Os Mitos de Cthulhu

Os Mitos de Cthulhu




Resenhas - Lovecraft: The Myth of Cthulhu


26 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Rafaella @blogancoraliteraria 19/03/2020

Boa
Ótimo trabalho gráfico, mas HP Lovecraft não é fácil de trabalhar e não funcionou pra mim, uma pena. Fora que achei o trabalho com as referências péssimo.
comentários(0)comente



Gabriela 28/07/2020

Terminei de ler querendo que fosse maior a hq, traços lindos e a adaptação não deixa a desejar.
Emerz 28/07/2020minha estante
O traço dele é sensacional, dá pra entender as cenas sem precisar lê os balões


Gabriela 29/07/2020minha estante
Siim, eu fiquei meio "ok" quando li isso mas depois de ler a hq da pra ver como é verdade isso


Emerz 30/07/2020minha estante
Ainda não li outras coisas dele, mas depois desse gibi já procurei outros




Dhiego Morais 13/07/2020

Motivos para ler
Talvez seja um sintoma claro de ilusão literária, mas para os leitores que acompanham fielmente as editoras e blogueiros que conversam e compartilham notícias, críticas e lançamentos frequentemente, já devem ter notado uma corrente que converge diretamente para a disseminação, criando um enfoque que aponta diretamente para o universo geek dos quadrinhos. Talvez seja cedo demais para dizer, mas esse mesmo universo geek parece caminhar se não bem, então um pouco melhor que o de romances. Mais pessoas se interessam diariamente pelas HQs e se arriscam a lê-las, ou comentam, indicam que finalmente se sentem atraídas por essa arte. E isso é fantástico!
Seguindo a mesma lógica, não é segredo que uma das editoras que mais está se sobressaindo com o seu trabalho excepcional de curadoria, design editorial e marketing digital é a Pipoca & Nanquim, tocada basicamente por três pessoas apaixonadas pelo ramo: Alexandre Callari, Bruno Zago e Daniel Lopes. Sendo assim, tão logo foi anunciada a pré-venda de “Os Mitos de Cthulhu”, não pensei duas vezes e fiz a minha reserva. E não poderia ter sido melhor essa leitura! A seguir eu comento 4 bons motivos para que você também dê uma chance para essa HQ!
1. ADAPTANDO OS CONTOS DE LOVECRAFT
Um dos grandes motivos que me fizeram adquirir essa HQ foi justamente por se tratar de uma adaptação para o universo dos quadrinhos das histórias de horror de um dos grandes mestres da literatura de ficção clássica: H. P. Lovecraft, o cavalheiro de Providence. Deixando de lado as já sabidas ressalvas quanto à figura de Lovecraft, é inegável a sua influência e relevância para a contemporaneidade. Responsável por mitos aterrorizantes, eu não poderia perder a chance de ver de perto como Esteban Maroto imaginara o universo de horror desses mitos.

2. CONHECENDO ESTEBAN MAROTO
Em Os Mitos de Cthulhu, Maroto não faz a sua primeira passagem pelo Brasil. Após anos de esquecimento, a editora Pipoca & Nanquim resgata os trabalhos de um dos maiores mestres dos quadrinhos P&B, primeiramente com Espadas & Bruxas, seguido do aclamadíssimo Cinco por Infinito, e, finalmente agora por Os Mitos de Cthulhu, uma das obras mais bem realizadas da editora e do autor.
A arte de Maroto é um caso digno de nota e terá mais destaque logo abaixo, mas registra-se: se você, caro leitor, ainda não conheceu a mente fantástica de Esteban Maroto, guarde a experiência para que seja conferida com Os Mitos de Cthulhu, cujo roteiro se funde a uma arte excepcional.

3. UMA PORTA DE ENTRADA PARA O UNIVERSO DAS HQs E PARA OS O HORROR CÓSMICO LOVECRAFTIANO
Se por um lado essa HQ configura-se como uma boa maneira de se conhecer Maroto, o mesmo pode ser dito quanto ao primeiro contato com o universo das HQs, no geral, e quanto à experiência com as histórias sobrenaturais de H. P. Lovecraft.
Talvez a escrita de Lovecraft, em um primeiro contato, mostre-se um tanto quanto indigesta, ou adjetivada demais. Então, é justamente pela experiência com as histórias em quadrinho que o leitor poderá realmente submergir nas tramas. Algumas criaturas, alguns mitos e horrores de Lovecraft se traduzem de maneira semelhante, descritas de maneira obtusa, pouco clara, logo, a visão de quadrinistas tão importantes quanto Maroto poderá tornar a leitura de grandes clássicos uma viagem bem mais agradável.

4. A ARTE EM PRETO E BRANCO
A arte de Esteban Maroto é um show à parte. Versando com notável habilidade das artes em P&B, o autor constrói cenários impressionantes, dá luz às criaturas cósmicas dos mitos de Cthulhu, sem as deixar caricatas, respeitando, inclusive, o texto original de Lovecraft.
Ao escolher justamente o P&B, Maroto produz quadros que se identificam com os mitos lovecraftianos. É impossível não se impressionar com o jogo de quadros, o letramento e com as personagens.
Aos que não leram, fica a recomendação!

site: https://skullgeek.com.br/quadrinhos/artigo-4-motivos-para-ler-os-mitos-de-cthulhu-de-esteban-maroto/
comentários(0)comente



Diego / @blogdiscolivro 25/08/2020

Um exercício de interpretação daquilo que é indescritível
Adaptar Lovecraft não é uma tarefa fácil. Seus contos, muitas vezes inspirados em pesadelos, retratam entidades monstruosas indescritíveis e de nomes impronunciáveis, a insignificância da existência humana perante os segredos do universo e o terror subjetivo, aquele que está ligado diretamente a imaginação do leitor. Traduzir todos esses elementos em imagens é para poucos e o espanhol Esteban Maroto fez sua tentativa.
.
A ideia surgiu em 1982, quando a editora espanhola Bruguera lançou um projeto de adaptar obras clássicas da literatura mundial para os quadrinhos. Esteban Maroto adaptou os três primeiros contos de Lovecraft que compõem os Mitos de Cthulhu, são eles: "A Cidade Sem Nome" (1921), "O Cerimonial" (1922) e "O Chamado de Cthulhu (1926). Infelizmente, o projeto acabou sendo abortado devido ao fim da editora e o quadrinista ficou sem a arte original que havia desenhado. Depois disso, o material acabou sendo publicado, aqui e ali, mas sempre de forma duvidosa. Até que em 2016, outra editora espanhola recuperou os originais e a obra foi lançada pela primeira vez, 34 anos depois, com o aval do artista. Três anos depois, a adaptação chegou finalmente ao Brasil pelas mãos do Pipoca & Nanquim e o capricho de praxe da editora: capa dura, papel de qualidade e material extra.
.
Como dito acima, o terror do Lovecraft é muito peculiar e exige muito da imaginação do leitor. Esse elemento, como era de se esperar, se perde um pouco na adaptação. A sensação que temos ao ler a HQ nem se compara ao desamparo que sentimos lendo os contos do autor. Por isso, um fã lovecraftiano pode sair decepcionado! Por outro lado, a arte em preto e branco de Esteban Maroto funciona muito bem em algumas partes. Interessante ver a versão dele da subterrânea cidade sem nome, o elemento feminino que ele incorpora em "O Cerimonial" e, é claro, sua interpretação das criaturas oníricas, entre elas o mítico Cthulhu. A narrativa não é feita através de balões e sim de textos, o que incomoda um pouco. Esteban Maroto adapta o texto de Lovecraft e, como resultado, ficamos com a sensação de que estamos lendo uma versão resumida e ilustrada dos contos.
.
Acredito que para quem já tenha lido os contos adaptados presentes nessa edição, vai ficar uma sensação de que falta algo. Para aqueles que nunca tiveram contato com a obra de Lovecraft, "Os Mitos de Cthulhu" vai funcionar melhor. Impossível ler essa adaptação e não se interessar pelos contos originais, o que faz dessa HQ uma excelente porta de entrada para o mundo cósmico do autor. E para os lovecraftianos, assim como eu, a obra é uma bela peça de coleção e um interessante exercício de interpretação que une dois mestres: um da literatura e outro dos quadrinhos.

site: https://discolivro.blogspot.com/
comentários(0)comente



Gabriel 14/06/2020

Muito boa apresentação de um universo
Saio da leitura inquieto e doido para me aprofundar mais no universo de Lovecraft...
comentários(0)comente



Emerz 12/07/2020

Eu nunca li Lovecraft, mas imagino que esse gibi conseguiu transmitir muito bem o clima das obras dele, uma ótima representação gráfica de suas obras.

Um traço maravilhoso onde ele consegue nos contar suas histórias sem que ao menos precisamos ler os balões.

E a história por trás desse gibi é tão interessante quanto seu conteúdo.
comentários(0)comente



Gabriel Oliveira 18/01/2021

Horror cósmico cheio de criaturas difíceis de compreender
"Os Mitos De Cthulhu" é uma adaptação em quadrinhos em 3 partes de histórias de H. P. Lovecraft com arte e texto de Esteban Maroto. Lovecraft é um dos mais influentes autores da cultura pop, seu horror cósmico é cheio de criaturas difíceis de compreender, com dimensões bizarras e conhecimentos que os humanos jamais pensariam em ter contato. Ele e suas obras influenciaram autores como Stephen King, John Carpenter, Alan Moore e Guillermo Del Toro. Lançado em 2019 pela Editora Pipoca & Nanquim, os textos foram originalmente publicados no início do século XX nas clássicas revistas pulp dos EUA. "Os Mitos De Cthulhu" foi um projeto encomendado pela Editora Bruguera e seria parte de uma coleção chamada "Firmado por…", que trazia adaptações em quadrinhos de livros de autores como Isaac Asimov. Esteban Maroto, grande fã das obras de Lovecraft, adaptaria 3 histórias para o primeiro volume dedicado ao autor, que ainda teria mais 2 publicações com histórias ilustradas por outros artistas, mas por conta de problemas financeiros da editora a coleção foi suspensa antes de Maroto entregar suas páginas. Anos depois foram publicados na revista "Capitán Trueno" com uma colorização que não havia sido concebida por ele. A edição que a Pipoca & Nanquim trouxe não é a versão colorida, a que não agradou o autor, mas a versão com a arte em preto e branco. "A Cidade Sem Nome", "O Cerimonial" e "Os Mitos De Cthulhu" (dividido em 3 partes: O Horror Em Argila; O Relato Do Inspetor Legrasse e A Loucura Do Mar) são as histórias dessa edição. Maroto trabalha bem com o preto e branco, combinando cenas de poucos traços e linhas finas com cenas escuras cheias de medo, claustrofobia e desorientação. As criaturas bizarras são transpostas para o papel com a devida estranheza e disformidade. Os humanos são retratados de forma realista e a expressividade deles vai se acentuando conforme o contato com as bizarras criaturas. 🦑

site: www.instagram.com/dialogoexpositivo
comentários(0)comente



Lucas Gonçalves 10/04/2020

"Não está morto o que pode jazer eternamente".
Mesmo os contos de Lovecraft descrevendo o quão indescritível é, retratar em imagens seus monstros impronunciáveis. Nesta HQ consegue extrair muito bem o horror desse autor incrível.
comentários(0)comente



Inaldo 02/12/2020

Intrigante, incompreensível, agonizante e a essência do terror cósmico impossível de se descrever em desenhos!
comentários(0)comente



Guilherme 03/05/2020

Os Mitos de Cthulhu
A obra de H.P. Lovecraft é uma das mais influentes e reverenciadas quando o assunto é literatura de terror. Sua abordagem ímpar mostrou uma nova maneira de contar histórias, explorando o cosmo e indo fundo no horror psicológico. É uma prosa difícil de se adaptar e aqui, nessa publicação caprichada da editora Pipoca e Nanquim entendemos porque.

A adaptação feita pelo talentosíssimo quadrinista espanhol Esteban Maroto, mesmo tendo uma arte estupenda, não consegue emular de maneira eficaz a aura das histórias de Lovecraft. São contos muito breves e concebidos quase como um livro ilustrado do que uma história em quadrinhos, por assim dizer. A maiora das histórias são descritas, sem muito o uso de diálogos entre os personagens, e em sua breviedade não consegue ser envolvente ou até mesmo assustadora.

Por outro lado esse pode ser o convite ideal para quem nunca leu Lovecraft, essa talvez seja sua melhor utilidade. Para quem ja leu é inevitável a sensação de que poderia ter sido mais.
comentários(0)comente



Cristiano.Cruz 27/01/2021

Apresentação de um novo universo
Uma edição muito bem cuidada, onde os extras - todos muito significativos -, saltam aos olhos, engrandecendo o título.
Contendo apenas três estórias, que aliás, vão num crescendo conforme aparecem, é uma hq que serve muito bem de porta de entrada e inspiração para novos leitores da obra "lovecraftiana", onde me incluo.
Mas, para não dizer que tudo são flores, na terceira estória, "Os mitos de Cthulhu", que também dá nome ao título da Hq, há um erro quanto as coordenadas que "levam" a uma ilha no oceano Pacífico. As latitudes tem como referência o Equador e vão de 0° a 90° N/S e a longitude o Meridiano de Greenwich, de 0° a 180° para E/W.
Fica a dica para uma nova leva, porque o editorial está um primor.
comentários(0)comente



Monica 30/06/2020

Arte incrível , e adaptação ótima. Embarcar nas histórias de Lovecraft é sempre um caminho sem volta beirando (ou adentrando por completo) a insanidade.
comentários(0)comente



Lucas Canabarro 14/06/2019

A arte de Maroto contribui bastante com a narrativa de Lovecraft. Lembro que, ao ler os livros, por muitas vezes me perdia tentando imaginar o cenário, os artefatos, o que estava acontecendo. A própria introdução do livro fala sobre isso, inclusive, de que cada um imagina o bizarro de Lovecraft de sua própria maneira.
Maroto conseguiu imprimir muito bem a narrativa em sua arte. Devo mencionar aqui o segundo conto, o qual a arte me levou completamente para aquele local opressor e terrivel.
comentários(0)comente



Yago.Grassini 10/04/2020

#ESTANTEPN
Apesar de Lovecraft ter uma escrita difícil de ser adaptava, Esteban Maroto conseguiu dar vida a sua visão do mundo de Lovecraft.
comentários(0)comente



Bu 01/07/2020

Ótimo acabamento.
Dispensa comentários sobre a base de Lovecraft, a arte marcante e ímpar do maroto e a narrativa são excelentes.
comentários(0)comente



26 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2