O Capricórnio Se Aproxima

O Capricórnio Se Aproxima Flavio Cafiero


Compartilhe


O Capricórnio Se Aproxima (Jota)





“Vender enciclopédias”, “trabalhar em banco”, “comer pudim de pão”, “fazer aula de violão” e, finalmente, “ser de capricórnio”. Códigos familiares para assuntos proibidos para as crianças. É percorrendo esse mapa congestionado da linguagem que o leitor vai compreendendo lentamente o enredo cheio de humor e melancolia de O capricórnio se aproxima, do carioca Flavio Cafiero.

A personagem principal é João, um taxista que tenta se entender com as novas tecnologias exigidas pela profissão e com a necessidade de aprender inglês por conta da Copa do Mundo no Brasil. Porém, mais difícil do que operar um sistema de GPS ou arriscar um Go on, são as relações familiares, que podem parecer banais apenas para quem as vê de fora. Mas aos poucos vamos nos reconhecendo no cotidiano da família de João através de referências escolhidas com muita agudeza por Cafiero: programas de televisão, jogos de futebol, xingamentos, nomes próprios e comidas típicas. Algum detalhe fisga o leitor.

Surge então um outro mapa: o da cidade do Rio de Janeiro. E assim como o da linguagem, aqui há regras, sentidos obrigatórios, congestionamentos e riscos de acidentes. Os mapas – da linguagem e da metrópole – se sobrepõem criando camadas de significado.

Quando criança, João aprendeu que há palavras que não se pronunciam. Assim como há caminhos que se deve evitar. Mas sonhos, desconfianças, boatos e toda a confusão gerada pela trama densa da linguagem, levam o protagonista a um desfecho dramático. E em alguma medida, patético.

O capricórnio se aproxima é o primeiro livro do Selo JOTA, que tem coordenação e curadoria de Noemi Jaffe. A ideia original desta coleção partiu do pioneiro e consagrado Oulipo, grupo de escritores entre os quais se incluíam Italo Calvino, Raymond Queneau e Georges Perec. Todos os livros do JOTA partem de um desafio, de restrições narrativas que, por paradoxal que pareça, atuam de maneira a incrementar o texto ficcional.

A linguagem como jogo e a arte como forma. Dois pressupostos que orientam este primeiro livro do JOTA e orientarão os próximos.

Libertar a narrativa do lugar confortável da verossimilhança. Provocar no leitor certa desconfiança em relação aos caminhos prontos da linguagem que orientam suas vidas.

Percorrer a cidade do Rio de Janeiro e os códigos da linguagem com o João taxista de Cafiero, deve nos lembrar que não há rota segura nesta vida (mesmo com GPS), seja trilhando os caminhos das cidades, das relações pessoais ou da linguagem.

Contos / Ficção

Edições (1)

ver mais
O Capricórnio Se Aproxima

Similares

(5) ver mais
O primeiro dia do último inverno
Desassossego
Delegado Tobias 3
Delegado Tobias 5

Resenhas para O Capricórnio Se Aproxima (2)

ver mais
.
on 12/12/16


Não há dúvida de que qualquer regra é restritiva. Neste quesito, a primeira da lista é a que deve ter exigido mais criatividade para contornar. Duas opções se apresentam para substituir os adjetivos: adjuntos adnominais e orações subordinadas adjetivas. Felizmente para o leitor, o autor escolheu a primeira opção. Orações subordinadas, usadas em excesso, costumam deixar o texto cansativo e, por vezes, truncado, prejudicando a fluidez da leitura. Ao optar pelos adjuntos adnominais, deu-s... leia mais

Vídeos O Capricórnio Se Aproxima (1)

ver mais
Literatorios #088 - O Capricórnio Se Aproxima

Literatorios #088 - O Capricórnio Se Aproxima


Estatísticas

Desejam3
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 3.5 / 13
5
ranking 8
8%
4
ranking 38
38%
3
ranking 54
54%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

33%

67%

Andre
editou em:
23/10/2018 14:42:03