Amy, minha filha

Amy, minha filha Mitch Winehouse


Compartilhe


Amy, minha filha





O que afinal aconteceu com Amy Winehouse? A biografia Amy, minha filha, escrita sob a perspectiva do pai da cantora, descreve a trajetória conturbada de urna estrela inglesa, brilhante e espirituosa, desde a infância até seu falecimento aos 27 anos.

A morte prematura de Amy Winehouse, em 2011, foi um choque, mas não chegou a pegar seus fãs completamente desprevenidos. Ela passara alguns anos protagonizando as manchetes dos principais jornais do mundo - com farras, amores, excessos e autoflagelo. A impressão era de que não se importava com a própria voz, tampouco com a carreira. Um comportamento inexplicável, que chocou e atraiu a atenção da imprensa e dos fãs tanto quanto sua voz marcante, seu estilo único e seu talento devastador.

Mais do que uma simples biografia, Amy, minha filha é uma confissão de Mitch Winehouse, pai da cantora e personagem polêmico e essencial na trajetória da estrela. A narrativa é direta e sincera. Ao mesmo tempo, como se espera de um discurso paterno, igualmente emotiva. Os eventos se misturam às impressões subjetivas do autor e, nas entrelinhas, tem-se um retrato da relação que determinou ambas as vidas. De Mitch, Amy esperava que fosse o super-homem. De Amy, Mitch desejava uma filha plenamente realizada.

Não há como saber, não com exatidão, o que a levou a se envolver profunda e irreversivelmente com drogas pesadas. No começo de sua carreira, execrava-as, bebia moderadamente, apaixonava-se pelos bons moços e era louca por bandas dos anos 60. Evidências explícitas em seu primeiro disco, Frank, uma coletânea de letras sobre o fim de seu primeiro namoro sério e sobre sua relação com a maconha. Os temas são tratados com uma leveza que não reapareceria em Back To Black, seu segundo CD. Produzido após um dos inúmeros términos com Blake - o famigerado marido que supostamente levou Amy à ruína - o disco é de cortar o coração, e cantá-lo tornou-se um fardo cada vez mais pesado em apresentações ao vivo.

De maneira sincera e comovente, Mitch Winehouse conta como sua filha se tornou uma grande estrela que sucumbiu ao vício das drogas e morreu prematuramente aos 27 anos. Trazendo relatos e fotos inéditas do acervo da família, Amy, minha filha é também o retrato de uma luta cruel. Uma história do belo e do feio, da arte e do aniquilamento, do que nos mantém vivos e do que nos destrói, tentando responder a pergunta que todos se fizeram ao receber a triste notícia da morte da cantora: o que afinal aconteceu com Amy?

Biografia, Autobiografia, Memórias / Não-ficção

Edições (1)

ver mais
Amy, minha filha

Similares

(2) ver mais
Anitta
Amy, My Daughter

Resenhas para Amy, minha filha (64)

ver mais
Oi gente, eu escutei o álbum back to black e retiro tudo o que eu disse sobre pai da
on 2/2/24


Antes de tudo, quero deixar claro que não estou aqui para julgar a vida de Amy Winehouse, as pessoas já fizeram isso bastante enquanto ela estava viva. Outra coisa, a forma que eu uso para avaliar os livros é a minha experiência de leitura. Não quero ser o detentor da razão, muito menos bancar o crítico literário. Quando gosto de um livro, avalio com 5 estrelas. Quando não gosto tanto, eu penso sobre a minha experiência de leitura daquele livro. Avaliar uma biografia é bastante ... leia mais

Estatísticas

Desejam167
Trocam6
Avaliações 4.3 / 873
5
ranking 55
55%
4
ranking 28
28%
3
ranking 14
14%
2
ranking 2
2%
1
ranking 1
1%

28%

72%

Nana
cadastrou em:
27/06/2012 16:34:15
Blendon Moreira
editou em:
27/04/2024 00:07:59

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR