Seita

Seita Paula Picarelli




Seita


O dia em que entrei para um culto religioso




Fui vítima de pelo menos duas ameaças de morte. Fico em dúvida do número exato, porque as ameaças eram disfarçadas de “lições e ensinamentos”. Numa dessas vezes, me disseram que o trabalho que estávamos fazendo era muito parecido ao realizado lá atrás, na Grécia Antiga. Naquele tempo, quem participasse de algo assim e saísse, ou contasse a alguém sobre o que era feito e discutido ali, era morto. Morto pelos deuses, pelas entidades enviadas por um deus... nesse caso, Dionísio. As pessoas acreditam em muitas ficções. Por que acreditam em umas e não em outras é uma coisa que me intriga muito. Mas de uma coisa eu tenho certeza: é mais fácil embarcar numa história mirabolante se você estiver sob o efeito de uma bebida alucinógena.

Eu era uma atriz promissora. Paula. Outra Paula, Paulinha. Meu livro é um relato – ficcional – de como me envolvi em um novo culto religioso, o Portal da Divina Luz. Posso dizer que as pessoas entram numa seita por várias razões. Mas todas saem pelos mesmos motivos.

Ficção / Literatura Brasileira

Edições (1)

ver mais
Seita

Similares

(2) ver mais
Tragédia na seita do Daime
O império Moon

Estatísticas

Desejam9
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 4.1 / 4
5
ranking 50
50%
4
ranking 25
25%
3
ranking 25
25%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

13%

87%

Carolina.Porne
cadastrou em:
19/03/2018 14:40:23
Pri Paiva
editou em:
26/03/2018 16:29:43
Pri Paiva
aprovou em:
26/03/2018 16:31:00