The Catcher in the Rye

The Catcher in the Rye J. D. Salinger




Resenhas - The Catcher in the Rye


34 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


spoiler visualizar
comentários(0)comente



Felipe.Oliveira 15/09/2016

Um jovem critico
Vivenciamos algumas experiências que o jovem e critico Holden passa ao ser expulso de sua escola algum tempo antes do Natal decidido a não revelar o acontecido a seus pais, pelo menos não enquanto ainda pode evita-los. Holden parte rumo a sua cidade Nova York, onde desfruto de uma independência temporária, que lhe proporciona aventuras e desventuras, pelo tempo em que a realidade não trás de volta a sua vida comum, caracterizada pelo medo de crescer e falsidade que ele enxerga em todos que não são dignos de sua simpatia.
comentários(0)comente



Luizahk 27/08/2016

Um livro pra ser lido durante várias fases da vida...
comentários(0)comente



Gui Paiva 03/07/2016

O apanhador no campo de centeio
A incrível história de um jovem adolescente, que após uma notícia que recebeu da sua faculdade mudou totalmente sua vida. Contada em primeira pessoa O apanhador no campo de centeio nos traz esse final de semana na vida de Holden e nos apaixonamos logo de cara.
O livro é considerado um clássico e por isso muita gente tem medo de ler. Mas já vou logo adiantando que não tem nada ver. A história do livro é uma verdadeira jornada jovem adulto.
Fica aqui uma super indicação e com certeza irei lê-lo no futuro.
comentários(0)comente



Gustavo 05/01/2016

Disappointing
The Catcher in the Rye is one of the main symbols from the American literature, a must-read book in several schools in the US.

I had very high expectations for this book, after all this was the book that had been quoted on uncountable other novels, movies, and tv series I loved.

It was a big disappointment. Holden is one of the most annoying characters in literature. I wonder if a person -- even the ones who love and praise this book -- were able to finish the novel without wanting to shake him really hard and shout at him. His life is entirely dedicated to complaining, everything has a problem. Ok, he is sixteen years old, but this a period of you life when you can already acknowledge your own mistakes and know that the world is not conspiring against you.

Perhaps, if you identify with Holden "a misunderstood warrior-poet, fighting the good fight against a hypocritical and unfeeling world", this book will be less painful, and perhaps even a great novel. For others, this book will fill you with thoughts "why don't you grow up?" "do something about it" "it is your fault, not theirs".

Besides Holden, the book has not plot. The entire story is based on Holden drinking in one place, complaning about it and the people in it, going to other place, drinking and complaining all again.

I just didn't give this book 1 star because there is, in fact, some good parts. Holden's love for his sister is extremely beautiful and there are certain lessons that can be learned through the anger of Holden.

I would not recommend anyone reading it. Unless if you want to read it because it is a classic, but I warn you, this might be a big disappointment.
comentários(0)comente



Allan.Allan 30/08/2015

Medíocre
Comprei o livro achando que seria mas um daqueles livros ridículos que escolas pedem para adolescentes passando pela puberdade. Me impressione por grande parte do livro,"como estava errado" eu pensei. O começo do livro é excepcional com uma apresentação de personagens interessantes e uma narração ainda melhor. Já no meio o livro começa a ser um irritante, e muitas coisas acontecem no mesmo dia o que acaba deixando o leitor um pouco confuso. Ainda, no meio do livro você continua "aturando"/gostando dos personagens pois o começo foi muito bom. O final do livro é muito tenso. Você realmente não tem ideia do que virá a acontecer, o que, a propósito, é uma grande qualidade do livro, este é muito imprevisível. Porém quando o final chega ele é simplesmente ridículo, como se tudo que foi falado anteriormente não fizesse diferença.

////SPOILER DEPOIS DESSA LINHA////SPOILER DEPOIS DESSA LINHA////SPOILER DEPOIS DESSA LINHA////SPOILER DEPOIS DESSA LINHA////SPOILER DEPOIS DESSA LINHA////

No começo Holden Caufield, o protagonista, nos revela que reprovou 4 de 5 matérias no colégio, portanto será reprovado e terá de voltar pra casa na quarta-feira (neste momento é sábado). Ele nos revela um pouco sobre sua família, o mais importante é sobre sua irmã Phoebe (se lê "Fíbe" na língua original) ela é um importante personagem que influenciará diretamente em Holden. Ele vai com seu professor Mr. Spencer, onde eles tem uma das melhores conversas do livro, principalmente por que você "lê o pensamento de Holden" enquanto ele descreve a situação. Depois disso temos algumas confusões no dormitório de Holden e no vizinho mas nada importante, exceto pelo fato que seu companheiro de dormitório vai sair com uma amiga de infância que ele não vê a muito tempo, mas ele pensa sobre ela mas nunca vai falar com ela. Depois temos grande parte do livro que é quando ele deixa a escola antes e passa suas desventuras pela cidade de Nova Iorque. Chega a um ponto que ele não aguenta e vai ver sua irmã antes de quarta-feira (o dia que ele teria que voltar se tivesse passado na escola). Chega no final e ele decide ir para o Oeste, para ser livre, mas a irmã dele diz que se ele for ela vai junto. Obviamente ele volta pra casa com sua irmã. Porém este é o principal problema. O pai dele ia "MATÁ-LO" se ele descobrisse que o filho falhou na escola, e ele descreve como se nada tivesse acontecido. Ele simplesmente diz que deu tudo certo no final, e digamos que ele teve um "downgrade" durante a história. Pelo menos eu esperava que ele morresse, imagine quão triste seria ver as consequências de sua morte para sua família. Esse seria um final memorável, porém não aconteceu.

Fiquei desapontado com esse livro, mas sua escrita bem vinda traz grande pontuação a esse livro.
comentários(0)comente



Gabriela 01/07/2015

Resenha de The Catcher in the Rye por Gabriela Lubascher Miragaia
Como já disse aqui eu li esse livro pela primeira vez faz 4 anos e achei o máximo. E rachava de rir com as situações loucas pelas quais o Holden passa. Maaas, dessa vez foi diferente. Não ri nenhuma vez e até fiquei meio entediada. Ele reclama de tudo o livro todo e isso me deixava meio depressiva. Me batia uma bad, sabe? Ai eu fui ver um pouco da história do livro e vi que essa mudança que tive ao ler a primeira vez e depois reler e sentir coisas totalmente diferentes faz todo o sentido.
O livro foi escrito pelo autor J.D Salinger e publicado depois da Segunda Guerra Mundial. E na época ele era considerado a "Bíblia do Adolescente" porque o livro é narrado por um, o Holden, e ele conta todos seus conflitos interiores e essa coisa maluca de 'ser um adolescente'. Então os adolescentes costumam se identificar com a obra. Por isso quando você a lê mais velho não é tão bacana assim.
Não sei se vocês sabem mas, o assassino de John Lennon, Mark David Chapman, carregava este livro consigo no dia em que cometeu o crime. Segundo testemunho do próprio Chapman, ele estava lendo o "Apanhador no Campo de Centeios", minutos antes de tentar o suicídio e da obra teria tirado inspiração para matar John. Outro fato curioso é que o atirador que tentou matar o presidente Ronald Reagan, afirmou a mesma coisa, não obstante, o assassino de Rebecca Schaeffer, Roberto John Bardo, carregava consigo o livro quando a matou. No filme "Teoria da Conspiração ", Mel Gibson faz o papel de um motorista de táxi psicótico, que acha que todos estão contra ele, ele possui uma compulsão, comprar diariamente um mesmo livro, "o Apanhador no Campo de Centeio", em sua casa existem milhares de exemplares dessa obra.
AGORA ENTENDO O MOTIVO DA DEPRESSÃO! Preciso ler algo mais animado agora, vai que eu assine alguém.

site: https://www.facebook.com/ameninaquesentialivros?ref=hl
Brenda Morais 23/05/2017minha estante
Amei, amiga!!!! ??




Natalia.Goncalves 17/06/2015

O livro é narrado por Holden Caulfield, um adolescente que acaba de ser expulso do colégio e decide passar uns dias sozinhos até que os pais desdescubram. Como tal, o livro explora durante alguns dias todos os pensamentos, frustrações e planos (muitas vezes irreais) que ele faz nesse período. Por vezes o livro é irritante pois o personagem não parece gostar de nada nem ninguém e o texto ser repleto de gírias. Apesar disso é possível se identificar com algumas das críticas por ele feitas e com o fato de parecer que ninguém o entende e sua solidão, também característicos dessa fase. Talvez a isso a que se deva todo o sucesso desse clássico.
comentários(0)comente



Johnny 25/01/2015

Um dos meus favoritos!
Não sei descrever as sensações diferentes que um livro, cujo protagonista tem apenas 16 anos, pode prover para o leitor. Sempre encontramos um Holden diferente, que no meu caso, sempre me conquista mais e mais por me lembrar em muitas partes de alguns aspectos da minha personalidade. Fantástico!
comentários(0)comente



vinicius.mazziotta 22/01/2015

Glad I read it before I turned into a goddam phony
Old J. D. Salinger is an honest writer. I swear he is. Holden Caulfield, the main character, is a sixteen year old teenager who criticizes every goddam thing in his life just for the hell of it: his parents, all the schools he had dropped out, lousy teachers, conceited colleagues, stupid girls, successful jazz musicians, the movies, the omnipresent perverts. His coming-of-age journey does not bring him to a state of maturity and knowledge, but to a cliff, an endless cliff that represents adult life, as phony as he sees it. Once you fall into that cliff, there's no coming back. Holden, as his name suggests, is desperately trying to hold onto something that could prevent him from falling into the cliff. It doesn't work, though. It never works. Nothing can stop us from becoming adults. There can be no goddam catcher in the rye to save the kids who are unsuspectedly moving towards the cliff. Once I realized that I turned into a madman. It's kinda funny, though. Witty sonuvabitch this guy Holden Caulfield. I'm glad he showed up now that I'm 23 years old, miles within that cliff. It's one helluva ride and we all should try to enjoy it without making a phony of ourselves. It's not like we're getting out alive, you know.
comentários(0)comente



Marcos 02/01/2015

RESENHA: “O APANHADOR NO CAMPO DE CENTEIO” - J. D. SALINGER
Oi gente, hoje vamos falar sobre “O Apanhador no Campo de Centeio”. Esse livro chegou até mim devido a dois objetivos que eu estabeleci: 1) expandir meu leque de leitura e incorporar outros gêneros, 2) ler livros em inglês. Então sim, esse foi o meu 1° livro em inglês \0/
O livro é narrado em 1ª pessoa pelo protagonista Holden. Ele era um menino diferente dos outros da sua idade e não se preocupava com questões fúteis, mas sim com coisas mais profundas como: Qual é o meu papel no mundo? Qual é o sentido da vida?
Naturalmente Holden se sentia muito solitário. Devido a seu modo único de pensar não conseguia compreender as pessoas, sempre achava um aspecto nelas que o desagradava e por isso mantinha distância. Como não compreendia as pessoas, as pessoas também não o compreendiam e isso fez com que Holden passasse por várias escolas; até que um dia ele resolve fugir. Alguns dias antes do natal ele sai escondido da escola e se aventura pelas ruas de Nova York. O livro vai se passar nesse período de tempo.
Durante essa fuga Holden se sente cada vez mais solitário, tornando o livro um tanto deprimente e angustiante (já que é narrado por ele). Sobre Holden posso dizer que adorei e odiei ele ao mesmo tempo. Achei muito legal essa coisa que ele tinha de se preocupar com coisas que ninguém dava bola e se recusar a pensar como os outros, cheguei a me identificar com ele nessas partes. O que me irritou foi sua mania de sempre encontrar um defeito nas pessoas, ninguém era bom o bastante para ele e foi isso que causou sua solidão. Acho que a única pessoa com quem ele realmente se importava e se sentia bem era sua irmã pequena.
A linguagem utilizada no livro só serviu para nos ambientar ainda mais a mente de Holden e isso foi uma coisa que não me agradou muito, as gírias aparecem em peso aqui. A explicação do título apesar de fazer sentido também não me agradou muito, esperava que refletisse outra coisa.
Enfim, achei o “O Apanhador no Campo de Centeio” um livro diferente, ousado até. Gostei de ter conhecido Holden e de ter acompanhado um pouco de sua vida, foi uma experiência que nenhum outro livro tinha me proporcionado.


site: http://tripliceliteraria.blogspot.com.br/p/resenhas.html
comentários(0)comente



Vinícius 01/09/2014

Nem rebelde, nem sem causa
O livro narra, em primeira pessoa, apenas alguns dias da vida de Holden Caulfield. Dias esses que são permeados mais por lembranças e pensamentos do que por ações. Nesses poucos dias, Holden é expulso da escola e resolve ir para casa sozinho.
Longe de tornar o processo de leitura enfadonho, o excesso de pensamentos e memórias nos faz entrar na cabeça do personagem principal de tal forma que, por vezes, sentimo-nos como um amigo ouvindo confidências inimagináveis, ou até mesmo um analista conversando com seu paciente.

Holden fuma demais, bebe bastante e fala gírias, mas engana-se quem diz que ele é apenas um rebelde sem causa. Holden não é rebelde e, muito menos, sem causa. Precisa-se ler nas entrelinhas para que, conforme a narrativa avance, comecemos a entender as motivações que o levaram a ser o que é e passemos a conhecê-lo de fato.
comentários(0)comente



Dani 15/06/2014

Sendo bem sincera, essa foi uma leitura muito diferente do que eu esperava que seria, e a surpresa foi muito positiva. Confesso que levei alguns dias para absorver tudo isso, mas ainda assim deixei muita coisa para trás. O Apanhador no Campo de Centeio é um livro que com certeza quero reler daqui a alguns anos.

Resenha completa no link abaixo.

site: https://dacarneiro.wordpress.com/2014/06/13/o-apanhador-no-campo-de-centeio-j-d-salinger/
comentários(0)comente



danton k 12/05/2014

Talvez a expectativa de muitos leitores seja a de que irão deparar-se com um livro repleto de perversões, tragédias e vocabulário de baixo calão. Por isso muitos se decepcionam quando leem O Apanhador. Há até um - ótimo, por sinal - episódio de South Park sobre isso. Prefiro que esse livro seja mencionado pelo que de fato é, ou seja, uma narrativa sincera de um jovem que enfrenta problemas banais, como tantos que permearem nossas adolescências - ou continuam presentes. Essas divagações do protagonista, bem como o seu vocabulário bastante peculiar, fazem do livro um clássico. Sem citar a importância histórica da obra, já que foi um dos primeiros livros a capturar a rebeldia juvenil que estava se desenhando.
comentários(0)comente



Rapousa (Andreia) 14/06/2013

Senti vontade de dar uns tapas no personagem algumas vezes e de mandar ele parar de ser chorão. Depois fui na internet procurar o motivo desse livro ser considerado um clássico tão bom e tão elogiado e a razão número um é que as pessoas se identificam com o personagem principal e suas angústias da adolescência. Saí da adolescência nao faz muito tempo e minha identificação com ele foi zero. A leitura não é desagradável, mas o personagem principal é bem irritante se você não foi um adolescente irritante e sem auto-crítica.
Zi 04/06/2014minha estante
Pois eu, na minha adolescência, li esse livro cinco vezes! O personagem é meio "rebelde sem causa" mas é cativante. Para mim, a parte memorável do livro é quando ele vai buscar a sua irmãzinha no colégio e vê um F*da-se escrito na parede acha um absurdo pelas crianças e o apaga. Depois acha outro e mais outro e os vai apagando, até que encontra um riscado que ele não pode apagar. Só então ele conclui que não tem jeito, que provavelmente quando ele morrer colocarão uma lápide escrito "Fulano de Tal, nascido em xx/xx/xxxx e morto em xx/xx/xxxx" e alguém vai chegar e escrever "F*da-se". P.S. Li em português que teve o péssimo título de "O Apanhador no Campo de Centeio".




34 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3