Faça seu login para ter acesso a todo conteúdo, participe também do sorteio de cortesias diárias. É rápido e gratuito! :) Entrar
Login
Livros | Autores | Editoras | Grupos | Trocas | Cortesias

Saber envelhecer

Marco Túlio Cícero
Resenhas
Mais Gostaram
1 encontrados | exibindo 1 a 1


Otávio 06/02/2011

... o poder das virtudes
Adorei a obra. Todas as fases da vida que formos oportunizados a presenciar, são muito ricas em particularidades e saber aproveitá-las e delas extrair o que se possa ter de melhor é, sem dúvidas, uma ARTE!
adorei estes trechos:
"Por que eu temeria a morte se, depois dela, não sou mais infeliz, quem sabe até mais feliz? Aliás, quem pode estar seguro, mesmo jovem, de estar ainda vivo até o anoitecer? Mais ainda: os jovens correm mais o risco de morrer que nós. Adoecem mais facilmente, e mais gravemente, são mais difíceis de tratar. Assim, não são muitos a chegar à velhice. Se fosse de outro modo, o mundo viveria melhor e mais razoavelmente, já que a inteligência, o julgamento e a sabedoria são próprios dos velhos, sem os quais jamais teria havido cidades" pág 53
Toda a beleza de uma idade, em um único parágrafo ;D
Sobre o quão efêmero é o nosso tempo enquanto seres encarnados, terrestres em contraste à imensidão do que podemos adquirir por meio de nossa imortal alma, fica muito bem elucidado neste trecho:
..."Mesmo nesse caso, não me decido a considerar "longo" o que de todo modo tem um fim. Quando esse fim chega, o passado desapareceu. Dele vos resta apenas o que vos puderam trazer a prática das virtudes e as ações bem conduzidas. Quanto às horas, elas se evadem, assim como os dias, os meses, os anos. O tempo perdido jamais retorna e ninguém consegue o futuro. Contentemo-nos com o tempo que nos é dado a viver, seja qual for!" pág.54
O que adquirimos para a alma, é eterno.
..."considero a velhice tão fácil de suportar. Ela me parece bastante leve, até mesmo agradável. E, se me engano sobre a imortalidade da alma, é com muito gosto. Enquanto eu viver, recusarei sempre que me privem desse "erro" que me é tão doce. Se, como pensam certos pequenos filósofos, não há nada após a morte, então não preciso temer as zombarias dos filósofos desaparecidos. Se não estamos prometidos à imortalidade, mesmo assim continua sendo desejável extinguir-se no momento oportuno. A natureza fixa os limites convenientes da vida como de qualquer outra coisa. Quanto à velhice, em suma, ela é a cena final dessa pela que constitui a existência. Se estamos fatigados dela, então partamos, sobretudo se estamos saciados." pág.65
_____________


E sobre a amizade, sem dúvidas, como o autor afirma, somente vive a amizade na plenitude, os homens de BEM; pois dela depende a pureza e a naturalidade das mais elementares virtudes. Impossível não destacar este trecho:
"Se verificamos, entre as aves, os peixes, os animais dos campos, domésticos, selvagens, primeiro que eles amam a si mesmos (sentimento que, evidentemente, nasce junto com todo ser animado), a seguir que buscam e desejam seres animados da mesma espécie aos quais se ligarem, e que fazem isso com manifestações de desejo e de amor bastante próximas às dos humanos, como é que a natureza não levaria mais um homem a a amar a si mesmo, e a buscar um outro homem cujo espírito se mesclaria ao seu de maneira tão íntima que os dois seriam quase um só?"
"Convém,preliminarmente, sermos nós mesmos homens de bem, antes de buscarmos alguém semelhantes a nós". Págs 129/130.

______________

Fantástico!
AndersonPacheco 28/02/2014minha estante
Excelente, Sr. Otávio U.U




1 encontrados | exibindo 1 a 1



Publicidade


logo skoob beta
"É maravilhoso fazer amigos por meio dos livros, sejam eles Harry Potter, Zibia Gasparetto ou Cortázar."

JB Online