Mensalão

Mensalão Marco Antonio Villa




Resenhas - Mensalão


9 encontrados | exibindo 1 a 9


@TheMeuLivro 20/03/2020

Demais!
PT... é isso ai...
comentários(0)comente



Amanda.Gomes 15/08/2019

Minhas palavras sobre as palavras deste livro
O livro é interessantíssimo. Acredite ou não, concorde ou não com tudo escrito, essa obra é pura fonte de informações. Como já disse em outras resenhas, tenho uma dificuldade enorme com nomes e, para esta leitura, fiz uma legenda. Anotei todos os nomes que apareceram e as devidas funções dos personagens do Mensalão. Depois disso, eu conseguia conferir durante a narrativa quem era quem "na fila do pão". Bom, depois da dica, vamos as considerações.
Gostei muito! O livro é explicativo, detalhado, a leitura é muito fácil e o desenrolar da narrativa tem uma linha de tempo muito boa. Ele conta a história da investigação do mensalão do começo ao fim. Detalha o início de tudo, todo o período de investigação, os depoimentos, sentenças e o desfecho final - digamos - do caso Mensalão.

Boa leitura!
comentários(0)comente



Clara 13/01/2018

Tendencioso
A leitura não é de todo ruim, entretanto, muito tendenciosa quanto ao prejulgamento dos envolvidos no crime do mensalão. Muito elucidativo, trás explicações sobre o conceito legal de cada crime julgado e a relação de condenações por acusado.
Linguagem de fácil entendimento, perfeito para leigos, como eu, quanto ao assunto direito penal e política.
O único ponto ruim é que o autor não manteve-se imparcial quanto aos fatos, julgou e transmitiu em todo o tempo sua opinião quanto à participação do PT no escândalo do mensalão.
comentários(0)comente



Universo de utopia 21/12/2016

Nunca gostei da história do Brasil, sempre me causou repugnância desde os tempos da escola, mas este livro se encontrava esquecido na minha estante e foi um presente de um amigo muito querido e colega de profissão. Então resolvi dá uma chance... Demorei um tempinho para ler, não pelo livro ser ruim, mas quando se tem antipatia por uma coisa, ela se torna mais difícil.

O livro Mensalão da Editora Leya, escrito pelo historiador Marco Antônio Villa, é um excelente documento que retrata sobre o julgamento que na época foi o maior escândalo de corrupção da política da história brasileira ? Mensalão (Ação Penal 470), trazendo catálogos de documentos e opiniões de um jornalismo sério e ético, que mostra a verdadeira e antiga face do partido PT, bem como o inconformismo da população diante dos rumos da impunidade perpetrada pela Justiça Brasileira.

No seu relato inicial, o autor traz á tona o embrião do mensalão que abarca desde a reportagem da Veja em 2005 que deu a origem a instalação da CPI, mostrando quais eram os réus, as acusações e as provas até a fase de dosimetria da pena, que dos 36 acusados, 25 tiveram penas atribuídas pelos crimes de lavagem de dinheiro, corrupção ativa e entre outros, frustrando a atitude inútil dos corruptores em esconder a tentativa fracassada de tomada do Estado.

Nas páginas seguintes, o historiador aborda sobre as conspirações do alto comando para tentar abortar o prosseguimento da ação, capturar os três Poderes e deixar o País sob o domínio de um partido conservador e oportunista, numa obscura atitude de se perpetuar no poder a qualquer custo, tentando demonstrar o leitor o que foi este esquema ? compra de decisões políticas, ameaças infundadas e troca de favores. Villa conseguiu ainda com palavras me transportar para o julgamento do processo, o qual acompanhou sessão por sessão, demonstrando momentos de postergações ? legais - através de filosofias inoportunas para dissimular, distorcer e manipular resultados, não só por parte dos advogados de defesa, mas por outros profissionais da lei.

Ler este livro é uma oportunidade de entender um dos mais importantes capítulos da história brasileira. Através desse fato histórico conseguimos ver um fortalecimento da instituição de Judiciário, mediante sua atuação nesse escândalo inverossímil, que fez parte da vida de milhões de brasileiros, refundando o significado da República e do Estado Democrático de Direito. Que da lama da corrupção brote a esperança de um novo tempo... Desfrute, analise e se posicione!
comentários(0)comente



Gustavo 06/01/2015

Essencial documentação de um dos mais importantes acontecimentos da Nova República
Julgamento muito bem narrado pelo professor. Conseguiu, com palavras, transportar o ambiente da corte para as páginas de sua obra, além de traduzir exatamente o sentimento do brasileiro durante o julgamento. É um livro que cumpre o seu papel: documentar um momento decisivo da história da república. Só faço uma ressalva, o diagnóstico da política brasileira que o autor faz na conclusão do livro, na minha humilde opinião, está equivocado. O projeto de poder petista é ideológico sim! Não se trata de "poder pelo poder". O partido dos trabalhadores é um partido de esquerda e sempre será. Esquemas como o mensalão são justificáveis dentro dos parâmetros da mentalidade revolucionária do partido, tanto que quando se tratou do núcleo político do partido não se usou o termo "enriquecimento ilícito", a motivação não era econômica e sim político-partidária. Em um momento em que a estratégia Gramsciana da revolução cultural está a pleno vapor escândalos como esse significam: fortalecimento do partido e subversão da ordem.
comentários(0)comente



jmrainho 09/07/2014

Mensalão - O Julgamento do maior caso de corrupção
Editora Leya,São Paulo, 2012
Marco Antonio Villa, licenciado em História, mestre em Sociologia e e doutor em História (todos pela USP). Professor da Universidade de São Carlos.
-------------------------------------------------------------------
O livro segue a cronologia dos fatos do julgamento.



A ação penal 470, o Mensalão, iniciou-se com a CPMI dos Correios (2005-2006), Em 2007 o STF recebeu a denúncia.Entregue para o ministro Carlos Ayres Britto, e o revisor Ricardo Lewandoski.
CPI dos Correios começou com matéria da revista Veja, a partir de um vídeo que relatava que Maurício Martinho, chefe do departamento de contratação e administração dos Correios, e genro de Roberto Jefferson recebia propina de 3 mil reais e dizia que o Roberto Jefferson lhe dava cobertura.

No Roda Viva, José Dirceu, ministro da Casa Civil disse que não via necessidade de prestar solidariedade ao deputado Roberto Jefferson.

Eduardo Suplicy foi a tribuna e chorando disse que assinaria o requerimento para a CPI

Roberto Jefferson reafirmou as denuncias feitas pelo Jornal Folha de S. Paulo a respeito do que ele chamou de mensalão.

O Ministro Joaquim Barbosa foi o diferencial para não terminar em pizza.
O Ministro Toffoli, ex-advogado do PT não poderia ter participado do julgamento por interesse, foi assessor do José Dirceu, o qual inocentou. Entretanto, Toffoli admitiu a tese da compra de votos por parte do PT. Ricardo Lewandoviski também tentou desqualificar o julgamento. Marco Aurélio é primo de Fernando Collor, que o indicou ao STF.

Os advogados receberam em média R$ 20 milhões. Márcio Thomaz Bastos e José Carlos Dias, que teriam recebido juntos R$ 28 milhões pela defesa (Bastos, 20 milhões, e Dias, 8 milhões)

Marcos Valério subcontratou a empresa IFT Ideías, Fatos e Textos, do jornalista Luiz Costa Pinto, que já trabalhava para João Paulo Cunha, presidente da Câmara, e fazia marketing político para o deputado. A Agencia SMP&B de Marcos Valério foi contratada por licitação fraudulenta pra prestar serviços à Câmara, na gestão do João Paulo Cunha, e pouco fez. Foi contratada apenas para receber honorários, sem executar quase nada. A SMP&B emitiu 2.497 notas falsas.


É admirável os valores do butim. Só no Banco do Brasil a agência DNA desviou 58,3 milhões de reais, a maioria de serviços não prestados e
O desvio da Visanet-Banco do Brasil foi de 73 milhões. de reais, desviados para a DNA, também de Marcos Valério.

Celso de Mello:
"Agentes públicos que se deixam corromper e particulares que corrompem os servidores do Estado são eles corruptos e corruptores, subversivos da ordem institucional. São eles os delinquentes da ética do poder, os infratores do erário que trazem consigo a marca da indignidade e portam o estigma da desonestidade."

Depois de condenado, Marcos Valério disse estar sendo ameaçado de morte, denunciou o Lula como mandante, e afirmou que o PT tinha em caixa R$ 350 milhões para o mensalão, muito superior ao estimado pelo Promotor Geral de República. O PL se vendeu por 10 milhões.

A idéia era criar um bando entre a CUT, Rural e BMG para controlar o crédito consignado, o que não saiu devido as denúncias.

Barbosa afirmou que a lealdade parlamentar é uma das armas dos parlamentares na hora de obter vantagens indevidas. E que os parlamentares havia funcionado como verdadeiras mercadorias.

Luiz Fix sugeriu que Roberto Jefferson poderia ter sua pena atenuada pela importante colaboração. e lembrou que Ayres Britto em 20120 havia admitido que o delator assume postura incomum dissociando-se do instinto de preservação.

De acordo com Celso de Mello
"Este processo criminal revela a face sombria daqueles que, no controle do aparelho de Estado, transformaram a cultura da transgressão em prática ordinária e desonesta de poder, como se o exercício das instituições da República pudesse ser degradado a uma função de mera satisfação instrumental de interesses governamentais e de desígnios pessoais. Em assuntos de Estado e de
Governo, nem o cinismo, nem o pragmatismo, nem a ausência de senso ético, nem o oportunismo podem justificar, quer juridicamente, quer moralmente, quer institucionalmente, práticas criminosas, como a corrupção parlamentar ou as ações corruptivas de altos dirigentes do Poder Executivo ou de agremiações partidárias.

Os advogados defenderam a tese do caixa dois como se fosse a coisa mais natural do mundo, fato lembrado e criticado pela ministra Cármem Lúcia.



Mais sobre o Mensalão em meu Blog
http://agenciapublisher.com/mensalao-privataria-ditadura/
comentários(0)comente



Igor Henrique 07/08/2013

A Vergonha do PT
Que você já ouviu falar do Mensalão, isso é óbvio. Mas seja sincero(a), o que você sabe sobre ele, além de ter sido um dos tantos escândalos de corrupção que assolam a política da república brasileira? Acreditem, muitos detalhes ficaram ocultos no meio de tanto sensacionalismo jornalístico, que no fundo, queria exatamente isso. O governo Lula, por exemplo, esteve próximo de um Impeachment, que só não ocorreu devido as alianças partidários de grupos políticos supostamente contrários.
comentários(0)comente



Ana 26/04/2013

A verdadeira história do mensalão.
Acesse o nosso blog Meu Livro na Bolsa e leia a resenha! http://meulivronabolsa.blogspot.com.br/2013/04/mensalao_25.html

Curta a página do Meu Livro na Bolsa no Facebook!

Siga-nos no Twitter @meulivronabolsa
comentários(0)comente



Juliana 04/04/2013

Tudo o que queríamos saber
Muito interessante para quem gosta de historia do Brasil, leis e politica!
O livro mostra todos os detalhes, desde como começou, o famoso julgamento do mensalão. Com detalhes sobre penas, crimes e seus significados.
Ótima opção para àqueles que não entendem muito sobre o caso, o livro é bem didático.
comentários(0)comente



9 encontrados | exibindo 1 a 9