Minha Noite no Século XX e Outros Pequenos Avanços

Minha Noite no Século XX e Outros Pequenos Avanços Kazuo Ishiguro


Compartilhe


Minha Noite no Século XX e Outros Pequenos Avanços





Em seu discurso proferido na Academia Sueca, Kazuo Ishiguro transmite uma poderosa mensagem de respeito às diferenças ao percorrer a própria história e, com ela, a do século XX.

No dia 7 de dezembro de 2017, Kazuo Ishiguro recebeu da Academia Sueca o prêmio Nobel, distinção máxima da literatura. Em seu discurso, o escritor inglês nascido no Japão esmiúça a própria história e, com ela, a do século XX, numa mensagem tocante que termina em apelo às novas gerações.
Ao revelar o impacto que a leitura de Em busca do tempo perdido teve em sua formação, Ishiguro assume o recurso de Proust como princípio compositivo de seu discurso e coloca lado a lado memórias distantes e eventos recentes, numa colagem em que as semelhanças abolem fronteiras de tempo, espaço e linguagem e fazem transparecer uma brilhante síntese do projeto literário do autor.
É assim que o escritor revela, sempre com a mesma despretensão pela qual ficou conhecido, como uma canção de Tom Waits influenciou a criação de uma das personagens de seu primoroso romance Vestígios do dia. Com a disponibilidade de espírito das grandes mentes, Ishiguro encontra inspiração em formas mundanas como a comédia americana Século XX, de Howard Hawks, por meio da qual se dá conta da importância de se dedicar ao relacionamento entre as personagens, e não a elas em particular. Foi a partir dessa percepção, prosaica em sua origem, que surgiu a ideia do triângulo amoroso de Não me abandone jamais.
Rememorando desde a relação com o Japão de sua infância e as lembranças da terra à qual levou décadas para voltar até uma visita a Auschwitz, Ishiguro destila uma poderosa reflexão sobre memória e esquecimento, sobre o dever de preservarmos o passado e a tarefa — nem sempre fácil — de seguirmos adiante e preservarmos o futuro.
Comovente afirmação dos direitos e das liberdades individuais, este discurso abre fogo contra o racismo e, numa afirmação da necessidade de expandir os limites do discurso literário para abarcar mais visões de mundo, apresenta-se como um texto de valor literário que em nada deve aos romances do autor. Sua leitura deixa claro por que ele é um dos maiores escritores do século XX.

Não-ficção

Edições (1)

ver mais
Minha Noite no Século XX e Outros Pequenos Avanços

Similares

(5) ver mais
O Gigante Enterrado
Quando éramos órfãos
Não Me Abandone Jamais
Os Resíduos do Dia

Resenhas para Minha Noite no Século XX e Outros Pequenos Avanços (2)

ver mais
O discurso de autor ao ganhar o Nobel em 2017. A frase que define o livro inteiro, na minha opinião é: "Histórias podem entreter, ás vezes podem ensinar ou defender um argumento. Mas, para mim, é essencial que comuniquem sentimentos." -Kasuo Ishiguro em "Minha noite no século vinte e outros pequenos avanços"... leia mais

Vídeos Minha Noite no Século XX e Outros Pequenos Avanços (1)

ver mais
Leituras agosto 2018

Leituras agosto 2018


Estatísticas

Desejam27
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 4.3 / 30
5
ranking 40
40%
4
ranking 57
57%
3
ranking 3
3%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

30%

70%

Srta. Oliver
cadastrou em:
13/02/2018 20:13:09
João Lúcio
editou em:
30/09/2018 23:00:25