Dívida de sangue

Dívida de sangue Michael Connelly




Resenhas - Dívida de sangue


10 encontrados | exibindo 1 a 10


Bruno 18/07/2011

Uma Obra Desacatada Por Um Filme Meia-sola.
Sou fã inconteste de Michael Connelly, mas não quer dizer que sempre elevarei suas obras à apoteose. Longe disso. Mas Dívida de Sangue, para mim, certamente está entre as melhores obras do autor.

A trama do livro é linear, como são quase todos os livros de Connelly. Contudo, o ingrediente peculiar de Connelly é a sua sóbria capacidade de retratar a investigação policial com humanidade, tato, equilíbrio, de um argumento lógico interessantíssimo, enfim, sem ultrapassar essa linha da moderação, sem desembocar no sensacionalismo ou no heroísmo demagógico de muitas obras policiais.

A linearidade do livro é de uma simplicidade que impressiona. Impressiona porque, apesar de simples, é muito imersiva, inteligente e saborosa de ler. Connelly escreve com uma organização progressiva da trama tão lúcida e coerente que a leitura corre fácil e prazerosa, despertando interesse tanto no desdobramentos da história, quanto no trabalho técnico-policial muito bem descrito, realístico e maduro, sem ser chato.

O livro é, sim, excepcional, como todo. Mas, como nem tudo é "flores", não gostei do desenrolar final. Achei que foi muito forçado, dependendo exclusivamente de intuições. Se Connelly fosse mais sóbrio, como é na maioria das vezes, poderia construir algo mais lógico e aceitável. Mas não é por causa disso que a obra deixaria de receber a nota máxima, porque realmente ela é ótima, mesmo.

Infelizmente, alguns leitores olham torto para esse título em razão do péssimo filme adaptado do livro aos cinemas, que teve Clint Eastwood como Terry McCaleb. O filme é raso, previsível, simplório, absolutamente diferente do livro. Mas, para a alegria dos curiosos, o final do livro é totalmente diferente ao do filme. O vilão do filme não é o do livro, muito pelo contrário. E as resoluções rasas do crime retratadas no filme, também não se comparam com as investigações coerentes e reviravoltas interessantes das do livro.

Quem assistiu ao filme, esqueça. E compre logo esse título de Connelly, porque é quase que ler/assistir algo totalmente novo, mais caprichado, refinado e, sobretudo, diferente.

Livro mais que recomendado.

comentários(0)comente



Adriano 02/12/2009

A investigação do assassinato da doadora do coração transplantado para Terry McCaleb leva o ex-agente do FBI a caminhar na trilha de um possível assassinato em série. Reunindo pequenas, mas importantes, evidências dos crimes, McCaleb, vai aos poucos chegando mais próximo do criminoso. Mas isso, o levará ao limite de sua própria vida.
McCaleb em seus tempos de FBI era uma profiler, um detetive especializado em compreender as mentes dos piores criminosos, e é com esse background que ele empreenderá a caça ao criminoso. Que pode estar mais perto do que ele imagina.
A narrativa e os diálogos são bem verossímeis, deixando a história muito real.
Enfim, um suspense muito bem construído, onde cada detalhe faz a diferença no fim, sem deixar pontas sem amarrar ou perguntas sem respostas.
Pra quem é fã, há o filme com Clint Eastwood, que no Brasil saiu com o nome "Dívida de Sangue". Como sempre, o livro é muito melhor.
*O livro ganhou os prêmios Anthony e Macavaty Award, de melhor romance policial.
comentários(0)comente



Vinny Britto 15/03/2019

Sensacional
Leitura eletrizante, pra mim fora da série do Bosch, esse é o melhor livro do Connelly, e um dos melhores em geral.

RECOMENDO!!!
comentários(0)comente



Luki 02/05/2012

492 páginas em uma semana; hoje, antes de acabar a leitura, comprei mais 3 do mesmo autor. Que mais eu posso dizer? Se recomendo?
comentários(0)comente



Edvaldo Bezerra 18/03/2013

Ótimo livro policial
Uma estória que faz você mergulhar de cabeça na investigação. Um livro que realmente lhe prende e faz com que você tome algumas conclusões precipitadas do caso.
É uma pena que o filme tenha se tornado previsível, destoando completamente o que se passa no livro.
Uma ótima leitura e recomendo, pois mesmo que se tenha assistido o filme e não gostado, o livro irá proporcionar algo diferente do que é apresentado na trama do filme.
comentários(0)comente



Virgílio César 26/11/2013

Sensacional!
Um dos melhores livros do Michael Connelly. História muito interessante com diversas reviravoltas.
comentários(0)comente



Leonardo 08/07/2014

Connelly em sua melhor forma
Um dos melhores livros escritos por Michael Connelly, que aqui caminha por um terreno muito familiar, ou seja, o do livro-catatau, mas com muita fluência.
Muito bem sacado, com personagens marcantes e uma história rocambolesca mas que acerta em cheio no tom de suspense.
comentários(0)comente



Claudia 21/11/2017

Definitivamente, Michael Connelly é um gênio. Que trama bem pensada, nada ao acaso....!
tecla ede 21/11/2017minha estante
Oba esse deve ser bom


Claudia 21/11/2017minha estante
Mando junto com o seu tá




Thiago 29/04/2018

Excelente
Dívida de Sangue foi meu primeiro contato com a escrita de Michael Connelly e já deu pra ver porque ele é um autor que faz sucesso no mundo inteiro. Sua escrita é fluida, seus personagens são interessantes, seu enredo é linear e não prega peças no leitor.

Nesse livro, acompanhamos o ex-agente do FBI Terry McCaleb, que está se recuperando de uma cirurgia de transplante de coração. O estresse no trabalho fez seu coração enfraquecer, ele teve que se aposentar e agora tenta, da melhor maneira possível, se adaptar a seu novo estilo de vida.

Qual não é sua surpresa quando recebe a visita de Graciela Torres. Ela lhe conta que é irmã de Gloria Torres, a mulher que doou seu coração. Após contar como descobriu que McCaleb recebeu o coração de sua irmã (já que esse tipo de informação é confidencial), ela lhe conta uma história terrível: Gloria foi assassinada num assalto.

Graciela pede a ajuda de McCaleb para descobrir quem foi o assaltante, visto que a polícia parece não se interessar muito pelo caso. Após uma inicial hesitação. McCaleb decide ajudar Graciela, e à medida que começa a investigação (não sem incomodar as forças policiais oficiais) ele descobre que o que parecia à primeira vista um mero latrocínio, pode ser muito mais que isso.

Michael Connelly não se deixa levar por soluções fáceis nesse livro. Embora em um ponto ou outro, possamos perceber algumas jogadas do autor, em nenhum momento as coisas parecem forçadas. Há um ponto no livro, por exemplo, em que uma testemunha será hipnotizada. Pensei que a história viria por água abaixo, mas que nada! A hipnose não foi o coelho que Connelly tirou da cartola.

Embora o livro seja grande para os padrões do gênero, o ritmo da história não cai, o que é um grande mérito do autor. O ritmo do livro é bem equilibrado, não chega a ser daqueles que a gente vira páginas e páginas arrebatado, mas também não nos deixa perder o interesse.

Mesmo o final é bem feito. Geralmente, após descoberto o vilão da história e os motivos que o guiavam, a qualidade cai e os autores não sabem como terminar o livro. Isso não acontece aqui. Michael Connelly consegue nos prender até a última página.

Gostei da humanidade que Connelly deu aos personagens. McCaleb não é de modo algum aquele herói imaculado e sem fraquezas. Acontece em certo ponto um conflito interior causado pelos acontecimentos que, se não foi tão bem explorado, pelo menos deu ao protagonista mais camadas e complexidade.

O final é surpreendente! Michael Connelly conquistou mais um fã! Já quero ler tudo o que ele escreveu. Sei que seu personagem mais famoso é o detetive Harry Bosch. Qual não foi minha surpresa quando, olhando a lista de livros do autor, vi que existe uma obra em que Bosch e McCaleb aparecem juntos! Quero pra ontem!
Marcos 14/05/2018minha estante
Comprei recentemente . Ainda não conheço o autor,


Thiago 14/05/2018minha estante
Eu também não conhecia e gostei bastante!




Vivian.Panizzi 12/06/2020

Em geral é bom, mas enrola muito pra começar a história em si e no clímax passa um pouco batido
comentários(0)comente



10 encontrados | exibindo 1 a 10