O Estado Como Obra de Arte

O Estado Como Obra de Arte Jacob Burckhardt


Compartilhe


O Estado Como Obra de Arte





O Estado como obra de arte foi originalmente publicado em 1860 como a primeira parte de A cultura do Renascimento da Itália, livro mais influente do historiador suíço Jacob Burckhardt (1818-97) e referência obrigatória sobre um dos períodos capitais da história do Ocidente. O autor explica a tumultuada política italiana entre os séculos XIV e XVI a partir da constatação de que os tiranos e déspotas que arrebataram o poder nos pequenos Estados da península, então divididos entre as influências antagônicas do Papado e do Sacro Império Romano-Germânico, passaram a conceber as estruturas estatais como “produto da reflexão, criações conscientes, embasadas em manifestos e bem calculados fundamentos” - isto é, à maneira das obras de arte projetadas por criadores geniais como Rafael Sanzio (1483-1520), Boticelli (c. 1445-1510) e Leonardo da Vinci (1452-1519), não raro contratados para embelezar os suntuosos palácios construídos por esses soberanos. Segundo Burckhardt, os novos governantes da península, embora mais interessados em enriquecer, perpetuar-se no poder e eliminar - quase sempre com extrema violência - as forças de oposição, inspiraram-se nas realizações políticas dos antigos gregos e romanos e, aconselhados por intelectuais da estatura de Maquiavel (1469-1527) e Baldassare Castiglione (1478-1529), acabaram lançando as bases institucionais do Estado burocrático modern

Edições (1)

ver mais
O Estado Como Obra de Arte

Similares

(6) ver mais
A Desobediência Civil
Máximas e Reflexões
Reflexões ou Sentenças e Máximas Morais
O mal-estar na cultura

Estatísticas

Desejam7
Trocam1
Avaliações 3.6 / 18
5
ranking 11
11%
4
ranking 39
39%
3
ranking 50
50%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

62%

38%

Juliana
cadastrou em:
20/02/2012 16:10:32