O velho que acordou menino

O velho que acordou menino Rubem Alves


Compartilhe


O velho que acordou menino


Infância




Um dia subi até o alto da serra. Lá de cima se vê o vale lá embaixo. Boa Esperança, diminuída na distância, deitada entre o verde dos campos e o azul do rio Grande, imenso, que Furnas transformou em mar. Lá de cima, olhando para baixo, a gente pergunta: O que estarão fazendo? Antoine de Sain-Exupéry fazia a mesma pergunta nos vôos noturnos, ao ver os pontos luminosos que marcavam casas e pessoas, lá embaixo, no meio da escuridão. Vi uma pedra no chão, pedra comum, sem nada de especial e pensei que ela estava lá há milhões de anos, contemplando o vale. Peguei os milhões de anos ns mãos e o vale que tinha dentro... Aí fiz uma maldade: tirei-a da sua casa e trouxe-a para o meu escritório. Quando olho para ela lembro-me da serra e do vale...

Biografia, Autobiografia, Memórias / Literatura Brasileira

Edições (2)

ver mais
O Velho Que Acordou Menino
O velho que acordou menino

Similares

(9) ver mais
A Grande Arte de Ser Feliz
O Sapo Que Queria Ser Príncipe
Se Eu Pudesse Viver Minha Vida Novamente...
Palavras Para Desatar Nós

Resenhas para O velho que acordou menino (5)

ver mais
Lembranças...
on 23/1/14


Com Rubem Alves reconheci a diferença entre memória. Que por falar nisso, são duas: memórias sem vida própria e memórias com vida própria. Memórias sem vida própria são aquelas q procuramos quando nos perguntam nro de telefone ou coisa assim, são oq devemos lembrar para ñ diagnosticar mal de Alzheimer. Já as com vida própria, ao contrário, ñ ficam quietas dentro de uma caixa só vem qndo qr. Moram em nós mas ñ nos pertence. Lembranças... q são pedaços perdidos de nós mesmo. ... leia mais

Estatísticas

Desejam21
Trocam2
Avaliações 4.1 / 109
5
ranking 39
39%
4
ranking 32
32%
3
ranking 27
27%
2
ranking 2
2%
1
ranking 0
0%

29%

71%

Blabius
cadastrou em:
03/02/2009 10:38:14
Beatriz Soares
editou em:
02/08/2017 11:46:38
Beatriz Soares
aprovou em:
02/08/2017 11:46:48