O desatino da rapaziada

O desatino da rapaziada Humberto Werneck


Compartilhe


O desatino da rapaziada





Carlos Drummond de Andrade, Cyro dos Anjos, Rubem Braga, Murilo Rubião, Fernando Sabino, Otto Lara Resende, Paulo Mendes Campos, Autran Dourado, Fernando Gabeira, Affonso Romano de Sant Anna, Ivan Ângelo, Roberto Drummond, Luiz Vilela... O que há em comum entre esses escritores de épocas, gêneros e estilos tão diversos, além do fato de que são mineiros (ainda quando nascidos em outra parte, como o capixaba Rubem Braga)? É que todos eles, em algum momento, se renderam também à paixão pelo jornalismo. Foi em torno de revistas e jornais, na verdade, que sucessivas gerações literárias de Minas chegaram a ganhar existência. Rico em informações para a história do jornalismo e da literatura, este livro de Humberto Werneck vai além: é sobretudo uma saborosa crônica de meio século de vida num lugar que tem dado ao país tantos bons poetas, prosadores - e jornalistas, naturalmente.

Edições (2)

ver mais
O desatino da rapaziada
O desatino da rapaziada

Similares

(7) ver mais
O Rei da Roleta
Praça Sete
Maletta
Rua da Bahia

Resenhas para O desatino da rapaziada (2)

ver mais
Resenha "O desatino da rapaziada"
on 21/6/11


“O Desatino da Rapaziada”, do jornalista e escritor Humberto Werneck, retrata a vida e obra de jornalistas e escritores em Minas Gerais. A persistência, o talento, o sofrimento desses escritores durante o processo de afirmação na carreira, são retratados de maneira detalhada na obra. Segundo o autor: “(...) aqui se vai falar de escritores das Gerais e de sua vida dentro e em torno das redações de jornais e revistas.” (p. 13) A história tem início em 1921, relatando os primeiros passos... leia mais

Estatísticas

Desejam7
Trocam1
Avaliações 3.6 / 42
5
ranking 21
21%
4
ranking 40
40%
3
ranking 24
24%
2
ranking 10
10%
1
ranking 5
5%

42%

58%

Leo Oliveira
cadastrou em:
20/01/2009 16:14:00

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR