Os emigrantes

Os emigrantes W. G. Sebald


Compartilhe


Os emigrantes


Quatro narrativas longas




Quatro histórias de personagens expatriados por conta das turbulências da Europa do século XX se entrecruzam num relato situado na fronteira entre a ficção e as memórias.

Publicado originalmente em 1992, e lançado pela primeira vez no Brasil em 2002, Os emigrantes ganha agora nova tradução. O livro que trouxe renome internacional a W. G. Sebald está dividido em quatro partes, cada uma centrada num personagem que em algum momento cruzou a vida do narrador.

Todas as trajetórias reconstituídas foram em alguma medida transtornadas pela história contemporânea da Europa, em especial pela Segunda Guerra e pelo Holocausto. O dr. Henry Selwyn é um ex-cirurgião que termina seus dias cuidando de plantas e cavalos no interior da Inglaterra. O professor Paul Bereyter retorna a sua cidadezinha alemã, onde foi discriminado durante o nazismo. Ambros Adelwarth encerrou-se voluntariamente numa clínica psiquiátrica nos Estados Unidos, depois de ter trabalhado como pajem e companheiro de viagem de um jovem milionário. Por fim, o pintor alemão Max Ferber dá ao narrador o manuscrito memorialístico que sua mãe escreveu antes de ser deportada para um campo de extermínio.

Simulando um trabalho de investigação biográfica de seus personagens, o narrador revela a contrapelo suas próprias andanças e desajuste com o mundo contemporâneo. Reforçam a sensação de estranheza e melancolia as imagens que, num procedimento característico, o autor espalha ao longo do texto.

Obra de fôlego e originalidade exemplares, Os emigrantes eleva a um patamar de grande literatura a obsessão de Sebald com a reconstrução da memória individual e coletiva de nossa época.

Biografia, Autobiografia, Memórias / Ficção / Literatura Estrangeira

Edições (3)

ver mais
Os Emigrantes
Os emigrantes
Os emigrantes

Similares

(16) ver mais
Absolutamente Nada
Estive em Lisboa e lembrei de você
Extinção
Guerra aérea e literatura

Resenhas para Os emigrantes (3)

ver mais
os emigrantes
on 28/10/11


Por comodismo vou classificar esse livro como de contos, mas ele é algo indefinível, um híbrido, um misto de relatos inventados, biografias e memórias. Vou deixar os comentários sobre a forma e o estilo dos livros de Sebald para depois, quando fizer o relato do último dos livros dele que li (que por acaso é o primeiro publicado por ele, Vertigem). "Os emigrantes" é de 1992. São quatro relatos breves, quase-biografias de sujeitos que emigraram, pessoas que experimentaram o desapego de s... leia mais

Estatísticas

Desejam45
Trocam1
Avaliações 4.1 / 56
5
ranking 38
38%
4
ranking 45
45%
3
ranking 13
13%
2
ranking 5
5%
1
ranking 0
0%

46%

54%

Helena
cadastrou em:
01/07/2009 23:30:43
Jenifer
editou em:
28/09/2019 21:14:26