Contos Gauchescos

Contos Gauchescos João Simões Lopes Neto


Compartilhe


Contos Gauchescos


Folclore Regional




Contos Gauchescos de J. Simões Lopes Neto. O protagonista e narrador dos Contos Gauchescos é Blau Nunes -- vaqueano e nômade tropeiro; um homem formado no pampa que conduz o leitor-viajante a uma odisséia através dos pagos. O "velho" Blau é gaúcho pobre e muito viajado -- interlocutor por excelência das rodas galponeiras -- conta episódios em que ele mesmo teve participação, fazendo um relato "autobiografico" do que viu em suas andanças. De permeio nestas aventuras podemos perceber o período formativo de uma sociedade rio-grandense cuja história nos é oferecida indiretamente.
|...| uma obra pode ser lida de diferentes maneiras ao longo do tempo, dependendo da pergunta e do horizonte de expectativas do leitor; e da resposta veiculada pelo texto (...) novos sentidos são relacionados à obra - paulatinamente reconhecidos -, como o caráter humano da ficção, a sondagem psicológica, a localização histórica das personagens que habitam a obra, e o regionalismo resultante da vivência campeira e do conhecimento direto do mundo representado" (João Claudio Arendt). |...| As narrativas feitas por Blau misturam realidade e ficção; desfilam memórias próprias e alheias, lembranças de vivências, pessoas e lugares; paisagens e dramáticas situações, dotando essa obra de Simões Lopes Neto de uma linguagem única e distinta. |...| [O Autor]: João Simões Lopes Neto nasceu em Pelotas em 09 de março de 1865. Viveu durante toda a sua infância na Estância da Graça, propriedade de seu avô paterno Visconde da Graça. Na adolescência foi estudar no famoso Colégio Abílio no Rio de Janeiro -- retratado pelo escritor Raul Pompéia em O Ateneu (1888). Ali manteve contato com o que havia de mais moderno no País. Estima-se que ele tenha ido para a capital do Império de Pedro II, em 1878, desta forma pôde ver de perto a efervescência política, gestando a República do XV de Novembro, em 1889, e o processo gradativo de abolição política da Escravidão no Brasil, finalizado em 1888, com a Lei Áurea. |...| No ano de 1882, Lopes Neto retornou para a sua cidade natal onde permaneceu até a sua morte em 1916. Dedicou-se, ao longo de toda a vida, as mais diversificadas atividades profissionais: foi um ativo e constante colaborador dos jornais, revistas e almanaques da imprensa pelotense; escreveu para o teatro, foi empresário, industrialista e comerciante, trabalhou em cartório, etc. Porém, ao dedicar-se à literatura, ora de forma obsessiva ora de forma diletante e despreocupada, mostrou-se capaz de produzir uma obra sólida, de qualidade, cujos méritos só tardiamente puderam ser aquilatados e reconhecidos, anos após a sua morte. O que o transformou em um dos maiores autores regionalistas brasileiros (quiçá, lusófonos!!;) e em cânone da Literatura Gaúcha.

Aventura / Biografia, Autobiografia, Memórias / Contos / Crônicas / Drama / Ficção / História / Literatura Brasileira / Suspense e Mistério

Edições (6)

ver mais
Contos Gauchescos
Contos Gauchescos
Contos Gauchescos
Contos Gauchescos

Similares

(25) ver mais
Cuentos Gauchescos del Río de la Plata
Histórias e Paisagens do Brasil:  O Pampa e os Cavaleiros
Lendas do Sul
A Salamanca do Jarau

Resenhas para Contos Gauchescos (0)

ver mais
on 17/10/20


Ler Contos Gauchescos foi como fazer uma viagem no tempo para o Sul do Brasil, vivenciando a história do povo, dos costumes e das guerras que ocorriam no país na época em que o livro se passa. São ótimas histórias para visitar o Sul sem sair de casa.... leia mais

Vídeos Contos Gauchescos (1)

ver mais
[Cinematográfica Pampeana] Contos Gauchescos --  Simões Lopes Neto nas telas:  Abertura   (2.2)

[Cinematográfica Pampeana] Contos Gauchescos


Estatísticas

Desejam10
Trocam2
Avaliações 3.5 / 126
5
ranking 23
23%
4
ranking 28
28%
3
ranking 32
32%
2
ranking 12
12%
1
ranking 6
6%

30%

70%

orffeus
cadastrou em:
28/04/2012 00:25:32