Casagrande e Seus Demônios

Casagrande e Seus Demônios Walter Casagrande...


Compartilhe


Casagrande e Seus Demônios





Em biografia ilustrada, ex-jogador Casagrande faz revelações inéditas: da dependência de drogas à recuperação, do doping à Democracia Corintiana.
"Demônios à solta" não são mera figura de linguagem. Eles aparecem logo no título do primeiro capítulo do livro Casagrande e Seus Demônios, tratando daqueles fantasmas que rondam a vida de uma pessoa em desequilíbrio físico e emocional. Os "demônios" ilustram bem a reviravolta na vida de Walter Casagrande Júnior, que foi de ídolo do esporte a viciado em cocaína e heroína. Casão, ex-jogador do Corinthians, querido da torcida, integrante da Democracia Corintiana junto com Sócrates, e comentarista da TV Globo, expõe sem firulas ao jornalista Gilvan Ribeiro, coautor do livro, todo o seu declínio e restabelecimento.

Ricamente ilustrado, com um caderno recheado de fotos, a publicação tem prefácio de Marcelo Rubens Paiva, amigo de sempre, que endossa a hipótese de que tantas coisas boas, e outras tantas ruins, que permearam a vida do ex-jogador dariam um bom roteiro para um livro. "Casão faz questão de contar o inferno que viveu quando era viciado em drogas e sua internação, pois para ele é fundamental passar adiante a experiência, dividir as dores da dependência e alertar para os perigos de um vício frenético, sem preconceitos, desvios ou mentiras. A verdade ajuda a sanidade".

Na publicação, Casagrande faz revelações inéditas como, por exemplo, o doping que sofreu quando jogava na Europa. Mas foi na Europa que, em quatro situações, Casagrande foi obrigado a se dopar pelo clube em que jogava. Tomou uma injeção de Pervitin no músculo. "Isso realmente melhorava o desempenho, o jogador não desistia em nenhuma bola. Cansaço? Esquece... Se fosse preciso, dava para jogar três partidas seguidas", conta. No entanto, o jogador era radicalmente contra o doping e se negou a continuar fazendo uso da droga. Foram oito anos na Europa, até ele voltar a atuar no Brasil.

Mas Casagrande e Seus Demônios, como a carreira do próprio jogador, vai bem além das drogas. Fã de rock - especialmente de Janes Joplin e AC/DC -, é amigo de roqueiros nacionais, como Rita Lee, a quem dedicou o "Gol Rita Lee", no segundo jogo do Corinthians pelo Campeonato Paulista de 1982, contra o São Paulo. "O Casagrande foi o jogador e é o comentarista mais rock 'n' roll da história do futebol brasileiro", diz o publicitário Washington Olivetto na quarta capa do livro. Ao comentar que o lado roqueiro fez com que muitos jovens se identificassem com o atacante corintiano, Olivetto diz que Casagrande "é o precursor de um personagem que começou a se materializar fortemente na Europa a partir do Ronaldo Fenômeno. É o que eu chamo de futpopbolista, cruzamento de jogador de bola com ídolo do pop".

Casagrande via seu cotidiano sempre em evidência, não só por ser um ídolo no clube e na seleção brasileira, e por sua atuação política. Na época da ditadura militar, mantinha longos cabelos despenteados, usava jeans puídos e camisetas com slogans políticos. Desde menino, Casão fixava sua atenção nos rumos dados pelo governo, era contra a prisão arbitrária de oposicionistas ao regime, filiou-se ao PT quando o partido ainda era uma legenda nova - e é lulista convicto até hoje. Foi, então, com naturalidade que fez parte da Democracia Corintiana - termo batizado por Olivetto

Biografia, Autobiografia, Memórias

Edições (1)

ver mais
Casagrande e Seus Demônios

Similares

(9) ver mais
Mané Garrincha
Garrincha só
Garrincha
Garrincha o demônio das pernas tortas

Resenhas para Casagrande e Seus Demônios (29)

ver mais
Juca kfouri diz: "É tocante"
on 6/4/13


http://blogdojuca.uol.com.br/2013/04/47100/ Acabo de ler o livro de Casagrandre com o jornalista Gilvan Ribeiro, que será lançado na próxima terça-feira, às 18h30, na livraria Cultura, do Conjunto Nacional, na Avenida Paulista, em São Paulo, pela Editora Globo, 245 páginas, R$ 35. Gilvan tabelou com Casão como se fosse o Doutor Sócrates. O livro não poderia ser mais Casagrande. Corajoso, tocante, verdadeiro, revelador e delicado. E bem escrito. Corajoso porque não é comum que um ... leia mais

Vídeos Casagrande e Seus Demônios (1)

ver mais
Casagrande e seus demônios

Casagrande e seus demônios


Estatísticas

Desejam61
Trocam18
Avaliações 3.8 / 576
5
ranking 27
27%
4
ranking 40
40%
3
ranking 26
26%
2
ranking 6
6%
1
ranking 1
1%

58%

42%

valmendes
cadastrou em:
28/03/2013 00:54:25
Pri Paiva
editou em:
04/07/2016 17:38:52
Pri Paiva
aprovou em:
04/07/2016 17:39:09