Os Três Mosqueteiros

Os Três Mosqueteiros Alexandre Dumas


Compartilhe


Os Três Mosqueteiros (Coleção Obras-Primas)


(Trilogia dos Mosqueteiros #1)




"Um por todos ! Todos por um!" Em 1625, Luís XIII reina sobre a França com seu Primeiro-Ministro, o Cardeal de Richelieu. Sua esposa é a jovem Ana d'Áustria, vista por Richelieu como muito inexperiente para auxiliar o marido a conduzir os negócios de estado: o Rei não tem outra escolha senão apoiar-se no seu influente ministro, cujo gênio político e estratégico asseguram a coesão e segurança do Reino.

D'Artagnan (*Charles de Batz-Castelmore*, 1611-1673, futuro Marechal de França e Conde d'Artagnan; um jovem de 18 anos no começo do livro de Dumas), de rosto comprido e moreno; os malares salientes, sinal de astúcia, e os músculos maxilares fortes e bem desenvolvidos da Gasconha. O olhar franco e inteligente abaixo da boina emplumada. Nariz adunco, finamente desenhado, estatura média, mas proporcionada, é também aventureiro e corajoso em busca da fortuna, acompanhado por comprida espada de cabedal, que batia nas pernas, e por um grande cavalo de pelo amarelo do Béarn — com doze ou catorze anos, estropiado, “sem crinas na cauda” — que causava espanto e admiração a quem o visse, apesar das insuspeitas e não reconhecidas qualidades: resistente, de bom gênio, fazia umas oito léguas por dia, sendo um ótimo parceiro para um jovem...

|...| O jovem gascão finalmente chega à capital do Reino de França--Paris, uma cidade fervilhante de vida e emoções; duelos e romances; aventuras e perigos...e trava conhecimento com três homens leais e valorosos da Companhia de Mosqueteiros do Rei, a quem chamam "os três inseparáveis": Athos, o nobre, Porthos, o forte e Aramis, o astuto. Nasce então entre eles uma grande amizade e D'Artagnan vai se mostrar digno da farda de mosqueteiro, depois de testadas as suas qualidades de espadachim e homem de armas.

Juntos, lutam corajosamente para salvar a honra da rainha Ana de Áustria de um imbróglio amoroso com George Villiers, o Duque de Buckingham, braço direito do Rei Carlos I da Inglaterra... Uma atmosfera sombria de perigos e intrigas palacianas envenena a vida francesa e o Pais vive dias de guerra civil, opondo os Católicos aos Huguenotes protestantes.

Os quatro amigos voltam à Paris onde Monsieur de Tréville, capitão dos Mosqueteiros do Rei, os notifica de que devem se preparar para se juntarem ao exército francês no Cerco de La Rochelle. Ele ainda anuncia a D'Artagnan que o rei lhe concederia um lugar no regimento dos mosqueteiros após o cerco. Os mosqueteiros participam ativamente em todos os combates da campanha no Cerco da La Rochelle (Set. de 1627 a Out. de 1628) e cobrem-se de glória...
====
(*) O herói de "Os Três Mosqueteiros" é baseado no personagem histórico Charles de Batz de Castelmore d'Artagnan do regimento de Luís XIII de França : os "Cadetes da Gasconha". Seu nome é citado em memórias e correspondências da época, notadamente nas de Madame de Sévigné. Alexandre Dumas dispunha como fonte das "Memórias de M. D'Artagnan" de Gatien de Courtilz de Sandras redigidas em 1700, 27 anos após a morte de d'Artagnan . Dumas pinça daí uma grande quantidade de detalhes que reescreve dentro de seu estilo bastante pessoal. O projeto deste livro que dá origem à trilogia sobre d'Artagnan e os Três Mosqueteiros é originalmente uma idéia de Auguste Maquet, constante colaborador de Dumas, que o ajuda na redação do romance. As memórias da época em que ocorrem os eventos abordados pelo livro lhes fornecem um manancial de intrigas, notadamente no episódio dos ferretes da rainha que é narrado, por exemplo, por La Rochefoucauld no primeiro capítulo de suas "Memórias".

O sucesso do romance foi tal que o próprio Dumas o adaptou para o teatro e que dois outros romances se seguiram, tomando os quatro mosqueteiros como personagens principais, e formando a Trilogia dos Mosqueteiros : "Vinte Anos Depois", lançado em 1845, e "O Visconde de Bragelonne" (Deste último, foi tirada a história do Homem da Máscara de Ferro), escrito entre 1848 e 1850. [Wikipedia].

Literatura Estrangeira / Aventura / Ficção / Romance

Edições (50)

ver mais
Os Três Mosqueteiros
Os Três Mosqueteiros
Os Três Mosqueteiros
Os Três Mosqueteiros

Similares

(56) ver mais
Homens Elegantes
O Rei Artur
Viagens de Gulliver
Robin Hood

Resenhas para Os Três Mosqueteiros (155)

ver mais
Magnífico!
on 23/8/10


Logo no começo do livro, temos esse parágrafo: "Em que se estabelece que, apesar de os seus nomes terminarem em "os" e em "is", os heróis da história que vamos ter a honra de contar aos leitores nada têm de mitológico." Sendo reais ou não, são verdadeiros heróis estes personagens que esta história conta. Apesar de não ser um livro mitológico, se assemelha bastante a um quanto ao seu poder. Há em todo o livro grandes tramas, há amor e ódio, há carinho e vingança. Há heróis magníficos, ... leia mais

Vídeos Os Três Mosqueteiros (3)

ver mais
Os Três Mosqueteiros de Alexandre Dumas | Resenha

Os Três Mosqueteiros de Alexandre Dumas | Res

Os Três Mosqueteiros - Alexandre Dumas

Os Três Mosqueteiros - Alexandre Dumas

Você já leu Os três mosqueteiros, por Alexandre Dumas? Resenha sem Spoilers

Você já leu Os três mosqueteiros, por Alexand


Estatísticas

Desejam2.055
Trocam117
Avaliações 4.2 / 5.832
5
ranking 49
49%
4
ranking 31
31%
3
ranking 17
17%
2
ranking 3
3%
1
ranking 0
0%

33%

67%

orffeus
editou em:
15/03/2016 00:44:01