Admirável Mundo Novo

Admirável Mundo Novo Aldous Huxley




Resenhas - Admirável Mundo Novo


704 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Jaine Jehniffer 09/09/2019

Muito bom
Um dos fatos que torna a leitura deste livro relevante é o atual momento de desenvolvimento da sociedade, onde se prega a importância da felicidade em detrimento dos demais sentimentos humanos. Neste fantástico mundo novo, é proibido ser triste, sozinho e melancólico. Haja vista que na solidão temos maior consciência de nós mesmos e a suposta solução para o desenvolvimento e estabilidade social, é o sentimento comunitário em detrimento do "Eu", como ser único.

Para que os seres humanos sejam exatamente da forma que o estado deseja, ele é, desde embrião, condicionado para agir de forma a manter o bem-estar social. Esse condicionamento pelo quais passam, funda-se na teoria desenvolvida por Pavlov, que se baseia em um estímulo neutro e um estímulo condicionante para moldar o comportamento.

Se o condicionamento de alguma forma for contornado e a pessoa sentir outro sentimento que não seja felicidade, basta tomar meio grama de soma. Apenas meio grama e a pessoa é transportada mentalmente para uma realidade muito mais agradável. Ou seja, ao invés de resolverem seus problemas, as pessoas (que tem uma mentalidade infantil) fogem para o mundo empírico do soma. Mas como em todos os sistemas totalitários temos as resistências, algumas pessoas não tomam o soma e tentam se libertar do condicionamento. Elas são então abolidas da sociedade para um local em que a consciência de eu é permitida e escondida do restante da sociedade.

Em determinado momento da narrativa, um personagem "não condicionado" chamado John (na verdade, todos nós somos de alguma maneira condicionados), entra na história. O mais interessante de se notar com a sua inserção, é a diferença entre culturas (ou condicionamentos) entre ele e a sociedade dominante do período em que vive. O ser humano tem dificuldade em lidar com as diferenças, e isso é muito bem representado na história, através dos conflitos ideológicos com que este personagem se envolve.

O livro é escrito de forma envolvente e muda constantemente de ponto de vista e de abordagem da problemática debatida. Um trunfo do autor é conseguir nos passar as diversas facetas do ser humano, suas contradições e peculiaridades. Entretanto, os amantes de um final bem definido, talvez se decepcionem um pouco, pois o Huxley não tem por pretensão "resolver o problema apresentado", mas somente nos apresentar seus diversos aspectos.

site: https://www.paginasetakes.com.br/l/admiravel-mundo-novo-aldous-huxley/
comentários(0)comente



Flavia.Santana 08/09/2019

Uma maravilhosa distopia de 1932, que se passa em um futuro onde a sociedade é regida por um governo totalitário que restringe as liberdades individuais pelo, suposto, bem comum.
Uma das maiores estranhezas é o fato de que as pessoas são FABRICADAS por meio de inseminação artificial, em verdadeiras fábricas de seres humanos, onde são modificados genéticamente, desde embriões, de acordo com sua posição na sociedade. Sociedade esta, que os divide em castas, que são categorias (Alpha, Beta, Delta, Gama e Ypsílon) , sendo Alpha a mais desenvolvida ? gerando humanos mais belos, qualificados e aptos para as melhores funções, derivado de embriões com melhor nutrição e ganho de oxigênio ? e Ypsílon a com maior défict de desenvolvimento.
Esta sociedade preza por valores como:
COLETIVIDADE
REPÚDIO AOS VÍNCULOS AMOROSOS E À AMIZADE
BUSCA PELO BEM-ESTAR
SEXO CERIMONIAL (que mantenha a sociedade amena, tranquila e relaxada). Tudo isso somado ao uso contínuo da droga sintética SOMA que é distribuída gratuitamente pelo governo a fim de deixar as pessoas ?felizes? e consequentemente evitando questionamentos.
Como sou rebelde deixo-lhes um questionamento: VALE A PENA SER FELIZ A QUALQUER CUSTO?
comentários(0)comente



Janary 06/09/2019

Incrível!
"A maioria dos homens e mulheres crescerá para amar sua servidão e nunca sonhará com a revolução." – A frase é uma das citações que marcam o pensamento de toda a obra em “Admirável Mundo Novo”, escrita pelo inglês Aldous Huxley em 1931. A história nos conta a respeito de um futuro sombrio para a humanidade, um momento em que a tecnologia é extremamente avançada influenciando e interferindo na própria vida humana – tanto, que todas as pessoas são geradas em laboratório e não mais pelas relações pessoais.

Considerado um dos maiores intelectuais do século XIX, Aldous Huxley estudou medicina, filosofia e literatura, além de ter servido ao exército durante a primeira Guerra Mundial. Apesar de não ter sido premiado com o Nobel de Literatura, seu nome foi indicado sete vezes. E todo esse conhecimento não foi desperdiçado em suas obras, tendo em “Admirável Mundo Novo” seu maior expoente. O livro traz uma linguagem simples, mesmo que tenha conceitos mais rebuscados em certos trechos que aliam a ficção científica ao debate da condição humana, seu livre-arbítrio e sua moralidade.

Nessa distopia, o principal tema é preocupação ideológica com a liberdade individual em detrimento ao autoritarismo do Estado. No livro, toda a população é condicionada biológica e psicologicamente para servir da forma mais submissa possível a uma sociedade baseada em castas. Isso quer dizer um controle extremo para que cada pessoa tenha seu lugar específico para servir sem disposição em inovar. Para isso o governo conta uma droga chamada “Soma”, que oferece tranquilidade, sentimentos de alegria e anestesia mental. Como um personagem do livro diz, “soma é o que eles precisam quando tempos difíceis querem abrir seus olhos”.


comentários(0)comente



Sandy 06/09/2019

Distopia genial e assustadora
comentários(0)comente



Sérgio 30/08/2019

O livro me chocou. Fico intrigado ao pensar que o desmanche da natureza humana começa justamente nas pequenas mudanças. Quando começamos a acreditar que não temos opção ou muitos direitos, nos tornamos presa fácil para a aceitação de uma ideologia onde "betas e ypsilons" são inferiores aos "alfa". Uma lição para todos.
comentários(0)comente



Leyd 27/08/2019

Maravilhoso!
Publicado em 1932, a distopia futurista que segundo Aldous Huxley, poderia ser o futuro de 1984, oferece uma imagem alegre de uma possibilidade sombria. 632 D.F. (Depois de Ford) é o ano da ?Comunidade, Identidade e Estabilidade?. O mundo é dirigido por dez administradores que mantêm a felicidade através de várias formas de condicionamento intensivo e uma droga chamada soma. A maioria se contenta em viver com o status quo. A engenharia emocional garante que os sentimentos rebeldes sejam anulados.
Experiências sexuais são encorajadas desde cedo. Casamento, paternidade, família e lar são conceitos perdidos há muito tempo. ?todo mundo pertence a todos os outros?. Não há razão para a individualidade nesta hierarquia social linear suavemente criada de Alfas, Betas, Deltas, Gammas e ípsilon?s. Doença e velhice são uma coisa do passado. Os únicos seres humanos que vivem fora dessa existência condicional são os selvagens que seguem os métodos tradicionalmente antiquados dentro de uma Reserva, baseada no Novo México.

Neste futuro utópico / distópico Huxley explora os males de uma sociedade aparentemente satisfeita e bem-sucedida, porque essa estabilidade só é derivada da perda de liberdade e responsabilidade pessoal, mas Bernard Max é instável e menos suscetível às mensagens condicionantes e ao relaxamento induzido pelo soma. Ele sofre de excesso mental. E somente quando encontra John (O Selvagem) e o leva para a civilização que ele descobre a real essência do que é ser humano.

Por implicação, toda distopia é profecia. Parte do que tornou este livro tão controverso é o que o tornou tão bem-sucedido. Você viveria em um mundo genuinamente induzido a felicidade ou reclamaria o seu direito de ser infeliz?
comentários(0)comente



Lilyan - Sushi Books 27/08/2019

“Quando o indivíduo sente, a comunidade treme.”
Admirável Mundo Novo de Aldous Huxley publicado em 1932 faz parte dos clássicos das distopias que serviu de inspiração pra outros autores. Dizem que junto com 1984 e Fahrenheit 451 formam a trindade obrigatória para entender o que é, como nasce e quais são as características de um governo totalitário.

Num futuro distante agora a população é dividida por castas e cores, na seguinte ordem de pirâmide: Alfa (cinza), Beta (Amora), Gama (Verde), Delta (Cáqui) e Ípsilon (Preto). Todos os seres humanos são criados em laboratórios, ninguém mais nasce naturalmente. Durante o processo desde do berço é definida a casta e a função e não pode mudar e eles nem querem. Ainda bebês todos são condicionados a serem felizes e satisfeitos com o que são. Até mesmo as castas mais baixas e sofredoras. A promiscuidade, consumo e ódio ao conhecimento voluntário também é estimulado nessa sociedade. Aqui você só sabe o que é condicionado a saber e se irrita se precisa descobrir ou tentarem te mostrar algo novo. Se por acaso se sentir infeliz, tome SOMA, um remédio milagroso que vai fazer sumir todas as suas preocupações.

Quando Bernard Max sente-se insatisfeito e recusa-se a tomar SOMA ele começa a questionar a veracidade de onde vive. Vai até uma reserva “selvagem” onde as pessoas vivem como antigamente e traz um deles para a civilização afim de reconquistar respeito social. Essa é a parte mais problemática do livro pra mim, nunca vai ao fundo no objetivos, Bernard Max que inicialmente parecia ser um personagem que quebraria o sistema acaba por agir por interesse próprio e a visão dos "selvagens" é bem incômoda, fiquei em dúvida se foi proposital do autor ou um reflexo de como entendem os personagens fúteis desse livro.

De qualquer maneira recomendo muito a leitura, é de novo impressionante sabermos que há muitos anos estavam tentando nos avisar do que somos e que vamos piorar, mas a gente nunca escuta.

site: https://www.instagram.com/sushi_books
comentários(0)comente



Fabiano 27/08/2019

A essência em uma sociedade futurista
Sendo bem sincero, o final é decepcionante, ficou claro que a ideia era deixar no ar o que teria acontecido ao selvagem, mas e a Lenina o que houve ? Marx foi mesmo para Ilha? Esse é o tipo de livro que entra na cabeça da gente e nunca mais esquecemos seu enredo. Comparam Admirável Mundo Novo com 1984 de Orwell, eu não concordo muito, lógico que são distopias e tal, mas essa obra de Aldous Huxley me parece um pouco mais "abstrata", mais lúdica, na minha opinião trata mais do individuo e do que cada personagem é em sua essência do que para a sociedade futurista.
comentários(0)comente



Maria 23/08/2019

Que resenha difícil. Passei uns minutos coçando o olho por não saber o que escrever e agora arde. Queridos amigos que gostam de Huxley, me perdoem, mas o começo de Admirável Mundo Novo é insuportável.

Pulando toda a chatice que é o processo de um ovo bokanovskizado, quero falar sobre o desenvolvimento do livro. Admito que até pouco antes do selvagem entrar na trama, eu não aguentava mais, porém uma colega de sala tinha lido pouco antes e me incentivou a continuar. Foi muito bom ter continuado, sinto que valeu a pena (e que edição bonita). Lembro que aos 13 anos tentei me forçar a ler e simplesmente não ia, achava um saco, porém aos 15 descobri que já tinha maturidade o suficiente pra não querer chorar de tanto tédio. Até depois da metade e até o final, a leitura se torna muito satisfatória e instigante e eu JURO que há três anos, quando tentei ler, achei que fosse uma espécie de fanfic por causa dos sobrenomes.
comentários(0)comente



Jader 16/08/2019

Tem toda estrutura distópica que nos faz refletir sobre o controle de níveis hierárquicos ?superiores? da sociedade, que a busca por uma solução perfeita e igualitária é meramente superficial... Huxley colocou o dedo na ferida e foi muito à frente do teu tempo.
comentários(0)comente



Tito 15/08/2019

Sinopse - Admirável mundo novo (Aldous Huxley)
Em Admirável mundo novo, romance que narra a história de uma sociedade distópica (600 anos depois de Ford), escrito por Aldous Huxley (2016) na década de 30 do século passado, a lógica da produção seriada fordista foi radicalizada com a fabricação massiva e o condicionamento de seres-humanos para compor o contingente populacional de uma organização social capitalista de castas. Tratava-se de uma sociedade onde o hedonismo associava-se ao coletivismo a fim de garantir um permanente estado de bem-estar, felicidade, estabilidade, os quais eram efetivamente garantidos com as doses diárias de uma droga chamada soma; a utilização desta droga era estimulada ante situações de incômodo e infelicidade. Bernard Marx, Helmholtz Watson e John – um selvagem nascido fora desse sistema civilizatório – resistentes aos condicionamentos, incapazes de deixar de serem afetados pelo afeto e singulares na curva de uma sociedade padronizada, aceitam o desafio de terem que lidar com o sofrimento da existência sem sucumbirem ao doping.
comentários(0)comente



