadores entrando em colapso por não estarem programados para o ano 2000. Vicente, vindo de uma família religiosa, acreditava que teríamos o Apocalipse.

Os dois se conheceram quando foram comprar o volume final de Under Hero e se depararam com o lugar que vendia as revistas fechado. Cícero e Vicente queriam muito descobrir como as aventuras do personagem terminariam antes do fim do mundo, e se juntariam na busca pela última edição.

Entre uma conversa e outra, acabariam se apaixonando. Cícero não havia se interessado por garotos até então, mas o problema mesmo seria a família de Vicente, que usava a religião como pretexto para não aceitar o filho como era, tentando a todo custo mudá-lo. Se Vicente e Cícero quisessem buscar juntos a última edição de Under Hero e viver o sentimento que nascia entre os dois, precisariam enfrentar grandes desafios antes do fim do mundo!

"Feitos de Sol" foi o primeiro livro que li do autor e gostei muito da escrita dele. O Vinícius Grossos conseguiu descrever de forma brilhante o que é ter 15 anos, a forma como estamos entrando no mundo adulto e descobrindo a vida, ao mesmo tempo em que somos inocentes, ingênuos e inseguros em certos momentos.

Eu nasci em 1991, então gostei muito da (ótima) ambientação em 1999 trazer diversas referências da época: músicas, filmes, roupas, comidas. Não me lembro exatamente do que eu pensava sobre o possível fim do mundo, mas achei super interessante ver como as pessoas realmente acreditavam na possibilidade de o mundo acabar e como lidavam com isso.

Infelizmente ainda vivemos numa sociedade que discrimina e tenta silenciar os homossexuais. Assim como o Vicente, muitas pessoas são vítimas de violência física e/ou psicológica, dentro e fora de casa, por causa de sua orientação sexual (não é opção, visto que ninguém escolhe ser hétero ou homo). Pessoas crescem achando que têm algo de errado e tentando esconder sua verdadeira essência. Pessoas, como o pai do Vicente, distorcem a religião, usando versículos bíblicos para interferir nos relacionamentos alheios, mas propositalmente ignorando outros versículos que falam sobre alimentação e vestimenta, e se esquecendo do princípio fundamental do Cristianismo que é o amor ao próximo.

A homofobia, o preconceito e a violência, que trazem tanto sofrimento, precisam acabar! E nesse sentido, a história nos mostra a importância de sermos como Emir (a avó do Vicente) e até mesmo como o Sérgio (namorado da mãe do Cícero): pessoas que acolhem, que não julgam, que não se calam na hora de estender a mão e de combater a homofobia.

A história passa mensagens importantes não só para a comunidade LGBT+, mas também para os leitores em geral, mensagens sobre aceitação, sobre o direito de existir, de amar e ser amado. Uma das cenas mais emocionantes para mim, foi quando Cícero mostra para a mãe a mochila onde Vicente precisava esconder as coisas de que gostava: as revistas em quadrinhos, as músicas que os pais não permitiam que ele ouvisse. E quantos jovens ainda vivem com pais abusivos, onde tudo é motivo de punição?

Eu poderia falar sobre "Feitos de Sol" por parágrafos e mais parágrafos, mas esse é um daqueles livros onde o bom é ir vivenciando as emoções a cada página, fazendo descobertas juntamente com os personagens. E esse é um livro cheio de emoções, onde a gente não sabe o que nos aguarda no próximo capítulo nem qual será o desfecho. Mas além de toda a tensão, das partes tristes, dolorosas e infelizmente reais que uma pessoa homossexual ou com pais abusivos pode enfrentar, temos também muitas cenas engraçadas, acontecimentos divertidos, uma aventura deliciosa e um romance apaixonante.

Vale pontuar que em 1999 não havia tantas campanhas de combate ao cigarro e que temos uma história com personagens adolescentes que nem sempre acertam; falando especificamente de uma atitude da Karol, amiga do Cícero, em relação a mãe, acredito que muitas vezes nos achamos mais espertos que nossos pais, mas nem sempre somos. E eu adoraria poder saber qual foi a trajetória de determinado personagem até os dias de hoje.

Enfim, "Feitos de Sol" foi uma leitura que me conquistou e que eu amei (dei 5 estrelas para ele no Skoob, e olha que é difícil eu fazer isso)! É um livro que recomendo muito que vocês leiam, ele pode trazer nostalgia aos leitores que não são mais adolescentes e identificação para os que ainda estão nessa fase. Senti muita verdade nas páginas de "Feitos de Sol", e por isso acredito que ele possa trazer esperança para pessoas homossexuais que sofrem discriminação e ensinar muito para nós, héteros, sobre quão absurdos são certos preconceitos e sobre ter empatia.

PASSE NO BLOG PARA CONFERIR FOTOS E CITAÇÕES DO LIVRO.

site: https://petalasdeliberdade.blogspot.com/2019/09/resenha-livro-feitos-de-sol-vinicius.html
comentários(0)comente



Bia 31/08/2019

Uma leitura que aquece! - Resenha publicada no blog CLÃ DOS LIVROS
É com os olhos marejados e o coração quentinho que trago minha resenha dessa obra que tanto me tocou.
Com uma escrita leve, porém profunda, Vinicius Grossos nos apresenta uma história cheia de amor, doçura e nostalgia.
Viajamos de volta ao ano mágico de 1999. Ano este marcado pela promessa do novo milênio e claro, pelas previsões do fim do mundo.
Em meio à quadrinhos e bons filmes, conhecemos o adolescente Cícero. Apaixonado por cultura pop, um típico nerd dos anos 90, Cícero é o nosso narrador e responsável por provocar em nós, leitores, os momentos mais mágicos de nostalgia.
Cícero está naquela fase de descobertas. Tem um relacionamento sexual com sua melhor amiga Karol, mas ainda não foi despertado para o amor.
Aliás, o que está mais próximo de amor na vida do garoto, é seu fascínio pela HQ do super-herói Under Hero. Ele tinha todos os volumes, só faltava o último para completar sua coleção e saciar sua curiosidade com o desfecho da história.
Ansioso para colocar as mãos nesta HQ, Cícero é um dos primeiros a chegar no "paraíso dos nerds" da sua cidade, a Taverna do Dragão. E imagina só a decepção do garoto ao se deparar com a loja fechada.
Frustrado e revoltado, Cícero não consegue acreditar na cena à sua frente. E não está sozinho. Também com o mesmo intuito e o mesmo fanatismo, está ali o jovem Vicente.
A frustração e o gosto em comum acabou por render assuntos entre os dois. Vicente vinha de uma família religiosa extremista radical. Cícero, por sua vez, vinha de uma família mais liberal.
Vicente acreditava que o fim do mundo seria dado pela volta de Jesus. Cícero acreditava no bug do milênio.
Tão diferentes, mas tão iguais. A amizade leva-os a romper barreiras, a se descobrirem melhor e ainda, a quebrar preconceitos.
Sob a certeza do final do mundo, Vicente e Cícero vivem assim, o melhor ano de suas vidas.

"Eram muitas primeiras vezes, e eu queria mais."

Feitos de Sol traz uma história tão linda que qualquer palavra disposta aqui será pequena para descrevê-la. O autor criou personagens cativantes, divertidos, que nos arrancam risos e suspiros.
Pela primeira vez, vi um romance homossexual ser tratado de uma forma leve. Como temos o ponto de vista de Cícero, conseguimos sentir todos os seus medos, angústias e até mesmo suas dúvidas quanto a sua sexualidade. Com isso, a proximidade leitor e personagem se intensifica.

"O jeito mais fácil de destruir a si próprio é lutar contra quem você é!"

Os personagens secundários não deixam a desejar. Holofotes para a melhor amiga de Cícero, Karol; uma personagem que tem uma liberdade surpreendente. Não posso deixar de citar ainda, a avó de Vicente, Dona Emir. Ahh como queria que ela fosse real! Me garantiu boas gargalhadas.
E Vicente, por sua vez, devo dizer que ele realmente é feito de sol. Tem uma luz tão intensa que transpassa as páginas. Nos toca, nos incendeia.
Aliás, o livro como um todo tem esse poder. A história central é inspiradora e completamente apaixonante.
tudo isso por si só já torna o livro mágico. Mas então o autor colocou todo o tempero dos anos 90 na história. Cada referência me fez voltar no tempo, me lembrar da minha própria infância e adolescência. Senti saudades daquela inocência que tínhamos, e quando viajamos dentro de um livro o sentimento é inexplicável.
Não sabia se queria terminar logo a leitura para saber o desfecho ou desacelerar para nunca acabar.
Feitos de Sol incendeia, esquenta o coração e deixa um gosto de nostalgia... Tenho certeza que você também vai brilhar após ler esse livro.

"Eu descobri que todos nós somos feitos de sol, e quero te ver brilhar."

recomendo!

site: https://www.cladoslivros.com.br/2019/08/resenha-feitos-de-sol-de-vinicius.html
comentários(0)comente



Minha Velha Estante 28/08/2019

Resenha da Drica Medeiros
"Todos nós somos represas. A gente vai aguentando até onde pode, mas, em algum momento, a gente transborda, coloca tudo pra fora e deixa a destruição acontecer. "

Ler livro do autor que se tornou amigo é uma delícia, né? A gente tem a sensação de que ele escreveu pra gente (olha a pretensão!), principalmente quando começa a encontrar coisas em comum com os personagens, como a terapia do banho quente de Cícero que super funciona comigo também.

A história começa com Cícero retornando à cidade em que morava a 20 anos atrás e revivendo tudo o que aconteceu nos últimos meses de 1999, às portas do bug do milênio.

Vicente cruza o caminho de Cícero quando os dois estão em busca da última edição de Under Hero e essa coincidência faz com que eles descubram muito mais em comum, como seus gostos por filmes, desenhos e músicas. Aqui quero ressaltar como foi fantástico reviver com os dois lembranças deliciosas daquela época (não façam as contas não, viu?!?!?!?).


"Não tive tempo para dizer nada; nem poderia, porque sentia o meu corpo se espalhar pelo céu como fogos de artifício. Sério. Era com se os meus membros fossem líquidos e eu estivesse derretendo por dentro."
Cícero mora com a mãe e Karol é sua melhor amiga e peguete também, mas é só um lance de corpo. Ele acredita que o fim do mundo será mais um lance tecnológico, com um surto coletivo de todas as máquinas do mundo. Ainda está tentando entender o que sente e de quem ele realmente gosta, está numa fase de descobertas mas sem culpa.

Vicente é filho de pastor e tem uma família extremamente conservadora. Já se apaixonou por um menino, mas a experiência foi terrível, principalmente por causa da relação dos seus pais com a religião. Sua válvula de escape é sua avó, que o entende e o aceita como ele é.



Aos poucos, como acontece na maioria das histórias de amor, Cícero e Vicente vão se conhecendo, descobrindo coisas em comum e se apaixonando um pelo outro. Mas nem tudo é tão simples. Afinal, ainda hoje, assumir um relacionamento gay não é tarefa fácil. O preconceito e as críticas vêm de todos os lados e, nem sempre, viver esse amor se torna uma realidade. Principalmente quando o preconceito vem camuflado pela máscara da religiosidade e está dentro da família.
O frio na barriga.
o sorriso que insistia em não sair do meu rosto.
O tesão.
O carinho.
Era isso...
Eu sabia.
Não tinha mais medo.
Havia apenas amor.
A escrita do Vini faz com que você se sinta aquele amigo para quem o Cícero está contando a sua história e que torce o tempo todo para que o amor dos dois dê certo. Mas não se engane, viu? Prepare a caixinha de lenço porque a carga emocional colocada nesse livro é de alta voltagem. Impossível fazer essa leitura sem colocar o seu coração nela, sem revisitar algumas atitudes que você já teve ao longo de sua vida, sem fazer uma auto análise de seu comportamento e sem tomar partido. Zona de conforto??? O que é isso???



Quero ressaltar aqui a minha personagem preferida desse livro: Dona Emir, a avó do Vicente. A criatura mais descolada, mais de bem com a vida, mais alto astral e de extremo bom gosto. Afinal, ela ama o Queen e o Freddy Mercury. Ela é o porto seguro de Vicente e será o de Cícero também.
"Procure sempre uma coisa que te faça se sentir invencível, poderoso, e a proteja a todo custo. Aí, quando você ficar triste ou achar que o mundo te derrotou, faça como eu. Coloque o seu Queen pra tocar e saia pra dominar o mundo. Nunca se esqueça disso."
Nunca foi tão difícil escrever uma resenha como essa... Na verdade, a única coisa que eu queria dizer a todo mundo, principalmente aos meus amigos e alunos que estão descobrindo sua sexualidade e aos pais, parentes e amigos dessas pessoas é: leiam Feitos de Sol e aprendam com o amor de Cícero e Vicente, aprendam também com o amor da Karol, e aprendam a ser pessoas melhores com a avó do Vicente.

site: https://www.minhavelhaestante.com.br/2019/08/feitos-de-sol-vinicius-grossos.html
comentários(0)comente



Malucas Por Romances 23/08/2019

Autor favorito no gênero
Olá, leitores!
Hoje trago para vocês mais uma resenha de um nacional que me surpreendeu bastante. Adorei a leitura, ri e chorei. Tá curiosa para saber o que achei do livro? Vem comigo nessa resenha.

"Na real, eu queria que o Vicente ficasse bem pequenininho, para entrar no meu bolso e estar protegido para sempre"

Feitos de Sol é um livro do autor Vinícius Grossos, lançamento da nossa parceira Faro Editorial. O autor já tem outros livros publicados como o livro 1+1- A Matemática do Amor e O Garoto Quase Atropelado. É o meu primeiro contato com a escrita do autor e eu adorei, já entrou na categoria de autor nacional favorito do ano.




O livro é um YA LGBT e vai conta a história de Vicente e Cícero. Os dois estão na faixa dos 15 anos e a história se passa no ano de 1999 onde muitos acreditavam que seriam o fim do mundo com a chegada do bug do Milênio e os mais religiosos com o Apocalipse. Os dois vão se conhecer depois que souberem que a Taverna do Dragão fechou e lá teria a HQ que eles tanto queriam, a Under Hero. Os dois vão a procura do final da HQ favorita, e nessa aventura de suas vidas nasce uma linda história de amor e amizade.

Confesso que fui sem expectativa nenhuma com a história por já me decepcionar com outros livros nacionais com o mesmo tema, com autores colocando personagens forçados e estereotipados por serem gays. Mas resolvi dar uma chance justamente por gostar do tema tratado e ver como os personagens vão se superar.

Nesse livro não teve nenhum personagem que não gostei, adorei Cícero e Vicente que tem tão em comum e mesmo assim com personalidades e famílias diferentes. Cícero é ateu e tem sua mãe e Karol sua melhor amiga para darem apoio. Já Vicente cresce em uma lá opressor, de pais que acreditam que gay são doentes e que vão para o inferno.

Nas primeiras páginas já é cheio de referências da época e não teve como não se sentir nostálgica com o autor falando de kinder ovo, das músicas da época e filmes. Voltei lá atrás no tempo de quando era adolescente e me vi ali nas dúvidas sobre futuro, família e amizade no qual o autor aborda de uma maneira fácil que o leitor vai se ver ali dentro da história.

Apesar de abordar temas importantes, antes de todo drama que a história carrega, vamos rir bastante com os personagens secundários. Gargalhei alto com a avó de Vicente e Karol amiga de Cícero, mas sabia que isso era só autor me preparando para derramar as lágimas de sofrimento que estava por vir.

RESENHA COMPLETA NO BLOG

site: http://malucaspor-romances.blogspot.com/2019/08/resenha-feitos-de-sol-um-amor-capaz-de.html#axzz5xMsDyAfV
comentários(0)comente



dayukie 17/08/2019

Resenha completa no blog
"Feitos de Sol é um livro que fala sobre religião, mudanças e um romance fofo que te faz pensar na vida e arrancar alguns suspiros!
[...]
O autor nos apresenta uma trama surpreendentemente incrível, cativante, com personagens principais e secundários que marcam presença de uma forma forte, a começar pelos meninos, que descobrem o amor de uma forma tão natural, que quando percebemos já estamos torcendo por eles, e é muito legal ver o quanto Vicente faz bem a Cícero, o quanto ele faz com que Cícero, veja a vida de uma forma mais divertida, é preciso falar também, sobre a mãe de Cícero, que foi abandonada enquanto estava grávida e mesmo assim fez o seu melhor para cria-lo e estar sempre presente em sua vida. Também temos a amiga de Cícero, que tem um astral lá em cima e que aceitou o amigo como ele é, e o ajudou a se enxergar e se aceitar.
E deixa eu contar uma coisa muito legal que acompanha esse livro incrível, a Faro Editorial mandou junto com o livro, um CD com a playlist de Vicente, dessa forma podemos ouvir as músicas que fazem parte do livro e assim, somos capazes de nos sentirmos ainda mais por dentro da história. Esse mimo com certeza tornou a experiência muito maravilhosa e me vi perdida no livro e nas canções que acompanham.
A capa que tem tudo a ver com a história, além de ser linda e muito bem feita, as folhas são grossas e amareladas, diagramação e espaçamento impecáveis, não encontrei erros de ortografia ou digitação, junto com uma escrita incrível, a leitura se tornou fluída e bem gostosa.
Sem dúvidas nenhuma, recomendo a leitura!"

Resenha completa no blog

site: http://bit.ly/FeitosDeSol
comentários(0)comente



Michelly | @oventodoleste 17/08/2019

Blog Vento do Leste
O ano é 1999, a poucos meses do Bug do Milênio. Um erro nos sistemas de informática prometia causar o fim do mundo na virada do ano de 1999 para o ano 2000. Apesar da catástrofe eminente, muitos não acreditavam que o fim estava perto. Esse não era o caso de Cícero, um nerd de quinze anos e apaixonado por quadrinhos, que não só acreditava como também estava se preparando para o grande dia.

No momento, sua maior preocupação foi trocada para conseguir a última edição do seu quadrinho favorito: Under Hero. Depois de 34 edições, ele finalmente saberia o final da história que fazia parte da sua vida. Mas Cícero foi tomado pelo desespero ao se aproximar da Taverna do Dragão, a única loja na pequena cidade que vendia revistas para nerds como ele. A Taverna estava fechada. Definitivamente. No meio da sua crise, aparece Vicente, tão jovem e apaixonada por Under Hero como ele. Juntos, eles decidem ir à procura da última edição.

Vicente, apesar da risada fácil e da força que carrega, vem de uma família extremamente religiosa que o impede de ser que ele é abertamente e controla todos os seus passos. Totalmente o oposto do Cícero que passa os finais de semanas livres, enquanto a mãe está na casa do namorado, e vive uma relação de confiança com a mãe. Sendo apenas os dois, durante a vida toda, foi necessário que um confiasse no outro, com isso, Cícero conquistou mais liberdade que muitos na sua idade jamais teriam.

Apesar de virem de mundos completamente diferentes, a aproximação entre eles é instantânea e o amor pelo mesmo super-herói será a ponte que eles precisavam para enfrentar o mundo, juntos.

Cícero logo percebe um sentimento novo crescendo dentro dele e, sem precisar rotular o que sente, sabe que é bom. Seus relacionamentos, até o auge dos seus quinze anos, se baseavam apenas na amizade colorida que mantinha com a Karol. Sua amiga era totalmente fora da caixa e sem preconceitos. Ela buscava a felicidade onde quer que estivesse, mesmo que isso a levasse para fora dos “padrões”.

Já Vicente precisa tomar todo o cuidado possível. Não importa o que ele sente, os seus pais jamais permitiriam que ele se abrisse para o mundo. Cícero apareceu para ele como um sopro de vida, permitindo que ele enxergasse o mundo além do círculo fechado que os seus pais impunham. Seu pai era autoritário e não havia nada na casa que não pudesse ser considerado vindo de Deus. Sua salvação era a Dona Emir, sua avó excêntrica. Ela zelava pelo neto, sabendo no que o filho tinha se tornado.

A procura pela última revista do Under Hero chegou na hora certa. Cícero iria onde o Vicente quisesse ir. Em poucos dias ele já precisava lidar com a angústia que ausência de Vicente causava. Enquanto isso, Vicente via como a oportunidade de se ver livre da vida que tinha com os seus pais. O autoritarismo do pai não era sua maior preocupação. Quando Vicente não agia como um garoto “normal”, como o homem que a família esperava que ele fosse, o pai se tornava agressivo. Além disso, ele queria estar com Cícero. O garoto tinha mostrado a ele que a vida poderia ser boa e tinha espaço para pessoa como ele. Foi assim que os dois partiram para a maior aventura de suas vidas, prontos para brilhar.

site: https://www.ventodoleste.com.br/2019/08/resenha-feitos-de-sol-vinicius-grossos.html
comentários(0)comente



Aninha | @pactoliterario 16/08/2019

Feitos de Sol irá nos apresentar a história de Vicente e Cícero.

Ambos são dois adolescentes de 15 anos, Cícero tem uma relação super saudável e amigável com sua mãe, eles confiam um no outro e são melhores amigos.

Além disso, ele tem uma amizade colorida com Karol, mas não passa disso. Eles prezam bastante pela amizade deles, mas não querem ter nenhum tipo de relacionamento a mais.

Já Vicente tem uma família muito turbulenta, seu pai e sua mãe são religiosos e super rígidos com ele. Por causa da religião, eles não aceitam as escolhas de seu filho.

O caminho de ambos se cruzam, em um lugar chamado Taverna do Dragão, um local gamer em que os dois são frequentadores assíduos. Nessa noite iria sair a edição número 35, a última edição de "Under Hero" uma história em quadrinhos.

O problema é que eles encontram um aviso lá dizendo que a Taverna do Dragão fechou por falta de recursos, o local já não estava dando dinheiro o suficiente para o estabelecimento continuar aberto.

Os dois ficam desolados, ali é o único local em toda a cidade que iria vender essa última edição, e como bons fãs, eles necessitam de saber como a história irá terminar.

Apesar disso, ambos se juntam em uma missão para descobrir alguma forma de adquirir o tão desejado exemplar, e dali surge uma amizade muito improvável, uma amizade que fará eles se descobrirem juntos.

Esse não é meu primeiro contato com o Vinícius Grossos, ele está entre os três autores de um livro muito lindo que eu tenho em minha estante, O verão em que tudo mudou, e eu adorei a história do autor naquele livro. Logo em seguida tive a oportunidade de conhecê-lo pessoalmente na Bienal do Livro que aconteceu aqui no Rio em 2017, o que só me deixou mais curiosa ainda para ler mais livros do autor.

Quando fiquei sabendo do lançamento de Feitos de Sol, eu não hesitei e solicitei o meu exemplar. Contudo, tenho que confessar que nunca li um livro onde os personagens principais eram gays, então fiquei com certo receio a respeito da leitura, mas mesmo assim mergulhei de cabeça na história.

Feitos de Sol é um livro cheio de amor e dor. Em certas partes do livro eu fiquei tão angustiada, não aceito de nenhuma forma um pai "torturar" um filho por sua escolha sexual, e o pior, a própria mãe vendo o que acontecia e não fazia nada para ajudar.

O que acontecia com Vicente dentro de seu próprio lar dilacerou meu coração e deixou ele quebrado em várias partes. Eu ficava com vontade de entrar dentro do livro e dar um abraço nele e dizer-lhe que tudo iria ficar bem.

Vicente e Cícero ajudaram um ao outro nesta fase, Cícero nunca havia sentido atração por um homem, mas isso mudou quando ele viu Vicente, então era aquela a fase para ele se descobrir e saber se era realmente aquilo que ele queria.

Vicente foi paciente o tempo todo, um amor, em todos os momentos aconselhava Cícero a respeito disso. Por outro lado, essa atração que Vicente sentia por Cícero também ajudou ele a ser forte e erguer a cabeça para suas escolhas.

Feitos de Sol é aquele livro que na mesma intensidade que ele irá dilacerar seu coração, ele irá reconstruir e trazer um pouquinho de amor do Vicente e Cícero.

Além deles, também temos a presença de muitos personagens que fazem a diferença no livro. Um exemplo é a vó de Vicente, que apoia o garoto em todos os sentidos e está sempre tentando lhe ajudar. Temos também a mãe de Cícero, que o criou sozinho e sempre deu tudo de melhor para ele, mas que quando descobre a sexualidade de seu filho, acha que a culpa foi inteiramente dela. Karol, a melhor amiga de Cícero, foi a peça chave, além de dar vários conselhos para os dois, ela também super diverte o leitor em suas aparições, foi minha personagem favorita em todo o livro, acabei me indentificando bastante com ela.

A narrativa do Vinícius Grossos é super fluída, comecei a leitura do livro e quando fui ver já estava nas últimas páginas, me despedindo dos personagens e com uma lição de vida que irei levar para sempre.

A edição é lindíssima, essa capa super combina com uma cena que temos no livro, além desse tom alaranjado ser maravilhoso. A diagramação está super caprichada, o que ajuda ainda mais na leitura do livro.

Fica aqui a dica de um livro que dilacera seu coração, mas que também traz muito aprendizado e nos mostra a realidade que muitas pessoas vivem, apenas por escolherem uma opção sexual diferente da nossa.

Detalhe: o livro é narrado em 1999, só no primeiro e último capítulo que temos um salto atemporal para o ano de 2019. Se hoje em dia já convivemos com o preconceito de uma forma absurda, imaginem há 30 anos atrás.

Resenha originalmente postada no blog Pacto Literário.
www.pactoliterario.blogspot.com.br
www.instagram.com/pactoliterario
comentários(0)comente



Aninha | @pactoliterario 16/08/2019

Feitos de Sol irá nos apresentar a história de Vicente e Cícero.

Ambos são dois adolescentes de 15 anos, Cícero tem uma relação super saudável e amigável com sua mãe, eles confiam um no outro e são melhores amigos.

Além disso, ele tem uma amizade colorida com Karol, mas não passa disso. Eles prezam bastante pela amizade deles, mas não querem ter nenhum tipo de relacionamento a mais.

Já Vicente tem uma família muito turbulenta, seu pai e sua mãe são religiosos e super rígidos com ele. Por causa da religião, eles não aceitam as escolhas de seu filho.

O caminho de ambos se cruzam, em um lugar chamado Taverna do Dragão, um local gamer em que os dois são frequentadores assíduos. Nessa noite iria sair a edição número 35, a última edição de "Under Hero" uma história em quadrinhos.

O problema é que eles encontram um aviso lá dizendo que a Taverna do Dragão fechou por falta de recursos, o local já não estava dando dinheiro o suficiente para o estabelecimento continuar aberto.

Os dois ficam desolados, ali é o único local em toda a cidade que iria vender essa última edição, e como bons fãs, eles necessitam de saber como a história irá terminar.

Apesar disso, ambos se juntam em uma missão para descobrir alguma forma de adquirir o tão desejado exemplar, e dali surge uma amizade muito improvável, uma amizade que fará eles se descobrirem juntos.

Esse não é meu primeiro contato com o Vinícius Grossos, ele está entre os três autores de um livro muito lindo que eu tenho em minha estante, O verão em que tudo mudou, e eu adorei a história do autor naquele livro. Logo em seguida tive a oportunidade de conhecê-lo pessoalmente na Bienal do Livro que aconteceu aqui no Rio em 2017, o que só me deixou mais curiosa ainda para ler mais livros do autor.

Quando fiquei sabendo do lançamento de Feitos de Sol, eu não hesitei e solicitei o meu exemplar. Contudo, tenho que confessar que nunca li um livro onde os personagens principais eram gays, então fiquei com certo receio a respeito da leitura, mas mesmo assim mergulhei de cabeça na história.

Feitos de Sol é um livro cheio de amor e dor. Em certas partes do livro eu fiquei tão angustiada, não aceito de nenhuma forma um pai "torturar" um filho por sua escolha sexual, e o pior, a própria mãe vendo o que acontecia e não fazia nada para ajudar.

O que acontecia com Vicente dentro de seu próprio lar dilacerou meu coração e deixou ele quebrado em várias partes. Eu ficava com vontade de entrar dentro do livro e dar um abraço nele e dizer-lhe que tudo iria ficar bem.

