Suíte Tóquio

Suíte Tóquio Giovana Madalosso


Compartilhe


Suíte Tóquio





É uma manhã qualquer quando Maju atravessa a praça ao lado de Cora. Puxando a garota pelo braço, ela passa sorrateiramente pelo exército branco, sobe a avenida, pega um ônibus e desaparece. Exército branco foi o nome que Fernanda, mãe de Cora, deu às babás que todos os dias lotam a praça daquele bairro de classe alta com as crianças de seus patrões. Nos últimos tempos, no entanto, a babá e a filha parecem tão anônimas para Fernanda quanto as outras. Afundada numa crise pessoal, ela demora a perceber que Maju e Cora sumiram sem dar notícias. Ao longo do dia, tudo vai desabando. De um lado, Fernanda lida com o fracasso de seu casamento. Apaixonada por uma diretora com quem trabalhou num projeto cinematográfico, ela deixa a relação com o marido definhar. Quer distância de Cacá, mas conforme os primeiros telefonemas aflitos para a babá vão se transformando em desespero, se vê de novo afundando naquele universo. Enquanto isso, Maju vai até a rodoviária e desaparece num ônibus com Cora. Em meio a motéis imundos e paradas insólitas, põe em ação seu plano, que imediatamente sai do controle. Neste romance pé na estrada, Giovana Madalosso coloca para girar, com força e fluidez, a vida dessas personagens que parecem eternamente em busca ― de ternura, redenção, sexo, qualquer coisa que possa movê-las de onde estão. O sequestro de Cora abala as engrenagens do passado e do presente, do desejo e do ressentimento, e a procura desesperada que se segue é também um doloroso acerto de contas com a vida e as expectativas que construímos. Suíte Tóquio é um romance vertiginoso e tragicômico que fala daquele lugar tênue entre o que as pessoas querem ser e o que de fato são.

Ficção / Literatura Brasileira

Edições (1)

ver mais
Suíte Tóquio

Similares

(4) ver mais
Tudo pode ser roubado
A teta racional
Preocupações
Não conheço ninguém que não seja artista

Resenhas para Suíte Tóquio (5)

ver mais
Atual, ácido e irreverente
on 15/9/20


Romance pitoresco e inusitado. Aborda, com leveza e acidez irônica, situações da vida contemporânea citadina. Uma mãe workoolic, arrimo de família, que passa pouco tempo com a filha de quatro anos, a qual, por sua vez, é bastante afeiçoada à babá e ao pai de manias nada convencionais. Este último, contudo, exerce com tranquilidade o papel de "dono de casa". A alienação em relação às atividades da filha é tanta, que Fernanda demora a perceber o sumiço da criança e da babá, marco ini... leia mais

Estatísticas

Desejam29
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 4.1 / 33
5
ranking 27
27%
4
ranking 61
61%
3
ranking 12
12%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

23%

77%

João gregorio
cadastrou em:
19/08/2020 17:15:10
andre
editou em:
19/08/2020 17:16:18