O Pássaro Pintado

O Pássaro Pintado Jerzy Kosinski


Compartilhe


O Pássaro Pintado (Grandes sucessos série ouro)





Em direção a seus semelhantes o pássaro lança seu voo de esperança e de morte. Em direção aos seus semelhantes, um menino lança seu amor, seu desejo de vida. Longínqua semelhança, que qualquer tinta multicolorida destrói e que os preconceitos negam.
Durante a II Guerra Mundial, entregue por seus pais a uma velha camponesa de uma aldeia no interior da Polônia um menino de seis anos vê-se de repente entregue a si mesmo e à sua capacidade de sobreviver.

Moreno numa região de louros, suposto judeu numa época em que judeu é sinônimo de perigo, diferente entre tantos iguais, ele é o "outro", aliado do demônio, enviado do sobrenatural. A pobreza da região liga-se à ignorância numa densa rede de crenças e superstições. O sorriso é banido na preservação dos dentes, sensíveis às influências malignas. O amor é sufocado na desconfiança. A bestialidade se agiganta contra o alvo vivo, a vítima, a presa fácil e só.
Sem fronteiras, a fantasia do menino transita livremente na realidade. Ela própria tão fantástica, como estabelecer os limites? Há o medo, este sim, real e constante, único companheiro do menino ao longo de sua fuga e sua procura, longo errar de aldeia em aldeia. Há a consciência de um si mesmo desprezado, peso de uma maldição incompreensível sempre vitoriosa.



Premido talvez mais pelo desespero da falta de diálogo do que peso supremo terror de nova crueldade, o menino emudece, a voz perdida com a esperança de salvação. Vencido, endossa o que acredita ser um julgamento superior e busca em si mesmo justificativas para tão tremendo castigo.
Entretanto, a guerra tende ao fim. Presente ao morticínio de uma aldeia massacrada pelo cruel destacamento dos desertores bárbaros e em seguida "adotado" pelo exército russo, o menino descobre subitamente a possibilidade de ser, ele também, um igual. Ao invés de repeli-lo a nova rede social o envolve. As crenças se tornam suas crenças, os preconceitos se fazem seus.

Mas o final da guerra traz também o reencontro com os pais, já agora desconhecidos. A voz, agora necessária, volta. Os pais, a sociedade, as normas, a longínqua semelhança. Em sua busca o menino alçará novo voo, tão longo e difícil quanto o voo do medo, mas eivado de esperança.

Literatura Estrangeira

Edições (4)

ver mais
O pássaro pintado
O Pássaro Pintado
O Pássaro Pintado
O Pássaro Pintado

Similares

(12) ver mais
Suicide Note
Um  Caderno e Tanto
De amor e trevas
Uma História de Amor e Trevas

Resenhas para O Pássaro Pintado (14)

ver mais
on 30/8/09


"O pássaro pintado", de Jerzi Kosinski. Gostei muito, mas não recomendo para quem está em época de depressão ou tristeza com a humanidade. Para mim, o autor é um verdadeiro mestre quando descreve cenas, ainda que nos capítulos finais deixe de mostrar e passe a interpretar sentimentos. E o texto perde. O livro é de uma tristeza enorme. A história é pura dor. E essa visão da dor é impressionante. Em alguns momentos, chega a cruzar a linha do sadismo. O autor usa a descrição do ferim... leia mais

Vídeos O Pássaro Pintado (1)

ver mais
10 O Pássaro Pintado

10 O Pássaro Pintado


Estatísticas

Desejam45
Trocam3
Avaliações 4.0 / 170
5
ranking 42
42%
4
ranking 29
29%
3
ranking 21
21%
2
ranking 6
6%
1
ranking 2
2%

41%

59%

Marcos Carvalho
cadastrou em:
17/02/2009 06:14:49
Craotchky
editou em:
14/07/2018 21:08:10

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR