Entrevista com O Vampiro

Entrevista com O Vampiro Anne Rice




Resenhas - Entrevista Com o Vampiro


247 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Mick 12/11/2017

Entrevista com o Vampiro - Anne Rice
"Quando olhava dentro dos seus olhos, sentia-me como se estivesse sozinho no fim do mundo... numa praia oceânica batida pelos ventos. Sem nada, além do rugido macio das ondas".

Há tempos que queria ler esse livro... Desde que assisti ao filme, ainda no século passado... rs (Não, não sou um vampiro! Rs) Às vezes o filme também nos leva aos livros, não é verdade? Nem sempre temos que ler primeiro... A história começa com um jovem repórter entrevistando Louis de Pointe due Lac, nascido em 1766 e transformado em vampiro por Lestat, um vampiro sedutor, mas bastante possessivo. Louis conta sua história aos ouvidos atentos do repórter, revelando segredos do mundo dos vampiros.

Mais que um livro de terror, com muitas mortes e sangue, é um livro filosófico de reflexão sobre os impactos que a consciência da eternidade causariam em nós... Os personagens principais são muito cativantes, principalmente Cláudia, a menina vampira...

Nesse livro, vivenciamos com Louis seus medos, angústias, revoltas e frustrações... Os conflitos de sua consciência humana e sua condição vampira...

O enredo é ótimo, mas não é um livro simples de se ler... Acho que os personagens ficam divagando, o que torna a leitura um tanto lenta em alguns trechos. Mas, vale muito a pena conferir!
Day Morais - @lendo1bomlivro 12/11/2017minha estante
Adorei! Quero ler!!




Arca Literária 25/10/2017

resenha disponivel no link a partir do dia 01/01/2018

site: http://www.arcaliteraria.com.br/entrevista-com-o-vampiro-a-historia-de-claudia-anne-rice/
comentários(0)comente



Paula.Souza 06/10/2017

Sem surpresas..
O livro retrata a história do vampiro Louis e como foi sua transformação e sua negação aquilo que ele havia se tornado um vampiro.
Bom sem mas o livro é bom, achei o capítulos muito longos e pra quem viu o filme antes de ler o livro como eu não teve nenhuma surpresa ou alteração enfim , gostei mais do filme que do livro.
comentários(0)comente



L Soares 30/06/2017

A primeira coisa é que o filme é muito fiel ao livro, então sem grandes surpresas. Mas para quem não é tão tiozão como eu e talvez não conheça a adaptação cinematográfica de 1994, Louis, um vampiro amargurado com a sua pós-vida, decide contar sua história. A narrativa se dá toda por sua perspectiva, desde sua vida mortal, seu encontro com Lestat, o vampiro que o transformou, e os fatos relevantes de seus duzentos anos. Narrando a relação conflituosa entre ele e Lestat, e deles com Cláudia, uma menina transformada em vampira para ser a filha eterna de ambos, e sua busca por outros de sua espécie para tentar entender o que são. Eu gosto de história de vampiros, e essa é realmente muito interessante, integralmente da perspectiva dos vampiros, e retratando a relação entre eles, destes seres com sua própria condição, e deles com as pessoas, seu alimento. Por tudo isso quero ler os demais livros da série. Mas sobre este primeiro livro, achei a narrativa lenta e meio arrastada. Louis é um tanto quanto dramático em relação a aceitar sua nova natureza, fazendo considerações de cunho moral/religioso sobre sua alma, principalmente por causa do seu irmão, e de toda a história envolvendo sua morte, e a repetição desses pensamentos e as discussões com os demais por conta de sua incapacidade de abraçar a vida como um predador, para mim, tornou sofrível ler algumas partes da história (no fim do livro só me referia a ele mentalmente como drama queen), Lestat é definitivamente mais divertido. Um PS. para quem leu esse livro, A História de Cláudia é uma graphic novel publicada recentemente com a versão da Claudia para toda a parte da história deste livro em que fez parte. O fim da Graphic Novel todos já sabem evidentemente, mas a arte é muito linda, vale muito a pena.
comentários(0)comente



Milas Caldas 17/06/2017

Meu primeiro contato com As Crônicas vampirescas foi através da adaptação cinematográfica de 1994, Entrevista com o vampiro, e até hoje, meu vampiro favorito do cinema é o Lestat interpretado por Tom Cruise. Um verdadeiro diabo com sorriso encantador. Então imagina a minha surpresa ao descobrir que existia um livro por trás. Escrito em 1976, Entrevista com o vampiro é considerado um dos clássicos do gênero, sendo referência e inspiração para milhares de outras obras.

O livro é todo narrado em primeira pessoa, e, como já sabemos no título, trata-se de uma entrevista. Interessado em contar sua história, Louis Pointe du Lac procura um jovem repórter e começa a contar seus mais de 200 anos de vida, começando pela Nova Orleans escravocrata até os dias “atuais” (que no caso seria 1976, o que pra gente não tem mais nada de atual).

Sentindo-se extremamente culpado pela morte do irmão, Louis deseja arduamente a morte. E, é assim, neste estado ele conhece o vampiro Lestat que o transforma em vampiro. Mas, apesar dos novos instintos, ele sente-se mal em tirar uma vida humana, então passa a alimentar-se de animais. Os anos ao lado de Lestat acabaram tornando-se bem desgostosos, mas ele não abandona o criador por acreditar que Lestat possui segredos que não quer revelar.

A história é bem interessante, e tem muitas reviravoltas. A história ainda nos apresenta outros personagens marcantes como a pequena Cláudia, e o vampiro Armand. Nós conseguimos acompanhar a evolução da humanidade, e perceber que alguns personagens, alguns vampiros continuavam estagnados no tempo.

Uma história incrível, e muito bem documentada historicamente, este livro é uma verdadeira obra prima da fantasia, um livro que todo amante do universo vampírico (existe essa palavra? rs) precisa ler. Não só este livro, mas todos os outros das crônicas.

site: http://minhacontracapa.com.br/2016/07/resenha-entrevista-com-o-vampiro-as-cronicas-vampirescas-livro-01-de-anne-rice/
comentários(0)comente



Poesia na Alma 16/06/2017

fascínio no leitor
A obra possui uma narrativa fluída, embora não tenha divisão de capítulos. Costumo achar livros assim divididos meio enfadonhos, mas ele se mostrou excepcionalmente fluído e denso. A trama gira em torno da perspectiva de Louis, um vampiro transformado por Lestat no ano de 1791, quando tinha apenas 25 anos. Segundo ele, Lestat o escolheu por ele possuir um imóvel na zona afastada da cidade, que era de interesse do misterioso vampiro. A partir daí, nasceu uma dependência de ambos os lados, e apesar de Louis não sentir afeto de qualquer espécie por Lestat, ao mesmo tempo se via enredado nele, sem conseguir ficar longe de seu 'Criador'.

continue lendo - http://www.poesianaalma.com.br/2017/06/resenha-entrevista-com-o-vampiro.html
comentários(0)comente



Annie 14/05/2017

Entrevista com o vampiro
Tenham em mente, antes de tudo, que quando se trata de livros de Anne Rice é retratado o vampiro clássico: aquele que se veste com roupas elegantes do século XIX, dorme em caixões e não pode suportar a luz do sol. Adicionem também um clima sombrio e a melancolia com que Louis descreve sua vida. Com isso você terá Entrevista com o vampiro, o livro gótico que dá início às Crônicas Vampirescas.

Louis é conhecido pelos outros imortais como o vampiro mais humano que existe. Ao ser transformado, Louis não quer perder sua humanidade e esse é o grande conflito do livro. Ele é um vampiro, mas não quer agir como um e isso se torna sua maldição.

site: https://eradistopica.wixsite.com/eradistopica/single-post/2017/05/14/Entrevista-com-o-vampiro---Resenha
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Lidiane 19/04/2017

Não é tudo isso
Como o próprio titulo diz o livro se trata de uma entrevista com o vampiro, ou seja, um vampiro sendo entrevistado. Mas durante a leitura eu me pegava perguntando "isso é uma entrevista ou um monologo?", porque o entrevistador quase não possui falas durante o livro todo, e o livro se trata do vampiro contando sua historia, ou seja um titulo mais adequado não seria "A biografia de um Vampiro"?

Esse livro foi um verdadeiro martírio para termina-lo, parecia que o livro tinha 800 paginas...
A historia é cansativa e os capítulos.... lonnnnnnnnngos demais.
Sinceramente não entendi o porque da fama desse livro.
Valéria 19/04/2017minha estante
Meoooooo deos, sério???? É meu livro favorito haha, já li ele umas 5x haha


Lidiane 19/04/2017minha estante
Kkkkkk vai entender neh.... gosto é gosto....


Valéria 19/04/2017minha estante
Pode ser que vc goste mais do O ladrão de corpos, tbm da Anne. Esse vc já leu?


Valéria 19/04/2017minha estante
A história do ladrão de corpos vc já leu? Pode ser que vc goste mais desse.


Lidiane 19/04/2017minha estante
Nao li não.... vou procurar saber mais


Annie 20/04/2017minha estante
Recomendo o vampiro Lestat, pra mim é o melhor livro das crônicas




Rayon 11/04/2017


Eu amei esse livro, principalmente pela pegada meio agnóstica que ele toma...Os questionamentos do Louis são muito interessantes e o Lestat é o melhor personagem eveeeeeeeeeeeeeeeeeeeer!
comentários(0)comente



Gustota 03/03/2017

A nova roupagem do vampiro de Baudelaire
Há algo de brilhante na Anne Rice com esse livro em particular e com "O Vampiro Lestat" e está na forma como ela consegue um revival do arquétipo do vampiro dos ultra-românticos europeus do século XIX.

Diferente do monstro ou do personagem fantástico normalmente evocados no mito do vampiro, Baudelaire, Byron, e a geração "spleen" preferem evocar o vampiro como uma versão em realismo fantástico do boêmio europeu do final do século XVIII e século XIX. É uma figura sombria, que permanece escondida em casa de dia e só sai à noite. Que parasita as rodas de artistas, sendo entediado e incapaz de criar qualquer coisa artística por si. Seduz e abandona as companhias. Entregue à luxúria e ao vício. Esse boêmio é o modelo ao qual o vampiro exagera.

A grande sacada de Anne Rice foi transportar esse arquétipo para os Estados Unidos dos anos setenta. Os vampiros da Louisiana são rockstars que parasitam dos pequenos ricos liberais do passado até as groupies e os junkies contemporâneos. Lestat parece algo como um cínico beatnik, intelectual desprendido ou glam rocker, dependendo de sua encarnação. O vampiro faz parte agora do experimentalismo da contracultura e seu lado sombrio.

Acho que as crônicas vampirescas cresceram demais e acabaram entrando para o hall da fantasia mítica, mas esse primeiro momento dos livros para mim é o definidor mais interessante do mito do vampiro na literatura contemporânea.

site: https://medium.com/@gustota
comentários(0)comente



Mey 27/02/2017

Vampiros sombrios.
O vampiro sempre foi a criatura sobrenatural que mais me fascinou, desde muito novinha adorava os filmes que os retratavam. Entre "Drácula" e "Garotos Perdidos", "Entrevista com o Vampiro" era um o que eu mais amava, pela sua estética dark e misteriosa. Durante muitos anos assistia o filme incansável vezes, mas com o tempo ele se perdeu pra mim. Porém sempre senti uma necessidade em ler o livro da Anne Rice, afinal, a regra é clara, o livro sempre é melhor que o filme. E vários anos depois, finalmente, li o livro e fiquei encantada pelo universo criado pela autora.

"Entrevista com o Vampiro" é o primeiro livro da série "A Crônicas Vampirescas", e se incia com Louis, que depois de viver longos anos como vampiro resolve contar sua história a um repórter. Ele vai relatar desde sua transformação até o momento atual. O vampiro se arrepende de tudo que fez e vive uma vida de solidão e tristeza. Por isso a história tem um tom de melancolia e é muito sombria, afinal, ele acredita que é um ser maligno que tira vidas humanas.

Ao longo de seu relato Louis nos apresenta três personagens importantes, Lestat que é seu criador, Claudia o grande amor de sua vida e Armand que foi quem lhe deu respostas. Esses três vampiros tem características bem diferentes, mas ao mesmo tempo são bem parecidos. Lestat é um vampiro cruel e sarcástico, cheio de mistérios que evita contar. Claudia é uma mulher presa eternamente em um corpo de criança, mas muito cruel e fatal. Já Armand é um punhado de mistérios, mas ao mesmo tempo um porto seguro. E no meio deles está o atormentado Louis, que com certeza é o mais insuportável deles, porque tenta a todo momento fugir da sua natureza vampiresca, enquanto todos os outros tomaram aquilo para si.

A escrita da Anne Rice não é muito simples, mas entendo que ela utiliza de certo vocabulário para dar voz a Louis. Mas o livro também é muito pesado, fazendo questionamento religiosos, sobre o bem e o mal, sobre imortalidade e solidão. Então temos aqui um livro com vocabulário rebuscado e com assuntos bem difíceis, por isso a leitura demora a fluir, para que consiga absorver tudo aquilo, mas mesmo assim temos uma história incrível e um livro com vampiros muito maravilhosos.

Não sei se lerei os demais livro de "As Crônicas Vampirescas", não por ser ruim, mas pelo tamanho da série. Mas fiquei extremamente tentada a conhecer mais do vampiro Lestat.

site: http://agoraqueeusoucritica.blogspot.com.br/2017/02/resenha-entrevista-com-o-vampiro.html
comentários(0)comente



Jack Zack 30/01/2017

Numa noite como tantas outras, um repórter realiza uma entrevista um tanto insólita. O entrevistado diz ser um vampiro com 300 anos. Trata-se de Louise Point du Lac que abre a de sua biografia para inicial descrença do repórter seguida de estupefação com o desenrolar de sua história.
Sua vida familiar, condição financeira e, o mais importante para o início dessas história, o motivo pelo qual Louise Point du Lac atraiu o vampiro que lhe concedeu a imortalidade ( Lestat ) são revelados na entrevista que se desenrola.
Louise entra na imortalidade se despedindo de sua condição humana passando a enxergar o mundo de uma maneira que mortal algum é capaz de descrever através de olhos que só os vampiros possuem. Mas o que dizer de um vampiro que se recusa a matar seres humanos para se alimentar movido por um profundo respeito pela vida, coisa que Lestat despreza sem se fazer de rogado. Louise tem a esperança que Lestat o revele os conhecimentos da vida vampiresca daí surgindo as reflexões filosóficas na história. Louise começa a sentir que Lestar, na verdade, não sabe de quase nada sobre a vida como vampiro e começa a sentir tédio e um certo desprezo por Lestat.
Percebendo que estava perdendo o seu rico e bom administrador companheiro vampiro que lhe proporcionava uma vida de luxos e frivolidades, Lestat imediatamente o convence a transformar Cláudia, uma menina de apenas sete anos que perdeu os pais para a peste negra para com isso formar uma família vampiresca.
Tudo transcorre tranquilamente. Mas como toda família tem seus problemas, Lestat e Cláudia começam a se indispor um com o outro. Até que, através de um plano arquitetado por Cláudia, este clã é dissolvido deixando Lestat para trás.
Louise e Cláudia seguem para sua nova vida em Paris. Lá, depois de procurarem avidamente outros vampiros, recebem um convite que lhes é enviado por um antigo vampiro chamado Armand para comparecerem ao seu Teatro de Vampiros. Armand de pronto se apaixona pela maneira tão temperamental com que Louise interagia e via o mundo e o quer como companheiro para a eternidade. E Louise encontrou em Armand um vampiro mais antigo que poderia lhe dar respostas para as suas indagações existenciais Porém, Louise ama Cláudia, por isso não a abandonaria. Os vampiros do Teatro de Vampiros descobrem o segredo que os levou a Paris e aprisionam Louise em um caixão e deixam Cláudia ao sol para virar cinzas. Depois de ser resgatado por Armand e se deparar com as cinzas de Cláudia, o vampiro que tanto ama e respeita a vida dizima os vampiros do Teatro de Vampiros e despreza Armand por ele não ter usado seus poderes pra salvar a vida de Cláudia.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Lili 25/01/2017

Entrevista com o Vampiro
Terceira leitura de um livro que eu ainda não sei dizer se gosto ou não.

O Louis é um dos personagens mais insuportáveis que eu já conheci. Terrivelmente amargurado e atormentado, não consegue enxergar nada de bom na vida (ou na morte) e torna o livro muito deprimente e, por isso, chato. Algumas reflexões que a autora conseguiu incluir, além de algumas cenas de mais ação, tornam o livro, em alguns momentos, interessante.

(Acho que) Recomendo, mas com a ressalva de ser um livro chato em muitos momentos.
comentários(0)comente



247 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |