Felicidade Clandestina

Felicidade Clandestina Clarice Lispector




Resenhas - Felicidade Clandestina


136 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Claudio 27/01/2021

Elegância de Clarice
Contos e crônicas inclassificáveis, sempre com a elegância peculiar a Clarice Lispector. Uma delícia de leitura
comentários(0)comente



Viquetoria 25/01/2021

Clarice sendo Clarice
Eu já tenho uma certa experiência com Clarice Lispector, então não recomendaria essa obra pra quem quer começar a lê-la. Alguns contos são densos e muito misteriosos, e todos me fizeram pausar por um tempo pra absorver o que eu tinha acabado de ler. Alguns deles se prenderam em mim de um jeito que eu não sei explicar, e me deixaram no mínimo desconfortável (alô, "A mensagem").
Só não dei 5 estrelas pois pretendo voltar pra ele quando me sentir mais madura, aí veremos.
comentários(0)comente



Josuel 18/01/2021

"Aceitei humilde o que o destino me dava de esmola"
Eu sempre tive altas expectativas para ler esse livro de contos da Clarice pois já tinha lido alguns e foram experiências que marcaram até hoje meu gosto pela leitura e ainda me visão sobre a escrita de contos. Entretanto, durante minha leitura, percebi para mim contos muito extensos e altamente misteriosos. Talvez profundos demais, mas não consegui entender plenamente o que se passava nas histórias, ou o seu propósito enquanto narrativa.
De qualquer forma, há contos maravilhosos aqui, e destaco Restos de Carnaval, que foi uma surpresa enorme e muito boa. Quando eu tiver a oportunidade de uma segunda leitura, tentarei destrinchar mais o meu entendimento de alguns contos. É um livro para se ter, sublinhar e anotar durante a leitura.
comentários(0)comente



Sabrina.KQ 16/01/2021

um pouco da minha experiência
O livro conta com 25 contos, alguns bem curtinhos, outros mais longos, e todos me tocaram de um jeito diferente.
Logo no primeiro conto - que da nome ao livro - Felicidade Clandestina, eu senti enorme empatia pela protagonista. Já li e reli várias vezes e em todas as leituras me emocionei, senti um certo conforto, como se o conto me acolhesse.
Em contos como ?Macacos? e ?A Legião Estrangeira? me senti muito próxima de Clarice, pois esses contém elementos da vida íntima da autora, que tanto me fascina.
Já em outros como ?A quinta história? e, principalmente, ?Uma história de tanto amor?, eu literalmente passei mal. São histórias que envolvem coisas de quais Clarice adorava escrever sobre, como baratas, galinhas e, claro, morte. Me impressiona como em algumas poucas linhas Clarice consegue nos dar um verdadeiro soco no estômago, tocar na ferida, nos deixar extremamente desconfortáveis. E mesmo assim, digo com certeza que a experiência vale a pena.
Por fim, não posso deixar de citar contos como ?Perdoando Deus?, ?Os Desastres de Sofia?, ?A Repartição dos Pães?, ?As Águas do Mundo? e ?A Legião Estrangeira?, que estão entre meus favoritos por, dizendo tão ?pouco?, me tocarem tão fundo.
Clarice Lispector tem meu coração - isso não é novidade - e eu recomendo fortemente que todos que tiverem oportunidade, leiam esse e outros livros dela.
comentários(0)comente



Jayline 12/01/2021

Felicidade Clandestina reúne 25 textos, que tratam de temas como família, infância, amor e psicológia de autoanálise. Cada página é uma viagem que nos leva a refletir sobre a existência humana.

É um livro encantador, foi o primeiro livro que li da autora. E simplesmente amei!
comentários(0)comente



Kaire 11/01/2021

"Não era mais uma menina com um livro: era uma mulher com o seu amante."
Por ser um livro de contos, pensei que não corresponderia ao desafio de ler uma história dramática e/ou familiar, mas foi subestimação demais, afinal, estamos falando de Clarice. Alguns contos me fizeram sentir demais, e carregarei comigo por um longo tempo. Mesmo os contos que parecem não ter tanta importância, ainda me serviu para pensar na cabeça da Clarice escrevendo tudo aquilo, o que foi uma viagem legal, rs. Ela é mesmo incrível.

"[...] E é porque sempre fui de brigar muito, meu modo é brigando. É porque sempre tento chegar do meu modo. É porque ainda não sei ceder. [...] É porque ainda não sou eu mesma, e então o castigo é amar um mundo que não é ele. É também porque eu me ofendo à toa. É porque talvez eu precise que me digam com brutalidade, pois sou muito teimosa. [...] Talvez eu tenha que chamar de "mundo" esse meu modo de ser um pouco de tudo."

Enfim, mais uma leitura dela que eu deixo me transpassar.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
saramabela 21/01/2021minha estante
Ótimo, Alceu!




spoiler visualizar
Eveline 08/01/2021minha estante
Parabéns! Texto maravilhoso!


Rebeca 08/01/2021minha estante
Parabéns, Wendy! Excelente trabalho!


Thássya 08/01/2021minha estante
Que lindo Wendy!




Ray 07/01/2021

Bom
Publicado em 1971, Felicidade Clandestina é um livro de contos abrangendo diferentes fases da vida, desde contos sobre as epifanias da infância quanto a solidão da velhice.
Os contos reunidos na antologia Felicidade Clandestina são passados entre o Recife e o Rio de Janeiro, entre os anos de 1950 e 1960. Alguns dos trabalhos presentes no livro possuem forte traço autobiográfico, outros são composições completamente descoladas do cotidiano da autora.
A coletânea é bastante heterogênea, tanto no que diz respeito ao conteúdo quanto em relação a forma. No que diz respeito a extensão, não existe qualquer padrão, algumas narrativas são breves, outras são longas.
Este não é um livro fácil de se recomendar por conta do seu estilo de escrita utilizando métodos como fluxo de pensamentos, que podem tornar a leitura maçante para quem não gosta do estilo. No entanto, os temas sobre os quais ela fala são bastante universais e imagino que cada leitor possa se identificar com pelo menos uma das histórias.
comentários(0)comente



Gabriela 31/12/2020

Começamos com o pé direito
Primeiro encontro com essa magnificência, em plano ano de seu centenário. Foi realmente um belo desafio, alguns contos te deixam tão confusos que ler em voz alta teve de ser a solução mais fácil.

O meu favorito foi "O grande passeio", os parágrafos finais foram de uma serenidade poético que me transmitiram plenitude apesar do desfecho.
comentários(0)comente



Marisol 27/12/2020

Profundo e enigmático
“Felicidade clandestina” é o segundo livro que leio da Clarice e, sim, ela continua sendo minha escritora favorita. A obra, publicada originalmente em 1971, reúne 25 contos da escritora — muitos deles com ares de crônicas; Clarice não se prendia a gêneros. Tive a impressão de que alguns deles eram reais, principalmente sobre maternidade.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
As narrativas são bem diversas quanto ao eu-lírico: criança, homem, mulher, mãe, idosa... Aliás, este, cuja personagem é uma velhinha, é de cortar o coração porque aborda o abandono. O meu conto favorito é o primeiro, que dá nome ao livro. Fala de uma menina que sonha em ler “As reinações de Narizinho”, de Monteiro Lobato, mas a dona do livro, uma garota má e sádica, faz de tudo para torturar a pobre sonhadora. Quando ela finalmente consegue o livro, é como um encontro mágico.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
É neste livro também que se encontra um dos contos mais conhecidos e enigmáticos: “O ovo e a galinha”. Gente, precisei ler umas três vezes para tentar compreendê-lo, até que saquei a pretensão de Clarice.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
O que me fascina na escritora é sua capacidade de transformar um assunto mais banal e despercebido em algo tão filosófico e profundo. Foi assim que me apaixonei logo de cara pelo primeiro que li — “A hora da estrela”. Sua escrita (excelente, por sinal) tão espontânea por seus devaneios nos leva a sair do automático da vida para ter mais consciência da nossa existência e do que está ao nosso redor.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Em “O ovo e a galinha”, ela conseguiu ir muito além de um café da manhã com um fluxo de consciência tão intenso, tão profundo, tão bem articulado... Tão Clarice! ⠀
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Como não amar? ⠀⠀⠀⠀

site: https://www.instagram.com/marisoldeandrade/
comentários(0)comente



olivia_livros 26/12/2020

Maravilhoso
Clarice é Clarice, não tem o que falar!
comentários(0)comente



Le 17/12/2020

Resenha de felicidade clandestina
Achei o livro legal ( li por causa da escola-TCC), não é uma leitura que eu faria normalmente, prefiro livros de ficção, fantasia, mistério, suspense...mas para quem gosta de contos epifânicos e que mexem com complexos psicológicos, é um bom livro
comentários(0)comente



Lipe 12/12/2020

Ela escreve é de fora pra dentro. Educadora existencial, sim!
comentários(0)comente



Erica 10/12/2020

As vezes bem viajante, as vezes tão realista que parece que as personagens conversam com a gente.

Difícil escolher cinco dos 25, mas fico com esses:
Felicidade clandestina
Restos do carnaval
O grande passeio
Cem anos de perdão
A legião estrangeira
comentários(0)comente



136 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |