Putas assassinas

Putas assassinas Roberto Bolaño


Compartilhe


Putas assassinas





Em textos breves e desconcertantes, Roberto Bolaño coloca em xeque os limites entre a realidade e a ficção, o vivido e o imaginado.

Roberto Bolaño não tem a mínima preocupação com os gêneros tradicionais. Simplesmente convida o leitor a acompanhá-lo em histórias que muitas vezes parecem memórias de juventude ou lembranças de viagem. De repente, estamos enredados na ficção, quando não na rememoração de um sonho, e não de um simples evento biográfico.

Fica fácil entender por que o escritor chileno já era considerado um dos principais renovadores da literatura latino-americana, quando morreu prematuramente, aos 50 anos, em 2003. Para Enrique Vila-Matas, Bolaño vinha pôr fim ao beco sem saída do realismo mágico. Para Susan Sontag, ele já tinha assegurado "um lugar permanente na literatura mundial". E isto apesar de ter vivido na obscuridade até a década de 1990, exilado, primeiro no México e depois na Espanha, tirando seu sustento de trabalhos precários.

E a marca principal dos personagens de Bolaño é justamente a precariedade, seja a econômica, seja a afetiva. São os jovens chilenos dispersos depois do golpe liderado pelo general Augusto Pinochet, em 1973. É o escritor desconhecido que vagabundeia pela França e pela Bélgica. É o filho de uma prostituta que revê os filmes pornô da mãe grávida dele. É o cadáver de um boêmio que toma contato com a necrofilia de uma celebridade da alta costura. De um modo ou de outro, todos vivem mergulhados na amarga ironia do autor, que parece identificar-se com cada um deles, num jogo de fingimento e revelação simultâneos.

Contos / Literatura Estrangeira

Edições (1)

ver mais
Putas assassinas

Similares

(11) ver mais
2666
Os detetives selvagens
Noturno do Chile
Amuleto

Resenhas para Putas assassinas (19)

ver mais
Putas Assassinas (Roberto Bolaño)
on 11/10/10


Publicado no Brasil pela Companhia das Letras pela primeira vez em 2008, e agora em 2010 ganhando a primeira reimpressão, Putas Assassinas trata-se de uma coletânea de contos do escritor chileno Roberto Bolaño. Eu confesso que ainda estou começando a conhecer o autor (lendo 2666 aos poucos, lembram?) e fiquei bastante impressionada com o que vi, ainda mais quando os fãs de Bolaño dizem que esse é o livro mais fraco dele. Se realmente é, fico imaginando os demais deve ser excelente. Nã... leia mais

Estatísticas

Desejam106
Trocam4
Avaliações 3.8 / 278
5
ranking 21
21%
4
ranking 47
47%
3
ranking 25
25%
2
ranking 7
7%
1
ranking 0
0%

50%

50%

Everton
cadastrou em:
23/01/2009 09:25:12
Jenifer
editou em:
26/05/2021 13:11:00

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR