Poemas pendentes

Poemas pendentes Rodolfo Alonso




Poemas pendentes (Poesia)


edição bilíngue




"Uma poesia que não usa as palavras pela sensualidade que desprendem, mas pelo silêncio que concentram: assim é a de Rodolfo Alonso. Poesia que tenta exprimir o máximo de valores no mínimo de matéria vocabular, impondo-se uma concisão que chega à mudez. E que, por isso mesmo, se julga com severidade. Em verdade, escrever, sob tamanha exigência, é um ato de vida, liberta de violências, mistificações e compromissos. E restaura a vida essencial, captando o que, na sucessão do tempo, nem é percebido pelos que têm gula de chegar a um ponto inexistente. Rodolfo Alonso observa, por exemplo, uma cicatriz. Aparentemente, é uma obra acabada da natureza. Mas, por baixo dela, o poeta descobre o fogo central da chaga, permanente, a consumir e alimar. Talvez que a ambição deste poeta - como saber ao certo a ambição da poesia? - seja trazer para a vida de todos os dias o fogo de uma chaga viva de amor, ardendo no maior silêncio de compreensão." (Carlos Drummond de Andrade)

Poemas, poesias

Edições (1)

ver mais
Poemas pendentes

Similares


Resenhas para Poemas pendentes (2)

ver mais
Poesia é universal.

Poemas pendentes (Penalux, 2016, 196 p.) do autor argentino Rodolfo Alonso é uma edição bilíngue, e é dividida em duas seções. A primeira, “Aparecidos”, são poemas inéditos e a segunda, “Aparições”, uma reunião de poemas recentes já publicados em seu último livro editado. O próprio autor mostra uma pequena insegurança ao publicar a primeira parte, mas vemos que ele acaba se desapegando de um possível esquecimento engavetado: “Eles existem, me impedem de desfazer-me deles, me impedem de... leia mais

Estatísticas

Desejam
Informações não disponíveis
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 5.0 / 2
5
ranking 100
100%
4
ranking 0
0%
3
ranking 0
0%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

33%

67%

Dani - Bibliotecária Leitora
cadastrou em:
20/06/2016 14:24:05