O Marido do Meu Irmão #2

O Marido do Meu Irmão #2




Resenhas - O Marido do Meu Irmão - Volume 2


31 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


Lenas 13/06/2021

Uma história comovente sobre família, preconceito, diferenças culturais e aceitação. Além de mostrar a compreensão de Yaichi sobre a dor que ele pode ter causado no passado e sobre suas suposições equivocadas.

Yaichi é confrontado com a verdade sobre seu irmão morto, Ryoji, na forma do marido de Ryoji, que aparece na esperança de voltar ao passado e se conectar com a família que ele nunca conheceu.

Embora Yaichi nunca tenha rejeitado seu irmão gêmeo, ele também não o aceitou e sua inclinação natural de ignorar ou evitar é reduzida à medida que ele aprende e muda lentamente suas noções preconcebidas e fanatismo por meio da inocência e aceitação inabalável de sua filha Kana.

A simplicidade do mangá aponta os problemas de forma muito clara, acertando o alvo com uma precisão dolorosa e comovente. Embora em algum nível tudo seja um pouco previsível, achei muito fofinho e emocionante. Super recomendo.
Lanna 13/06/2021minha estante
era isso que eu queria, resenha
AMO Q AMO


Lenas 13/06/2021minha estante
???




sbllmrn 02/12/2021

a continuação consegue ser mais perfeita que o volume 1. Tão lindo ver os dois encarando o luto juntos. Incrivelmente lindo, até senti um gay panic em alguns momentos.
Letícia 06/12/2021minha estante
parece ser mto fofoooo




Diego Piu 01/01/2021

Sensibilidade do início ao fim.
Gosto muito de HQ, mas li bem pouco no formato Mangá. No início, fiquei um pouco desorientado (kkk), mas logo peguei a dinâmica das páginas (kkk).

Bom... posso dizer que chorei um bocado no penúltimo capítulo desse volume... e veio de uma forma tão natural que eu só percebi quando os olhos já estavam cheios d'água!

O autor trata todos os pontos da história com muita sensibilidade, não apenas a partir do olhar na personagem infantil. Enfim, gostei muito!
comentários(0)comente



Roh Matos @somaisumparagrafo 06/05/2021

@somaisumparagrafo
Yachi recentemente recebeu a visita de Mike, o canadense esposo de seu falecido irmão gêmeo. Hospedado por três semanas em sua residência, Yachi, sua filhinha Kana e Mike irão explorar pontos turísticos do Japão, enquanto desenvolvem e estreitam suas relações.

???

Neste segundo volume, os laços entre os personagens ficam mais estreitos, a evolução e o amadurecimento dos mesmos são palpáveis, com destaque para Yachi que se torna mais reflexivo no que diz respeito aos relacionamentos homoafetivos. Sua percepção quanto ao casamento do irmão começa a mudar, passando a enxergar com outros olhos esse relacionamento, ressignificando seus conceitos.

Os personagens são muito carismáticos, mas Mike e Kana são os destaques desse mangá. É tão puro, meigo e fofo essa relação entre tio e sobrinha que eles estabelecem que vê-los interagindo nos deixa de coração quentinho. Outro ponto de ressalto é a presença das crianças nessa trama, é lindo ver o entendimento singelo e inocente desses pequenos seres sobre a vida, tão cheio de carinho e livre de preconceitos, talvez se os adultos mantivessem essa pureza no coração teríamos muito mais amor nesse mundo. As crianças dão um show de empatia, receptividade e solidariedade, nos fazem repensar sobre nossos valores e atitudes.

Esse mangá traz uma história muito bonita, que com delicadeza e sensibilidade trabalha com representatividade e levanta questionamentos pertinentes sobre relacionamentos humanos, preconceito e homofobia, proporcionando valiosos ensinamentos para a vida. Os momentos finais me deixaram emocionada, trazendo lágrimas aos meus olhos. Confesso que terminei a leitura desejando por mais dessa família.
comentários(0)comente



Gu Vaz 04/06/2020

Maravilhoso e Emocionante
Os dois volumes contam uma história linda de desconstrução e amor, inocência, empatia. É sobre olhar para o outro imaginando a si próprio no lugar, questionar o que é social , o que nos é transmitido de forma tão distante e distorcida.
É uma história que lida com o cotidiano, perdas e arrependimentos, com personagens amáveis e uma certa inocência que acredito ser necessária em todo ser humano.
comentários(0)comente



Eric Rocha - Ersiro 20/02/2020

A sutileza e a delicadeza
Tudo o que senti falta no volume anterior foi preenchido e trabalhado pelo autor neste segundo! E claro, tudo com toda a sutileza e delicadeza proposta desde o primeiro capítulo.

A história avançou e alcançou finalmente a evolução que tanto se espera pelos leitores. Os personagens amadurecem e se tornam tão queridos que é uma pena que a história deles termine por aqui (por mais que também há de se concordar que acabou como e onde tinha que findar para não se alongar além do necessário e correr o risco de estragar).

Os assuntos morte e o relacionamento familiar foram tratados com tanta elegância e suavidade que transmitem uma explosão de emoções difíceis de controlar (só não chorei porque estava no metrô).

Repito o que escrevi sobre o volume 1: Possui muito conteúdo informacional sobre a luta e cultura gay e LGBT; é quase uma literatura didática à cultura gay, especialmente no que tange às páginas especiais dedicadas às explicações de Mike sobre o grupo; novamente há contraste de ideias entre um adulto e uma criança e a naturalidade com que os pequenos tratam de assuntos tabu pelos maiores; continuo sem entender o porquê da obra ser tachada especificamente como imprópria para menores de 18 anos, podendo limitar o acesso à informação que ela registra sobre comunidade LGBT; da extrema necessidade deste mangá existir no contexto atual, onde, no Japão, ainda não permite casamento entre pessoas do mesmo sexo (gerando ainda mais desconhecimento sobre o assunto) assim como nos países onde foi publicado; e do contraste enorme de linguagem utilizada e postura dos personagens de um mangá como este e um shonen (voltado para o público jovem masculino) onde há muitas problemáticas a serem observadas a cada obra lida como hipersexualização da mulher e falta de representatividade além do padrão homem hétero e cisgênero.

Imagino e espero que depois de ler estes dois volumes, caso alguém tenha preconceito ou falta de informação, esta seja quebrada para dar entrada à naturalização de relacionamento entre pessoas do mesmo sexo e aquelas que se identificam com outro gênero daquele que lhe foi imposto ao nascer.
É esta uma obra que acima de tudo, reflete o desejo da comunidade LGBTQI+ em ser compreendida e não mais demonizada, em ser amada, respeitada e não mais odiada.

Recomendarei a todos esta obra singular e simplista!
comentários(0)comente



Fran 03/01/2021

O Marido do meu Irmão 2
Inteligente, divertido, informativo, bem elaborado e livre de preconceito.

Yaichi vivia sozinho com sua filha, Kana, ele era divorciado, dono de casa, responsável, e fazia de tudo para agradar sua garotinha. Até que um dia foi surpreendido por uma visita inesperada de um homem chamado Mike, que havia saído do Canadá para visitá-los no Japão. Para sua surpresa, Mike era marido do irmão gêmeo de Yaichi. Kana ficou louca por Mike e começou a chamá-lo de tio. Meio desconfiado e cheio de pensamentos desconfortantes, Yaichi não podia desapontar sua filha, que estava muito feliz com a visita em sua casa.
No decorrer da história, a percepção de Yaichi em relação ao seu falecido irmão gay, Ryoji, e Mike, seu cunhado, começou a mudar após conviverem em familia por três semanas.

Muito bom!
comentários(0)comente



Hebert Braz 26/05/2020

MELHORES DO ANO / 2020
(3º LUGAR) ?????

Estava pensando se valia a pena fazer uma lista separada só pra HQs, mas acho que li uma quantidade muito baixa para conseguir espremer e fazer uma lista, então resolvi colocar esse mangá por aqui mesmo.
E é com muito mérito que ele ocupa o terceiro lugar.
Eu nem sei se tenho mais palavras para descrever o quanto ADOREI essa história. Ela é simples, mas muito bem trabalhada. Os personagens são cheios de carisma, é impossível não adorar cada um, principalmente a Kana.
Não vou negar, chorei no final. Eu estava muito investido, e quando tudo acabou eu quis abrir o primeiro volume de novo e reler tudo (coisa que talvez eu faça agora em 2021).
É isso, corram atrás desse mangá maravilhoso.



Simples, fofo, de aquecer o coração, perfeito!

Não fiz resenha para o primeiro volume, então talvez condense aqui uma opinião geral sobre a duologia, mas já adianto que eu AMEI TUDO.

Bem, começando pelo começo, então, eu não tive exatamente um motivo específico para adquirir esse mangá, exceto pelo fato de que qualquer coisa com temática gay chame minha atenção. Ademais, não me lembro de ler nenhum mangá que abordasse esse tema sem conotações sexuais (os Yaois da vida), então fiquei muito curioso para ver o desenrolar dessa história.

E só posso dizer que foi incrível.

O enredo gira em torno do Mike, um canadense que decide viajar ao Japão para se conectar com as raízes de seu falecido marido, Ryoji, que por sua vez possui um irmão gêmeo, Yaichi. Acaba que o Mike vai parar na casa do Yaichi, e ambos passam a conviver juntos por um tempo. 

Acho que podemos dizer que o Yaichi é o protagonista, afinal ele toma a primeira pessoa no título (e eu não sei japonês pra saber se essa foi uma adaptação ou tradução literal), mas de qualquer forma, a jornada toda é muito sobre ele aceitar tanto o Mike quanto as escolhas de vida do seu irmão gêmeo. Só que ele não estaria disposto a se transformar se não fosse pela pequena e adorável Kana, sua filha, que na história tem esse papel de ser a propulsora de questões e reflexões por conta de sua inocência em relação ao tema. E, como toda criança curiosa, ela acaba fazendo várias perguntas para compreender a situação, gerando bons momentos para a história.

O que me fez ficar completamente apaixonado por essa história foi a maneira sutil e direta com que o autor conseguiu passar tantas informações (muito verídicas, aliás) sobre a vivência de um cara gay para as pessoas que não compreendem nada a respeito. Tanto é que o primeiro livro chega a ser didático até, quase um aulão sobre cultura gay (inclusive, a história tem até pausas explicitamente didáticas, com o Curso de Cultura Gay do Mike, que são extremamente relevantes e informativas), mas tudo de forma despretensiosa e sem forçar a barra do leitor.

Já esse segundo volume, CARA, EU CHOREI NO FINAL, porque a essa altura eu já estava tão envolvido com os personagens que quando o livro acabou eu quis mais e mais.

Minha vontade é de sair distribuindo esses mangás pra todo mundo. Aliás, na capa do livro tem uma tirinha bem pequenininha, que eu nem tinha percebido antes de ler uma resenha aqui, restringindo o livro para maiores de 18 anos. Não sei se isso é uma exigência do país de origem, onde esse tema é considerado impróprio, mas sei lá, o mangá não possui ABSOLUTAMENTE NADA de impróprio. Crianças de uns 12 anos podem ler isso aqui numa boa.

Amei, recomendo muito.
comentários(0)comente



Mari 25/12/2020

Um belo final
Ha 1 ano jabtinha lido a parte um do mangá. E amado. Agr finalizei e sigo amando. É uma historia leve, didatica e que quebra muitos preconceitos pra quem ainda tem com pessoas LGBTQIA+
Um mangá para todos!!!
comentários(0)comente



o.luizlima 05/01/2020

A delicadeza e mantei
O termino dessa obra é simplesmente emocionante(sim, muitos vão se emocionar tanto ou mais que no primeiro volume)
comentários(0)comente



Giuliano.Behring 31/08/2021

Inocência, Redenção e Promessas
Nessa resenha não me refiro a esse volume final de: "Marido do meu Irmão" mas sim a coleção como um todo (2 volumes).
Sabe, "Marido do meu Irmão" foi uma surpresa pra mim, sempre fiquei me perguntando "o que esse mangá tem demais?" Principalmente pela arte que parecia um tanto quando fraca (a capa pra mim continua sendo a única parte negativa do mangá), porém quando finalmente adquiri os dois volumes dessa obra fiquei surpreso demais, a história começa parada e com alguns estigmas que o autor tem o intuito de ressaltar mesmo, a relutância do personagem principal em relação ao marido de seu irmão vindo do Canadá é um ponto que marca a narrativa e rege a mesma.
Outra coisa que gosto muito é a filha do protagonista que entra na narrativa como um símbolo da inocência, que mesmo em uma sociedade imersa em preconceitos, vê o tio como apenas tio e como aquele que amava e era amado pelo irmão de seu pai.
A questão da família do próprio protagonista não ser necessariamente o ideal da família para a sociedade também é um fator que influencia demais os pensamentos e ações do nosso protagonista como alguém que por não ser o ideal é mais receptivo a modos diferentes de amor e convivência.
A questão da aceitação e o combate interno do protagonista, assim como o jeito que ele começa a reviver a memória de seu irmão é apenas lindo, não vejo como uma maneira rápida, nem mesmo rasa de acontecimentos, acho que o autor conseguiu fazer os acontecimentos se sucederem de forma natural e com muita qualidade, mostrando a efetiva evolução do nosso protagonista.
Por fim, eu queria ressaltar que mesmo antes de aparecer no mangá as informações sobre o autor eu já imaginava que ele poderia produzir mangás eróticos gays (não é o caso desse), exatamente pelos detalhes que ele consegue trazer em sua arte para o corpo masculino, com curvas e músculos muito bem desenhados. Mas isso não diminui de maneira alguma a qualidade da história!
Acho que todo mundo deveria ler esse mangá, o jeito que ele trata a situação em que muitas pessoas tratam a homossexualidade e como muitos homossexuais se sentem antes de se assumirem é feito de um jeito muito cuidadoso e sem muitas romantizações, recomendo a qualquer um que goste de uma história de redenção e reflexão, um mangá lindo e maravilhoso esse "Marido do meu Irmão".
Ana 31/08/2021minha estante
Perfeitoo!




raonypimentel 07/03/2020

Um final lindo para uma bela história
Terminei a leitura muito cativado pela sensibilidade do Mike durante o processo de aceitação do cunhado... um pequeno mangá que consegue abordar com maestria tantos assuntos impactantes no mundo LGBT. Adorei!
comentários(0)comente



Marcos.Alexandre 15/05/2020

O Marido do meu Irmão
Esse segundo mangá finaliza essa história de uma maneira muito bonita. Recomendo!
comentários(0)comente



Pri Paiva 20/09/2020

Que leitura maravilhosa!
O Marido do Meu Irmão definitivamente é um mangá que precisa ser lido.
Bem didático em diversos aspectos, a história é de uma delicadeza e de uma humanidade incrível.
A arte e o texto são impecáveis.
As abordagens escolhidas emocionam e são de uma sutileza maravilhosa. Na história, Yaichi percebe o quanto era preconceituoso e o quão isso prejudicou o relacionamento com seu irmão já falecido. Ele encontra em Mike a chance de mudar e de conhecer melhor o seu irmão.
A relação entre Mike e sua sobrinha Kana, filha de Yaichi é linda. Crianças sempre dão uma lição nos adultos!
Fico triste que esse mangá tenha somente dois volumes. Era necessário pelo menos 4 pra não nos sentirmos tão carentes desse trio maravilhoso de personagens.
Me despeço da história com saudosismo, mas feliz.
Aqueceu o coração ler o Marido do Meu Irmão. ? Então sim, me sinto feliz!
Desejo que muito mais pessoas consigam ler esse presente de arte.
comentários(0)comente



Cathi 06/07/2020

Experiência linda e gostosa
Através da inocência de Kana, uma menina de seis anos, conhecemos a história de seu pai que perdeu o irmão gêmeo recentemente. Quando o irmão morre, com muita relutância, Yuchi aceita receber Mike, o marido do irmão que mora no Canadá mas quer conhecer o Japão e a cultura desse marido falecido.

Kana está empolgada de receber o tio, principalmente por ser de uma nacionalidade diferente. Durante os diálogos, algumas perguntas e provocações da criança começam a fazer com Yuchi reflita sobre o real motivo do afastamento do irmão falecido. Mike é um personagem descontraído, simpático e disposto a responder todas as curiosidades de Kana e seus amigos frente a sexualidade, afinal, essa história se passa no Japão, um país extremamente conservador no quesito homossexualidade.

Mesmo Yuchi sendo um homem atípico e "moderno" do ponto de vista da família tradicional (divorciado, limpa e cozinha para Kana pois está com a guarda da menina), não deixa de ter suas batalhas internas com a longa estadia de Mike, com a lacuna profunda que até então não havia percebido do afastamento do irmão, e todos os sentimentos que Mike lhe causa.

Os dois volumes exploram o verdadeiro conceito de família, a evolução de Yuchi ao ressignificar conceitos tradicionais, o laço que constrói com Mike e diversos elementos que tem a intenção de nos mostrar os julgamentos que construímos inconscientemente, já que somos inserido em uma sociedade totalmente homofóbica. Tudo isso de forma didática, singela e extremamente marcante, sempre aprendendo muito com Kana, com sua inocência, sinceridade e amor puro. Foi impossível não ler um mangá seguido do outro de tão proveitoso que esse enredo é.

Ótima dica para ser apreciada e apresentada para pré adolescentes, idosos e toda população leiga no assunto. O mais legal é que ao longo dos livros, há um manual sobre a cultura LGBTQIA+ apresentando as conquistas, termos e frases que conhecemos, nos ajudando a ressignificar e promover a humanidade e naturalização da homossexualidade.

site: https://www.instagram.com/p/CB_W4GljIWD/
comentários(0)comente



31 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR