Escrito em algum lugar

Escrito em algum lugar Vitor Martins




Resenhas - Escrito em algum lugar


38 encontrados | exibindo 31 a 38
1 | 2 | 3


Cláudio Dantas 06/08/2019

Tá, já entendi que o Vitor Martins é um dos melhores escritores para jovens da nossa contemporaneidade. Eu amo muito a escrita desse homem! Ri muito em muitos momentos, e me senti muito envolvido com os personagens. A história é bem simples, tem um ponto de virada que me deixou levemente tenso, mas a solução não foi a das mais imprevisíveis (na verdade foi a primeira que me veio à cabeça). Mas sabe onde eu estou? Nem aí, porque me diverti pra caramba. É isto.
comentários(0)comente



zoni 06/08/2019

E, enquanto eu canto alto as letras que decorei sozinho no meu quarto, eu ouço a voz de Gustavo cantando junto comigo. E dá vontade de nunca mais cantar sozinho de novo.
Eu não tenho condições nenhuma de explicar o quanto esse conto me acolheu, deixou meu coração aquecido e me representou. Há tantas coisas com as quais me identifiquei, são tantas as coisas com as quais eu surtei e fiquei vomitando um arco íris imaginário, que puta que pariu, estou apaixonado.

Não é novidade pra ninguém a tranquilidade e a delicadeza que o Vitor passa em suas história, ele tem um poder extraordinário, uma escrita fluida demais, e eu não sei explicar direito o que acontece nesse conto, mas o Vitor narra de uma forma totalmente única, porque ele nos faz sentir que estamos lendo uma história de ficção, mas ao mesmo tempo sentimos que estamos stalkeando o twitter de alguém, ou até mesmo que nós estamos escrevendo no nosso próprio diário virtual. É uma história tão clichê, mas tão clichê que é brega demais, e eu amo. (Espero que vocês tenham pegado a referência). É tão engraçada e romântica que vai divertir qualquer público e qualquer pessoa com um coração pulsante. Eu estou doido pra reler? Eu sou doido? É...

Esse é aquele tipo de enrendo que manda embora o peso que a vida adulta carrega, aquele esteriótipo de que precisamos deixar todos os nossos gostos da adolescência de lado e nos transformarmos em outras pessoas só porque a idade está chegando, com essa história percebemos que não estamos sozinhos nos pensamentos adolescentes que ainda temos, existem várias pessoas que compartilham deles conosco. E bom, tem tantas referências a cultura pop, e cito por exemplo as fanfics, e bom, meu coraçãozinho de ex fanfiqueiro chega a bater mais forte e os dedinhos coçam pra escrever uma agora mesmo.

Leiam, leiam e surtem com a perfeição que o Gustavo é, (que infelizmente é o nome do meu ex lixo), mas que aqui é um homão da porra com quem eu queria me casar.

site: www.instagram.com/nomeiodatravessia
comentários(0)comente



victor lopes 06/08/2019

Um conto sem nenhum defeito.
A escrita do Vitor continua maravilhosa, ri demais e me identifiquei demais com o Antônio.
Acho que é uma história super simples, mas que falou comigo de um jeito bem profundo. Ela meio que me dá um senso de comunidade, espanta a solidão nessa coisa de "vida adulta" e mostra que meus sentimentos relacionados a isso não são só meus, que existem várias pessoas que compartilham deles comigo.
É isso. Eu adorei demais e essa capa é perfeita! Bjs...
comentários(0)comente



Lu 06/08/2019

Muito bom <3
Esse conto incrível mostra que ter vergonha das coisas que a gente gosta é o sentimento mais inútil que existe. Muito leve e divertido como os outros dois livros do autor!!
Triple J está para o Antonio assim como Jonas Brothers (e muitas outras coisas) estão para mim. Me fez feliz por perceber que da mesma forma eu e o protagonista desistimos e aceitamos que nossos gostos fazem parte da gente mas não nos definem!
comentários(0)comente



João 05/08/2019

A dose cavalar de bom humor e fofura que eu precisava para lembrar dessa sensação gostosa de ser adolescentinho de novo ??
comentários(0)comente



Thayna Honorio 05/08/2019

Vitor Martins mais uma vez contando histórias que te deixam com o coração aquecido <3
Esse conto foi simplesmente MARAVILHOSO! Eu gosto da escrita do Vitor, ela é fluida, delicada, ele sempre consegue nos aproximar tanto de seus personagens, eu acho incrível essa habilidade dele em criar personagens tão reais e que nos fazem querer ser amigos deles ou só gritar um forte “EU TE ENTENDO!” haha

“... Eu demorei muito a entender que tudo que eu gosto, de certa forma, faz parte de quem eu sou...”

Escrito em algum lugar, é um conto bem curtinho, com uma narrativa leve, bem humorada e cheia de referências, somos facilmente atraídos pelo seu enredo e ficamos na torcida pelo nosso #CasalDaFila. Nesse conto, Vitor nos lembra que está tudo bem gostarmos de coisas que pessoas da nossa idade talvez revirem os olhos, quando falarmos que gostamos de coisas que podem ser “teen” demais e que você gostar disso não te faz menos adulto.
comentários(0)comente



Junnior Köpke 05/08/2019

Quero mais Gustônio!
Eu simplesmente amo a escrita do Vitor, Quinze Dias e Um Milhão de Finais Felizes estão na minha listinha de favoritos da vida, e fiquei super feliz quando o vi anunciando o lançamento desse conto no Twitter.

De cara a sinopse já me prendeu, um romance gay que começa na fila de um show de uma boyband?! Pensei logo que esse livro era feito pra mim, porque eu sou o louco das boybands desde que me entendo por gente (e gay também rs).

Me identifiquei com o Antônio nas primeiras linhas, temos desde características físicas até de personalidade e gostos bem parecidos. As interações dele com o Gustavo são as coisas mais fofas do mundo, além de todas as referências a cultura pop que deixa tudo mais delicinha. Mais uma vez a escrita e o storytelling do Vitor estão maravilhosos, com personagens totalmente reais e carismáticos. Além de toda a representatividade que ele sempre apresenta em suas obras.

Terminei o conto em meia hora já que é bem curtinho, e fiquei com gostinho de quero mais. Já estou torcendo para ver Antônio e Gustavo em outro conto, ou quem sabe em um livro.
comentários(0)comente



Camilla 05/08/2019

"You make my heart melt just like a marsh-marsh-marshmallow!
Antes de começar esta resenha, preciso deixar claro toda a minha admiração pelo Vitor. Eu o acho um autor completo, ele escreve muito bem, é divertido e os seus personagens são reais!

Escrito em algum lugar narra a história de Antônio, um rapaz de 26 anos que se vê indo para uma longa fila só para comprar ingressos do comeback da sua boyband favorita. A Triple J. Apesar de estar com vergonha, ele vai mesmo assim.

Chegando lá ele conhece o Gustavo, um rapaz que também tem a sua faixa etária e TAMBÉM é fã do Triple J. Os dois conversam a madrugada inteira e em algum momento percebem que tem muitas coisas em comum. Fazendo que o clima pintasse na hora. E convenhamos tem coisa melhor que ver pessoas fofas flertando? Não, não tem!

O desenvolvimento do conto é ótimo, Vitor sabe conduzir sua narrativa de forma leve e engraçada, você lê e só percebe que chegou ao fim quando o kindle para de passar as páginas.

Além amado todos os personagens, gostei muito também de todas as referências a cultura pop, por exemplo as fanfics. Meu coração de fanfiqueira chega bateu mais forte.

Recomendo a história para todos aqueles que já foram julgados por gostar de alguma coisa. Você não precisa ter vergonha de nada. Leia Escrito em algum lugar, depois leia os outros livros do Vitor e apoie o trabalho dos autores nacionais!
comentários(0)comente



38 encontrados | exibindo 31 a 38
1 | 2 | 3