Tantra, o culto da feminilidade:

Tantra, o culto da feminilidade: André Van Lysebeth


Compartilhe


Tantra, o culto da feminilidade:


outra visão da vida e do sexo




O autor revela para o Ocidente as técnicas de controle sexual há muito guardadas em segredo pelos iniciados nos cultos orientais. O tantra vê na repressão dos valores femininos, pela civilização patriarcal, a causa oculta da crise do mundo moderno. Ele afirma que só o culto da feminilidade e de seus valores pode trazer uma verdadeira mudança da sociedade. Trata-se de um livro belíssimo, com ilustrações e fotografias incluindo um caderno inteiramente em cores.

--x--

O que seria exatamente o Tantra? Nascido na Índia há vários milênios, ele nos traz uma visão do mundo, ao mesmo tempo nova e arcaica, exótica e desconcertante, ainda que próxima de nossas mais profundas raízes. Sem ser uma religião, nos faz redescobrir o aspecto sagrado e mágico da vida, do mundo e do sexo.

Segundo o Tantra, o universo nasce da união cósmica dos princípios Macho e Fêmea cuja expressão no plano humano é o amor. Revela também a dimensão oculta e sagrada da união dos sexos, que deixa de ser banal, para tornar-se uma meditação a dois. Ele apaga, assim, a união fictícia entre o sexo e o espiritual. Van Lysebeth recusa uma visão reducionista que limite o Tantra a procedimentos que permitam prolongar e intensificar a experiência erótica. O que não o impede de revelar estas técnicas de controle sexual, que permaneceram secretamente guardadas pelos iniciados e que o autor coloca ao nosso alcance.

O Tantra vê enfim, no abafamento dos valores femininos pela civilização patriarcal, a causa oculta da crise do mundo moderno. Afirma que só o culto da feminilidade e de seus valores pode trazer a verdadeira mudança na sociedade, tão necessária ao ser humano para enfrentar os desafios de nossa "Idade do Ferro".

Religião e Espiritualidade / Sexo e Sexologia

Edições (1)

ver mais
Tantra, o culto da feminilidade:

Similares


Resenhas para Tantra, o culto da feminilidade: (1)

ver mais
Um convite ao autoconhecimento
on 15/9/11


Magnificamente o autor apresenta para nós, ocidentais, um retorno a filosofia matriarcal com o objetivo de integrar aqueles que buscam na antiga sabedoria sensorial e ensinar o caminho para através do sexo, se chegar ao êxtase iluminatório (samadhi). "Platão já havia dito anteriormente que o homem e a mulher guardam em si o impulso de reconstituírem a unidade primordial, pois é nesse impulso que reside o sentido metafísico e eterno de EROS." No tantrismo crê-se na existência cíclica ... leia mais

Estatísticas

Desejam16
Trocam1
Avaliações 4.5 / 20
5
ranking 65
65%
4
ranking 25
25%
3
ranking 10
10%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

24%

76%

Helena
editou em:
12/05/2020 01:19:39