Vicente e Cícero ajudaram um ao outro nesta fase, Cícero nunca havia sentido atração por um homem, mas isso mudou quando ele viu Vicente, então era aquela a fase para ele se descobrir e saber se era realmente aquilo que ele queria.

Vicente foi paciente o tempo todo, um amor, em todos os momentos aconselhava Cícero a respeito disso. Por outro lado, essa atração que Vicente sentia por Cícero também ajudou ele a ser forte e erguer a cabeça para suas escolhas.

Feitos de Sol é aquele livro que na mesma intensidade que ele irá dilacerar seu coração, ele irá reconstruir e trazer um pouquinho de amor do Vicente e Cícero.

Além deles, também temos a presença de muitos personagens que fazem a diferença no livro. Um exemplo é a vó de Vicente, que apoia o garoto em todos os sentidos e está sempre tentando lhe ajudar. Temos também a mãe de Cícero, que o criou sozinho e sempre deu tudo de melhor para ele, mas que quando descobre a sexualidade de seu filho, acha que a culpa foi inteiramente dela. Karol, a melhor amiga de Cícero, foi a peça chave, além de dar vários conselhos para os dois, ela também super diverte o leitor em suas aparições, foi minha personagem favorita em todo o livro, acabei me indentificando bastante com ela.

A narrativa do Vinícius Grossos é super fluída, comecei a leitura do livro e quando fui ver já estava nas últimas páginas, me despedindo dos personagens e com uma lição de vida que irei levar para sempre.

A edição é lindíssima, essa capa super combina com uma cena que temos no livro, além desse tom alaranjado ser maravilhoso. A diagramação está super caprichada, o que ajuda ainda mais na leitura do livro.

Fica aqui a dica de um livro que dilacera seu coração, mas que também traz muito aprendizado e nos mostra a realidade que muitas pessoas vivem, apenas por escolherem uma opção sexual diferente da nossa.

Detalhe: o livro é narrado em 1999, só no primeiro e último capítulo que temos um salto atemporal para o ano de 2019. Se hoje em dia já convivemos com o preconceito de uma forma absurda, imaginem há 30 anos atrás.

Resenha originalmente postada no blog Pacto Literário.
www.pactoliterario.blogspot.com.br
www.instagram.com/pactoliterario
comentários(0)comente



Koala Leitora 14/08/2019

O maravilhoso mundo de Vinícius
Tratando preconceitos religiosos, descobertas da sexualidade, respeito e ensinando a encarar a vida de cabeça erguida, Vinícius Grossos nos leva por uma história linda, cheia de representatividade e significado, nos apresentando o amor na sua forma mais bonita e sincera.
Narrado em primeira pessoa, vamos aprender com Cícero que na vida às vezes o medo pode ser nossa maior fonte de coragem e que ir em frente é o que precisamos para alcançar os nossos objetivos.
Um livro lindo, de uma carga emocional forte e que nos mostra a realidade de muitos jovens - ainda hoje - descobrindo sobre si mesmos na vida de outro alguém.

Estou perdidamente apaixonada pela escrita desse autor que me ensinou muito apenas em dois dias de leitura. Valeu a pena cada segundo que passei com esse livro no colo e agora vai ser difícil largar ele para dormir. Obrigada Vinícius!
comentários(0)comente



Book.Obsession 12/08/2019

Com uma edição linda e impecável como são os trabalhos da Faro Editorial.
Ao longo dos capítulos, de forma delicada, Vinícius Grossos nos transporta para aquela época, fazendo-nos recordar músicas, filmes (em especial Toy Story... amo!), as locadoras, onde as pessoas ficavam mais na rua aproveitando a vida e não tínhamos o uso desenfreado das tecnologias.
Feitos de Sol é o tipo de leitura que emociona, nos faz dar risadas com as tiradas dos personagens, aquece nosso coração e nos enche de nostalgia. Mas principalmente é o tipo de leitura que todo mundo deveria fazer.


Resenha completa no blog.

site: https://www.bookobsessionblog.com/2019/08/resenha-feitos-de-sol-vinicius-grossos.html
comentários(0)comente



20 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2