Arlequina: Quebrando Vidraças

Arlequina: Quebrando Vidraças




Resenhas - Arlequina: Quebrando Vidraças


17 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Greg 11/11/2021

Obra incrível
Uma narração profunda em crianção de uma personalidade com intensidade, ideias e sentimentos, mas o que encanta é a forma que a cada capítulo a arte flui e mostra quando a personalidade da nossa Arlequina se transforma naquilo que ela sempre foi. Um anjo e um demônio.
comentários(0)comente



Isa 26/09/2021

Tá achando que drag é bagunça?
Essa HQ tem tanta representatividade que eu até chorei! Movimento feminista, movimento LGBTQIA+, A deixa de "sexualização das personagens de HQ´s" pela escolha da roupa da Harley. Ela tem suas opiniões, ela tem seu jeitinho, seu carinho pelas pessoas, também o seu ódio.
O traço é incrível e a narração é muuuuito gostosinha! Vale super a pena.
comentários(0)comente



Luh (@imagineso.se) 08/09/2021

Quebrando Vidraças
Gostei muito da leitura! Gostei dos temas desenvolvidos, do roteiro, do desenho, da motivação da personagem, do plot... É um quadrinho bem legal e eu recomendo!
comentários(0)comente



teentitans 31/07/2021

essa história fala de tanta coisa importante, uma pena a divulgação do selo aqui no brasil ser horrível porque é o tipo de graphic novel que tem que ser muito panfletada.

eu adorei, principalmente a dinâmica da narrativa, parece que to com a voz da arlequina na cabeça me contando um caso.

nessa história, E SÓ NESSA, a coloração fraca faz sentido pra diferenciar a vida da harleen da vida da arlequina, e eu gostei bastante do jeito que cada parte da vida dela foi pintado de uma cor, provavelmente pra enfatizar essa diferença.

não me surpreende essa graphic novel ser elogiadíssima, é muito boa e divertida - TOMARA QUE TENHA CONTINUAÇÃO
JoaoPeter 01/08/2021minha estante
Indo comprar ???




Leonardo 06/07/2021

Arlequina: Quebrando Vidraças consegue fazer algo bom e ruim ao mesmo tempo.
Pelo lado positivo da Hq eu poderia dizer que a arte, coloração e história se encaixam perfeitamente; a paleta de cores usadas foram muito bem escolhidas para definir o que seria flashback (Uma cor meio marrom claro), a noite e dia em Gotham. Em relação a história, eu fico em dúvida em alguns pontos, já que em alguns flashback parece que a Harley já tinha essa personalidade de "vilã". Mas, isso não tira o mérito da história de mostrar personagens interessantes e procurar te divertir.
Se fosse para dizer os pontos ruins da HQ, acredito que seria a descaracterização da Hera Venenosa (acho que estou mais acostumado com versão/visual das animações, jogos e HQs), mas nada que compromete a personalidade dela. Um outro ponto seria o ponto seria o próprio 'Coringa', você que consegue deduzir quem é a pessoal antes mesmo de acabar de ler ?. Pois acredito que mesmo sem o 'Coringa', a história continuaria o mesmo rumo apresentado nela.
comentários(0)comente



joobart 20/05/2021

Eu amei demais essa versão adolescente. A história trata muito bem das questões de minorias, é bem legal ver isso sendo trazido de uma forma tão natural para os quadrinhos. Gostei muito, mesmo a Arlequina usando umas palavras bregas que me dão vergonha alheia.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Lucas 31/12/2020

Mais um quadrinho do selo DC Teens.
Arlequina: quebrando vidraças aborda temas atuais e mais do que necessários para os dias de hoje.
comentários(0)comente



Joel R. 30/12/2020

Uma ótima e válida releitura da personagem !
Após um segunda leitura consegui absorver o quão rico e excepcional é a narrativa criada por Mariko Tamaki com sua releitura da personagem palhacinha da DC. E o título vem bastante a calhar, pois realmente deve quebrar as vidraças de muitos puristas.
Apesar de entrar nessa linha DC para adolescentes, é um quadrinho bastante maduro e que trás discussões bastantes valiosas em nossos dias. Tratar de preconceitos, representação e diferenças sociais já é de praxe em muitas obras (e sempre bem importante), mas Tamaki faz uso com primor de tais artifícios para introduzir a personagem principal naquele universo tão crível e condizente com os dias de hoje.
A arte de Steve Pugh é exuberante, pois corrobora com toda a obra, se apoiando em traços que valorizam bastante as expressões faciais dos personagens.
Existe também aqui ainda uma releitura de outros personagens no qual simpatizei e comprei a ideia na maioria dos casos. Acho que existiu alguma "esticada" de barra ali com alguns personagens e suas influências no qual somos familiarizados, mas entrar em detalhes já seria Spoiler.
É totalmente compreensível a indicação do quadrinho para categorias do prêmio Eisner e mais um baita acerto desses selos novos especiais da DC.
comentários(0)comente



Renato Zanotte 07/12/2020

Gibizinho Show!
Tá aí uma bela surpresa. Um gibizinho muito bom, com uma visão mais pé no chão e realista da palhacinha de Gotham.

Tem mais em http://bit.ly/quebrandovidracas
comentários(0)comente



Tha 30/11/2020

"Essa não é uma história sobre se sentir bem e seguro"
Essa é uma HQ muito importante em tantos sentidos! É cheia de representatividade, fala sobre preconceito, racismo segregação, feminismo. E tudo isso com o bom humor característico de Harleen Quinzel. É uma história incrível, com muitas viradas, super sensível e emocionante, trata de assuntos delicados e importantes.
É uma nova história de uma personagem tão conhecida, que traz um novo lado da anti-heroína que consegue ser ainda mais carismática, diferente mas mantendo a essência. É muito fácil se identificar com essa versão de Harleen e simpatizar com seu motivos
Aaah e preciso comentar que o uso de linguagem neutra na HQ me ganhou já no começo, foi uma surpresa maravilhosa!
"Arlequina: Quebrando Vidraças" entrou fácil pra minha lista de melhores leituras do ano e com certeza vai ser uma hq que vou indicar pra muitas pessoas, porque é realmente impecável.
comentários(0)comente



Tico Menezes 19/11/2020

Urgente e merecedora de todos os prêmios!
Críticas à homofobia, ao sistema judiciário parcial aos homens brancos ricos e héteros, à gentrificação, ao machismo instalado no sistema educacional, à exclusão das artes feitas por mulheres, negros, asiáticos e minorias e, por fim, ao capitalismo e os efeitos selvagens desse sistema que abandona seres humanos na miséria.

Sim, tudo isso numa HQ teen da Arlequina. A autora merece todos os prêmios por ter mergulhado na psiquê da personagem, pela narrativa ágil, divertida e pouco preocupada em dar sentido às piadas e pela introdução perfeita aos novos leitores de quadrinhos. Assim como a arte também merece aplausos e destaque, tudo é vivo e intenso, é tudo catártico.

Uma das melhores leituras do ano, com certeza! Não se se vem, mas merece uma sequência o quanto antes!
comentários(0)comente



Dri 04/11/2020

Honrou a Harley!
"Prestem atenção, porque vou contar uma história ótima que vocês vão amar, vai fazer a cabeça de vocês explodir feito pipoca."

E é assim que começa essa HQ maravilhosa. Eu sou apaixonada pela Arlequina. Ela é minha personagem favorita, não tem quem ganhe dela, não tem quem já tenha feito eu ir tantas vezes em bancas, lojas e barraquinhas de feiras caçando coisas temáticas.

Fiquei tão radiante lendo essa HQ porque a Mariko Tamaki conseguiu fazer com perfeição uma trama que preservou a essência da Arlequina na versão adolescente, a impulsividade, o carinho pela Hera, a dinâmica esquisita com o Coringa, o amor por comida, o bom humor incrível, o jeito torto de fazer as coisas, mas ela só quer ajudar haha.

É perfeita para jovens, fala de temas muito atuais como diversidade, preconceitos e injustiças estruturais, direitos das mulheres, empatia e lutar por aquilo que acredita. A Harley no começo vai morar em Gotham City com uma drag queen chamada Mama, a Hera é negra e luta pela preservação do planeta, ama plantas e a Harley igualzinho a versão adulta.

É tão lindo, importante, sensível, bem-humorado, criativo e caprichado. Não tem necessidade de continuação, apesar do final um pouco aberto, o conflito principal se encerrou, mas eu não acharia ruim se tivesse mais volumes.

Não foi à toa que Arlequina: Quebrando Vidraças foi indicada ao prêmio Eisner e a Mariko Tamaki ganhou como melhor roteirista muito merecidamente.
comentários(0)comente



Mai @dinastiamai 20/10/2020

Mais um acerto do selo DC Teens. É uma história com um tom mais leve e jovial, mas que nem por isso deixa de ser uma boa leitura pros mais experientes. Acompanhamos uma Arlequina adolescente e toda a sua rica ambientação, com discussões muito atuais e importantes. Inclusive, é uma das primeiras hqs que vejo que traz um personagem que usa linguagem neutra.
comentários(0)comente



Luciano Luíz 04/10/2020

Se você já leu as mensais da Arlequina ou mesmo os encadernados, ARLEQUINA - QUEBRANDO VIDRAÇAS não tem absolutamente nada de diferente. No máximo é outro universo (entre tantos) alternativo onde a garota tresloucada é adolescente e vai viver com a avó mas ao chegar no apartamento, descobre que a mesma está morta e ali vive uma drag chamada Mama.
Arlequina vai pra escola, faz amizade com Hera, uma moça que luta contra o racismo e direito das mulheres. O Coringa se revela e quer botar a cidade abaixo. Há a corporação que quer despejar os moradores e construir novos empreendimentos imobiliários (isso é bem comum em enredos que ocorrem em obras estadunidenses).
Enfim, não é algo do tipo: nossa, que fabuloso e tal. Mas é uma boa estória. E nas aventuras da Harlen, sempre teve questões sociais. A autora MARIKO TAMAKI fez mudanças aqui e acolá, como a etnia de uma personagem e de algum jeito tentou colocar diversas questões referentes não apenas a vida contemporânea, mas que continuam se mantendo fortes em muitas áreas. A arte de STEVE PUGH se destaca com imensa facilidade. Não é somente com relação ao traço, onde as expressões faciais são impecáveis, mas também nos tons onde diversas páginas se tornam obras independentes de acordo com o tempo (passado e presente) e até a atmosfera (tanto em questão de ser dia ou noite quanto ao que está acontecendo em reação dos personagens).
É uma edição que compensa o investimento. Só é estranho que seja um pouco menor que o formato americano padrão, pois seria ainda mais maravilhoso contemplar os desenhos em páginas maiores.

L. L. Santos
comentários(0)comente



17 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR