Logicomix

Logicomix Apostolos Doxiadis




Resenhas - Logicomix


11 encontrados | exibindo 1 a 11


CLUBE THE BOOK ON THE TABLE 05/03/2016

Tédio
Não houve absolutamente nada que me prendeu a este livro. Maçante demais
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Matblaster 20/08/2014

PÉSSIMO LIVRO
péssimo livro...

em minha opinião o livro é muito confuso, com uma mistura do real e o imaginário, com paradoxos, teorias físicas, etc. Um tema complexo que não deveria ter em uma HQ, eu não tenho nada contra o tema, mas acho que para quem quisesse saber mais deveria consultar um livro(sem ser HQ), eu comecei lendo achando que era um romance, mas errei, na verdade era, mas com uma mistura de filosofia e física complexa que ocupava a maior parte do livro.

comentários(0)comente



Márcio Lima 01/11/2013

Heroísmo e tragédia contada de forma brilhante em uma arte primorosa.
Para quem se interessa por Matemática, Lógica e Ciência da Computação, "Logicomix" é leitura obrigatória.

A obra é uma História em Quadrinhos (com maiúsculas mesmo), de autoria de Apostolos Doxiadis e Christos H. Papadimitriou (além de valiosas contribuições de colaboradores, a começar pela arte primorosa, de Alecos Papadatos) conta a história de grandes matemáticos, filósofos e lógicos do século XX. Eles são, segundo os autores, os "heróis de uma jornada épica".

Eis os heróis: Bertrand Russell, Gottlob Frege, David Hilbert, Georg Cantor, Ludwig Wittgenstein, Kurt Gödel, Alfred North Whitehead.... faltou mais alguém?

A trama é centrada principalmente em Bertrand Russell, filósofo, lógico, popularizador da ciência, humanista e militante pacifista, e sua relação com esses grandes nomes na busca do que ele chamou de "os verdadeiros fundamentos lógicos da Matemática". A busca pela Verdade filosófica, em que se tropeça às vezes com sua irmã bastarda, a Loucura.

Como eu disse, trata-se de uma HQ, aliás bastante incomum. E deliciosa. Para quem não leu, saiba que não é necessário ser versado nessas áreas para curtir a obra. Os autores contam sua jornada épica com tanta leveza - e beleza, além de boas doses de tragédia - que fica impossível não gostar do resultado.

Eu li, reli e recomendo para quem não leu!
comentários(0)comente



Profa. Daniela 21/04/2013

Teste para resenha
Aqui você deve colocar sua resenha. (opinião)
comentários(0)comente



osantana 26/01/2013

Finalmente entendi a questão da teoria de completude
Muito legal. É impressionante como um bom roteiro e uma HQ bem desenhada podem explicar tão bem um assunto relativamente complicado.

É até estranho falar que o assunto é complicado depois de ler esse livro.
comentários(0)comente



Carol 18/06/2012

Na Oresteia, de Ésquilo, Atena, deusa da sabedoria e da estratégia, utiliza sua lógica para resolver uma questão complicada sem recorrer à figura da autoridade, comum nos sistemas anteriores: inventa o júri popular. Desde a Grécia Antiga, o homem busca a difícil definição de raciocínio válido, e quando o conceito é tão volátil, é mesmo natural que a tarefa seja delegada apenas a deuses. Mas no século XX a ciência da Lógica cresce realmente, de maneira irônica entre guerras mundiais e crises. Bertrand Russell, Gottlob Frege, David Hilbert, Kurt Gödel, Ludwig Wittgenstein, John von Neumann, entre outros pensadores, guiam Logicomix na sua “jornada épica em busca da verdade”, como diz o subtítulo.

Bertrand Russell, ainda jovem, descobre a matemática e a eterna ambiguidade que ela traz na sua vida: por um lado a promessa de uma sociedade racional oferece conforto a um menino tão cheio de incertezas; por outro, o medo da loucura, tão contrário à Lógica mas tão comum em cientistas da área. Mais tarde, na universidade, descobre que a Matemática se encontra em crise. Os matemáticos da época apoiam-se em pilares que se apoiam em outros pilares que por sua vez se apoiam em mais alguns pilares qualquer, mas no final tudo isso está empilhado em cima do vazio, ruindo. São axiomas vazios. Russell, alucinado, passa boa parte de sua vida indo atrás dos fundamentos que estão faltando.

As ilustrações fortes, firmes e limpas de Alecos Papadatos e Annie di Donna impressionam primeiramente pela finalização impecável. A construção dos personagens, em se tratando de pessoas reais, também é ótima e divertida (exemplo: pesquisa de personagem do Bertrand Russell [http://www.logicomix.com/en/flash/images/gallery2/large/g3.html]).

Estes quadrinhos não pretendem ser um manual de lógica para principiantes, longe disso. É uma história, como tantas outras, sobre pessoas e suas paixões – não se deixem enganar pelos personagens matemáticos. Uma história, inclusive, ficcional, mas na maior parte do tempo muito justa com a realidade. Genial. No final da Oresteia, as Fúrias dizem: “regozijai-vos, cidadãos felizes que apreciam a verdadeira sabedoria!”. Felizes eu não sei, loucos talvez, mas regozijai-vos com Logicomix.

Logicomix: uma jornada épica em busca da verdade, de Apostolos Doxiadis e Christos H. Papadimitriou, com arte de Alecos Papadatos e Annie di Donna. 347 páginas. Editora Martins Fontes.

Mais em http://apesardalinguagem.wordpress.com/
comentários(0)comente



Alhan 15/11/2011

Quadrinhos que conta a estória da vida pessoal de Bertrand Russel. Adoro livros graficos e sou meio suspeito pra falar, mas acho que deveria haver mais biografias nesse formato.
comentários(0)comente



Jpg 30/03/2011

O destino da lógica
O livro/hq mostra o destino de qualquer tentativa de explicação lógica para o significado da vida: o de falhar. Partindo da história de Bertrand Russell e sua busca paranóica por uma explicação para tudo, tenta expor de maneira simples os princípios da lógica e diversas teorias matemáticas, o que acaba confundindo às vezes. Apesar disso, não deixa de ser interessante. Está cheio de referências à cultura grega, e o glossário das últimas páginas do livro pode te ajudar a não ficar tão perdido. Aliás, perdido fica o protagonista, depois que descobre que sua lógica não resolve tudo, o que pra mim foi um alívio, afinal, a partir do momento em que tudo pudesse ser explicado pela lógica, viver não teria graça nenhuma. Mas não desanime se você gosta de lógica, ela ainda serve para alguma coisa. Pra que? Lê o livro que você descobre.
comentários(0)comente



Polly 06/10/2010

Quadrinhos
Invadora história em quadrinhos que conta a vida do filósofo Bertrand Russell e seu apaixonado objetivo de estabelecer os fundamentos lógicos de todos os princípios matemáticos. Na angustiante busca pela verdade absoluta, Russell cruza com pensadores como Gottlob Frege, David Hilbert, Kurt gödel e Ludwig Wittgenstein. Em meio a amor e ódio, paz e guerra, Russell persistiu em sua obstinada missão, que ameaçava tanto sua carreira como uma vida pesoal, e o levou ao limiar da insanidade. O livro é ao mesmo tempo um romance histórico e uma introdução acessível a algumas das principais ideias do campo da Matemática e da Filosofia moderna.
comentários(0)comente



Julhama 03/09/2010

Uma das discussões mais velhas sobre os quadrinhos é qual a sua função. Eles seriam um intrumento de mera diversão ou poderiam servir para fins pedágógicos/educacionais? A resposta para mim sempre foi muito clara: os quadrinhos possuem uma infinidade de possibilidades, que passam pela diversão e seus super-heróis e tirinhas cômicas, por histórias biográficas, pela reportagem e pela educação.


Logicomix aglutina muitas dessas diferentes características: história, biografia e conceitos de lógica/matemática e filosofia! Trata-se da história de Bertrand Russel, um notável matemático/lógico e pacifista. Ela é contada por um grupo de amigos que pretende tornar a história da lógica possível em quadrinhos, o que é um projeto bem ambicioso. O bacana é que os autores utilizam o artifício de se colocar na história. E essa autorreferência facilita muito na compreensão de alguns conceitos, pois em alguns momentos-chave da história, os autores interrompem e discutem sobre os assuntos abordados.

Os autores utilizam como base para um dia no anos de 1939, quando Russel faria uma palestra na Inglaterra sobre Lógica. Naquele dia o Reino Unido acabara de declarar guerra à Alemanha, o que as pessoas achavam absurdo, pois alegavam não ter nada a ver com a guerra contra o nazismo. Os "pacifistas", sabendo dos posicionamentos políticos de Russel, resolvem ficar na porta do auditório e convidar o pensador a cancelar a palestra e juntar-se à manifestação.

Russel acaba convencendo a todos eles entrarem na palestra, que abordaria a Lógica nas questões humanas. O que se ouviu, foi a história de Russel e sua busca desde pequeno pela lógica (principalmente relacionada à matemática no início), o que, anos depois, resultou em sua teoria (que trata principalmente de conjuntos) que revoluciou a área. Sobre elas, transcreverei (na medida do possível) uma das explicações dadas pelos autores:

Christos- "Quando algo se refere a si mesmo, há sempre o risco de surgir um paradoxo. Por exemplo, os livros autorreferentes... Como "Tristam Shandy" de Sterne, "Se um viajante numa noite de inverno", de Calvino... (Nota de rodapé: Logicomix, é claro, também é autorreferente) Suponhamos que vocês façam um catálogo completo de todos os livros que NÃO SÃO autorreferentes."
Annie- "Seria um catálogo desde tamanho..."
Christos- "Claro! Mas a Questão é... Ele conteria a si mesmo?"
pausa para reflexão...
Annie- "ENTENDI! Quando contiver, não conterá! E quando NÃO contiver, conterá!"

A partir do paradóxo de Russel, todos os outros pensadores lógicos e matemáticos tiveram de basear seus estudos. A teoria de Russel revolucionou o pensamento matemático anterior e criou novos fundamentos. Logicomix trata justamente dessa evolução do pensamento matemático, que, no futuro, chegaria à invenção do computador.

Além de contar a historia da evolução do pensamento lógico/matemático, Russel também conta sua vida pessoal e o seu eterno embate contra a loucura. Aliás, essa ambiguidade lógicaXloucura é bastante explorada no livro, mostrando como muitos dos principais pensadores da área sofreram, de uma forma maior ou menor de excentricidade. Alguns chegaram a anlouquecer. O próprio Russel, após criar seu paradoxo, ficou 10 anos com seu amigo, o também matemático Whitehead, tentando solucionar o grande problema que criou (as bases tradicionais da matemática tinham ruído).

Logicomix consegue trazer à luz coceitos complicados. É didático sem parecer, aborda temas complexos sem deixá-los com cara de aula tradicional de matemática. Imagino as maravilhas que o livro fariam se utilizado em uma sala de aula, com cometários e discussões com os professores de matemática e filosofia. Mostra que o preconceito bobo contra quadrinhos deve ser superado e que ele pode fazer maravilhas na educação.

www.espanadores.blogspot.com
Nalí 08/10/2015minha estante
Julhama, sua resenha é maravilhosa! De fato, Logicomix chegou até a ser usado na universidade, pois uma parcela significativa dos alunos de filosofia da UFRN odiavam lógica (que é uma parcela significativa do estudo da filosofia). Só vou pedir pra você arrumar o nome do ôme, hehe! É Russell :~




11 encontrados | exibindo 1 a 11