Submundos do sexo no Iluminismo

Submundos do sexo no Iluminismo G. S. Rousseau e Roy Porter


Compartilhe


Submundos do sexo no Iluminismo





Sem falsos pudores e muitas vezes sacrificando as boas maneiras das convenções acadêmicas para desvendar — considerando-se que ainda é possível — mais sobre o que homens e mulheres fazem entre quatro paredes: assim, G. S. Rousseau e Roy Porter organizaram Submundos do sexo no Iluminismo. O livro, composto por dez ensaios, mostra que a liberdade significava principalmente liberdade para homens, aumentando a divisão sexual do trabalho e contribuindo para a angelização da mulher, cujo clímax é a figura da esposa vitoriana frágil. As conseqüências desse equívoco ainda ressoam hoje em grandes contingentes de mulheres.



Foi no século XVIII que a masturbação começou a ser vista como moralmente perniciosa e que as ninfomaníacas despontaram nos primórdios da psiquiatria. Foi também no apogeu da Era das Luzes que o homossexual masculino começou a ser demonizado pelo povo. Tudo isto ganha novos insights nesta obra que, por sua originalidade, revela que muito ainda há por conhecer sobre a sexualidade no Iluminismo.



Submundos do sexo no Iluminismo inaugura novos campos para pesquisas que, ao se concentrarem tradicionalmente nos grandes textos de libertinos notáveis, perderam a dimensão da vivência da sexualidade de grandes parcelas da população no século XVIII. Metáfora de um mundo em que todos vivem personalidades emprestadas, o baile de máscaras londrino, por exemplo, é belamente retratado por Terry Castle. Já Roy Porter delineia a economia do decoro de uma sociedade moralista que via no médico-parteiro um usurpador da mulher alheia. Enfim, o vasto mundo da prostituição, da pornografia, das fantasias — os submundos, estão todos neste livro.

Edições (1)

ver mais
Submundos do sexo no Iluminismo

Similares


Estatísticas

Desejam4
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 3.0 / 2
5
ranking 0
0%
4
ranking 50
50%
3
ranking 0
0%
2
ranking 50
50%
1
ranking 0
0%

36%

64%

Ju_Matos
cadastrou em:
31/05/2010 23:05:04