Sobre o livre-arbítrio

Sobre o livre-arbítrio Santo Agostinho


Compartilhe


Sobre o livre-arbítrio





De libero arbitrio é um livro em três volumes escrito por Santo Agostinho no período de 387-395 d.C., em Roma, logo após ter sido batizado. Trata-se de uma profunda investigação filosófica a respeito da liberdade humana e da origem do mal moral, que se desenvolve brilhantemente na forma de um diálogo entre Agostinho e seu irmão na fé Evódio, posteriormente sagrado bispo de Upsala, na África.

Com o passar dos séculos, a obra tornou-se leitura fundamental no campo da filosofia, não só porque explica racionalmente a origem do pecado, fundamentando-o no abuso da liberdade, mas também porque apresenta, no Livro II, uma prova inconteste da existência de Deus por via puramente racional.

Praticamente nenhum comentador medieval ou posterior que tenha se lançado sobre essas mesmas questões prescindiu desta investigação de Santo Agostinho. Dado que são temas atemporais, também hoje se pode afirmar com segurança que a leitura de De libero arbitrio é fonte certa para aprendizados valiosos e sempre novos.



SOBRE O AUTOR:

Santo Agostinho (354-430) nasceu em Tagaste, atualmente na Argélia, filho de Patrício, homem pagão e de posses, que no final da vida se converteu, e da cristã Mônica, mais tarde canonizada. Agostinho estudou retórica em Cartago, onde aos 17 anos teve um filho chamado Adeodato. A leitura do Hortensius, de Cícero, despertou Agostinho para a filosofia. Em 384, começou a ensinar retórica em Milão, onde conheceu Santo Ambrósio, bispo da cidade.

Cada vez mais interessado pelo cristianismo, Agostinho viveu longo conflito interior, voltou-se para o estudo dos filósofos neoplatônicos, renunciou aos prazeres físicos e em 387 foi batizado por Santo Ambrósio, junto com o filho Adeodato. Tomado pelo ideal da ascese, fundou um mosteiro em Tagaste, onde nascera. Nessa época perdeu a mãe e, pouco depois, o filho. Ordenado padre em Hipona (391), também na atual Argélia, em 395 tornou-se bispo-coadjutor de lá, passando a titular com a morte do bispo diocesano Valério.

Em 410, Agostinho viu a invasão de Roma pelos visigodos e, pouco antes de morrer, presenciou o cerco de Hipona pelo rei dos vândalos, Genserico. Nesse contexto de cismas e heresias ele estudou, ensinou e escreveu inúmeras obras, das quais as mais conhecidas e fundamentais talvez sejam A Cidade de Deus, Confissões, Solilóquios, Da Trindade e Da Doutrina Cristã.

Religião e Espiritualidade

Edições (1)

ver mais
Sobre o livre-arbítrio

Similares


Resenhas para Sobre o livre-arbítrio (6)

ver mais
Excelente livro sobre a doutrina agostiniana - e não apenas sobre o livre-arbítrio
on 5/6/20


Trata-se de (mais) um diálogo entre Agostinho e Evódio. Nessa oportunidade, ainda que o fio condutor seja a concepção de livre-arbítrio, o autor aborda diversos temas que compõem o seu pensamento: a noção de ordem e perfeição no universo; a classificação de bens de acordo com a disposição das criaturas (as que existem; aquelas podem, ainda, viver; e, enfim, aquelas a quem é concedida a razão); o conhecimento (através dos sentidos externos e o interno); a ligação umbilical entre a exist... leia mais

Estatísticas

Desejam10
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 4.6 / 30
5
ranking 73
73%
4
ranking 23
23%
3
ranking 3
3%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

58%

42%

João gregorio
cadastrou em:
28/02/2019 09:17:27
Alisson Belizário
editou em:
28/02/2019 09:19:26

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR