CAÇANDO ROMMEL

CAÇANDO ROMMEL Steven Pressfield


Compartilhe


CAÇANDO ROMMEL





Depois de vários romances construídos em torno de batalhas memoráveis da Antiguidade clássica, Steven Pressfield, autor de Campanha no Afeganistão, se volta agora para um período crítico da Segunda Guerra Mundial, em Caçando Rommel.

A Alemanha nazista parecia bastante próxima de conquistar seus objetivos mas após a segunda batalha de El Alamein, no Egito, uma guinada crucial se deu na campanha do norte da África. Começava um cerco ao avanço das forças do Eixo rumo ao canal de Suez e aos campos petrolíferos do Oriente Médio.

As muitas batalhas no front africano tiveram papel decisivo no Grupamento do Deserto de Longo Alcance, uma unidade de reconhecimento do Exército inglês, extinta depois da guerra. Sua especialidade era infiltrar-se por trás das linhas inimigas, coletando informações. Segundo diria mais tarde o marechal alemão Erwin Rommel, um comandante respeitado mesmo pelos inimigos, por sua extrema capacidade e ética, "o Grupamento do Deserto de Longo Alcance nos causou mais perdas que qualquer outra unidade inglesa de força equivalente".

Foram necessários dois anos e meio de pesquisas para escrever Caçando Rommel. Pressfield conta que a ideia surgiu quando ele pesquisava sobre Alexandre, o Grande. "Mas como praticamente inexistem registros escritos desse tempo, a única saída nesses casos é tentar encontrar fontes de pesquisa paralelas no mundo moderno. Comecei a ler sobre Frederico, o Grande, que me levou a Napoleão, a outros comandantes de divisões blindadas e finalmente Rommel. Fiquei obcecado por ele." revela Pressfield, que só conseguiu encontrar a abordagem exata para o livro quando descobriu a Campanha do Deserto. "Fiquei completamente viciado no tema. Eu adoro esses caras! Cruzando milhares de quilômetros de deserto desconhecido são personagens fascinantes."

Nas páginas de Caçando Rommel, Pressfield joga as duas peças-chave da Campanha do Deserto uma contra a outra. O alicerce é a história documentada do conflito e o elemento-chave da trama, a estratégia para assassinar o general alemão. O resultado é uma narrativa intensa e cativante, que ressalta porque Steven Pressfield é festejado por seus próprios pares, como Stephen Coonts ("Pressfield é o melhor autor vivo de ficção militarista.") e Vince Flynn ("Ninguém escreve ficção histórica tão bem quanto Steven Pressfield.").

Edições (1)

ver mais
CAÇANDO ROMMEL

Similares


Resenhas para CAÇANDO ROMMEL (3)

ver mais
Chapman, Maj. R. L., OSD, CM.
on 9/11/10


Bem, terminei o livro há poucos minutos e vou tentar escrever esta resenha sem me deixar levar por uma certa comoção ao fim da história. Enfim, é uma história contada em primeira pessoa, que se passa durante a II Guerra Mundial e tem um autor fictício (Chapman) como personagem principal. Chap dá uma breve introdução sobre sua infância e adolescência até quando é convocado para a guerra pelo Exército Inglês para combater os alemães no norte da África. Chap entra para o Glad (Grupo de L... leia mais

Estatísticas

Desejam11
Trocam3
Avaliações 3.7 / 53
5
ranking 19
19%
4
ranking 45
45%
3
ranking 28
28%
2
ranking 4
4%
1
ranking 4
4%

70%

30%

Yasmin
cadastrou em:
08/10/2010 21:11:22