Felicidade Clandestina

Felicidade Clandestina Clarice Lispector




Resenhas - Felicidade Clandestina


173 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


thaw 28/07/2021

Pela primeira vez lendo contos de Clarice e apesar de não ter conseguido me conectar tanto com essa obra, ainda assim não tem como não sair encantada pelo que essa mulher faz com as palavras. Posso até não ter entendido tanto, mas sei que senti demais.
comentários(0)comente



bruna 20/07/2021

Felicidade clandestina
Clarice sempre é profunda. Ela nos oferece textos que reverberam em nosso íntimo. Essa mulher fala sobre o que sentimos, o que somos, o que queremos e o queríamos! Seus livros são a síntese da essência humana.

? estivera amando um mundo que não existe (“no fundo eu quero amar o que eu amaria – e não o que é. E porque ainda não sou eu mesma, e então o castigo é amar um mundo que não é ele.(?) Como posso amar a grandeza do mundo se não posso amar o tamanho da minha natureza?”?

Contos preferidos:
? Felicidade clandestina
? Miopia progressiva
? Perdoando Deus
?A repartição dos pães
?A criada
? As águas do mundo
comentários(0)comente



Grazi 20/07/2021

Felicidade Clandestina ? Clarice Lispector
Resenha n°7

De maneira diferente a outros estilos de narrativas, acompanhamos cada personagem a partir de uma perspectiva interna a eles, seus conflitos. É interessante como Claricie transcreve para o papel as nuances dos sentimentos humanos.
Um ponto em comum a todas as histórias é que em certo momento há um acontecimento que muda a personagem. E esse é a palavra chave desse livro: amadurecimento. Senão dos protagonistas, do próprio leitor, pois é transportado muitas vezes para dentro de uma reflexão sobre si mesmo. Adoro Claricie por isso, essa subjetividade e introspecção dentro dos próprios pensamentos e a tentativa de entende-los; ela capturar momentos que com certeza todos nós algum dia já passamos.
Todos os contos são muito bons, mas os que viraram meus amorzinhos foram esses três:

1. Os desastres de Sofia: que conta a história de uma garotinha de nove anos chamada Sofia e a implicância que ela tem com seu professor da escola; o comportamento petulante e inconsequente, numa tentativa de faze-lo sair da zona de conforto que a irrita. O sentido da história é mostrar pela perspectiva infantil dela o primeiro amor, algo novo e estranho que ainda não sabe lidar.

2. Restos de carnaval: fala sobre a empolgação de um menininha diante da oportunidade de ir a seu primeiro carnaval, mas que é frustrada pela realidade da doença de sua mãe, de se sentir culpada por estar feliz, enquanto algo triste acontece. É uma história bem curta e interessante, que acredito que todo mundo iria se identificar. Quem nunca quis muito ir a um lugar e de repente não pode mais?

3. Miopia progressiva: fala sobre um menino miope que cresceu rodeado de expectativas de adultos que o julgavam inteligente. Assumindo o papel que lhe deram, receber a aprovação e o elogio de todos é seu objetivo, ser um bom menino. Até que ele vai a casa de uma prima que não pode ter filhos e se vê em um ambiente completamente diferente. Onde não precisa se esforçar o tempo todo para parecer inteligente. É um conto fofo e interessante.

E também uma menção honrosa para o conto Felicidade clandestina, que sim tem o mesmo nome que o título do livro, pois foi o primeiro conto de Clarice que li na vida, ainda criancinha. E como não se identificar ainda hoje com a garota apaixonada por livros da história?

@grazielafelixoficial
20 de julho de 2021
comentários(0)comente



Dario.Albuquerque 16/07/2021

Trivial......?
Esse livro, reuni uma série de contos de Clarisse Lispector. O interessante é que acostumado, à ler grandes histórias, fiquei bastante desconsertado ao me depara, com esse contos.
Clarisse, nos dar narrativa de nosso cotidiano, acontecimentos do dia-a-dia. Escrito de uma forma, que beira a poesia e o psicológico, e mexer com a alma da gente.
comentários(0)comente



Lua 13/07/2021

Me identifico TANTO, Que intensidade Clarice!!
Clarice Lispector sempre surpreende em suas escritas.
Felicidade Clandestina é o título de um de seus contos no livro.
Esse livro trás muitos contos e, com todo respeito, insanidades da Clarice. Em alguns momentos me senti perdida em sua escrita, perdida de não entender nada. Mas em outros, me senti como se fosse o personagem, como se eu estivesse lá, vendo e sentindo tudo, e tiveram alguns que eu achei que eu mesma tinha escrito.
O poder que a Clarice tem de colocar em palavras coisas que antes pareciam impossíveis de serem postas, é extraordinário. Que escritora! e em mais importante: Que ser humano!
Eu amei muito ! É preciso um nível mais elevado de QI pra entender tudo o que está nas entrelinhas do que Clarice escreve.
comentários(0)comente



Barbara.Maria 07/07/2021

Esse livro é muito bom, Clarice realmente consegue colocar elementos diferentes em situações do dia a dia, te faz pensar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Cássia 27/06/2021

Nem sei por onde começar?. Clarice consegue descrever tudo com uma riqueza de detalhes e sentimentos; tudo é tão profundo e complexo que chega a ser difícil de compreender e de capturar o sentido por trás. Sem sombra de dúvidas pretendo ler e conhecer melhor as outras obras dela.
MariaEduarda 27/06/2021minha estante
Tive o imenso prazer em lê "A hora da estrela" e super indico! Além de ser uma leitura rápida, tem tanta singularidade dela naquele livro, tantas profundezas... enfim, Clarisse era sensacional!




Janaína 13/06/2021

"Eu, que sem nem ao menos ter me percorrido toda, já escolhi amar o meu contrário"
Ler Clarice Lispector é um sopro de vida em nossa existência! A dádiva não está em compreender, mas em todos sentimentos e sensações que o texto nos desperta. Meus contos favoritos deste livro são O grande passeio e Perdoando Deus.
comentários(0)comente



Rodrigo 13/06/2021

Sofreguidão
Os contos de Clarice são de uma profundidade que nos afoga em suas nuances, cores e sabores.
Intensidade e sofreguidão são presentes e a cada página uma nova surpresa é desvendada.
comentários(0)comente



Luluzinha 09/06/2021

Clarice Lispector
É indescritível a sensação que os contos da Clarice conseguem me passar, ela consegue transformar palavras em sentimentos. É quase impossível passar pelos seus contos sem se identificar com algum personagem, principalmente quando se é mulher. A forma como a Clarice escreve sobre a "função da mulher", os obstáculos e o desconforto causado por ser mulher. Lispector é sensacional! Leiam!
comentários(0)comente



Mayra.Moura 31/05/2021

Felicidade
Captar grandiosidade no mínimo da vida só poderia ser tarefa clandestina, digna de uma colecionadora de sensações. "Seus pensamentos eram, depois de erguidos, estátuas no jardim e ela passava pelo jardim olhando e seguindo seu caminho." (De Clarice também, em perto do coração selvagem). Aqui, deslocaria somente o final, na clandestinidade não há espaço pra indiferença, na passagem se revive, aí está a felicidade... que talvez seja a de reencontrar o caminho. Na voz da personagem no mar ela diz "a alegria é uma fatalidade" novamente completaria, e a felicidade, filha da alegria é uma fatalidade crescente, encontro narrativo.
comentários(0)comente



Razuki 29/05/2021

"E me fez sorrir no meu mistério..."
Felicidade Clandestina por si só já arrebata o coração do leitor apaixonado que já fez de um livro um amante.

Os demais contos são uma mistura de tudo um pouco, amei lê-los. Cada um com uma surpresa, uma identificação pessoal com os personagens ou a situação.

A profundidade e diversidade dos contos de Clarice são admiráveis. Sempre tem um conto que te agrada. Ou quase todos como nessa coletânea.

"Eu já começara a adivinhar que ela me escolhera para eu sofrer, às vezes adivinho."

" Só muito depois eu ia compreender que estar também é dar."

"(...) ser leal é ser desleal para com todo o resto."

"É fatal não se conhecer, e não se conhecer exige coragem. "
comentários(0)comente



Eva 29/05/2021

Ler Clarice para mim é um grande desafio e com certeza não consegui vencê-lo nesse livro de contos. Pois, não consegui absorver a mensagem ou as mensagens que a autora queria transmitir na maioria dos contos. Li alguém dizendo que para ler Clarice tinha que ler com a alma, então digo, sem vergonha nenhuma, que ainda tenho um grande caminho a percorrer até conseguir lê-la.

O livro traz 25 contos, uns bem curtos outros mais longos. Em alguns cheguei a sentir tédio, pois não estava entendendo nada. Naqueles que soube, através da orelha do livro, que são autobiográficos despertou mais interesse na hora da leitura.

Como disse antes não absorvi grande parte dos contos, mas alguns, poucos (rsrs), me tocaram profundamente, como o conto que dá título ao livro ?Felicidade Clandestina?. Esse é emocionante e me trouxe à memória alguns momentos de minha infância com relação a leitura.
Outro que me emocionou, e vez ou outra me pego pensando sobre ele, foi ?O Grande Passeio? como não sentir medo da solidão não desejada depois de ler?
E só pra deixar registrado quero citar outros: Restos do Carnaval, Perdoando Deus, A Repartição dos Pães, Uma esperança, Os Desastres de Sofia, As Águas do Mundo e O Primeiro Beijo.

Esse é um livro pra ficar na estante para ser relido de tempos em tempos. É o que irei fazer.
comentários(0)comente



DihMoraes 29/05/2021

Estranhamento.
Estranhamento é a sensação que mais se desvela nos contos (crônicas) de Clarice Lispector. Estranheza perante o que é novo e velho, sobre nascimento e morte, sobre o amor e o desamor, contudo, são essas estranhezas que se constituem como formadora da mentalidade humana, seja pela felicidade que nos causam ou pela tristeza que nos abate.
comentários(0)comente



173 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |