Contos do Nascer da Terra

Contos do Nascer da Terra Mia Couto




PDF - Contos do Nascer da Terra


Nesta reunião de contos breves, o premiado escritor Mia Couto conta histórias do cotidiano de Moçambique que tratam da identidade e do imaginário de um povo tão alegre quanto sofrido

Além de ser um dos maiores escritores de língua portuguesa dos nossos dias, recentemente agraciado com o prêmio Camões, Mia Couto trabalhou por alguns anos também como jornalista e contribuiu para diversos veículos de imprensa. A maior parte das histórias que compõem Contos do nascer da Terra foi publicada originalmente em jornais e revistas em 1996, e depois adaptada pelo escritor para este livro, que traz ainda um punhado de contos inéditos.
Ao todo são 35 histórias breves que se baseiam no cotidiano quase mágico de Moçambique e exploram a sonora linguagem do português africano, revelando na escrita a identidade de um povo e o domínio muito próprio da cultura e da criatividade literária.
Vemos aqui essa África que o Brasil tanto proclama como parte de sua própria matriz surgir na forma de contos que dão conta da diversidade e complexidade do mundo que, começando do outro lado do oceano, está tão presente na alma brasileira.





Contos do Nascer da Terra

O PDF do primeiro capítulo ainda não está disponível

O Skoob é a maior rede social para leitores do Brasil, temos como missão incentivar e compartilhar o hábito da leitura. Fornecemos, em parceira com as maiores editoras do país, os PDFs dos primeiros capítulos dos principais lançamentos editoriais.

Resenhas para Contos do Nascer da Terra (7)

ver mais
Transbordância de palavras


- Miudádivas, pensatempos (Para Manoel de Barros, meu ensinador de ignorâncias) “Escuto, depois a enchente. Longe, a água desobedece a paisagens. O rio toma banho de troncos, raízes da água se soltam. Sigo de catarata, luz encharcada. E peço desculpa á margem: desconhecia as unhas de minha transbordância. Meu sonho está cega para razões. Sei só escrever palavras que não há.” Conseguir retratar beleza em poucas linhas é a essência, a alma de uma obra de arte. Ao longo ...