Guerras Secretas #1

Guerras Secretas #1



Resenhas - Guerras Secretas #1


3 encontrados | exibindo 1 a 3


Luciano Luíz 10/08/2016

A versão 2015 de GUERRAS SECRETAS não me empolgou. O visual dos personagens em alguns casos está de ruim pra pior. É verdade que não acompanho os títulos mensais e daí quando vejo um Hulk ou os X-men com traços que parecem adolescentes, me pergunto como diabos isso aconteceu...
Essa nova Guerra é bem diferente da original (que já não era grande coisa), pois aqui o universo Ultimate e o Marvel estão colidindo de forma física. O que achei mais estúpido foi que os heróis de ambas as Terras simplesmente vão se atacando como imbecis. Algo totalmente ilógico. Tá certo que tem o esquema de sobrevivência. Antes ele do que eu... Porém, falamos de personagens que de tudo fariam para salvar pessoas aqui e ali, mas eles usam naves e seus fodásticos poderes para destruir edifícios e fodam-se os coitados que lá estão além da turma que tá na rua a pé, em carros, ônibus e blá, blá, blá...
Em resumo, achei uma grande bosta... É mais do mesmo como as intermináveis sagas que já foram apresentadas ao logo de tantos anos. Até CATACLISMO (no universo Ultimate) foi melhor do que esse troço...
Aliás, essa saga mais parece uma versão empobrecida de CRISE NAS INFINITAS TERRAS, da DC. Fazendo com que ocorra a morte dos mundos... Eita... Se parar pra analisar, Guerras Secretas dos anos 80 mesmo sendo ruim, ainda é melhor que essa nova... puta que pariu...

Nota: nem merece de tão ruim...


site: https://www.facebook.com/LLSantosTextos/?fref=ts
Leandro 11/08/2016minha estante
É compreensível que você ache ilógico e estúpido o fato de que "os heróis de ambas as Terras simplesmente vão se atacando como imbecis" já que você disse que não acompanha as mensais. Bom, quem acompanha a mensal Os Vingadores sabe que, ao longo de 35 edições, que reúne os dois principais títulos escritos pelo roteirista Jonathan Hickman (Avengers e New Avengers), idealizador dessa saga, é mostrado os heróis buscando as mais diversas soluções para as chamadas "incursões" e, após várias tentativas frustradas, a única solução restante é a destruição de uma Terra para a sobrevivência da outra, então não é como se partir pra destruição fosse a primeira ideia deles, embora possa ficar essa impressão pra quem está lendo apenas essa saga.




jlroldan 25/08/2016

Já inicia na ação!
Começou no estouro! Já se inicia no tom épico e urgente. Universo 616 e Ultimate se chocando! Praticamente uma continuação do que foi sendo feito nos Vingadores e Novos Vingadores da Nova Marvel. Por ser uma continuação senti falta de um "Anterioriormente na Marvel..." ou alguma explicação de início. Para novos leitores, que não acompanhou Vingadores da Nova Marvel pode ficar confuso. Aconselho que, se não quiser ler todas as edições anteriores da Nova Marvel, que leia ou assista algum vídeo que resuma o que aconteceu antes de ler essa Saga. Estou curtindo.
comentários(0)comente



Carlos.Santos 27/06/2017

UNIVERSO MARVEL 616 (1961 - 2015) - UNIVERSO ULTIMATE 1610 (2000 - 2015)
O Multiverso da Marvel acabou e o que resta agora é o Mundo Bélico. Essa nova Terra foi moldada pelas mãos do implacável Deus Destino (sim, Victor Von Doom) e o lugar é dividido em diversos territórios comandados pelos Barões, em sua maioria grandes vilões da Marvel como Sr. Sinistro, O Maestro, Apocalypse, etc. E o mais interessante é que cada região dessas representa uma grande saga da Casa da Ideias, ou seja: temos o território Dinastia M, o território Guerra Civil, o território Planeta Hulk e assim por diante. As histórias desses locais são contadas nos diversos tie ins lançados ao longo da saga principal. Alguns são muito bons como é o caso de Guerra Civil e outros péssimos, como o Planeta Hulk. No entanto, não é necessária a leitura dessas hqs para entender a saga principal. Na verdade, elas nem chegam a influenciar nada nos acontecimentos.

O grande nome da saga é o próprio Deus Destino. Vilão outrora caricato, moldou-se num ser trágico, quase shakespeariano graças a passagem de John Byrne no Quarteto Fantástico durante os anos 80. Aqui ele conquista tudo que almejou, supostamente derrotar seu nêmesis Reed Richards e lhe tomar a esposa, Susan, e a filha, Valeria.

No Mundo Bélico, os heróis Marvel perderam sua consciência. Porém, graças a Reed Richards e o Pantera Negra, alguns escaparam do fim do mundo na Balsa e, obviamente, ao chegarem no Mundo Bélico vão criar uma força de resistência para combater Destino. Nessa obra, Hickman brinca com a ideia das realidades alternativas e ainda faz uma bela homenagem à Casa das Ideias. É a cereja no bolo de um trabalho que durou mais de três anos nas hqs dos Vingadores.

A arte é gloriosa. Esad Ribic desenha muito. Ele já havia mostrado a que veio em Thor - O Carniceiro dos Deuses e aqui continua o excelente trabalho. Graças a Destino ele consegiu entregar as edições no prazo e não houve nenhuma substituição de desenhista, coisa que me irrita profundamente quando acontece pois o trabalho fica descaracterizado.

Como disse anteriormente, Destino é a principal figura da saga. Aqui ele vai aprender a duras penas que ser um Deus não é tarefa fácil. Guerras Secretas foi mais um acerto de Jonathan Hickman na Marvel. Pena que depois disso, as aventuras dos Vingadores vieram ladeira abaixo. Infelizmente, depois de Guerras Secretas, o autor saiu da Marvel para se dedicar aos seus títulos - ótimos por sinal - autorais na Image Comics. Bem, saudades ele vai deixar.
comentários(0)comente



3 encontrados | exibindo 1 a 3