Confissão de um Peregrino

Confissão de um Peregrino Francisco Leonardo Schalkwijk




Confissão de um Peregrino


Para entender a eleição e o livre-arbítrio




Não defendo a interpretação que dá margem para o homem salvar a si mesmo, nem uma explicação que faz dele um boneco inanimado, sem vontade própria. Fora do tabernáculo de Deus, preciso apelar para a própria responsabilidade do ouvinte. Mas, quando dentro, preciso apontar para a multiforme graça de Deus.



Por meio de todos os objetos do tabernáculo, o Senhor nos mostra que ele nos salva. No altar, foi Ele que morreu por nós. Na bacia, foi Ele que nos lavou os pés. Como o candelabro, é Ele que ilumina nosso caminho. Na mesa, é Ele que nos providencia uma refeição celestial durante nossa peregrinação. No altar de incenso, é Ele que ora para que a nossa fé não desfaleça. Na arca da aliança é Ele que nos abraça e recebe.

(Francisco Leonardo Schalkwijk)

Edições (1)

ver mais
Confissão de um Peregrino

Similares


Estatísticas

Desejam2
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 4.0 / 5
5
ranking 40
40%
4
ranking 20
20%
3
ranking 40
40%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

75%

25%

Ultimato
cadastrou em:
19/02/2010 11:56:32