Não Levo Saudade

Não Levo Saudade P. Barbosa


Compartilhe


Não Levo Saudade





Com o meu pai aprendi que cada palavra é preciosa. Dizia-me frequentemente, com um sorriso desafiador, Cada palavra é preciosa! A verdade tem uma direcção mas não um destino (não te esqueças). Tudo o que eu digo é mentira, vê se descobres...

Nunca descobri a verdade escondida naquelas palavras preciosas.

***

O meu pai é um velho que já mal me reconhece. Por vezes olha-me como se me visse pela primeira vez e abraça-me com uma saudade repetida que me fez indiferente. Outras vezes olha-me e não sabe quem tem na sua frente. Imobiliza-se na inteligência que sempre lhe reconheci. Eu sei que ele não me reconhece. Ele sabe que não se reconhece a si próprio. Imobiliza-se na certeza de que o universo mudou de lugar e esqueceu-se de o avisar.
Desço até à terceira rua de mortos empilhados num monte com vista para o Tejo (que bela vista se tem depois de morto). Fico uma hora mais em frente da campa do desconhecido que mandou gravar na pedra as palavras que têm de ser minhas:

Não Levo Saudade

Ficção / Romance

Edições (2)

ver mais
Não Levo Saudade
Não Levo Saudade

Similares


Resenhas para Não Levo Saudade (3)

ver mais
Não ficarei com saudades...
on 12/7/21


Livro com um texto extremamente maçante. Uma leitura bem difícil e pesada, bem repetitivo. Não recomendo.... leia mais

Estatísticas

Desejam
Informações não disponíveis
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 3.1 / 20
5
ranking 0
0%
4
ranking 30
30%
3
ranking 50
50%
2
ranking 20
20%
1
ranking 0
0%

10%

90%

Andressa
cadastrou em:
27/03/2019 19:53:38

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR