Poemas completos de Alberto Caeiro

Poemas completos de Alberto Caeiro Fernando Pessoa




Resenhas - Poemas Completos de Alberto Caeiro


29 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


lulizebs 24/03/2021

Alberto Caeiro
No começo eu achava complicado entender os sentidos dos poemas, e as palavras não ajudavam por terem mais sentido se lidas em português de portugal. Mas quanto mais eu lia e desligava minha mente, os poemas criavam sentido. Vale muito a pena ler, são poemas que foram bastante significativos.
comentários(0)comente



bennoda 31/12/2020

Caeiro
Alberto Caeiro, vulgo Fernando Pessoa, sabe mexer comigo. Todos os livros seja usando ou não heterônimo me faz suspirar.
comentários(0)comente



Ka 20/08/2020

Pessoa e Caeiro
Simplesmente perfeito. Fernando Pessoa é um celébre escritor, poeta e ser vivo. Capaz de colocar em palavras, aquilo que não pode ser explicado ou visto. Dono de três heterônimos distintos.
Eu, particularmente, acho curioso e surpreendente a capacidade ddo poeta de ser quatro- ou até mais - Pessoas.
Neste compilado de suas obras é apresentado o heterônimo Alberto Caeiro. O escritor, mestre e apaixonado pela natureza. Vive em um eterno "deixa a vida te levar, vida leva eu" e desacredita de crenças mundanas.
Caeiro vive em grande parte de seus poemas em um ambiente bucócico e celébra a forma como a vida simples pofe trazer felicidade. Diz que o segredo é não pensar e que quer viver a realidade (e não o presente).

Para quem busca conforto e um abraço quentinho, esse é o poeta. Fernando Pessoa é irresistível. E Caeiro não seria diferente. Me impressionei com sua sabedoria e paz que transmite.

Recomendo muito
comentários(0)comente



Alyne.Queiroz 01/08/2020

Surpreendeu
Não sou muito fã de poemas, nunca antes havia lido um livro inteiro só com poemas mas a experiência foi melhor do que eu esperava, foi muito interessante ler os textos de apoio que explicam mais sobre Fernando Pessoa, o que mais me impressionou foram seus heterônimos, personalidades tão distintas criadas por Pessoa, e foi através desses heterônimos que ele escreveu a maior parte de seus poemas, esse livro são do heterônimo Alberto Caeiro, que era considerado o mestre de todos os outros.
Os poemas de Alberto Caeiro são justamente o oposto do que eu esperava de poemas, não são românticos, não são místicos, são bem céticos e racionais, eu adorei, fiquei com vontade de conhecer o Ricardo Reis e o Álvaro de Campos
comentários(0)comente



Julia 14/07/2020

Clássico Fernando Pessoa
Livro muito bom que trás as obras do heterônimo Alberto Caeiro. Recomendo!
comentários(0)comente



Camila 04/05/2020

Poemas completos de Alberto Caeiro
Em vida, Fernando Pessoa publicou apenas dois livros: English Poems e Mensagens, mas nem por isso o mundo deixou de consagrá-lo como um dos mais brilhantes poetas de língua portuguesa.

Nessa coletânea de poemas o destaque vai para um de seus heterônimos, Alberto Caeiro, considerado o "Mestre", para os seus outros "poetas". Caeiro traz uma poesia contemplativa, simples e natural. A natureza está sempre em foco, e o seu processo criativo é fluido e espontâneo.

Vale a pena contemplar!

comentários(0)comente



Mary 21/04/2020

Neste livro temos a apresentação de Ricardo Reis e depois partindo para a parte poética, que é dividida em : O guardador de Rebanhos, O pastor amoroso e o Poemas Inconjuntos. Há também alguns fragmentos, variações poéticas e duas prosas.
Caeiro fala muito de natureza, eu senti que ele se comparava a natureza como um ser normal , que os seres humanos não são superiores a ela,ele diz a todo tempo que ele sabe que se ele morrer tudo continuará o mesmo e ele fica feliz por isso. Caeiro se mostra um homem inocente, cheio de dúvidas sobre religião, mas com muito caráter.
comentários(0)comente



Julia.Marcondes 31/03/2020

a profundidade da simplicidade
É incrível como Fernando Pessoa consegue distinguir tão bem um heterônimo do outro. E Alberto Caeiro é o Mestre dos outros, da forma mais simplória e grandiosa que se pode ser.

Ele tem tanta sabedoria quanto infantilidade, tanta profundidade quanto singeleza. Amo Caeiro por ser e não almejar mais que isso.

Para quem entra no mundo da poesia com todo o ser, fica minha recomendação!
comentários(0)comente



Rebecca com dois cês 24/03/2020

A profundidade das vertentes espirituais de Fernando Pessoa
A princípio, achei espetacular a ideia de Fernando Pessoa usar pseudônimos para suas vertentes espirituais, sendo aqui retratado Alberto Caeiro, um guardador de rebanhos: homem simples, mas profundo, que revela sua relação com a natureza, a religiosidade e as dúvidas sobre a vida, a morte e o universo.


Em "O guardador de rebanhos", pude mergulhar nos pensamentos de Caeiro acerca do amor e do sentido de tudo. Em seus poemas, analisei questionamentos e teorias inimagináveis, além de bastante subjetivas.


Linda obra, recomendo muitíssimo.
comentários(0)comente



Nathali.Mateus 03/03/2020

Infelizmente alguns poemas da última parte estão incompletos por serem originalmente ilegíveis ou pelo fato de Fernando Pessoa não os ter concluído
comentários(0)comente



Vitor Gomes 21/12/2018

Conheci Alberto Caeiro, heterônimo de Fernando Pessoa, quando estava ainda no colégio e prontamente me apaixonei. É uma poesia limpa, sem rimas, sem métrica regular, que parece superficialmente simples. Conforme você mergulha em seus poemas, vai percebendo a complexidade de "acreditar apenas no que se vê". Este é um poeta da natureza, que faz de toda sua metafísica a simplicidade de ver nas coisas o que elas são e nada mais. Vale muito a pena para ter uma visão de mundo diferente do que costumamos ver. Não é sem razão que Fernando Pessoa é um dos maiores escritores em língua portuguesa. Belíssima obra!
comentários(0)comente



Trovador 16/06/2016

Compre de outra editora
Os poemas são ótimos, afinal é Alberto Caeiro, para quem conhece o nome já diz tudo. Os belos poemas pastoris e panteístas de um guardador de rebanhos sem rebanho.

Mas essa edição que eu li é uma bosta. Compre de outra editora.

Já estudei e reestudei Alberto Caeiro, então sem problemas para mim, mas para um leitor novo em Alberto Caeiro as notas de rodapés são de inúteis para incompetentes. Raramente propõe notas que trazem informações que contribuem para a interpretação. Ou as notas vagueiam entre dizer o óbvio e viajar de mais, mas raramente falam sobre o que realmente concerne os poemas.
comentários(0)comente



Carmem.Toledo 20/04/2016

Provocações poéticas
Esta coletânea traz um dos mais belos textos de Fernando Pessoa: "O guardador de rebanhos". Em sua poesia, o autor - por trás de um de seus heterônimos - provoca o leitor, através de um atrevimento que tem a beleza de uma resposta de criança. Não chamaria isso de inocência, mas de revelação do óbvio que não costuma ser questionado.
comentários(0)comente



Thananda 04/01/2016

Simples e direto
Um dos heterônimos de Fernando Pessoa, Alberto Caeiro considera-se um poeta da Natureza e escreve sobre sua forma real, sem enfeites, sem poetismo, sem sentimentalismo, sobre a realidade pura, sem símbolos, sobre ver e apenas ver, sobre sentir e ouvir sem pensar. Caeiro é um homem do campo, por ser o menos culto dos heterônimos, tem um estilo seco e simples de se expressar, simplicidade essa que faz seus poemas grandiosos. O autor é um poeta materialista, que duvida da existência da alma no ser humano. Ele nos convida a simplesmente viver. Não pense, não rotule, não teorize. De acordo com ele, quem garante que somos melhores do que as pedras e as flores? Somos diferentes, mas melhores? Difícil dizer...
Nada realmente importa.
"(...) Todo o mal do mundo vem de nos importarmos uns com os outros. Quer para fezer o bem, quer para fazer o mal. A nossa alma e o céu e a terra bastam-nos. Querer mais é perder isso, e ser infeliz..."

Recomendo.
comentários(0)comente



Fê Atihe 22/01/2015

A extrema naturalidade e a simples, porém notável eloquência deste heterônimo abriram portas para mim na literatura poética, que, não sei ao certo o porquê, sempre foi um terreno acidentado demais para que eu pisasse.

"Um dia de chuva é tão belo como um dia de sol;
Ambos existem, cada um como é."
José Henrique 22/01/2015minha estante
Fiquei com vontade de ler




29 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2