Eller.JAnior 05/08/2019

76.Admirável mundo novo - Aldous Huxley (1932)
Famosa distopia, baseado num futuro onde os seres humanos são gerados em laboratórios e condicionados a seguir as normais pré-estabelecidas pelo Estado, as pessoas são classificadas por castas, aliás, qualquer coisa que desestabilizasse o indivíduo de suas obrigações de trabalhar e produzir devia ser punida. O amor, a Bíblia e a poesia por exemplo, não eram conhecidos por esta civilização.
comentários(0)comente



Haryadne 03/08/2019

Chato mas instigante
Se trata de um mundo bem diferente do nosso. As pessoas são produzidas em laboratórios, não existe casamento, as pessoas são dívidas em castas. Por varias vezes, joguei o livro de lado pq para mim está muito chato, saber os detalhes de ?mundo? mas resolvi seguir para saber pq tantas pessoas falavam dele. E posso dizer que ainda bem que insiste. A melhor parte está nas últimas 100 páginas. Nós faz refletir sobre nossos sentimentos, nosso modo de viver, pq agimos de certa forma. Terminei o livro quero um tempo para assimilar essas ideias kkkk.
Amante do saber 10/08/2019minha estante
Pensei que só eu estava tendo dificuldade de ler esse livro! Achei um pouco interessante e chato ao mesmo tempo,talvez por quê é a peimeira distopia que estou lendo mas se você diz que vai melhorar então insistirei nele tbm :)


Haryadne 11/08/2019minha estante
Tb era minha primeira. Confesso não gostar muito desse gênero


Roni 12/08/2019minha estante
Identifiquei-me com sua resenha. Já pus esse livro de lado umas três vezes, a estória é arrastada e, mesmo sendo instigantes para mim distopias, essa em particular não me cativou. Tentei fazer o que você fez, insistir na leitura e ver como ocorre esse desfecho.


Roni 12/08/2019minha estante
Identifiquei-me com sua resenha. Já pus esse livro de lado umas três vezes e confesso que, ainda que distopias sejam instigantes para mim, essa em particular não me cativou. Tentarei fazer o que você fez, insistir em lê-lo até o final o para saber como é o desfecho.




Thiago.Azevedo 02/08/2019

Superando Expectativas
Huxley em Admirável Mundo Novo nos apresenta uma sociedade de seres humanos gerados em laboratório, condicionados a viver uma vida previamente planejada. Esse modelo se aplica a lugares com vasta riqueza natural, justamente por possuir economia estável e elevada.

O romance distópico descreve os métodos, a lógica e o porquê dessa sociedade de laboratório. Após essa abordagem inicial, aprofunda-se nos personagens da trama, sendo eles principais: Bernad, Lenina, Linda, Jhon (o selvagem) entre outros.

Aldous aguça nossa percepção e senso crítico. Em diversos momentos me peguei imaginando (sob a ótica e perspectiva do autor de meados dos anos 2.500), como realmente as sociedades serão, tendo em vista o presente avanço das tecnologias, medicina, política etc.

Em minha leitura, as primeiras páginas foram árduas, mas passados os primeiros capítulos, mais precisamente a partir do sétimo, a narrativa muda e assim continua até o final da obra, passando de descritiva e metódica para interessante e emocionante; abordando situações como insubordinação, exílio, choque de cultura, paixões, despedidas, conflitos etc.

comentários(0)comente



Lincoln Salles 30/07/2019

Admirável Mundo Novo é um livro sobre o futuro
O tema de Admirável Mundo Novo não é o avanço da ciência em si mesmo; é esse avanço na medida em que afeta os seres humanos. / Frase do prefácio do livro...
A leitura por vezes se torna chata e arrastada, mas é um clássico sem dúvida. Eu sublinhei algumas partes do livro que pra mim já valeram a leitura. Mas é preciso ler muitas páginas arrastadas e chatas, para colher os frutos das pérolas ao longo do livro.
O esforço vale a pena.
comentários(0)comente



704 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |