Eles nos Chamavam de Inimigo

Eles nos Chamavam de Inimigo




Resenhas - Eles nos Chamavam de Inimigo


22 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Cassio Kendi 12/07/2021

"Japonês filho da p***!". Estava na calçada esperando o Uber depois do almoço, quando um carro passou no semáforo da esquina, e do banco do passageiro um jovem de óculos escuro bradou estas palavras. Eu não o conhecia, e suponho que ele não me conhecia também.
Os olhos puxados foram motivo suficiente.
---
O livro é uma autobiografia de George Takei, ator americano descendente de japoneses, com enfoque maior para sua infância no contexto da Segunda Guerra Mundial. Após os ataques em Pearl Harbor, o então presidente Roosevelt promulga o decreto 9066, que exclui todos os nipo-americanos de seus direitos e posses e os transfere para 'centros de realocação'. O autor e sua família permanecem encarcerados nestes centros durante 4 anos, do fevereiro de 1942, até pouco depois do fim da guerra, em março de 1946. Apenas em 1991 ele recebe uma carta de desculpas do governo dos EUA.
Os olhos puxados foram motivo suficiente.
---
Metonímia
--------------
ps: quem quiser emprestado o livro em português, só me mandar mensagem.
Ceci 13/07/2021minha estante
Amei tua iniciativa de emprestar os livros!!! Muito massa ;D


Mariana 14/07/2021minha estante
Boa resenha, quero ler!


livia 16/07/2021minha estante
me deixou muito curiosa!!


Vicky 16/07/2021minha estante
Já quero ler!!


Kel 17/07/2021minha estante
Gostaria muito de ler, será mais pesado e impressionante que Maus?


Priscilla Teles 28/07/2021minha estante
eu achei o preço desse livro maior do que o prazer em lê-lo


Cassio Kendi 29/07/2021minha estante
Obrigado, Ceci, se quiser algum, só me mandar msg


Cassio Kendi 29/07/2021minha estante
Kel, preferi Maus, tanto pela arte quanto pela história. Os 'centros de realocação' deste livro são uma versão bem, bem light de campos de concentração, quase não dá para comparar. Pelo livro e pelo que li, está mais para uma prisão humanitária.


Cassio Kendi 29/07/2021minha estante
Priscilla, esta é uma ótima forma de colocar kkkkk! Vou roubar esta expressão para quando não gostar de um livro


Cassio Kendi 29/07/2021minha estante
Priscilla, aliás, ótimas dicas na sua biografia, valeu por compartilhar os sites, não conhecia


Lozada Yamaguti 27/09/2021minha estante
Eu definitivamente quero esse livro, obrigada pela resenha




Jonas (@castelodepaginas) 01/09/2020

Eles nos chamavam de inimigo
Fiz a resenha dessa obra no meu blog. Confiram...
Instagram: @castelodepaginas

site: https://resenhasnonaarte.blogspot.com/2020/09/eles-nos-chamavam-de-inimigo.html
comentários(0)comente



Gabriela.Pimenta 10/08/2020

Eles nos chamavam de inimigo
Após o ataque japonês à base naval de Pearl Harbor, no Território do Havaí, toda a comunidade nipo-americana residente nos Estados Unidos foi considerada inimigos de guerra. Em 1942, por ordem do presidente Frankiln D. Roosevelt, os cidadãos de descendência japonesa na costa oeste foram confinados em "centros de realocação". Onde foram mantidas por anos sob a vigília de guardas armados, sob o pretexto de que esses centros eram mais seguros, devido a crescente hostilidade dos norte-americanos com os imigrantes japoneses naquele momento da Segunda Guerra Mundial.
George Takei, famoso por interpretar o personagem Hikaru Sulu da série Star Trek, foi levado com sua família para um desses campos de concentração aos 4 anos de idade e através dessa HQ autobiográfica ele descreve como foi passar parte da sua infância nesse local, e as consequências para sua família.
O principal aprendizado que levo dessa leitura é o exemplo de resiliência e força dos pais de George. Sua mãe fez de tudo para minimizar o trauma daquele confinamento para seus três filhos pequenos, com atitudes aparentemente simples como um estoque de doces para as crianças ou uma singela decoração no estábulo onde foram alojados. Enquanto seu pai atuou como líder da comunidade e intermediário entre os presos de guerra e os dirigentes do campo.
Estima-se que 120 mil descendentes de japoneses viveram nesses campos de concentração. Somente com a rendição do Japão, em 1945, os campos foram aos poucos sendo desativados e em 1988 o governo desculpou-se publicamente por esse ataque racista aos nipo-americanos.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Nana 21/10/2020

Uma leitura educativa!
Esse livro é um relato do autor George Takei sobre sua experiência e de sua família, nos campos de internação dos japoneses que viviam nos Estados Unidos  no período da  2ª guerra mundial.
Através de suas lembranças de criança, temos uma ideia de quanto sofrimento e humilhação viveram os nipo-americanos que não cometeram crime algum para estarem lá, o único motivo era a etnia.
Para mim a leitura foi educativa e emocionante! Por ser uma história em quadrinhos, torna-se uma leitura fácil e prazerosa, com ilustações muito esclarecedoras para todas as idades. Ótima opção para ser usado em escolas para ensinar sobre a história mundial.
Mais uma história triste da humanidade sobre o racismo e o preconceito, que infelizmente continua tão presente até hoje. Adorei!
comentários(0)comente



Carlos Roberto 27/07/2021

Takei: o relato pessoal da xenofobia a nipo-americanos
Takei muito além de Star Trek, de Hikaru Sulu. Em 1942, no auge dos conflitos da Segunda Guerra Mundial, a família Takei recebeu uma visita inesperada. Os soldados norte-americanos levaram o casal e seus três filhos para um campo de detenção exclusivo para os imigrantes japoneses e seus descendentes!
Nesta impressionante autobiografia em quadrinhos, o ator/autor/ativista George Takei revisita sua infância assustadora em um campo de concentração nos Estados Unidos, como um dos 120 mil nipo-americanos aprisionados pelo governo norte-americano durante a Segunda Guerra Mundial.
comentários(0)comente



Helo 20/04/2021

Incrível.
Já assisti Star Trek e nem tinha noção da história de George Takei, o Sulu, também não tinha conhecimento dos horrores aos quais o nipo-americanos foram submetidos. Certamente um livro muito necessário, leva um história que merece uma voz cada vez mais alta diante das desumanidades vividas pelos nipo-americanos durante a Segunda Guerra.
comentários(0)comente



Luísa 17/04/2021

Perfeito
Muitas reflexões a serem feitas nesta HQ baseada em fatos reais! Amei muito. Recomendo!
comentários(0)comente



DaniBooks 11/05/2020

Eles nos Chamavam de Inimigo
Uma HQ incrível, autobiográfica, na qual George Takei - você que é fã de Star Trek vai reconhecê-lo - nos conta sua história. Mais precisamente, parte de sua infância passada em um Campos de Concentração nos EUA.

Isso mesmo: Campos de Concentração nos EUA!

Após o ataque do Japão à base militar de Pearl Harbor, todos os nipo-americanos foram isolados em campos de concentração. Takei nos narra as angústias, as dificuldades e o cotidiano nesses lugares. Também nos conta como essas pessoas, muitas nunca haviam pisado no Japão, se sentiram apátridas e traídas por seu próprio país.

Uma parte da História pouco contada e explorada de forma delicada, porém com muita clareza.

Uma história sobre família, coragem, nacionalismo, preconceito e violência. Uma excelente experiência, que só nos acrescenta, tanto em conhecimento, como em empatia.
comentários(0)comente



felipe_mori 27/08/2020

Triste, real e, porque não, ainda atual (com nova roupagem)
Fiz um breve comentário sobre quadrinho foi idealizado por George Takei (Hikaru Sulu - Star Trek) que conta os perrengues que ele (criança) e sua familia passaram nos campos de concentração para descendentes de japoneses nos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial:

Muitos, americanos de nascença, 'exilados' em sua própria terra devido a forte onda xenófoba que tomou conta dos Estados Unidos, tiveram os seus bens confiscados, enfim, perderam tudo...

O que Takei passa para o leitor é que, assim como os nipo-americanos na Segunda Guerra, muitos imigrantes (especialmente latinos e árabes) também estão tendo suas famílias separadas (lembrar das crianças separadas dos pais para ficarem juntas e ao msm tempo, órfãs em um estabelecimento do governo americano) quando essas famílias querem apenas começar uma nova vida nos EUA.

Leitura simples, direta e muito emocionante.
comentários(0)comente



Ligia.Edgleisy 24/01/2021

Incrível
Extremamente necessária.
comentários(0)comente



Bersa Mendes 09/05/2021

bom livro
gosto da temática do livro, da questão histórica, da maneira como os quadrinhos são elaborados. mas fiquei sempre com aquela sensação que a densidade literária do texto nunca chega a se aprofundar muito. muitas vezes fica a sensação que eles apenas elencam os fatos ocorridos, sem tanto capricho na literatura.
comentários(0)comente



Tati 30/11/2021

Campos de internamento ( ou concentração) para nipônicos...
Um ótimo roteiro, desenvolvido por Takei, Justin Eisinger e Steven Scott é muito bem amarrado, e passeia entre o presente e passado, por meio de recordatórios. Você sente a injustiça e se revolta ao notar o racismo impregnado! A cada informação apresentada, o desespero se torna maior. A arte de Harmony Becker é muito bonita e bem limpa, mais deixou a desejar, tem uma certa leveza, a qual tirou a impressão das partes mais impactantes do roteiro, a qual achei uma pena. As ilustrações da artista é um estilo mangá, sendo a leitura em orientação ocidental mesmo.
Essa obra não se prende apenas no relato do passado, mas se preocupa em relembrar uma parte pouco falada da história americana. O ?racismo legalizado? que os nipo-americanos sofreram no qual foi enorme, e é importante que isso seja relembrado para que não se repita, independentemente da cor da pele.Eles nos chamavam de inimigo foi ganhador do Prêmio Eisner de 2020, na categoria de ?melhor obra baseada em fatos?.
comentários(0)comente



Løu huebes 26/07/2020

Um belíssima experiência
Essa HQ emocionante nos apresenta as experie?ncias de um Japone?s que foi obrigado a deixar seu lar em direc?a?o ao futuro incerto, pois em 1942 o presidente norte-americano Rooselvet ordenou que todas as pessoas com descende?ncia japonesa deveriam ser enviadas para os ?centros de realocac?a?o?.
O narrador Takei nos mostra sua visa?o quando crianc?a passando por aqueles momentos sem entender muito bem o que acontecia, a histo?ria intercala entre sua vida nesses ?centros?, ele contando em um discurso como foi, e fatos histo?ricos da e?poca o que nos ajuda a compreender melhor o contexto. Sempre que uma histo?ria tra?gica e? narrada do ponto de vista de uma crianc?a tra?s uma emoc?a?o a mais para a histo?ria, onde a crianc?a se mostra deslocado naquele local, se questionando do porque foi parar ali longe de casa e porque as pessoas estavam os tratando daquela forma.
Em 1942 os japoneses atacaram os Estados Unidos, o que decretou imediatamente uma guerra onde ate? mesmo os descendentes de japoneses que eram nascidos no EUA eram vistos como inimigos, ja? que eles diziam que nunca se sabe o que passa na cabec?a dessas ?japas? que na?o se poderia confiar em nenhum, e dessa forma todos eles foram expulsos de suas casas e obrigados a se dirigir para ?centros de realocac?a?o? onde viviam cercados por arames e soldados armados prontos para agirem a qualquer momento, viviam em uma pe?ssima condic?a?o e ate? deram a opc?a?o de que renegassem suas origens e se tornassem inimigos do Japa?o, tudo isso para poder ser considerado um cidada?o americano.
Esse tipo de conteu?do e? sempre importante para obtermos maior conhecimento, aprendi muita coisa por meio dessa leitura, recomendo a todas essa experie?ncia.
comentários(0)comente



22 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR