O mal-estar na civilização

O mal-estar na civilização Sigmund Freud


Compartilhe


O mal-estar na civilização





Podemos dizer que o texto mais importante de Freud foi publicado em 1930 com o título O mal-estar na civilização. Nesta obra vemos o fundador da psicanálise teorizando como um grande pensador da humanidade, disposto a comentar não apenas questões individuais e clínicas, mas sendo um pensador profundo, capaz de fazer uma análise da cultura e da sociedade. É uma obra importante não apenas para a psicanálise, mas também para a filosofia, a sociologia e outros campos científicos.

No referido texto, Freud afirma que não há cura para o mal-estar. É da condição humana nunca estar satisfeito. Porém, mal-estar aqui significa mais do que um desconforto. Trata-se de uma condição existencial. Estar mal quer dizer que o ser humano nunca está em seu devido lugar. Se, por um lado, somos animais de instintos e desejos, por outro, desenvolvemos uma civilização que nos exige autocontrole e repressão individual para alcançar metas sociais maiores. Se desfrutamos da segurança e do conforto da vida em sociedade, também nos queixamos de sua corrupção e imperfeição inerentes, que nos força a renunciar da animalidade em busca de uma vida justa na cidade, que nunca se efetiva.

Nesse não-lugar, nunca satisfeitos em casa ou fora dela, tampouco plenos na natureza ou na cultura, Freud afirma que o problema da felicidade é uma questão individual. Cada um deve encontrar os seus próprios meios de ser feliz. Não há uma receita para a felicidade: o que vale para um indivíduo não se aplica a outro, já que os desejos e necessidades são diferentes. Não podemos evitar as grandes causas do mal-estar, como o envelhecimento, a incompreensão do outro ou a incerteza da vida. Mas podemos fazer coisas que tornam a vida mais bela, agradável e interessante. Freud segue assim a filosofia socrática de que uma vida analisada é uma vida que vale a pena ser vivida.

(trecho da Introdução desta edição)

[ebook disponível para Amazon Kindle]

Filosofia / Psicologia

Edições (7)

ver mais
O mal-estar na civilização
O mal-estar na civilização
O mal-estar na civilização
O mal-estar na civilização

Similares

(22) ver mais
A Interpretação dos Sonhos
FREUD (1914-1916)
História de Uma Neurose Infantil, Além do Princípio do Prazer e Outros Textos (1917-1920)
Totem e Tabu, Contribuição à História do Movimento Psicanalítico e Outros Texto

Resenhas para O mal-estar na civilização (175)

ver mais
“Ao mesmo tempo, a partir desse exemplo podemos suspeitar que as duas espécies de instintos (Eros e Morte) raramente – talvez nunca – surgem isoladas uma da outra.” Sempre achei a psicologia um dos mais encantadores campos de saber da humanidade. Estudar e entender o que nos faz agir e pensar e como isso reflete em nosso comportamento social é o caminho para entender nosso passado, nosso presente e como poderá ser nosso futuro. E é impossível falarmos da psicologia sem citarmos Sigm... leia mais

Vídeos O mal-estar na civilização (1)

ver mais
O mal-estar na civilização (Sigmund Freud) | Vandeir Freire

O mal-estar na civilização (Sigmund Freud) |


Estatísticas

Desejam380
Trocam6
Avaliações 4.2 / 2.586
5
ranking 48
48%
4
ranking 37
37%
3
ranking 13
13%
2
ranking 2
2%
1
ranking 1
1%

37%

63%

raph
cadastrou em:
06/06/2024 15:23:17
raph
editou em:
06/06/2024 15:23:31

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR