Nada a Invejar

Nada a Invejar Barbara Demick


Compartilhe


Nada a Invejar


Vidas comuns na Coréia do Norte




Correspondente do jornal Los Angeles Times em Seul, capital da Coreia do Sul, entre 2001 e 2006, a jornalista americana Barbara Demick fez uma pesquisa de documentos, fotos e vídeos e entrevistou dissidentes e refugiados norte-coreanos que haviam fugido para a Coreia do Sul ou para a China. Pontuadas por informações gerais sobre a economia e a cultura do país, as histórias de 'Nada a invejar' se entrelaçam para formar um painel bastante vívido do cotidiano na Coreia dos ditadores Kim Il-sung (1912-94) e Kim Jong-il (1942-2011), pai e filho que reinaram absolutos por mais de seis décadas e ainda perpetuam seu legado autoritário na figura do herdeiro Kim Jong-un. Uma das virtudes do livro é mostrar como o culto à personalidade dos tiranos foi forjado numa mistura peculiar de marxismo-leninismo mal digerido com as tradições religiosas e populares locais. O controle absoluto da vida pessoal, que faz de cada vizinho (ou mesmo um familiar) potencial espião e delator, perpassa os relatos de todos os personagens entrevistados, assim como as dificuldades materiais e a fome - sobretudo depois da crise de escassez dos anos 1990 -, as marcas da guerra entre as Coreias e as parcas perspectivas de progresso educacional ou profissional. Uma realidade sufocante que não exclui, porém, o humor, os gestos de altruísmo e solidariedade ou os sonhos de liberdade. Com uma escrita ágil e envolvente, que atesta o ótimo domínio das técnicas narrativas literárias, a autora conduz os leitores pela experiência fascinante de espiar a vida de uma das sociedades mais isoladas e reprimidas do planeta.

Edições (1)

ver mais
Nada a Invejar

Similares

(17) ver mais
Para Poder Viver
Hiroshima
Fuga do Campo 14
A Vida Secreta da Guerra

Resenhas para Nada a Invejar (14)

ver mais
Pior que vida de cão
on 17/4/14


Quando eu era mais nova, achava uma maravilha viver no Brasil: nós não temos terremoto, nem vulcão ou qualquer outra premeditação de desastre natural que venha a nos enfraquecer. A gente reclama muito sem saber o quanto somos felizes. Da mesma forma, na minha cabeça, o Haiti era o país mais pobre do mundo. Talvez essa noção do Haiti tivesse me surgido por conta da música homônima ao país, de Caetano Veloso que compara muito fortemente o Haiti com o Brasil. Ano passado, lendo uma obra ... leia mais

Estatísticas

Desejam107
Trocam1
Avaliações 4.6 / 197
5
ranking 72
72%
4
ranking 22
22%
3
ranking 5
5%
2
ranking 1
1%
1
ranking 0
0%

40%

60%

Marcos
cadastrou em:
03/05/2013 19:44:55
Lis
editou em:
26/05/2015 21:40:25