O Direito À Preguiça

O Direito À Preguiça Paul Lafargue


Compartilhe


O Direito À Preguiça





Esta obra é um manifesto de celebração ao ócio. Publicado em 1855, O direito à preguiça – esse texto irreverente e polêmico – enaltece as virtudes do pecado capital e denuncia a degradação física e intelectual causada pelo trabalho. A miséria crescente do proletariado pós-Revolução Industrial deu combustível às críticas de Lafargue. Segundo o autor, princípios teológicos e positivistas foram apropriados pelo capital emergente para convencer as massas sobre a justiça de se trabalhar mais e melhor sem a contrapartida de um salário maior. Mas até mesmo o Deus cristão foi descansar eternamente no sétimo dia, alerta “O Direito À Preguiça”.
Esta obra é um retrato pitoresco de um momento delicado do capitalismo: a emergência das teorias críticas ao sistema diante de sua aparente incapacidade de responder aos novos problemas sociais que surgiam no alvorecer do século XX.

Sociologia

Edições (1)

ver mais
O Direito À Preguiça

Similares


Resenhas para O Direito À Preguiça (1)

ver mais
on 20/2/19


Leitura valiosa em tempos de Reforma da Previdência. ... leia mais

Estatísticas

Desejam7
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 3.7 / 7
5
ranking 29
29%
4
ranking 43
43%
3
ranking 14
14%
2
ranking 0
0%
1
ranking 14
14%

58%

42%

Ricardo Santana
cadastrou em:
17/11/2016 13:59:20