First Grave on the Right

First Grave on the Right Darynda Jones




Resenhas - First Grave on the Right


5 encontrados | exibindo 1 a 5


Cindy 08/01/2018

Legal...Mas já li melhores...
Charley Davidson é uma detetive particular de 27 anos - que possui o dom de ver os mortos e ajudá-los na passagem para o Além - e vai ter que usar suas habilidades para solucionar o assassinato de três advogados e tirar um inocente da cadeia.

Aí vem a primeira coisa bizarra na história: ela é A Grim Reaper (Ceifeira) e os mortos fazem a passagem para o Além através dela, ou seja, ela é um portal para o Além. Francamente, uma pessoa ser um portal é uma das ideias mais ridículas já apresentada em livros. É tão bizarra que me deu vontade de desistir da leitura assim que me deparei com uma coisa tão nonsense. Quer dizer que ela tem tipo um buraco negro ou um túnel de luz dentro do corpo que leva almas ao Além?! Ah, me poupe! E se ela é A Grim Reaper, ela não deveria estar auxiliando na passagem de todos os espíritos dos mortos para o Além? Mas no livro ela diz que só ajuda os que ficaram vagando na Terra, depois da morte, por algum motivo. E mesmo nesse caso, deveria haver milhões de espíritos vagando por aí com assuntos pendentes e não somente aqueles 4 ou 5 que a procuram pedindo ajuda. Então, acho que a autora deveria tê-la classificado como médium e não como Grim Reaper - até porque o(a) Grim Reaper deveria ser uma criatura poderosa e imaterial.

Adoro livros com uma pegada de humor e sarcasmo, mas não de forma exagerada, como nos casos em que o personagem principal está prestes a morrer, mas, ainda assim, não perde a oportunidade de fazer uma piadinha idiota. A Charley tem umas tiradas bem engraçadas na maioria das situações, mas me incomoda um pouco a atitude dela de "Gente, olha como eu sou fodona!". Muitas vezes ela soa como uma adolescente aparecida que quer se mostrar para os amiguinhos e chamar a atenção dos adultos a todo custo. Já que ela é toda wannabe, devia ao menos ter aprendido artes marciais e defesa pessoal, pois passa o livro inteiro levando porrada de todo mundo.

Me incomodam bastante livros que introduzem espíritos na trama e os tratam como "fantasmas" ou "demônios". Invariavelmente, essas criaturas sempre me remetem ao Jason ou Freddy Krueger (que nunca me assustaram em nada e só me faziam rir). Ao menos nesse livro os "fantasmas" são mais ou menos normais e gente boa, em sua maioria - a gente se apega facilmente e torce por eles. Até a peste da garotinha loura demoníaca tem seu lado bom. Gostaria que todos tivessem aparecido mais na trama, já que as partes que envolviam a presença deles eram as mais interessantes e divertidas. Também houve momentos tristes e emocionantes, quando se abordava a questão dos familiares que ficavam pra trás, tudo que os "fantasmas" perderam aqui na Terra e tal. E tem também o Sr. Wong - o espírito que vive há anos parado com o rosto voltado para a parede, num canto do apartamento da Charley - apesar de não ter falas, é um personagem que me conquistou e me fez lembrar daqueles filmes de terror japoneses assustadores.

Entre os seres viventes temos o tio Bob, que é policial e emprega a Charlotte desde os 5 anos como consultora para ajudar a resolver crimes. Não gostei do pai da Charley, que é ex-policial, por causa da omissão dele em relação às atitudes da madrasta dela, que sempre a humilhou e maltratou sem que ele interferisse em defesa da filha. Queria muito que o Garret - o detetive bonitão e arrogante - se envolvesse com a Charley, mas, pelo visto não vai rolar.

E sobrou o crush da Charley: Reyes Farrow. O homem TDB master, deus grego, que deixa todas as mulheres paralisadas, sem fala e babando com sua beleza (aff!). [Sinceramente, a autora poderia ter sido bem menos exagerada na descrição dos atributos físicos do cara.] No início do livro ele parece ser um tipo de criatura imaterial extremamente poderosa, já que não é como os demais espíritos da trama e estes o temem. A Charley passa o livro todo em busca de solucionar o mistério do Reyes (onde ele está, o que ele é) e, quando este é finalmente resolvido... É bem decepcionante. Sei lá, eu esperava muito mais, achei uma solução totalmente cliché e mal elaborada, que parece que foi inventada às pressas somente pra preencher as páginas que faltavam para o final do livro.

Apesar dessas questões que citei, o livro é interessante, tem muitas passagens divertidas, alguns personagens ótimos (especialmente os espíritos) e uma narrativa bem fluida. A trama conseguiu me prender e não parei de ler até chegar ao fim. Mas o final realmente é bem fraquinho. Por essas e outras o classificaria como três estrelas. No gênero urban fantasy, posso citar outros livros bem melhores, como as séries: Elemental Assassin da Jennifer Estep, Hidden Legacy da Ilona Andrews, Mercy Thompson da Patricia Briggs, etc.
comentários(0)comente



Rafaela Regis 11/12/2014

First Grave on the Right - Darynda Jones
Lá estava eu navegando pelo Goodreads quando me deparo com um livro com uma temática que eu nunca havia encontrado antes! Estou falando de First Grave on the Right que traz como protagonista uma investigadora particular no sei meio tempo e uma ceifadora 24 horas por dia. Digo 24 horas porque ela vê, fala e interage com fantasmas durante todo o tempo. Interessou? Ficou curioso, pois é eu também!

Charley Davidson (sim como a marca da Moto e por pouco ela não se chama Harley, heim!) é uma detetive particular muito atrapalhada, no entanto ela tem um que a mais! Ela tem o poder de resolver casos que ninguém consegue e isso é porque ela consegue literalmente falar com as vítimas!

No entanto Charley começa a ter sonhos que são bem reais com um homem que ela conheceu quando era uma adolescente e esse dia ficou marcado em sua memoria pelo fato do jovem ter uma presença, digamos, ameaçadora! E é claro que o fato de ele ser lindo, gostoso, salve salve, e com o tempo ele ficou ainda melhor, mas o problema é que ela descobre que ele não está entre nós e sim em coma, ou seja ela não pode alcançá-lo e o fato de ele estar preso em uma cadeia de segurança máxima deveria assustar qualquer mulher.

First Grave on the right é o primeiro volume da série Charley Davidson, que está no sétimo volume. No começo fiquei com medo de começar a ler e gostar, até porque já foram lançados 7 e nada de dizer que é o ultimo volume, então vai se tronar mais uma série quilométrica e tal, mas fui e em frente e não é que eu gostei!

Adorei o jeito sarcástico da Charley e ri horrores com ela e as situações que ela passava, já pensou falar com fantasmas e as pessoas ao redor pensar que está louca por falar só?? A solução é pegar o celular e fingir que fala com alguém, rsrs.

A história flui muito bem, mesmo tendo umas palavrinhas difíceis e tendo que correr para o google para adivinhar o que era que significava aquilo =P o livro me surpreendeu bastantee deixou um gostinho de quero mais. Tanto que me perguntei como não conheci a Darynda antes?? Como assim produção?? Ela escreve super bem e o tema é um tanto quanto inovador, então sim vou atrás de outros livros dela!

Adorei a leitura e recomendo, mas leia com o dicionário do lado. Perfeito para os que gostam de personagens ousados e irônicos e muitos casos de assassinato para desvendar!

site: http://dlivros.blogspot.com.br/2014/09/first-grave-on-right-darynda-jones.html
comentários(0)comente



Albertini 30/01/2014

Charley e Reyes
A, romance de estréia sensacional premiado que apresenta Charley Davidson: part-time investigador particular e de tempo integral Grim Reaper.

Charley vê pessoas mortas. Isso mesmo, ela vê pessoas mortas. E é seu trabalho para convencê-los a "" ir para a luz. "Mas quando essas pessoas muito mortas morreram em circunstâncias menos ideais (ou seja, homicídio), às vezes eles querem Charley para levar os bandidos à justiça. Complicar as coisas são o sonhos intensamente quentes ela está tendo sobre uma entidade que tem acompanhado a ela toda a sua vida ... e não é que ele pode não estar morto depois de tudo. Na verdade, ele pode ser algo completamente diferente.

Este é um romance de estréia emocionante de um recém-chegado ao mundo excitante de suspense paranormal romântico.
comentários(0)comente



Quatro Amigas 07/08/2013

First Grave on the Right - Darynda Jones
Deixa eu falar da minha paixão por esse livro, GENTE vocês não entendem, esse foi um achado e tanto no mundo literário. Simplesmente nunca me falaram desse livro, nunca tinha ouvido falar dele em lugar nenhum..então numa dessas andanças pelos blogs do mundo afora li a sinopse li alguns comentários e resolvi dar uma chance a série através do primeiro livro e CARA QUE BOM, porque ele é SURPREENDENTE E IRREVERENTE, ele é aquele tipo de livro que você já viu por aí e que JAMAIS leu por um SIMPLES MOTIVO: O mocinho é o filho do satã, mais GENTEE nunca pensei que iria ler um livro e torcer pelo filho do satã, a encarnação do mal, é por esse motivo que ele é surpreendente...
Temos um “mocinho” totalmente inesperado, uma mocinha que é o portal para as almas irem ao mundo dos mortos e uma história hilária, sombria e sexy. Aliás SEXY como o diabo ou melhor como o FILHO DO DIABO rs.

Nesse primeiro livro da série vamos conhecer sobre os personagens e suas peculiaridades. Conhecemos a Charley e seu incrível talento de ver os espíritos e de servir de portal para eles irem para aonde quer que eles vão rs. Enquanto investiga os casos que é contratada,Charley precisa lidar com os espíritos dos mortos e com a sua família, seu tio policial que não se preocupa em utilizar e abusar do dom da sua sobrinha para solucionar casos, afinal quem melhor que o morto para sabem quem e porque ele foi morto? Iremos também saber um pouco mais sobre Reyes um garoto que a Charley conheceu há muitos anos atrás numa situação bem complicada mais que mesmo após tantos anos ele não sai da cabeça dela e ele parece ter mais a esconder do que ela imagina e parece saber mais dela do que ela mesmo sabe.

O livro é gostoso, sexy e divertido. A gente ri com a Charley, suspirei com o Reyes e ao mesmo tempo o temi.. O cara é a encarnação do mal mas ele é ao mesmo DELICIOSO , então ficamos dividimos no início sem saber direito o que pensar e esperar dele e de suas ações.

----------------CITAÇÃO:
“Enquanto tentava aliviar a dor no pescoço, meus pensamentos voltaram para o sonho que tinha tido, o mesmo sonho, que tinha todas as noites já a um mês. Cada vez ficava mais e mais difícil me libertar dos efeitos ao despertar, dos toques ardentes, da neblina do desejo. Cada noite nos sonhos, aparecia um homem dos locais mais escondidos e escuros do meu cérebro, como se estivesse esperando que eu caísse adormecida. Sua boca grande e masculina, queimava minha carne. Sua língua, como uma chama sobre minha pele provocava pequenos choques que sacudiam todo meu corpo. E então, quando ele deslizava abaixo, o céu se abria e as vozes do coro começavam a cantar aleluia.”
------------------------------------------------------------------

Em cada início de novo capitulo deparamos com frases irônicas e engraçadas que a Charley descreve como: frases para camisetas, são hilárias e muito sarcásticas. Os personagens são ótimos! A Charley não é uma mulher fraca que fica presa ao seu “dom”, ela aliás lida com ele da melhor maneira que pode usufruir e o que é melhor, ela é forte e sarcástica. Reyes aparece no inicio de um jeito depois ele se torna mais sombrio e vai ganhando mais espaço no livro e no meu coração hahaha, como eu disse desde o início do post ele é o meu filho do satã mas OMG eu não me importo com isso.

----------------CITAÇÃO:
“Graças a Deus, minha capacidade de atenção era como a de um mosquito.”
--------------------------------------------------------------------

Sério gente o livro é muito bom, a série evoluiu e fica melhor a cada livro e os personagens são sensacionais, a autora não é muito conhecida e nem seus livros, mas indico essa série porque quando vocês lerem irão entender.

----------------CITAÇÃO:
“Não tenha medo do anjo da morte.. Só seja muito, muito cuidadoso com ela.”
---------------------------------------------------------------------

Abaixo vou deixar as capas dos livros já lançados da série.. O 5º livro acabou de ser lançado lá e eu OMG já necessito dele . As capas também são um show a parte, adorei porque são bem diferentes e originais.

site: http://quatroamigaseumlivroviajante.blogspot.com.br/2013/07/li-e-quero-no-brasil-first-grave-on.html
Pamela V 29/10/2013minha estante
Caso eu leia esse livro, será o mais ateu que irei ler em toda a minha vida. rs
Só faltou você falar que vai abraçar o capeta e torcer por ele de agora em diante, apesar de ter gente que já faz isso infelizmente. Enfim...
Se tratando de livro de ficção/fantasia pode ser interessante e vi que você o retratou com entusiasmo. A única série paranormal que é fenomenal é 'Anita Blake, a caçadora de vampiros' e não sei se esta pode ser superada.




F Kamá 24/02/2013

First Grave on the Right - Darynda Jones
Sinopse: Charlotte Jean Davidson é uma Ceifadora. Sim, ela é a luz que guia as almas perdidas para o Além. Sem foice ou capa ou caveira ou barca. E quando seu tempo não está sendo consumido tentando convencer alguma alma a partir dessa pra melhor ou ajudar a mandar uma mensagem para alguém deixado para trás ou a resolver o assassinato de algum espírito, Charley trabalha como detetive particular e consultora da Polícia. Como se tudo isso não bastasse, ela tem recebido a intensa e muito sexy visita de alguém em seus sonhos. Seria seu amante anônimo um outro espírito ou algo totalmente diferente?

Eu absolutamente amo esse livro, ou melhor, amo essa séria, que, na minha humilde opinião, é perfeita. Cada capítulo se inicia com alguma citação (algumas de Charley, outras de camisetas, outras de adesivo de para-choque). Frases do tipo: "Vida não é sobre encontrar si mesmo. É principalmente sobre chocolate", "Caras tem sentimentos também. Mas tipo... Quem se importa?", "Sarcasmo. Um dos serviços que ofereço". Não há um parágrafo de tédio nas páginas. Impossível interromper a leitura.

Assim que li o primeiro parágrafo eu soube que adoraria Charley. Ela tem um senso de humor às vezes um tanto inapropriado e ácido, sempre com uma resposta na ponta da língua. Os diálogos entre ela e sua melhor amiga e vizinha Cookie são impagáveis. É corajosa, impulsiva e super cabeça-dura. Seu vício por cafeína, sua rejeição por comida saudável e sua mania de nomear objetos e partes de seu corpo a tornam extremamente charmosa. Ver seu mundo através dos olhos dela foi uma experiência excitante e muito divertida.

E Reyes. Só o nome dele já me faz suspirar. Reyes Alexander Farrow. Ele é fascinante. Não só pelo o que ele é, mas por causa de suas contradições. Ele é capaz de coisas terríveis e seu passado prova isso, mas ele tem um lado que eu só consigo descrever como puro. Estranho, não é? Mas foi o que eu pensei quanto mais lia sobre ele. Principalmente com relação à irmã dele. Quando Kim conta um pouco do passado de Reyes para Charley, meu coração doeu por ele.

Darynda conseguiu balancear todos os elementos da história habilmente. Humor nas situações mais improváveis e nas horas certas, o mistério do Big Bad, o suspense da investigação dos assassinatos dos três advogados, o intenso romance entre Charley e Reyes Farrow. Com certeza um dos meus livros preferidos. E vai ficando melhor a cada volume da série.

http://efkashinzato.blog.com/
comentários(0)comente



5 encontrados | exibindo 1 a 5