Lukács, Proust e Kafka

Lukács, Proust e Kafka Carlos Nelson Coutinho


Compartilhe


Lukács, Proust e Kafka


Literatura e sociedade no século XX




Um dos mais importantes pensadores políticos do país e, também, o inspirador de uma espécie de escola gramsciana brasileira, Carlos Nelson Coutinho manteve, entre 1961 e 1970, uma correspondência com o húngaro Lukács, então considerado por muitos o maior marxista vivo. Algumas das cartas tratavam da obra de Kafka, um dos escritores mais analisados e debatidos na época. Relendo os textos, Carlos Nelson resolveu resgatar dois de seus ensaios: um sobre o tcheco e outro, ainda inédito, sobre Proust. Obras fundamentais para o entendimento das transformações sócio, política e culturais do século XX. O resultado está em "Lukács, Proust e Kafka: literatura e sociedade no século XX", que propõe uma nova leitura lukacsiana de Proust e Kafka. "Meus ensaios têm precisamente a intenção de propor uma análise das obras de Proust e de Kafka à luz da metodologia estético-filosófica de Lukács, ainda que freqüentemente — sobretudo no caso de Kafka — em aberta divergência com a avaliação substancialmente negativa que o pensador húngaro fez destes dois notáveis narradores", explica Carlos Nelson Coutinho.

Edições (1)

ver mais
Lukács, Proust e Kafka

Similares


Estatísticas

Desejam15
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 3.5 / 4
5
ranking 0
0%
4
ranking 50
50%
3
ranking 50
50%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

52%

48%

EvertonAC
cadastrou em:
28/05/2011 17:12:06