Sobre Nietzsche: vontade de chance

Sobre Nietzsche: vontade de chance Georges Bataille


Compartilhe


Sobre Nietzsche: vontade de chance (Filô)


Seguido de Memorandum; A risada de Nietzsche; Discussão sobre o pecado; Zaratustra e o encantamento ...




“Nietzsche sonhou com um homem que já não fugiria de um destino trágico, mas que o amaria e o encarnaria de pleno acordo, que não mentiria mais para si mesmo e se elevaria acima da servidão social. […] Entre as ideias de um reacionário fascista ou de outro tipo e as ideias de Nietzsche há mais do que uma diferença: uma incompatibilidade radical.”
Georges Bataille

“Desnazificar Nietzsche. Desprussianizá-lo.” Eis o que propunha Murilo Mendes em seu retrato-relâmpago do filósofo dionisíaco. Eis o que fazia Georges Bataille, vinte anos antes, ao deslocar o acento da ‘vontade de potência’ para a ‘vontade de chance’: vontade de se colocar completamente em jogo, de estar aberto à totalidade dos possíveis, de ser um homem inteiro (nem senhor nem escravo, nem artista nem cientista, nem filósofo nem homem de ação, mas tudo ao mesmo tempo agora). No fundo, o que Bataille extrai da experiência nietzschiana, mais do que de seus conceitos, é uma hipermoral, uma moral do ápice, uma moral da festa, o contrário de uma moral burguesa do declínio.

Filosofia

Edições (1)

ver mais
Sobre Nietzsche: vontade de chance

Similares

(7) ver mais
A Literatura e o Mal
A literatura e o mal
A Experiência Interior
O Culpado

Estatísticas

Desejam10
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 0 / 0
5
ranking 0
0%
4
ranking 0
0%
3
ranking 0
0%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

64%

36%

PH
cadastrou em:
22/06/2017 13:42:42

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR